Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 24 de fevereiro

24.2.2012

 

Clipping 24 de fevereiro

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Argentino Claudio Vallejos

                   Fuga de detentos

 

FIM DA LINHA

 O argentino Claudio Vallejos, integrante do temido Serviço de Informação Naval da Marinha Argentina nos anos de chumbo, está detido no presídio regional de Xanxerê, Oeste de Santa Catarina. Foi condenado por aplicar golpes, veja você, de estelionato em municípios da região.

Em 1986, durante entrevista à revista Senhor (nº 270), Vallejos, também conhecido como El Gordo, admitiu ter participado como motorista da prisão do pianista brasileiro Francisco Tenório Cerqueira Junior. “Tenorinho” tocava com Vinicius de Moraes na capital argentina, em 1976, quando desapareceu misteriosamente. Seu corpo nunca foi localizado.

Vallejos é suspeito de pelo menos 40 assassinatos no serviço secreto argentino. Na região Oeste, se apresentava como jornalista e vendia anúncios de revistas que não existiam. Passou por Guarujá do Sul, Campo Erê e São José do Cedro. O mestre Ancelmo Gois também publica as informações acima em sua coluna de hoje de O Globo. Confira na página ao lado.

 

TIRO NO PÉ

A fuga de mais quatro detentos no presídio da Capital não chega a ser novidade. Aquilo é um queijo suíço. Só não sai quem não quer. O surpreendente nesta história é existência de guardas armados, terceirizados, trabalhando na segurança do local. A função seria de responsabilidade dos agentes prisionais. Como faltam agentes, a PM faz a guarda externa. Só que também existe déficit de contingente de policiais para o serviço.

Resultado: um guarda armado com um rifle dispara contra o tornozelo de um policial militar. Não fosse a gravidade do acidente, chega a beirar a piada pronta: a estrutura do sistema prisional de Santa Catarina é um tiro no pé.

_____________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Carros apreendidos

 

Pátios do Detran estão lotados

Veículos que foram apreendidos viram sucata e podem ir a leilão enquanto seus donos não regularizam a documentação

O Estado tem 35 mil veículos parados nos 25 depósitos credenciados pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Alguns estão apodrecendo e servem apenas para sucata.

O órgão não consegue dar conta do aumento de veículos apreendidos, por diversas infrações, principalmente licenciamento atrasado.

Somente no pátio localizado na Avenida Sete de Setembro, em Chapecó, há 1,2 mil veículos. A maioria é de motos. Dos automóveis, há inúmeros Uno, Corsa, Chevette e até Audi e BMW. No pátio de Concórdia são mais de 200 unidades.

Um leilão está previsto para o final de março, segundo o responsável pela Comissão de Leilões do Detran, major Gilberto Wilton da Silva.

Devem ser vendidos cerca de 400 unidades. O major Gilberto explicou que não há condições de vender mais unidades, pois todas tem que ser avaliadas e cadastradas apenas por uma única equipe.

Na semana passada foi publicado um edital notificando os proprietários de que regularizem sua situação ou então os veículos vão a leilão para pagar as despesas. Os proprietários devem procurar o órgão de trânsito de sua cidade e quitar suas pendências para ter o veículo liberado. Em muitos casos o valor a ser pago supera o valor do carro ou moto e os proprietários perdem o interesse de fazer o resgate. E isso acaba enchendo os depósitos.

O major Gilberto disse que, neste ano, a previsão é de leiloar cerca de 5,5 mil veículos em 12 leilões, número similar ao do ano passado. Mas os pátios somente devem esvaziar a partir da criação das Comissões Regionais de Leilão, que devem ter início neste ano. A intenção é criar 12 comissões regionais. Assim, o número de leilões poderia chegar a 40 por ano. Atualmente, apenas uma comissão é a responsável por avaliar os carros e promover a venda. O dinheiro obtido vai para quitar as despesas das multas, guincho e depósito. Outras informações podem ser obtidas no site www.detran.sc.gov.br.

___________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Setes morrem no Carnaval

 

Sete morrem no Carnaval

O número de acidentes e mortes nas rodovias federais em Santa Catarina, durante o período de carnaval, diminuiu em relação aos anos anteriores. A Operação Carnaval 2012 teve início na sexta-feira e foi encerrada à meia-noite de quarta-feira, com registro de sete mortes em acidentes de trânsito.

No ano passado, 36 pessoas perderam a vida no mesmo período. Vale lembrar que o alto índice de 2011 foi por causa de um acidente com um ônibus em Descanso, no oeste do estado, onde 26 passageiros morreram. Em 2010, o número total de vítimas fatais também foi superior a este ano, com 11 vítimas. Nenhuma criança está entre as vítimas e o primeiro acidente trágico ocorreu no domingo, dia em que concentrou cinco, do total de sete vítimas. As outras duas mortes foram na segunda e terça-feira. Na sexta-feira, sábado e quarta-feira, não houve mortes.

