Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 24 de agosto

24.8.2012

 

CLIPPING

23 de agosto de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Moção de repúdio

                   Volta dos leilões

 

CLIMA TENSO

A Câmara de Vereadores de Blumenau aprovou, por unanimidade, moção de repúdio contra o comandante do 10° Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Cláudio Roberto Koglin. A motivação seria o suposto autoritarismo do oficial, que culminou com o fechamento de 12 bares, restaurantes e casas noturnas em maio. Ao ser informado, Koglin disse que iria fixá-la no mural do quartel.

– Isso serve de atestado de que a PM está atuante, incomodando interesses particulares e eleitoreiros.

 

SSP ANUNCIA A VOLTA DOS LEILÕES

Depois de muito barulho e um inquérito que acabou arquivado pela Justiça, a Secretaria de Estado da Segurança Pública retoma no próximo dia 13 de setembro, em São Bento do Sul, os leilões de veículos retidos, removidos ou apreendidos e que estão em pátios de delegacias de polícia e outras unidades.

Segundo o presidente da Comissão de Leilão do Detran, perito criminal Walmir Djalma Gomes Junior, a expectativa é de leiloar cerca de 1,8 mil veículos.

A comissão trabalhou nos últimos dois meses verificando a situação de cada veículo e comunicou os proprietários, que tiveram prazo de 20 dias para a retirada do veículo. A previsão é arrecadar R$ 2 milhões.

“Os homens mentiriam menos se as mulheres fizessem menos perguntas.”

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Defesa Civil

                  

Reforço para a prevenção

A dificuldade encontrada para o socorro às vítimas dos deslizamentos em 2008, nas enchentes em Santa Catarina, serviu de lição para o governo do Estado. Ontem, o governador Raimundo Colombo entregou viaturas e equipamentos para as 13 coordenarias regionais da Defesa Civil.

 

O secretário da Defesa Civil, Geraldo Althoff, justificou que os locais para a instalação das coordenadorias foram escolhidos em função do número de desastres. Para o ano que vem, haverá mais 12 coordenadorias. Nas 13 viaturas e equipamentos entregues ontem, foram investidos R$ 945 mil. Também houve o repasse de três caminhonetes para a central da Secretaria de Estado da Defesa Civil, para dar suporte às ações das coordenadorias.

Profissionais foram treinados para ajudar os municípios a desenvolver duas ferramentas essenciais na ação contra desastres naturais: o mapeamento de áreas de risco e a elaboração de planos de contingência. Foram seis meses de capacitação em conhecimentos de prevenção, planejamento, resposta e suporte na reconstrução, as quatro etapas do trabalho da Defesa Civil.

O governador e o secretário destacaram a necessidade de que as ações sejam desenvolvidas com uma integração entre o governo estadual, os municípios e os órgãos federais.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Eleições

 

Eleições: é preciso fiscalizar os gastos

O sistema eleitoral brasileiro registrou avanços extraordinários nos últimos anos. A adoção do voto eletrônico, por exemplo, acabou de vez com diferentes formas de fraude eleitoral, como o voto carbonado. Agilizou o processo de apuração, sepultando manipulações na contagem dos votos. Os meios de comunicação democratizaram as campanhas, assegurando espaços proporcionais aos partidos e candidatos. A estrutura da Justiça Eleitoral vem se aprimorando a cada novo pleito. A rigor, o que está faltando democratizar nas eleições é um controle maior da Justiça e da imprensa sobre abusos do poder econômico.

A ideia central da tese, com uma condenação veemente à leniência como a sociedade acompanha os debates em torno do caixa dois nas campanhas eleitorais, foi apresentada pelo juiz de 2º grau Rodrigo Colaço, durante o Simpósio Judiciário e Imprensa “pela convergência democrática”, na Associação dos Magistrados Catarinenses, promoção realizada em parceria com a ACI.

Ex-presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, em cujas gestões desfraldou bandeiras inéditas de afirmação da cidadania, Colaço manifestou surpresa com algumas posições no julgamento do mensaleiros pelo STF. Destacou que vários advogados dos réus estão procurando caracterizar os crimes apontados pela Procuradoria Geral da República “apenas” como caixa dois, como se esta prática não devesse merecer o mais veemente repúdio, justamente por se tratar de ação criminosa.

