Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 23 de fevereiro

23.2.2012

CLIPPING

23 de fevereiro de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Ações contra cheias

 

 

Conclusão em cinco anos

Governo do Estado dividiu as 14 medidas em dois grupos. O primeiro já tem investimento garantido de R$ 512 milhões“Estamos na idade da pedra”. Essa foi a expressão utilizada pelo governador Raimundo Colombo para definir a atual situação de SC no que se refere à prevenção de enchentes, no momento em que anunciava uma série de medidas com o objetivo de resolver o problema no Vale do Itajaí. A novidade é o cronograma de execução que prevê a conclusão dos trabalhos em cinco anos. A apresentação das 14 ações foi feita ontem, em Florianópolis, com a presença do secretário da Defesa Civil, Geraldo Althoff, e do vice-governador, Eduardo Pinho Moreira.

O governo do Estado utilizou como base um estudo feito pela Agência Internacional Japonesa (Jica) para definir as medidas e dividi-las em dois grupos com sete ações cada. O primeiro grupo é considerado prioridade um e já tem um investimento assegurado de R$ 512 milhões – R$ 61 milhões do governo estadual, R$ 141 milhões do BNDES e R$ 310 milhões do governo federal.

– O primeiro grupo, este que nós estamos lançando, é uma coisa irreversível, tem que ser feito. O custo de cada enchente é praticamente este valor, não dá para postergar – disse o governador.

Para estas ações, o prazo final de conclusão das obras é de quatro anos. As outras sete do segundo grupo de prioridades têm um calendário de até cinco anos de execução, mas ainda não tem previsão de início.

As licitações para três das sete primeiras medidas serão assinadas por Colombo ainda esta semana em Itajaí, Blumenau e Rio do Sul (ver box de agenda).

A primeira é a compra de um radar meteorológico que permitirá prever evento climáticos com três horas de antecedência. Com isso, as autoridades poderão alertar as pessoas para que se protejam ou até, em alguns casos, deixem suas casas para que não corram riscos.

O local onde o radar será instalado ainda está em estudo. As possibilidades são as cidades de Santa Cecília, entre a Serra e o Meio-Oeste, e Rio do Sul, no Vale do Itajaí.

A segunda medida assinada nesta semana será a sobrelevação da barragens de Taió e Ituporanga.

De acordo com o governador, o estudo da Jica apontou que é necessário a ampliação de dois metros em cada uma delas. Com isso, o total de aumento da capacidade das duas será de 35 bilhões de litros.

O lançamento do último edital será para construção de diques no canal antigo do Rio Itajaí-Mirim. A partir da assinatura das licitações, a previsão de conclusão das três primeiras medidas é de três anos.

 

Estudo não teve custo ao Estado

Colombo lembrou das enchentes que atingiram o Vale do Itajaí desde a década de 1980 e afirmou que os pesquisadores da Jica estiveram em Santa Catarina durante dois anos, entre 2009 e 2010, para conhecer a região e elaborar um estudo que não teve nenhum custo ao Estado.

O governador contou que, no ano passado, quando esteve no Japão, os integrantes da agência japonesa mostraram como o Rio Itajaí-Açu é semelhante ao rio da cidade de Tóquio e como as tecnologias implantadas lá, no início do século 20, impedem catástrofes desde então.

– Agora estamos em condições de executar um plano estratégico, profundo, feito por uma das principais instituições de prevenção de cheias e catástrofes do mundo – disse o governador

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Plano contra as cheias

 

Cai o número de mortos

Rodovias estaduais tiveram 25% menos acidentes fatais em relação a 2011Menos pessoas morreram nas estradas estaduais no feriadão de Carnaval em Santa Catarina, conforme a Polícia Militar Rodoviária (PMRv). O número de acidentes fatais caiu 25% em relação ao ano passado.

Das 18h de sexta-feira até as 12h de ontem, seis pessoas perderam a vida nas rodovias do Estado, duas a menos do que em 2011. O índice de acidentes também reduziu de 173 para 148, sendo 54 deles com vítimas.

As vítimas no trânsito já chegam a 12 somando as mortes nas rodovias federais. O resultado da Operação de Carnaval da Polícia Rodoviária Federal (PRF) deve ser divulgado na manhã de hoje. Muita gente esticou o feriadão de Carnaval e deixou para viajar na Quarta-feira de Cinzas. Por isso, o dia ontem foi de movimento intenso na BR-101, até mesmo no trecho duplicado, na região de Itajaí.

