Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 23 de outubro

23.10.2012

 

Clipping do dia 23 de outubro

 

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Presídio Joinville

 

SARNA PARA SE COÇAR

Como se não tivesse mais com o que se preocupar na administração da Vara de Execuções Penais da comarca de Joinville, o juiz João Marcos Buch anda as voltas com um surto de sarna que acomete apenados do presídio local há dois meses. O governo alega não possuir medicamentos em estoque para atender à demanda.

Recentemente, o magistrado precisou ameaçar a médica de um posto de saúde vizinho ao estabelecimento penal com ordem de prisão caso ela voltasse a negar atendimento para um sentenciado. Definitivamente, não é dessa forma que se conseguirá se salvar sequer uma daquelas tantas almas trancafiadas no cárcere.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Servidores da saúde em greve

 

Servidores em greve

Os servidores da saúde retomam a greve a partir das 7h de hoje nos hospitais públicos estaduais. O governo havia pedido um prazo de 15 dias para apresentar uma nova proposta. O prazo encerrou ontem.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na Saúde de SC (Sindisaúde), nenhuma proposta foi encaminhada pelo governo durante este período. Em nota, o governo disse que apresentou, ontem, nova proposta ao Sindsaúde. No documento, o governo afirma que “seguirá ampliando os serviços e melhorando o atendimento à população por meio de contratação e qualificação de pessoal, assim como garantindo o adequado suprimento de materiais e medicamentos”.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Atentado a PM

 

Comandante pede punição exemplar

Três homems atiraram contra veículo com dois policiais em Florianópolis

Policiais militares em serviço sofreram um atentado em Florianópolis ontem de madrugada. Três bandidos dispararam de oito a 10 tiros contra viatura depois que a PM abordou o veículo em que estavam. Ninguém se feriu. O comandante-geral da PM, Nazareno Marcineiro, defende a divulgação de movimento nacional reivindicando punição mais severa aos crimes praticados contra agentes da lei.

Por volta das 5h, uma guarnição do 22o Batalhão de Polícia Militar com dois policiais abordou um carro suspeito no Bairro Abraão, parte continental de Florianópolis. O veículo tentou fugir em direção ao Morro da Caixa. Quando a guarnição se aproximou, tiros foram disparados.

Os tiros atingiram os vidros de algumas casas, assustando moradores. Os policiais decidiram não revidar em função das casas próximas. Os bandidos fugiram.

 

Militares reconhecem autores dos disparos

De acordo com a PM, pelo número de disparos, há suspeita de que a arma era uma pistola. Os três são conhecidos da polícia, mas seus nomes não serão divulgados para não atrapalhar as investigações.

A PM ainda não sabe o que motivou o ataque: se foi por causa da abordagem ou se há relação com o protesto no Morro da Caixa, ocorrido na véspera, contra a ação de policiais civis no local, onde procuravam a arma usada para matar um agente em Palhoça, na semana passada.

O comandante do 22o BPM, tenente-coronel Mauro da Silveira, destacou que têm acontecido casos de patrulhas recebidas a tiros por traficantes em locais perigosos, e lembrou do assassinato de um PM, em 2011, naquela região. Ele estava de folga e foi morto por um traficante que sabia que ele era policial.

– Este artifício é usado para impedir o trabalho da patrulha na comunidade onde eles (traficantes) dominam o tráfico. Fazem para garantir seu território. Provavelmente foi o que aconteceu. É um atentado ao Estado porque são funcionários públicos fazendo seu trabalho – observou Silveira.

 

Proposta de endurecer lei

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nazareno Marcineiro, declarou que a corporação está atenta, ainda que considere o fato um episódio isolado, e defendeu a necessidade de se colocar um freio na ousadia dos criminosos.

– Como presidente do Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares, estou promovendo ampla divulgação para um movimento nacional reivindicando uma punição mais severa aos crimes praticados contra agentes da lei – enfatizou o comandate-geral.

 

Professor considera correta a reação

Marcineiro disponibilizou o link do abaixo-assinado pelo qual pretende reunir 1,4 milhão de assinaturas para transformar em hediondos os crimes contra os agentes. O link é: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoAssinar.aspx?pi=REAJABRA.