Outra questão pertinente: a imprensa e a opinião pública costumam ser rigorosos com os corrompidos e condescendentes com os corruptores. São, também, rígidos contra desvios dos agentes públicos, mas não tem a mesma postura em relação aos agentes privados envolvidos com crimes contra a administração pública.

 

 

FISCALIZAÇÃO

Rodrigo Colaço sugeriu que o Ministério Público passasse a exercer maior fiscalização sobre as prestações dos candidatos e coligações. Pela nova legislação, podem ser acompanhadas todos os dias, com dados sobre os doadores, as contribuições feitas e os gastos realizados. Com esta transparência será possível identificar candidatos que fazem campanhas milionárias, mas costumam apresentar orçamentos franciscanos. Portanto, ludibriando a Justiça Eleitoral.

Com apoio da imprensa, o Ministério Público poderia criar uma força-tarefa capaz de exercer fiscalização sobre a execução destas prestações de contas antes mesmo das eleições.

A propósito, a Justiça Eleitoral anunciou para a próxima semana a publicação das prestações de contas os candidatos na internet.

Será possível checar, em todos os municípios de Santa Catarina, quem está gastando demais, se pode investir tanto dinheiro na campanha, quais são os doadores e se as prestações de contas são reais ou peças de ficção

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Informe Político

Assunto: Apoio Policial

 

Apoio policial

A proposta de emenda constitucional que limita às polícias civil e federal o direito de fazer investigações criminais foi um dos temas em discussão na reunião de ontem do Conselho Nacional dos Procuradores-gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG), em Florianópolis. Contrária à proposta, que considera uma limitação à democracia, a entidade recebeu o apoio do comandante da Polícia Militar, Nazareno Marcineiro, que participou do encontro por ser presidente do Conselho Nacional dos Comandantes Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: PRF multando

 

Preso o bandido que aterrorizava o Sul

Enivaldo Farias, o Cafuringa, teria comandado assaltos a banco em Sombrio, Forquilhinha e IçaraCom fotografias tiradas das vítimas antes de elas virarem reféns, o assaltante de bancos Enivaldo Farias, o Cafuringa, 41 anos, preso ontem no RS, espalhava terror aos familiares de gerentes. Era um modo de mostrar que sabia tudo da rotina delas e que não teria dificuldade para matá-las se não cumprissem suas ordens.

Desde o primeiro semestre deste ano, capturar o bandido especialista em causar pânico psicológico aos seus alvos e mapear com detalhes grandes roubos a agências bancárias era o desafio da polícia do Sul catarinense. Em investidas em Sombrio, Forquilhinha e Içara, a quadrilha fortemente armada comandada por Cafuringa levou mais de R$ 1,5 milhão.

Na semana passada, em Içara, enquanto rendia familiares do gerente, Cafuringa era monitorado ao telefone por agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) do RS, onde também era caçado por assaltos. Mas os bandidos falavam pouco ao telefone. A polícia tinha dificuldades em encontrá-los e surpreendê-los.

De Içara, Cafuringa e os comparsas mais uma vez saíram com malotes recheados de dinheiro (R$ 300 mil) e ilesos de cerco policial, causando novamente espanto aos moradores do Sul. Na manhã de ontem, com o monitoramento intensificado, a polícia gaúcha conseguiu chegar ao local onde ele se refugiava, em Cachoeirinha, região metropolitana de Porto Alegre.

O bandido estava na casa de uma mãe de santo e não reagiu à operação formada por 14 policiais. Com ele, foram apreendidos celulares, dinheiro e duas pistolas 9 mm.

O delegado Juliano Ferreira, do Deic/RS, disse que Cafuringa era um dos criminosos mais procurados do Brasil. Além de SC e RS, a polícia suspeita que ele tenha agido em São Paulo, Paraguai e Uruguai.

A sua especialidade é sequestrar familiares de funcionários de bancos, mas a polícia afirma que também comete assaltos com explosivos e a carros fortes. Cafuringa também tinha mandado de prisão decretado por tráfico internacional de drogas, a pedido da Polícia Federal. A mulher dele também está presa por este motivo.

– Ele tem contatos em SC, a sua mulher é daí e conhece bem o Sul catarinense – disse o delegado, informando que a polícia procura comparsas que estão foragidos.

 

Em SC, alívio para a polícia

Em SC, a prisão de Cafuringa trouxe alívio aos policiais. Quatro delegados ouvidos pelo DC o apontaram como responsável pela onda de roubos a bancos no Sul.

