Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 23 de agosto

23.8.2012

 

CLIPPING

23 de agosto de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Delegacia em Biguaçu

                   Ocorrências

                   Arquivamentos do processo dos ferrosos

 

ACREDITE SE QUISER

Este ambiente completamente insalubre, com as paredes tomadas pelo mofo, é uma delegacia de polícia. Fica em Biguaçu.

 

ATENTADO VIOLENTO

Duas ocorrências movimentaram a polícia na região central de Floripa terça à noite. Pelo menos quatro disparos foram efetuados contra o posto da PM no Bairro Agronômica, Há suspeita de que seja uma resposta pela morte do jovem no assalto do Santa Mônica, no sábado.

A outra, conforme BO registrado na 1ª DP, informa que uma mulher, grávida de sete meses, foi estuprada nas imediações da Maternidade Carmela Dutra, no Centro da Capital, também à noite. Ninguém foi preso.

 

 

REVIRAVOLTA

Os delegados de polícia, que tanto falaram em provas robustas e perseguição política, simplesmente silenciaram diante do arquivamento do processo dos ferrosos que envolvia a cúpula da SSP.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Greves

                  

Grevistas culpam governos do PT

O Conselho Universitário da UFSC foi convocado para uma nova reunião extraordinária hoje, às 8h30min. Tema principal: análise da greve de servidores e professores e a fixação do novo calendário acadêmico.

O cenário é imprevisível. A Universidade Federal de Santa Catarina vive uma crise delicada com as greves dos servidores técnico-administrativos, que vai completar três meses, e dos professores.

Difícil alguma decisão hoje, porque os funcionários terão assembleia somente às 14h. Enquanto eles não retornarem ao trabalho, não haverá novo calendário. Assim, as atividades administrativas e acadêmicas permanecem prejudicadas, com milhares de estudantes sem aulas, serviços essenciais paralisados a atingir microempresários com comércio em todo o campus.

Os servidores tinham indicação da Fasubra de encerramento da greve. Realizaram uma longa assembleia e maioria apertada deliberou pela continuidade dos braços cruzados. Há indicativos de que hoje aconteça a volta ao trabalho.

A questão dos professores também não está resolvida. Os que são filiados à Apufsc, cerca de 2,5 mil, optaram pelo fim da greve. Mas há outros 600, vinculados à Andes – outro sindicato a reunir o magistério superior – que vão permanecer em greve. Decisão tomada pelos 133 professores presentes na assembleia.

Nova reunião do Conselho Universitário no dia 28 de agosto, quando, pelas previsões, haverá a definição sobre o calendário acadêmico, a tabela de reposição das aulas, etc.

 

 

ARROCHO

A greve dos servidores públicos federais registrou um fato inédito na manifestação ocorrida na frente da Justiça Federal. Funcionários da Procuradoria da República de Blumenau, Caçador, Concórdia, Chapecó, Criciúma, Itajaí, Joaçaba, Joinville, Jaraguá do Sul, Lages, Mafra, Rio do Sul, Tubarão e São Miguel do Oeste, que também aderiram à paralisação, vieram pela primeira vez a Florianópolis para participar ativamente do protesto contra o governo e apresentar suas reivindicações salariais. Lá estavam, também, servidores do Ministério Público do Trabalho, da Justiça Federal e da Polícia Federal, todos engrossando o movimento.

A principal queixa: há seis anos os servidores não têm qualquer reposição salarial. Contestam, assim, as constantes declarações da ministra Ideli Salvatti, de que todas as categorias foram beneficiadas com reajustes acima dos índices de inflação. Servidores da Procuradoria da República alegam que pagavam R$ 300 de mensalidade escolar para os filhos. Hoje, o valor passou para R$ 600 a R$ 700. Os alimentos nos supermercados tiveram reajustes neste seis anos, assim como vários serviços.

A crítica maior: a Constituição prevê reposição anual dos salários. Mas isto não tem sido aplicado aos servidores federais. E não poupam críticas aos governos do PT, que governam o país há 10 anos.

 

 

 

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Vida marinha

 

Irmãos Berger são absolvidos

Eles haviam sido condenados em primeiro grau por suposta irregularidade em obras com custo de R$ 19 milhões no município

O Tribunal Regional Federal de Porto Alegre inocentou os prefeitos Dário Berger (PMDB) e Djalma Berger (PMDB) na ação sobre supostas irregularidades na construção da Beira-Mar de São José. Os irmãos Berger haviam sido condenados em primeiro grau em agosto do ano passado.

A ação por improbidade administrativa foi apresentada pelo Ministério Público Federal em 2006. Na época da obra da Beira-Mar de São José, que foi iniciada em 1999 e teve um custo de R$ 19 milhões com ajuda do governos estadual e federal, Dário era prefeito da cidade e Djalma era secretário de obras do município. Além dos irmãos, o processo ainda envolvia nove pessoas e duas empresa que foram responsáveis pela execução da obra.

Segundo o MPF, a obra teria sido iniciada de forma “claramente ilegal”, já que não havia sequer projeto básico da obra. A ação também acusava a prefeitura de parcelar “de forma irregular a obra para, dolosamente, restringir a participação de empresas de maior porte” e direcionar a execução para as empresas de seu interesse.