O professor de Direito Penal Alceu de Oliveira Junior, da Univali, não tem dúvidas de que o ataque foi uma tentativa de homicídio e avalia que a ação policial foi correta.

– A postura da Polícia Militar evitou uma série de consequências. Eles fizeram a rota e a abordagem corretas. Hoje (ontem) não estamos noticiando um assalto com vítima porque ocorreu a postura correta da PM – concluiu o professor.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Jovens assaltantes permanecem presos

Foi pedida, ontem, pelo delegado Eduardo Mattos, a prisão preventiva dos cinco jovens detidos em flagrante, no sábado, por furto a residências em Jurerê Internacional. A defesa deles entrou pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de SC e com pedido de liberdade provisória na 3a Vara Criminal de Florianópolis. Até as 19h20min de ontem, os pedidos não haviam sido analisados, e o quinteto continuava preso na carceragem da 7a DP da Capital, em Canasvieiras. Uma arma qualifica o crime de formação de quadrilha.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Críticas contra os órgãos de segurança

 

Segurança

São constantes as críticas (válidas) contra os órgãos de segurança do Estado. Porém, são raros os elogios. Você sabia que existem 4 mil detentos trabalhando nas unidades prisionais? Que a Secretaria de Justiça e Cidadania tem firmado 160 convênios para profissionalizar e socializar os detentos? Isso é uma ação que também deve ser levada ao conhecimento público.

Jorge D Hexsel

Florianópolis

 

Professor detido dentro de cinema

Um professor da rede estadual de ensino da Bahia foi preso em flagrante, na noite de domingo, em um cinema do Salvador Shopping, um dos maiores da capital baiana, por se masturbar durante a exibição de um filme infantil.

De acordo com a delegada Ana Crícia Macedo, o flagrante foi conseguido depois de denúncia de funcionários do shopping. O professor, de 46 anos, já havia sido denunciado por frequentadores do local durante a semana passada, pela mesma conduta.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Incêndio em loja de tintas no Rio Tavares

 

Loja de tintas pega fogo no bairro Rio Tavares em Florianópolis

Os prejuízos ainda não foram calculados

Uma loja que vende tintas pegou fogo na manhã desta terça-feira no bairro Rio Tavares, em Florianópolis.  Os bombeiros foram acionados por volta das 5h30min para controlar as chamas. O risco era que o fogo se alastrasse para as residências e empresas que ficam próximas a loja.

Segundo o Corpo de Bombeiros, foram usados nove mil litros de água para conter o fogo. O proprietário ainda não calculou o prejuízo. Ninguém ficou ferido.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Três cidades do Estado registram chuva de granizo nesta segunda-feira

 

 

Três cidades do Estado registram chuva de granizo nesta segunda-feira

Apesar dos estragos materiais, nenhuma vítima foi registrada pelas Defesas Civis

Segundo a Defesa Civil do Estado, três municípios tiveram ocorrência de granizo no final da tarde de segunda-feira (22). Por volta das 16h, Ilhota, Gaspar e Blumenau observaram a queda de pedras de gelo, devido a uma massa de ar frio que se chocou com um quente, já presente sobre Santa Catarina. Contudo, de acordo com as Defesas Civis das cidades citadas, apenas danos leves foram observados.

Em Ilhota, em torno de 50 casas precisaram do auxílio da Defesa Civil, pois tiveram seus telhados danificados. Contudo, a ajuda se resumiu a cobrir as residências com lona. Em Gaspar, apenas dois registros de destelhamento chegaram ao órgão que atende a população em casos de desastre natural, o mesmo procedimento adotado em Ilhota foi feito nas duas construções.

Em Blumenau, o muro de um supermercado localizado no Bairro Velha caiu, mas ninguém se machucou. Apenas um destelhamento foi registrado e a residência também foi coberta com lona, como em Ilhota e Gaspar. A Defesa Civil de Blumenau destaca que a Vila Germânica não foi afetada e as festas de outubro continuam sem problemas.

_____________________________________________________________________________

Veículo: A Notícia

Editoria: Geral

Assunto: Casa pega fogo em Joinville

 

Mãe de cinco filhos perde tudo em incêndio em Joinville

A casa foi destruída pelas chamas em pouco minutos

As chamas começaram por volta de 15 horas desta segunda-feira. A casa de madeira, localizada na rua Servidão das Conchas – pequena lateral da rua Professor Ignes Hasselmann, no bairro Comasa, em Joinville, ficou completamente destruída.