– Ele é o mais quente hoje depois do Papagaio e do Seco – comparou o experiente delegado Renato Hendges, da Divisão Antissequestro da Deic em Florianópolis.

O delegado se referia a outros dois assaltantes gaúchos que agiam com força no Estado: Cláudio Adriano Ribeiro, o Papagaio, preso em Brusque em dezembro; e José Carlos dos Santos, o Seco, assaltante preso no RS desde 2006.

Hendges afirma que Cafuringa conhece o litoral catarinense e agiu no Estado também pela facilidade em rotas de fugas e o pouco policiamento nas cidades escolhidas.

Em Sombrio, o delegado Luís Otávio Pohlmann acredita que o bando de Cafuringa tenha monitorado as vítimas por até 40 dias.

___________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Greve dos servidores da UFSC continua

 

Greve dos servidores da UFSC continua

Proposta do Governo foi rechaçada novamente em assembleia realizada nessa quinta-feira

Servidores se reuniram para a votação nesta quinta-feira

 

Não ao fim da greve. Foi este o desfecho de mais uma votação dos servidores técnico-administrativos da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). A maioria dos 230 presentes decidiu pela continuidade da paralisação em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira, no auditório da reitoria, em Florianópolis.

Uma posição do Comando Nacional de Greve com o resultado das assembleias promovidas nas outras bases pelo país não chegou a tempo da votação. De acordo com o Sintufsc (Sindicato dos Trabalhadores da UFSC), causou surpresa à categoria esse “ruído” na comunicação. “Aguardávamos posição da representação nacional, mas como não veio colocamos em votação a última orientação de aceite à proposta do Governo”, disse Leandro Pellizzoni, assessor de comunicação do Sintufsc.

A contrapartida do Planalto de reajuste salarial de 15%, diluído em três anos, já tinha sido rechaçada pelos técnico-administrativos em votação na terça-feira (21). Na expectativa de receber o parecer do Comando Nacional de Greve, o Sintufsc marcou assembleia para a próxima terça-feira (28), às 14h, na Capital. “Por enquanto, a posição dos trabalhadores da UFSC é contrária ao fim da greve.”

A categoria cruzou os braços há 74 dias e a volta à normalidade das atividades é aguardada com ansiedade pelo Conselho Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina. A greve dos servidores emperra o início das aulas do segundo semestre. O Conselho esteve reunido na manhã dessa quinta-feira, mas não chegou a uma definição em relação ao calendário acadêmico. Uma nova reunião foi agendada para quarta-feira (29).

___________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Sistema de vigilância eletrônico da SSP liberado apenas para a Polícia Militar

 

 

Sistema de vigilância eletrônico da SSP liberado apenas para a Polícia Militar

A central das câmeras é monitorada em bases da PM, mas a proposta futura é que elas também fiquem disponíveis em tempo real à Polícia Civil

Falta de sintonia

Em recente inauguração de uma estação de videomonitoramento na Capital, o secretário da SSP, César Grubba, anunciou que os delegados de polícia podem acessar de seus gabinetes as imagens das câmeras, cuja central funciona na Polícia Militar. Após ouvir o chefe  os delegados se questionaram: “Será que não estamos sabendo operar a rede on line”. Alguém deve feito um sinal para o secretário por que logo em seguida ele corrigiu e falou que isto só será possível no futuro. Seria interessante que as imagens fossem liberadas em tempo real às  forças estaduais à medida que o sistema fosse inaugurado.  Sempre que a Polícia Civil necessita de imagens para investigação tem que fazer um pedido à PM. Segurança Pública se faz em conjunto, incluindo também a Justiça e o sistema prisional. Portanto a vigilância eletrônica deve ser compartilhada  por todos os órgãos que integram a segurança pública.

___________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Paulo Alceu

Assunto: Ranking de homicídios absolutos

 

@ Você sabia? O Brasil lidera o ranking mundial de homicídios absolutos. E está em sétimo lugar no ranking de homicídios de mulheres. Ou seja, vivemos num estado de guerra. Quando o tema segurança pública entra em debate, principalmente nesse período eleitoral, não é de graça. A situação é critica e assustadora.