No trecho sul da BR-101, com trechos em obras e não duplicados, uma pessoa morreu. O fluxo de veículos foi intenso com congestionamentos, principalmente nas regiões de Laguna e Itapema. O balanço final, divulgado ontem pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), demonstra que muitos motoristas arriscaram ao transitar com velocidades acima do permitido. Radares fotográficos registraram 21 mil casos de desrespeito aos limites de velocidade. Nas ações de combate à embriaguez ao volante 17 pessoas foram presas e outras quarenta foram multadas. Ainda 6.151 veículos foram fiscalizados, 347 foram retidos, 105 carteiras de habilitação foram recolhidas e mais de quatro mil multas foram aplicadas.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: General Motors

 

O sonho de Carlito

Circulando à vontade, faceiro, no Centro Administrativo, o prefeito Carlito Merss (PT) comemorava, com políticos e empresários, a assinatura do protocolo para implantação da segunda fábrica da General Motors em Joinville. A primeira começa a produzir motores no segundo semestre deste ano. Vai fabricar 120 mil unidades por ano, além de 200 mil cabeçotes, dos quais 80 mil para a Argentina. A segunda, que produzirá 150 mil caixas de transmissão e de câmbios, começa a vender no início de 2014. A GM vai virar o jogo, deixando de importar estas transmissões da Europa para exportá-las.

Enquanto transmitia as informações econômicas sobre os novos investimentos, Carlito Merss cumprimentava lideranças políticas. Encontrando-se com um grupo de empresários, revelou: “Meu sonho é ter o empresário Moacir Thomazi como candidato a vice-prefeito!”. Fez a declaração na presença do próprio Thomazzi, testemunhada por dirigentes da Acij.

Carlito Merss foi eleito numa coligação com o PR, que indicou o empresário Ingo Butzke de vice. Eleito, passou a contar com o apoio do PP, liderado pelo ex-deputado Eni Voltolini, e a oposição do deputado Kennedy Nunes, hoje no PSD e líder das prévias da corrida à prefeitura. Os progressistas consolidaram a aliança com o PT dispostos a seguirem unidos até outubro.

O sonho do prefeito petista tem um alvo definido: rachar o empresariado joinvilense e enfraquecer a candidatura do industrial Udo Döhler, o candidato do PMDB respaldado pelo senador Luiz Henrique, a principal liderança política do Norte.

 

 

POLO

Moacir Thomazi foi o nome apontado por Carlito Merss. Mas, segundo comenta-se nos bastidores, poderia ser o filho, advogado Rodrigo Thomazi, atual secretário de Integração e Desenvolvimento Econômico, muito prestigiado pelo prefeito.

Já surgiram especulações, também, sobre os empresários Carlos Rodolfo Schneider, ex-presidente da Celesc, e Osvaldo Silva, o Nei, há décadas um dos líderes mais ligados ao PMDB.

O evento da General Motors transformou-se num ato histórico. Primeiro, pelo caráter republicano que o caracterizou, com a união de esforços entre um prefeito do PT e um governador do PSD. Segundo, pelas perspectivas de desenvolvimento regional. O Norte está se consolidando como o novo polo automotivo do país, com uma retaguarda tecnológica que só perde para São Paulo. Carlito Merss lembrava, eufórico, que a Tupy está implantando a terceira fábrica no município, além de novos investimentos previstos para este ano.

O vice-presidente da GM, Mauro Munhoz, destacou que o Brasil está deixando de ser importador para exportar tecnologia, citando o caso do modelo S10, cujo projeto, todo concebido em São José dos Campos por brasileiros, está sendo fabricado na Tailândia.

Coube a todos os três oradores sintetizar a importância do projeto e da conjuntura. O vice-presidente Mauro Munhoz, ressaltando que a GM está investindo R$ 5 bilhões nestes últimos anos no Brasil, um quinto em Santa Catarina, portanto, mais de R$ 1 bilhão nas duas fábricas. Carlito Merss transferindo o crédito do bom momento da economia às políticas do governo petista nos últimos nove anos e às ações que executou na prefeitura, depois de “arrumar a casa”. Raimundo Colombo, com referências ao Plano Real, “a base das conquistas”.

É para festejar mesmo! Enquanto lá fora a crise econômica se espalha, a Europa vive o pesadelo da recessão, o desemprego avança, o Brasil continua blindado e cresce, firme e forte, atraindo novos investimentos.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Eleição municipal

 

 

Eleição municipal mexe com as bancadas na AL

Deputados que disputarem prefeituras devem se licenciar dos cargos e dar lugar aos suplentes

Além do calendário especial de sessões e das negociações de bastidores, as eleições municipais deste ano devem alterar as bancadas. Suplentes vão entrar no lugar dos deputados pré-candidatos que pretendem se licenciar no início da campanha.

Os pré-candidatos à prefeitura de Florianópolis Cesar Souza Junior (PSD) e Angela Albino (PC do B) já manifestam a intenção de se licenciar para poder se dedicar totalmente à campanha. Cesar deixa a Secretaria Estadual de Turismo, Cultura e Esporte na próxima quinta-feira, mas não pretende voltar à Assembleia.