A SC-438 em Gravatal liderou o ranking da rodovia estadual com mais mortes. Na terça-feira, um motociclista colidiu com um caminhão em São Ludgero, no Sul do Estado. Na manhã de sábado, um caminhão bateu de frente em um carro, provocando a morte de um jovem de 20 anos. Menos de 12 horas antes, um motociclista de 30 anos morreu após ser atingido por um carro a poucos quilômetros do outro acidente. Os outros três acidentes foram na SC-411, em Gaspar, na SC- 478, em Timbó Grande, e na SC- 465, em Itá/SC.

A PMRv redobrou a atenção nas estradas que dão acesso a balneários e estâncias hidrominerais, onde foram realizadas 583 barreiras policiais e 10 mil veículos abordados ou fiscalizados. Houve 2.314 atuação de motoristas, 66 veículos apreendidos e 16 pessoas conduzidas à delegacia.

A falta do cinto de segurança e a ultrapassagem indevida foram os principais motivos de autuações. Apesar das campanhas de conscientização sobre os perigos da combinação álcool e volante, 29 motoristas foram detidos por dirigir embriagados.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Salva-vidas

 

Salva-vidas

No último dia 20, eu tive o prazer de voar de parapente sobre a Praia de Ingleses, em Florianópolis. Além da beleza, de se registrar o trabalho de sinalização dos salva-vidas. Do alto, era perfeitamente visível a colocação certeira de cada uma das bandeiras vermelhas que do chão nem sempre se vê. No mesmo dia, praia cheia, registro os aplausos dos banhistas a três salva-vidas que retiraram uma criança do mar. Estamos em muito boas mãos.

Suenon Mafra Pinto

São José.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Informe Político

Assunto: Problema das cheias

 

A caminho

Quem conhece de perto o problema das cheias irá se impressionar com o projeto de prevenção e de mitigação de desastres na Bacia do Rio Itajaí que o governador Raimundo Colombo pretende implantar de 18 a 42 meses.

Um salto significativo, se considerada as prioridades para o sistema de monitoramento, o aumento de dois metros das barragens de Taió e Ituporanga e a construção de comportas e diques no canal antigo do Rio Itajaí Mirim.

 

 

Equilíbrio

Colombo aproveitou o anúncio do projeto de prevenção de cheias, em seu gabinete, ontem, para falar da estiagem no Oeste.

Amanhã, Colombo e o secretário João Rodrigues (Agricultura e Pesca) seguem para Chapecó . Anunciarão a aquisição de 35 mil sacas de sementes de milho às 17 mil famílias inscritas no Troca Troca, e R$ 3 milhões para o subsídio de transporte de água para consumo animal.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Editoriais

Assunto: Plano de contenção de cheias

 

Contenção de cheias

Quando assinar, hoje à tarde, em Itajaí, o edital de licitação objetivando a contratação dos projetos da construção de comportas no Rio Itajaí Mirim, o governador Raimundo Colombo dará o primeiro passo para tornar realidade o plano de contenção de cheias no Vale do Itajaí, que passou a ser uma prioridade da sua administração. Esta etapa, que prevê, também para hoje, a assinatura de licitação para acompra de um radar meteorológico, e para amanhã o lançamento do edital para o projeto de aumento da capacidade das barragens de Taió e Ituporanga, vale como o começo do resgate de uma promessa repetida à exaustão por governos anteriores, e jamais honrada.

Essas obras estão previstas há muito tempo. Datam de mais de 30 anos, quando a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) apresentou seu primeiro projeto. Mas até hoje ficaram no papel, enquanto as inundações cíclicas cobravam em vidas e devastação o amargo preço da imprevisão e da inércia oficiais. Os recursos para esta fase preliminar, que somam R$ 135 milhões, já estão garantidos.

A União, por determinação da presidente da República, reservou mais de R$ 300 milhões no orçamento deste ano para a execução de obras e serviços de proteção contra inundações e deslizamentos no Estado. Finalmente, o “espírito republicano” –e não os mesquinhos e malcheirosos “pragmatismo partidário” e os “projetos de poder” – se afirma na destinação de verbas federais para obras públicas de crucial importância para a segurança e qualidade de vida das populações dos entes federados. Cabe o registro positivo e a esperança de que assim seja daqui para frente.

Espera-se que a burocracia, sufocante e inepta, não retarde a execução de um projeto de tamanha relevância tanto para o Vale quanto para todo o Estado e seu povo.