 

 

BLOGS

 

Moacir Pereira

 

Servidores federais: “Salários congelados há seis anos”

O Conselho Universitário da Ufsc foi convocado para uma nova reunião extraordinária, hoje às 8,30 horas. Tema principal: análise da greve de servidores e professores e a fixação do novo calendário acadêmico. O cenário é imprevisível. A Universidade Federal de Santa Catarina vive uma crise delicada com as greves dos servidores técnicos e administrativos, que vai completar três meses, e dos professores.

Difícil alguma decisão hoje, porque os funcionários terão assembleia somente às 14 horas. Enquanto eles não retornarem ao trabalho, não haverá novo calendário. Assim, as atividades administrativas e acadêmicas permanecem prejudicadas, com milhares de estudantes sem aulas, serviços essenciais paralisados a atingir microempresários com comércio em todo o “campus”.

Os servidores tinham indicação da Fasubra de encerramento da greve. Realizaram uma longa assembleia e maioria apertada deliberou pela continuidade dos braços cruzados. Há indicativos de que hoje aconteça a volta ao trabalho.

A questão dos professores também não está resolvida. Os que são filiados à Apufsc, cerca de 2.500, optaram pelo fim da greve. Mas há outros 600, vinculados à Andes – outro sindicato a reunir o magistério superior – que vão permanecer em greve. Decisão tomada pelos 133 professores presentes na assembleia.

Nova reunião do Conselho Universitário no dia 28 de agosto quando, pelas previsões, haverá a definição sobre o novo calendário acadêmico, a tabela de reposição das aulas, etc.

Arrocho

A greve dos servidores públicos federais registrou um fato inédito na manifestação ocorrida na frente da Justiça Federal. Funcionários da Procuradoria da República de Blumenau, Caçador, Concórdia, Chapecó, Criciúma, Itajaí, Joaçaba, Joinville, Jaraguá do Sul, Lages, Mafra, Rio do Sul, Tubarão e São Miguel do Oeste, que também aderiram à paralisação, vieram pela primeira vez a Florianópolis participação ativa no protesto contra o governo e apresentação de suas reivindicações salariais. Lá estavam, também, servidores do Ministério Público do Trabalho, da Justiça Federal e da Policia Federal, todos engrossando o movimento.

A principal queixa: há seis anos os servidores não tiveram qualquer reposição salarial. Contestam, assim, as constantes declarações da ministra Ideli Salvati e de que todas as categorias foram beneficiadas com reajustes acima dos índices de inflação.

Servidores da Procuradoria da República alegam que pagavam R$ 300,00 reais de mensalidade escolar para os filhos. Hoje, o valor passou para R% 600,00 a R% 700,00. Os alimentos os supermercados tiveram reajustes neste seis anos, assim como vários serviços.

A crítica maior: a Constituição prevê reposição anual dos salários. Mas isto não tem sido aplicado aos servidores federais. E não poupam críticas aos governos do PT, que governam o país há 10 anos

 

Colombo debate segurança rodoviária

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, foi um dos palestrantes de um evento promovido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Federação Internacional de Automobilismo (FIA), hoje, em São Paulo. O objetivo do encontro foi lançar no Brasil a campanha intitulada “Construindo o caminho rumo à segurança rodoviária”, para reduzir os índices de acidentes de trânsito.

O presidente do BID, Luis Alberto Moreno, afirmou que o mundo vive uma epidemia de desastres. “A cada seis segundos, alguém morre ou sofre algum traumatismo por falta de segurança viária e mais de 90% dessas incidências ocorrem nos países de renda baixa e média”, observou. Por ano, são mais de 1,3 milhão de mortos no mundo.

Moreno destacou que na América Latina e no Caribe o número de mortos representa quase o dobro da média mundial.

O presidente da FIA, Jean Todt, cobrou das montadoras mais investimentos em equipamentos de segurança nos veículos.

Os pilotos Emerson Fittipaldi e Felipe Massa, que também participaram do evento, destacaram os investimentos realizados pelas fábricas nos carros da Fórmula-1, na segurança dos pilotos e a modernização dos autódromos.

Fittipaldi contou que, ao se deslocar para o local do encontro, teve o seu carro atingido por outro veículo que foi abalroado por um taxista que dormiu ao volante.