Ele afirma que se licenciará novamente, pelo período de dois meses, para estruturar o plano de governo. O parlamentar pode voltar ao Legislativo entre maio e junho, mas deve se afastar a partir da deflagração da campanha eleitoral.

– Fiz isso em 2008 porque, na minha percepção, é incompatível exercer o cargo de deputado junto com a campanha. É uma questão de foco, a eleição está se aproximando e a gente precisa ter dedicação exclusiva – diz.

Angela também diz que pretende se licenciar, do mesmo modo como fez em 2008 quando era vereadora.

– Pessoalmente tenho o desejo de me licenciar. Mas, embora seja muito exaustivo, diferente de outros deputados que têm bases em cidades mais distantes e uma maior dificuldade em acompanhar o calendário eleitoral, tenho como incluir os compromissos parlamentares dentro da rotina de campanha – assinala Angela.

O calendário especial da AL para o segundo semestre ainda não começou a ser discutido com os parlamentares. Mas a ideia é organizar as sessões de modo que haja presença em plenário e tempo para os deputados se dedicarem à campanha. A utilização deste tipo de calendário tornou-se comum porque, mesmo os parlamentares que não são candidatos, nesta época vão para as bases para fazer campanha para aliados.

Pré-candidato em Blumenau, o deputado Jean Kuhlmann (PSD) diz que está esperando a definição do calendário especial da AL para tomar alguma decisão. Ainda assim, ele antecipa que, se o seu nome for confirmado pelo partido, pode tirar dois meses de licença para poder se dedicar mais à campanha.

 

Elizeu fica como líder do governo até junho

O líder de governo, deputado Elizeu Mattos (PMDB), manifestou a vontade de não se licenciar do mandato para disputar a prefeitura de Lages. Mas o peemedebista deve deixar a liderança. Segundo Elizeu, sua vontade era se afastar da função neste momento, mas atendendo a um pedido do governador Raimundo Colombo (PSD), deve ficar no posto até junho.

Outro que também pode se licenciar é Darci de Matos (PSD), pré-candidato à prefeitura de Joinville. O parlamentar disputa com o colega Kennedy Nunes (PSD) a indicação do partido para a cabeça de chapa, mas se diz disposto a se licenciar por quatro meses para tocar a campanha e ceder o lugar para um suplente.

– É uma decisão pessoal. Se o partido confirmar meu nome, me licencio na sequência. Joinville é a maior cidade e temos que nos dedicar à campanha – afirma Darci.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto:Três estão foragidos do complexo

 

Três estão foragidos do complexo

Quatro detentos escaparam após serrarem as grades do teto de uma cela contêiner do Centro de Observação e Triagem

O Complexo Penitenciário de Florianópolis, no Bairro Trindade, registrou nova fuga na madrugada de ontem. Desta vez foi no Centro de Observação e Triagem (COT), unidade de onde quatro presos escaparam. Um já foi recapturado. Agentes disseram ao DC que trabalham com medo por causa do baixo efetivo, armas velhas, superlotação e de investidas de criminosos que, de fora, jogam serras, celulares e drogas para dentro da cadeia.

Por volta de 1h30min de ontem, bandidos tentaram jogar objetos da rua para dentro do complexo – uma ação que os agentes chamam de “invasão” – e foram contidos com tiros disparados por PMs que fazem a guarda externa. Esta foi a sexta “invasão” em 15 dias no complexo.

Os criminosos vêm do matagal que liga o complexo ao Morro do Horácio. Arremessam drogas, celulares, chips e serras de uma pedreira, distante menos de dois metros das unidades COT, ala de segurança máxima, e Central de Triagem da Trindade – onde foram registradas as duas maiores fugas da história de SC, em fevereiro e junho de 2011.

Cerca de duas horas e meia após a tentativa de invasão, o alerta geral – via rádio, tiro de bala de borracha, sirene e “no grito” – foi dado em todo o complexo. Quatro presos fugiam.

Equipados com uma serra de 10 centímetros, eles haviam serrado as grades do teto da cela 6 da galeria B do COT, unidade feita de container e construída há 10 anos. Para não fazer barulho, colocaram sabão na lâmina.

Sem tocar no chão, pularam do COT para uma cerca e, dali, para a recém-construída muralha de cinco metros de altura. Eder Apolinário Ribeiro, 21 anos, de Curitiba, e Claudir de Liz, 32, de Taió, foram os primeiros a escapar. Logo atrás pularam Jefferson João Seemann Vieira, 20 anos, de São José, e Romalino Ribeiro Neto, 36, de Anita Garibaldi. Romalino foi capturado em minutos, no matagal atrás do complexo. Os outros três se embrenharam na mata.

Todos são condenados. Eder por homicídio, Laudir por furto e assalto, Jeferson por tráfico de drogas, furto e assalto, e Romalino por receptação. Embora seja uma unidade para receber pessoas que esperam condenação, 90% dos presos são condenados. Não há vagas na Penitenciária atual. Talvez tenha na nova, que deverá ser construída no município de Imaruí, o primeiro passo que o governo estadual dá para desativar o complexo.