____________________________________________________________________________Veículo: ClicRBS

Editoria: Geral

Assunto: Fuga do Complexo Penitenciário de Florianópolis

 

Quatro presos fogem do Complexo Penitenciário de Florianópolis na madrugada desta quinta-feira

Um deles foi recaputrado e buscas continuam com barreiras policiais na saída da Ilha

menos quatro homens fugiram do Centro de Triagem do Complexo Penitenciário de Florianópolis, por volta de 4h15min desta quinta-feira. Um deles foi recapturado e as buscas continuam no Morro do Horácio e na saída da Ilha de Santa Catarina. Um policial teria sido baleado durante a operação de resgate aos fugitivos. Há barreiras na ponte Colombo Salles, que liga a Ilha de SC à região Continental.

O medo dos moradores aumentou com a grande circulação de policiais nas ruas próximas ao Complexo Penitenciário. Agentes com armas em punho vasculham todos os cantos em busca dos fugitivos.

De acordo com as primeiras informações, eles teriam feito um buraco em uma das paredes e saído da cela do Centro de Triagem. Com auxílio de uma corda improvisada, conhecida como Teresa entre os presos, os quatro conseguiram escalar o muro e fugir em direção ao matagal, atrás do Complexo.

Os nomes dos fugitivos ainda não foram divulgados pelo Departamento de Administração Prisional (Deap) de Santa Catarina.

Estão nas buscas agentes do 4º Batalhão da Polícia Militar (BPM), com apoio de equipes do Norte da Ilha e do Continente, além do Batalhão de Operações Especiais (Bope). O helicóptero Pelicano da Polícia Civil também auxilia no trabalho, sobrevoando a área

 

 

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Viatura da PM é alvo de tiros

 

Viatura da PM é alvo de tiros na CapitalUma viatura do 4o batalhão da Polícia Militar foi alvo de tiros, às 2h20min de ontem, perto do Túnel Antonieta de Barros, no Centro da Capital, durante uma ronda de rotina. Os policiais perseguiram os autores, mas eles conseguiram fugir. Nenhum tiro atingiu o veículo.

____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Polícia reconhece a audácia de bandidos

 

 

Polícia reconhece a audácia de bandidos

Em nota sobre o ataque, delegado-geral diz que caixas são “vulneráveis”A Polícia Civil e a Secretaria de Segurança Pública (SSP) se manifestaram, ontem, em nota oficial, sobre a morte de Flávio Francisco Rosa da Silva, 60 anos, dono de uma borracharia que presenciou o ataque a um caixa eletrônico em Porto Belo, Litoral Norte, na madrugada de segunda-feira.

Flávio – que teve um ataque cardíaco fulminante após testemunhar a explosão – foi a primeira pessoa a morrer em consequência da onda de ataques a caixas em SC.

Na nota assinada pelo delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, a corporação afirmou que as investigações sobre a onda de explosões continuam e que o trabalho preventivo prossegue para evitar “esse tipo de crime que coloca em risco a vida do cidadão de bem, pela forma brutal com que é executado”. No final da tarde, por meio da assessoria de imprensa, a SSP divulgou que a nota resume, também, a opinião do secretário César Grubba.

D’Ávila disse que o aumento deste tipo de crime em SC se deve a dois fatores principais: a vulnerabilidade dos locais onde esses equipamentos (caixas) estão instalados, sem níveis de segurança ou vigilância adequados. E a agilidade e audácia dos bandidos, com uso de armas de grosso calibre e materiais explosivos.

O delegado destacou que, desde o início da onda de ataques, em agosto de 2011, 54 pessoas envolvidas com este tipo de crime foram presas e três morreram em confronto com policiais em Santa Catarina. E que a polícia catarinense foi a que mais deteve suspeitos, além de ser a única no país a prender em flagrante assaltantes que explodem caixas eletrônicos

____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Perseguição e capotagem

 

PERSEGUIÇÃO E CAPOTAGEM APÓS ASSALTO

Dois homens armados assaltaram um supermercado no Bairro Eldorado, em Chapecó, às 11h30min de ontem. Eles teriam chegado de moto e levado cerca de R$ 400. Após a fuga, o filho do dono perseguiu a dupla. No acesso Plínio Arlindo de Nes, os dois veículos bateram e o carro capotou.

Um assaltante fugiu pelo mato e não havia sido localizado até a noite de ontem. O outro suspeito, Everson Carvalho Veiga, 19 anos, foi preso em flagrante pela PM. O motorista do carro teve ferimentos leves e foi levado ao Hospital Regional de Chapecó.