Raimundo Colombo disse, em um rápido discurso, que o BID é parceiro de Santa Catarina há 20 anos no financiamento de obras em estradas estaduais. Um dos projetos, segundo o governador catarinense, é o SOS Rodovias, que prevê intervenções nos mais de 100 pontos críticos, que registram 70% dos acidentes com vítimas.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o prefeito paulistano Gilberto Kassab, a representante do Denatran/Ministério das Cidades, Maria Cristina Hoffman e a embaixadora mundial de Segurança Viária, Michelle Yeoh, também participaram do evento.

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: PM usa spray de pimenta contra servidores em greve em Brasília

 

PM usa spray de pimenta contra servidores em greve em Brasília

Protesto em frente ao Palácio do Planalto terminou com uma pessoa detida.

Manifestantes rejeitaram proposta de 15,8% de reajuste feita pelo governo.

Um protesto de servidores federais do poder Judiciário em frente ao Palácio do Planalto terminou em confusão entre manifestantes e a Polícia Militar na tarde desta quinta-feira (23). Uma pessoa foi detida. Os policiais chegaram a usar spray de pimenta contra um grupo de manifestantes.

A confusão começou depois que um grupo começou a discutir com policiais e a bater com pedaços de madeiras nas barreiras metálicas que impediam o acesso dos manifestantes aos prédios públicos na Praça dos Três Poderes. Policiais chegaram a usar spray de pimenta contra os manifestantes.

saiba mais

Servidores em greve acendem velas em frente ao Palácio do Planalto

Servidores da Justiça em greve fazem protesto em frente ao TJDF

O protesto interditou por cerca de uma hora o acesso ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo Eixo Monumental. A Polícia Militar bloqueou todas as faixas do Eixo entre o Palácio do Itamaraty e o STF para evitar que os motoristas ficassem ilhados na pista que fica entre o Congresso Nacional e a Praça dos Três Poderes, que foi ocupada pelos manifestantes.

O coronel Antônio Carlos, da PM, informou que uma pessoa foi detida por tentar derrubar uma das grades que impede o acesso ao Palácio do Planalto. Ele foi liberado após solicitação dos manifestantes. Ainda conforme o coronel, 400 homens da PM foram deslocados para acompanhar a manifestação.

O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União (Sindjus) reivindica reajuste salarial. Os manifestantes criticam a proposta apresentada pelo Ministério do Planejamento, de 15,8% divididos em três anos porque, segundo a entidade, não repõe sequer a inflação do período. A categoria, ainda de acordo com o sindicato, não tem reajuste há seis anos.

___________________________________________________________________________

Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: Ex-PMs que liberaram carro que matou filho de Cissa são condenados

 

 

Ex-PMs que liberaram carro que matou filho de Cissa são condenados

O ex-sargento Marcelo José Leal Martins e o ex-cabo Marcelo de Souza Bigon, acusados de receber suborno para liberar os envolvidos no atropelamento de Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, em julho de 2010, foram condenados a cinco anos de reclusão, em regime semiaberto, em julgamento realizado na Auditoria da Justiça Militar do Estado do Rio de Janeiro, na Zona Portuária da capital, no fim da tarde desta quinta-feira (23).

Os réus, que foram expulsos da PM três meses após a morte de Refael, poderão recorrer em liberdade. Os advogados Eckener Maia, que defende Marcelo Leal, e Claudionor Brito Prazeres, defensor de Bigon, informaram que irão recorrer da sentença.

No julgamento, o juiz Marcius da Costa Ferreira, o major Leonardo de Miranda Queiroz e os capitães Renata Guedes Rodrigues Lannes, Leandro da Silva Dias e Diogo Lins Canito votaram por unanimidade pela condenação dos policiais em todas as acusações: corrupção passiva, descumprimento de missão e falsidade ideológica.

Rafael Mascarenhas morreu atropelado quando andava de skate no Túnel Acústico, na pista sentido Gávea, na Zona Sul do Rio. Na ocasião, o túnel estava fechado para reparos. De acordo com a denúncia do Ministério Público, os ex-PMs teriam cobrado R$ 10 mil de propina para liberar o motorista Rafael Bussamra, que confessou ter atropelado o jovem, após o acidente.

O motorista que o atropelou e matou a vítima, Rafael Bussamra, foi acusado pelos crimes de homicídio doloso (quando há intenção de matar), corrupção ativa (duas vezes), fuga do local do acidente, participação de corrida automobilística não autorizada em via pública e fraude na pendência do procedimento policial.