 

Na correria, PM é baleado

Na fuga dos quatro presos e durante a correria dos policiais, agentes e vigilantes terceirizados, um policial militar, o soldado Coelho, foi baleado no tornozelo. O tiro teria sido disparado de uma espingarda Puma de um vigilante. Quatro espingardas foram recolhidas pela perícia. Até ontem à tarde, Coelho estava bem e havia passado por cirurgia no Hospital Celso Ramos.

– Suspeitamos que o tiro partiu de um dos dois vigilantes que estavam na guarita do COT ou dos que estavam perto do Hospital de Custódia. Eles não têm preparo para atuar em área de segurança. Atiram a torto e a direito – falou um agente que pediu para ter sua identidade preservada.

Segundo ele, três homens davam plantão na unidade para 202 presos.

– Temos pouco efetivo e nossas 12 espingardas são velhas. Estamos com medo – desabafou.

O comandante da Companhia de Policiamento de Guarda da PM no complexo, tenente coronel Mauro Marzarotto afirmou que será colocada iluminação e construída uma cerca em volta do complexo, apenas no perímetro em volta do morro para conter os “invasores”.

O diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap), Leandro Lima, lamentou a fuga, se desculpou pela falha e afirmou que uma sindicância será aberta. Até o encerramento desta edição, ninguém mais havia sido recapturado.] ____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Assaltos a casas

 

 

Cresce número de bandos

O morro da Costeira do Pirajubaé – comunidade tradicional de Florianópolis que há anos sofre com a forte presença do tráfico de drogas – agora vem sentindo o aumento da quantidade de quadrilhas de assaltantes de casas.

Na tarde da última quarta-feira, um adolescente de 17 anos, morador da Costeira, foi apreendido por suspeita de envolvimento em mais de 10 roubos a casas na Capital. Momentos antes, ele e um homem haviam deixado o morro da Costeira, em um Gol preto, em direção a São José.

De acordo com a polícia, o principal motivo para explicar tantos assaltantes entre os bandidos da Costeira é um só: o morro está “sem dono”.

Sérgio de Souza, o “Neném da Costeira”, antigo líder do tráfico de drogas local – que atua desde o início dos anos 2000 e se tornou um dos maiores distribuidores de cocaína do Sul do Brasil –, começou a perder poder a partir de sua prisão, em 2008. A perda se intensificou a partir de sua transferência de uma penitenciária de segurança máxima em SC para outra fora do Estado, em 2011.

 

Tráfico reprimia roubos para evitar ações policiais

O traficante sempre reprimiu assaltos porque este tipo de crime atrai polícia para o morro e atrapalha as vendas de cocaína, crack e maconha. Como perdeu a liderança, o comando das ações criminosas está dividido em cinco facções.

Formadas por adultos e adolescentes, as novas quadrilhas entram quando a porta da frente está aberta, amarram e amordaçam moradores e chegam a dar chutes e coronhadas na cabeça de pessoas feitas reféns dentro de suas próprias casas. E roubam tudo que cabe no carro da vítima.

– Florianópolis não é mais aquela cidade pacata que era até há poucos anos. As pessoas não devem deixar a porta de casa aberta, nem de dia e muito menos à noite. Caso o morador note alguma movimentação estranha perto de casa, deve chamar a polícia e dar uma volta no quarteirão – orienta o delegado Marcus Vinicius Fraile, da Delegacia de Repressão a Roubos da Capital (DRR).

Apreendido pela primeira vez, o jovem é apontado pela polícia como mentor de mais de 10 assaltos em bairros nobres como Parque São Jorge e Santa Mônica, além de Córrego Grande e Campeche, e é tido como o mais violento da quadrilha.

Ele tem no currículo a tentativa de arrombamento com maçarico de um caixa eletrônico nos Ingleses, Norte da Ilha de SC, e dois homicídios. As vítimas, conhecidas por Charriam e Tartaruga, eram da Costeira. Segundo a polícia, o adolescente teria confessado os assassinatos e dito que era ameaçado de morte pela dupla.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Suspeitos dos crimes são denunciados

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) apresentou, na quarta-feira, denúncia contra os três acusados pelo homicídio de Gelson Aparecido de Souza e seus dois filhos, Victor e Jean. As vítimas foram mortas em Palhoça, na Grande Florianópolis, com golpes de pé de cabra, no dia 9 de janeiro.

Everaldo Rosa Nunes, Jeferson Nunes e Rogério Vaz da Silva foram denunciados pelos três homicídios triplamente qualificados e por corrupção de menores, por terem cooptado três adolescentes a participarem dos homicídios. Rogério foi denunciado, ainda, pelo furto do celular de Gelson. A ação ainda não foi apreciada pelo Judiciário.

O crime teria sido cometido em represália pela instalação de uma câmera de segurança em frente ao salão de beleza da companheira de Gelson, que estaria prejudicando o tráfico de drogas, praticado pelos denunciados.