A dona da casa, Luciane Cristina Dill, de 31 anos, não sabe como o fogo começou. Teve tempo apenas de salvar os dois dos cinco filhos que estavam na casa. A família perdeu todos os bens. Os bombeiros utilizaram aproximadamente nove mil litros de água para conseguir apagar o fogo.

Os telefones de contato para ajudar a família são:  (47) 9157-9081 / 9195-0673 / 3435-2425. Quem quiser ajudar, a rua Professor Ignes Hasselmann é lateral da Baltasar Buschle, no bairro Comasa.

 

 

BLOGS

 

Cláudio Prisco

 

Papel

23 de outubro de 2012

Entre os homenageados com a Medalha Defesa Civil Nacional, o senador Casildo Maldaner, que luta pela regulamentação de um novo marco legal para o setor, que garanta recursos disponíveis, especialmente para investimento em prevenção.

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

Veículo: Folha Online

Editoria: Geral

Assunto: Rio vai criar até 700 vagas para abrigar dependentes de crack

 

 

Rio vai criar até 700 vagas para abrigar dependentes de crack

Após o prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB) anunciou que vai criar de 600 a 700 vagas para atender os dependentes do crack no Rio de Janeiro. Depois, será verificada a necessidade de contratação de pessoal. O anúncio foi feito após ele dizer que vai internar compulsoriamente adultos dependentes de crack. A decisão foi anunciada após reunião com líderes comunitários da favela do Jacarezinho, na zona norte.

A prefeitura já faz o abrigamento compulsório de crianças e adolescentes com alto grau de dependência. A medida, em vigor desde maio de 2011, é amparada por decisão judicial. Desde então, 170 jovens já passaram por abrigos e 120 continuam internados.

Já os adultos são levados para centros de acolhimento, onde podem ser encaminhados para tratamento nos CAPS (Centros de Atenção Psicossocial), de atendimento ambulatorial, sem internação.

Até o início do mês, a favela abrigava a maior cracolândia do Rio. Com a ocupação para a instalação de uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora), no dia 14, usuários da droga se espalharam por outros pontos.

“Não vou ficar de camarote assistindo às pessoas se drogarem nas ruas. Tem gente quase se jogando debaixo dos carros na avenida Brasil. Não vou ficar no debate ideológico. Nossa obrigação é salvar vidas”, disse Paes.

Usuários de crack que se concentravam no Jacarezinho e Manguinhos migraram para favelas próximas

O prefeito afirmou que a medida não começa agora, mas não previu data. Também não informou se será preciso ter autorização da Justiça para a internação. Disse ter pedido que os secretários de Assistência Social e de Saúde apresentem até 5 de novembro um plano.

“Prefiro não me aprofundar porque a decisão política, que é o que me cabe, está tomada. Sei que é polêmico e nem quero comparar com detenção. Estamos lidando com doentes, e doentes a gente auxilia.”

Quem não tem para onde ir pode ficar em abrigos municipais, mas o trânsito é livre. Muitos acabam de volta às ruas.

“Sei que isso é polêmico, mas acho que a gente tem respaldo para tomar essa decisão no caso do crack. Não se confunde internação compulsória com hospitalização de pessoas com problemas mentais. Para a gente está muito claro que os dependentes de crack não conseguem tomar decisões.

 

Operação contra o crack no Rio

Agentes da Secretaria Municipal de Assistência Social realizaram nesta quarta-feira ação para retirada de moradores de rua do Parque União, na entrada da Ilha do Governador, zona norte do Rio

A chefe do setor de dependência química da Santa Casa, Analice Gigliotti, diz que a medida é indicada para alguns casos, mas o risco é que se torne “higienista”. “É preciso ter critérios claros. Nem todo mundo precisa de internação.”

Para o presidente da comissão de política sobre drogas da OAB-RJ, Wanderley Rebello Filho, a medida corre o risco de ser questionada judicialmente. “É uma violação de direitos humanos fundamentais, como o direito de ir e vir.”