A PM apreendeu um revólver 38 e a moto usada no crime.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Quadrilhas que explodem caixas eletrônicos

 

Quadrilhas que explodem caixas eletrônicos continuam desafiando a polícia

A ação sem precedentes começou no Nordeste em 2010 e rapidamente se espalhou pelo país. Já são 52 explosões em Santa Catarina

 

Ação sem precedente

A Polícia já sabe que vai ter muito trabalho para botar na cadeia as quadrilhas que vêm explodindo caixas eletrônicos no Estado.  Desde janeiro do ano passado as gangues desafiam a polícia, sitiando municípios considerados pequenos e “mandando para os ares” autoatendimento. No total, foram 52 explosões. Em contra partida, ocorreram 57 prisões e baixa de três bandidos em confrontos direto com a polícia.  Esta ação criminosa sem precedentes começou no Nordeste em 2010 e rapidamente se espalhou pelo país. Não existe uma liderança. São vários, os grupos armados. Alguns integrantes participam de várias quadrilhas.  Na semana passada, quando o Deic se antecipou a uma ocorrência e prendeu a quadrilha preparando explosivos numa  agência bancária em Penha, o diretor Cláudio Monteiro já comentava que ainda tem muita investigação pela frente

 

 

BLOGS

 

Paulo Alceu

 

Ações para conter a fúria da natureza

Na sexta-feira o governador Raimundo Colombo desembarca em Chapecó onde vai liberar R$1,6 milhão para os municípios atingidos pela estiagem. Além disso, a Defesa Civil distribuirá 1,5 milhão de litros de água mineral para as cidades onde foi registrado desabastecimento de água para consumo humano. São ações emergenciais, embora já esteja sendo estudada a liberação de financiamento pelo Banco do Brasil para construção de cisternas com dois anos de carência e dez de prazo. Os juros serão bancados pelo governo do Estado. Essa sim uma ação de prevenção. Na apresentação ontem no Centro Administração do Plano de Prevenção contra as Cheias ficou realçado o sistema republicano de governar acima de interesses políticos/partidários priorizando as necessidades da população. Uma união de esforços do governo federal, estadual e municipal permitirá a realização de várias obras que começam a ser licitadas a partir desta semana visando conter a violência das águas em períodos de fortes enxurradas. Vai desde a construção de comportas e diques passando por sobrelevação de barragens até a implantação de sistemas de monitoramento de alerta e alarme. Os investimentos chegam a R$1,5 bilhão para execução de obras durante os próximos cinco anos. Não fica só na ação de amenizar a força da natureza, certamente vai mexer com a economia da região de Itajaí.

 

 

 

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: O Globo

Editoria: Geral

Assunto: Clube militares criticam posições de ministros sobre a ditadura

 

 

 

Clubes militares criticam posições de ministros sobre a ditadura

Documento conjunto demonstra preocupação com declarações de auxiliares da presidente

O Globo

Os representantes dos clubes militares das Forças Armadas deixaram claro na última quinta-feira que estão incomodados com o posicionamento de ministros do governo Dilma Rousseff quando o assunto é a ditadura militar. Em nota assinada por representantes de reservistas do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, os militares “expressam a preocupação com as manifestações de auxiliares da Presidente sem que ela, como a mandatária maior da nação, venha a público expressar desacordo.

Os clubes citam três epísódios que justificariam a opinião de que o governo Dilma estaria se afastando do compromisso assumido durante a posse – o de que governaria para todos os brasileiros, “respeitando as diferenças de opinião, de crença e de orientação política”, como relembra a nota. Além de uma entrevista da ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, ao jornal Correio Brasiliense, o documento critica o discurso de posse da nova ministra da Secretaria de Política para Mulheres, Eleonora Menicucci – considerado muito crítico ao regime militar. Diz a nota: “… teceu críticas exarcebadas aos governos militares e, se auto-elogiando, ressaltou o fato de ter lutado pela democracia (sic), ao mesmo tempo em que homenageava os companheiros que tombaram na refrega. A platéia aplaudiu a fala, incluindo a Sra Presidente. Ora, todos sabemos que o grupo ao qual pertenceu a Sra Eleonora conduziu suas ações no sentido de implantar, pela força, uma ditadura, nunca tendo pretendido a democracia”.

O documento também faz críticas ao conjunto de resoluções políticas aprovado por ocasião dos 32 anos do PT . Segundo os militares, o item que diz que o PT estará empenhado junto com a sociedade no resgate da memória da luta pela democracia durante o período da ditadura militar “é uma falácia, posto que quando de sua criação o governo já promovera a abertura política, incluindo a possibilidade de fundação de outros partidos políticos, encerrando o bi-partidarismo”.