 

Mulher morta a tiros no Sul

Bebê de um ano, filha da vítima, estava junto com a mãe no carro, mas não apresentava ferimentos

Uma mulher de 24 anos foi encontrada morta a tiros, ontem pela manhã, dentro do carro em uma estrada do interior de Balneário Arroio do Silva, Sul de SC. Ivonete Mezari Genuíno, 24 anos, levou quatro tiros no rosto e nos braços. No banco de trás do veículo, a filha da vítima, um bebê de um ano, estava na cadeirinha e sem sinais de ter sofrido algum tipo de violência.

O veículo onde estava a vítima – um Palio com placas de Araranguá, onde ela vivia com os pais – foi encontrado por volta das 9h por agricultores, numa estrada secundária perto da estrada geral de acesso à Praia da Meta.

No banco de trás, a filha de um ano tinha apenas as marcas de picada de mosquitos, já que o veículo estava com os vidros abertos e o crime teria acontecido durante a madrugada. A menina foi levada ao Hospital Regional de Araranguá e depois para os avós maternos.

O delegado Ari José Soto Riva, que comanda as investigações, conseguiu apurar poucas informações que podem indicar os autores do crime, mas admite algumas hipóteses para o homicídio. Apesar de não haver indícios de roubo de objetos no carro, o latrocínio (roubo seguido de morte) não está descartado, assim como uma possível execução por motivos ainda desconhecidos. Riva também considera a possibilidade de vingança indireta contra o delegado Jorge Giraldi, pai do bebê que estava no carro.

A vítima morava com os pais e, além da menina, também tinha um filho de três anos. O pai da criança mais velha foi interrogado, mas segundo o delegado não surgiram elementos que pudessem incriminá-lo e ele acabou liberado.

 

Suspeito de assaltar casal é identificado

A identificação de um dos autores do assalto a um casal de São João Batista, na manhã da última quarta-feira, ampliou as investigações para o Litoral Norte do Estado.

Uma moto usada na ação e encontrada em uma casa perto do local do crime foi fundamental para confirmar a participação de um suspeito vindo de Balneário Camboriú, para onde teria fugido após o crime.

O comerciante informou à polícia que dois suspeitos surpreenderam a mulher dele, às 7h30min, na frente de casa. Eles teriam amarrado o casal e exigido o dinheiro que a vítima tinha em casa – o faturamento obtido no Carnaval.

– A vítima não fazia questão de esconder que guardava o dinheiro em casa. Isso aumenta muito o número de pessoas que poderiam saber sobre a localização do dinheiro – disse o delegado Ângelo Silva.

O valor levado pelos assaltantes foi de R$ 20 mil. Segundo a polícia, a dona da casa onde a moto foi localizada disse não saber sobre o assalto.

assassinatos e dito que era ameaçado de morte pela dupla.

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Homem é baleado ao enfrentar a polícia em Joinville

 

Homem é baleado ao enfrentar a polícia em Joinville

Dupla fugiu de abordagem policial com um carro roubado. Um está preso e o outro, no hospital

Suspeito. Rafael Daguetti dirigia o carro que foi roubado em Guaramirim

Uma perseguição policial terminou com troca de tiros, um suspeito baleado e outro preso, um automóvel roubado recuperado e uma pistola calibre 380 apreendida. Foi na quarta-feira (22), por volta das 16h, no bairro Paranaguamirim, zona Sul de Joinville. Agentes do 17º BPM (Batalhão de Polícia Militar), que faziam ronda, perceberam dois homens em um Citroën C3, com placa MFH-6173, de Guaramirim.

Em consulta da placa do veículo no Infoseg (rede de dados que reúne informações dos órgãos de segurança pública do Brasil), os policiais descobriram que o veículo havia sido roubado na noite de terça-feira durante um assalto a mão armada, em Guaramirim.

Os policiais tentaram parar o automóvel para averiguação, mas os dois homens que estavam dentro do carro reagiram. “Eles não obedeceram ao pedido de parada e ainda aceleraram o automóvel, tentando fugir”, contou o soldado Cristian Palhano, do 17º BPM, .

Houve perseguição por ruas do bairro Paranaguamirim. Os PMs atiraram em três pneus do carro roubado para fazer com que os suspeitos parassem. O motorista perdeu o controle do C3, que foi parar dentro do quintal de uma casa na rua Paranaguamirim. Os dois ocupantes do veiculo tentaram então fugir a pé para uma área de matagal que fica perto do local.

 

Escondido em um matagal

Em um matagal perto do local onde o carro roubado foi abandonado, os PMs localizaram um dos suspeitos. O homem resistiu à prisão, sacou uma pistola calibre .380 e tentou atirar contra um dos policiais militares. “Ele parou, olhou para mim, sacou a arma e apontou em minha direção. Nestes casos não tem como não revidar”, declarou o soldado Cristian Palhano.

O PM fez três disparos que atingiram o suspeito no queixo, pescoço e abdômen. O baleado, identificado apenas como Diego. foi socorrido e levado pelos paramédicos ao Hospital São José. Ontem à noite ele estava no centro cirúrgico.

O outro suspeito, detido também nas imediações da rua Paranaguamirim, é Rafael Daguetti, 20 anos. Era ele quem dirigia o veículo roubado. “Eu não sabia que o carro era roubado. Quando vi a PM nos perseguindo não parei porque fiquei com medo. O Diego disse que o carro era dele”, afirmou Daguetti na Delegacia Central de Polícia Civil.

Rafael declarou que conhecia Diego há cerca de dois meses e sabia que ele andava armado. Dentro do carro os policiais encontraram um celular e uma pequena quantidade de maconha. A dupla deve responder pelos crimes de receptação, porte ilegal de arma e posse de droga.  A Polícia Civil investiga a possível participação da dupla no assalto de terça à noite em Guaramirim, quando dois homens armados de pistola roubaram o C3.

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Dois detidos são transferidos do Presídio de Joinville

 

 

Dois detidos são transferidos do Presídio de Joinville

Tentativa de fuga. Presos ficarão por 30 dias em local não divulgado pela polícia

Estatística. Houve três tentativas de fuga no presídio neste ano

Os presos que participaram de duas tentativas de fuga durante as visitas de familiares ao Presídio Regional de Joinville, durante o Carnaval, foram transferidos da unidade por 30 dias. Maicon Francisco de Andrade e Douglas Cris de Souza foram levados para outros presídios no Estado, cujos endereços não foram divulgados por motivos de segurança, onde ficarão isolados e sem direito a visitas por 30 dias.

“Será aberto um incidente disciplinar e o Douglas também responde pela tentativa de agressão contra o agente”, explica o chefe de segurança Márcio Maia Crescêncio.

Ele disse que as duas tentativas de fuga foram semelhantes. Na sexta-feira (17), por volta das 17h, Maicon saiu em meio às visitas e tentou pular o muro da unidade, mas foi contido e dominado por um agente prisional.

O rapaz de 18 anos está preso no Pavilhão 2 desde 31 de janeiro. Ele é um dos suspeitos de participar do assassinato do casal Maria José Vieira de Oliveira, 67, e Miguel de Sousa Oliveira, 69, dia 26 de janeiro, no bairro Paranaguamirim, zona Sul.

Douglas Souza, preso na unidade desde 2009 por assalto e porte ilegal de arma, tentou fugir por volta do meio-dia de terça-feira (21). Ele também aproveitou o momento em que os detentos saíam das celas do pavilhão 4, para receber as visitas. Douglas tentou desarmar um agente, mas foi imobilizado. Neste dia, as visitas ao pavilhão foram suspensas à tarde.

 

“Mérito de agente”

Márcio Maia Crescêncio, chefe de segurança do presídio, explica que os presos não conseguiram fugir devido à intervenção dos agentes. “É mérito do próprio agente que evitou a fuga. Neste último caso imagina se o Douglas conseguisse pegar a arma dele, havia 60 presos no pátio, seria uma grande fuga.”

Para Márcio, as tentativas de fuga não têm relação entre si. “Os presos sempre tentam coisas novas, trabalhamos para evitar as fugas iguais às que aconteceram ano passado, quando eles serravam as grades e pulavam os muros. Agora eles precisam inventar outros jeitos. Estas ações estão sendo contidas.”

De acordo com Márcio Crescêncio, desde que a nova direção assumiu o presídio, em novembro de 2011, ocorreram cinco tentativas de fugas, três neste ano. Márcio e o diretor Cristiano Teixeira da Silva, nomeados após o período de um mês de intervenção do Deap (Departamento de Administração Prisional), trabalham para que as fugas, foram registradas oito no ano passado, não se repitam em 2012.

 

Estratégia

O chefe de segurança, Márcio Maia Crescêncio, explica que a direção do Presídio de Joinville concentra os trabalhos em dois pontos principais: evitar fugas e a entrada de celulares na unidade. No fim de semana, 14 aparelhos telefônicos foram apreendidos durante uma revista. “As revistas são constantes, mas têm data e horário incertos para que possamos pegar os presos desprevenidos.”

Ele diz que a instalação de 58 câmeras de segurança nos muros da unidade ajuda a identificar a entrada dos celulares.

“Só neste ano, encontramos dentro do presídio mais de 50 aparelhos. Os celulares são jogados pelo muro e os presos ficam pescando de dentro das celas”, afirma Márcio.

Outra mudança na estrutura da unidade foi a instalação de grades nos pátios e nas portas de acesso dos pavilhões 4 e 5, palcos das fugas ocorridas em 2011. Houve reforço de 40 vigilantes de uma empresa de segurança terceirizada. São dez homens a mais em cada plantão.

Guaramirim, quando dois homens armados de pistola roubaram o C3.

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Troca de tiros em assalto a lotérica na avenida Beira-mar Norte na Capital

 

Troca de tiros em assalto a lotérica na avenida Beira-mar Norte na Capital

Quatro homens teriam participado do assalto e reagiram a ação de policiais federais

Policiais fizeram perícia na lotérica na tarde desta sexta-feira

 A Polícia Civil ainda não tem pistas sobre o paradeiro dos quatro assaltantes que trocaram tiros com policiais federais dentro do supermercado Angeloni, na avenida Beira-mar Norte. Os homens assaltaram a lotérica, que fica dentro do estabelecimento, por volta das 16h de ontem. O tiroteio provocou pânico nos clientes que estavam na praça de alimentação. Eles fugiram levando R$ 1.000.

A quadrilha chegou ao supermercado em duas motos. Uma delas, com placa de Florianópolis, foi furtada no começo do ano em São José. O veículo foi abandonado pelos suspeitos, que estavam armados com pistolas 9 milímetros e revolveres calibre 38. Após anunciarem o assalto, os quatro homens foram surpreendidos por dois agentes da Polícia Federal que estavam no estabelecimento. Houve troca de tiros.

Segundo o delegado Marcos Fraile, da DP de Roubos e Assaltos, um dos agentes federais informou ter revidado ao ataque. “Há suspeitas de que um assaltante foi baleado. Vamos ver se aparece alguém baleado nos hospitais”, relatou o delegado. O comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, coronel Araújo Gomes, diz que testemunhas afirmaram que o criminoso foi baleado. “Encontramos sangue na moto e no capacete”, explicou. O homem baleado fugiu em direção ao mangue da avenida Beira-mar Norte.Policiais militares fizeram rondas pela região, mas não localizaram os quatro assaltantes.

Técnicos do IGP (Instituto Geral de Perícias) recolheram 18 capsulas de munição no local do tiroteio. A lotérica fica em frente à praça de alimentação do supermercado. Nenhum cliente ficou ferido durante o assalto.

 

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Motoristas de ônibus denunciam vândalos e exigem segurança

 

 

Motoristas de ônibus denunciam vândalos e exigem segurança

Gerência da Empresa Insular considera fato isolado a depredação de três ônibus no Carnaval e nega que pune funcionário que exige segurança

Motoristas exigem segurança

Os três ônibus da Insular depredados na última noite de Carnaval parece não ter incomodado a direção da empresa. A gerência trata o caso como fato insolado e ainda repreende motoristas que se negam a fazer linhas onde ocorrem manifestações populares, como Carnaval, jogos de futebol e outros eventos por causa de quebra-quebra nos ônibus.  Ora, se os diretores pensam assim, certamente, os coletivos estão no seguro. No entanto, a integridade física do empregado não está segurada. Quando os funcionários rejeitam a trabalhar por falta de segurança os patrões não devem puni-lo. Os empregados afirmam que existe castigo e estão até pensando em levar a denúncia para o sindicato. A gerência nega. Diz que a empresa tem muitos funcionários e sempre existe a possibilidade de encaixar motoristas nas linhas para eventos populares, substituindo os que pedem para ficar de fora.

 

 

ACONTECEU NA ALESC

 

 

Segurança Pública

A recente fuga de quatro sentenciados da penitenciária de Florianópolis, onde um policial militar teria sido baleado por um segurança privado, foi destacada pelo deputado Sargento Amauri Soares (PDT). Soares criticou a forma como a segurança pública no geral, e o sistema prisional, em particular, vêm sendo administrados no estado. Conforme o parlamentar, são cada vez mais intensos os rumores sobre a eminente privatização do sistema prisional catarinense. “Talvez interesses econômicos estejam se afirmando no estado. Não dá pra continuar privatizando os serviços essenciais. Isto é um erro e um absurdo”, disse. 

 

BLOGS

 

 

Moacir Pereira

 

Policia Civil quer unificar movimento sindical

Assembleia estadual do Sindicato dos Policiais Civis – Sinpol – e do Sindicato dos Trabalhadores na Policia Civil – Sintrasp – vai decidir no dia 28 de fevereiro sobre proposta de unificação das duas entidades.

Os dirigentes dos dois sindicatos já fecharam um acordo neste sentido. A ideia da unificação objetiva fortalecer o movimento dos policiais civis.

 

 

PM forma novo grupo de oficiais

A Polícia Militar (PM) de Santa Catarina realiza hoje a solenidade de Promoção ao Primeiro Posto. Quarenta e dois aspirantes-a-oficial serão promovidos ao posto de 2º tenente, o primeiro da carrreira da oficial da Corporação. A solenidade inicia às 17 horas no Centro de Ensino da PM, bairro Trindade, na Capital.

 

 

Paulo Alceu

 

Balanço

No dia 29 de fevereiro, próxima quarta-feira, a Secretaria de Segurança apresentará o balanço das Operações Veraneio e Alegria. Segundo o secretário Cesar Grubba os índices este ano estão em todos os setores muito abaixo de anos anteriores. No mesmo dia será lançada a segunda etapa do Força Tur. Perguntado se continuará o mesmo esquema de policiamento ostensivo nas ruas o secretário destacou, que em abril serão efetivados mais 1,7 mil policiais militares atendendo as 11 regiões do Estado e com a finalidade de policiamento ostensivo de rua.

 

E a Vida Segue

O Programa Sentinela, embora com 100 atendentes, um dos maiores do país não consegue dar conta no acompanhamento de crianças que sofrem abusos e agressões. Houve um aumento considerável de denúncias.

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Agência Estado

Editoria: Brasil

Assunto: Polícia Civil indicia diretor da Camisa Verde e Branco

 

Polícia Civil indicia diretor da Camisa Verde e Branco

  A Polícia Civil de São Paulo indiciou ontem o diretor de carnaval da Camisa Verde e Branco, Alexandre Salomão, o Teta, por envolvimento na confusão que acabou na destruição das notas do carnaval, terça-feira, no Anhembi. Como não foi preso em flagrante, ele responderá em liberdade por supressão de documentos e dano ao patrimônio público.

 Outros oito integrantes de escolas de samba devem prestar esclarecimentos à policia até segunda-feira. A primeira secretária da Camisa Verde e Branco, Josélia Alves, também foi ouvida ontem, mas não foi indiciada. O delegado Osvaldo Nico Gonçalves disse ter encaminhado para a perícia imagens de TV de momentos antes da invasão da área dos jurados. “Se for constatado que ela (Josélia) participou, será feito termo circunstanciado por incitação ao crime”.

 Segundo o advogado da Camisa, Adriano Vani Sales, não há prova contra nenhum dos dois. Questionado sobre as cenas em que Salomão aparece rasgando papéis, ele disse que eram envelopes vazios. “É bem diferente de notas”. O advogado levou à Deatur petição para que Salomão não fosse indiciado, alegando que ele não tem antecedentes criminais e trabalha há 40 anos na mesma empresa, como vendedor de bebidas. Mas não convenceu o delegado. Hoje, a polícia ouvirá Luciana Silva, presidente da Tom Maior, Edilson Casal, presidente da Pérola Negra, e Wagner da Costa, vice-presidente da Gaviões da Fiel. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

____________________________________________________________________

Veículo: Portal G1

Editoria: Brasil

Assunto: Caso do Jet ski

 

Testemunha diz que jovem levou jet ski que matou criança para o mar

Caseiro trabalha no imóvel proprietário da embarcação, em Bertioga, SP.

Grazielly Lames, de Artur Nogueira, morreu no sábado ao ser atropelada.

 

A primeira testemunha a prestar depoimento sobre a morte de Grazielly Almeida Lames, que foi atropelada por um jet ski na Praia de Guaratuba, em Bertioga, no Litoral Norte de São Paulo, no sábado (18), foi o caseiro que trabalha no imóvel do proprietário da embarcação. Ele afirmou que viu o adolescente de 13 anos levar o jet ski para o mar. A informação foi confirmada pelo delegado Maurício Barbosa Júnior.

O caseiro explicou que foi chamado à orla da praia para recolher o quadriciclo e carretinha usados para transportar a embarcação até a água. No retorno, um grito teria lhe despertado atenção. “A hora que ele virou para a água, ele viu que os dois ocupantes do Jet ski haviam caído no mar e tentavam nadar em sentido a alcançar a embarcação”, reproduziu o delegado. Ele disse que espera pelo depoimento do menor e família até segunda-feira (27).

 

Ausência

A ausência da família do adolescente foi justificada pelo advogado de defesa, Maurimar Bosco Chiasso. Ele criticou a repercussão do caso. “Vamos trazer o garoto para ser ouvido, mas exijo o respeito que a Lei dá ao menor. Este assédio, esta condição de submeter esse garoto de apenas 13 anos de idade a uma situação constrangedora é absolutamente inviável”.

A mãe de Grazielly, Cirleide Lames, disse que espera por Justiça e afirmou que até a tarde desta quinta-feira (23) a família do adolescente suspeito de conduzir o equipamento ainda não havia entrado em contato com ela. “Em momento nenhum houve telefonema, é o que deixa a gente mais triste. Não prestaram nenhum tipo de socorro”.

 José Beraldo, advogado da família de Grazielly, disse que irá apresentar nesta sexta-feira (24) uma testemunha que viu o acidente. “Estaremos aqui amanhã cedo para ouvir essa testemunha e mais duas. Me parece que uma delas filmou o momento em que o jet ski veio, e nesse momento ela até virou o rosto, essa testemunha”, resumiu.

Segundo a Polícia, o jet ski passará por uma perícia no mar e não está descartada a possibilidade de fazer uma reconstituição do acidente.

O caso

O acidente aconteceu no sábado de carnaval, na praia de Guaratuba, em Bertioga. Segundo testemunhas, o adolescente pilotava o jet ski em alta velocidade quando atingiu Grazielly Almeida Lames, de 3 anos. Ela brincava na areia perto da mãe e foi socorrida pelo helicóptero da Polícia Militar, mas já chegou sem vida ao Hospital Municipal de Bertioga.