No primeiro grau, Dário e Djalma foram condenados à perda da função pública, suspensão dos direitos políticos por cinco anos e pagamento de multa de R$ 50 mil. O juiz federal considerou que na obra feita com verba federal foram verificadas irregularidades, como falta de projeto básico e superfaturamento.

No recurso analisado pelo tribunal de Porto Alegre (TRF4), o pleno acolheu por unanimidade a argumentação da defesa. De acordo com o advogado de Dário, Jeferson da Rocha, a principal linha da defesa foi mostrar que não houve qualquer ato de improbidade, prejuízo ao erário ou má-fé por parte do prefeito e de seu irmão. Na avaliação do advogado, com a nova sentença “a verdade foi reestabelecida”.

– Eventuais irregularidades apontadas pelo TCU (Tribunal de Contas da União) são passíveis de resolução – afirmou Rocha.

 

Tribunal de Contas reformulou documento

No Tribunal de Contas da União, os envolvidos no processo foram condenados, inicialmente, a ressarcir os cofres públicos em R$ 162,1 mil mais correções para os dias atuais.

A defesa recorreu da decisão e, em maio deste ano, o TCU reformulou a sentença para pagamento de R$ 85 mil. No documento, o TCU diz que “reconhece a boa-fé daqueles dois gestores”, referindo-se aos prefeitos.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Corpo de Bombeiros

 

Saúde às avessas

Solicitei uma ambulância ao Samu e fiquei mais de 11 minutos explicando a gravidade do caso e o atendente me disse: não posso mandar uma ambulância, pois a paciente não corre risco de morte.

O Corpo de Bombeiros, em menos de três minutos, estava se locomovendo para o endereço solicitado e sabendo tudo o que acontecia, chegando ao local em cerca de 10 minutos.

Alexandre C. Bion

Florianópolis

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Operação Salvatore

 

Operação Salvatore detém doze por tráfico de drogas

Até crianças eram aliciadas para atuar na venda de entorpecentes em São João Batista e região, onde o chefe do grupo moravaUma família suspeita de envolver até crianças no tráfico de drogas foi presa ontem, em São João Batista, na Operação Salvatore. O nome é referência à família Salvador, que reúne grande parte do grupo de 12 pessoas detido por 25 policiais.

A operação – organizada para o cumprimento dos 12 mandados de prisão e de mais cinco de busca e apreensão – teve início às 4h30min.

Duas pessoas ligadas à mesma família haviam sido detidas há um mês, resultando em 14 prisões preventivas decretada pela Justiça.

Na casa do homem considerado mentor da quadrilha, Alécio Salvador, 62 anos, no interior de São João Batista, os policiais encontraram uma central de videomonitoramento e 16 câmeras de vigilância instaladas. Um adolescente de 12 anos, filho de um dos suspeitos, teria indicado a localização de 30 gramas de crack e R$ 3 mil em dinheiro.

O delegado Ângelo Moreno Cintra Fragelli, responsável pela operação, afirma que o jovem havia sido aliciado pela própria família.

– Ele é uma criança e sabia onde estava a droga. O menor foi inserido no tráfico pela própria família – ressaltou o delegado.

Para dar agilidade e garantir o sucesso da operação Salvatore, policiais de Nova Trento, Major Gercino, Brusque, Botuverá e Guabiruba acompanharam a equipe de São João Batista, divididos em grupos.

A atuação das equipes foi realizada simultaneamente para impedir a comunicação dos criminosos e diminuir os riscos de fuga. A ação foi considerada um sucesso pela Polícia Civil. As investigações, iniciadas há dois meses, ganharam força com a prisão do filho do mentor, Juliano Salvador, 29 anos, no último mês, segundo informações do delegado.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: PM aposentado reage a assalto e mata ladrão

 

 

PM aposentado reage a assalto e mata ladrão

Armado e acompanhado de adolescente de 16 anos, rapaz de 18 anos foi baleado dentro da residência

Os latidos dos cachorros deram o sinal. Havia algo estranho no pátio da casa da família Sodré, no Bairro Rio Caveiras, em Biguaçu. Passava da meia-noite de terça-feira e a dona da casa, que estava na cozinha, resolveu conferir. Maria da Graça Gonçalves Sodré foi surpreendida na porta por um jovem armado, que em segundos encostou-lhe a arma no rosto, a ameaçou de morte e invadiu a casa. Junto com ele, estava outro rapaz.

O saldo de mais um assalto na Grande Florianópolis foi a morte do ladrão de 18 anos. O outro assaltante, de 16 anos, e o dono da casa, um policial militar aposentado, que reagiu, ficaram feridos.

– Eles não sabiam que meu marido era policial militar aposentado. Se soubessem, teriam nos matado – contou, ainda assustada, Maria da Graça, após uma noite sem dormir.

Valdir Sodré Filho estava deitado no quarto. Os filhos do casal, de 18 e 22 anos, dormiam no quarto ao lado.

O assaltante armado, Róger Coelho Ramos, 18 anos, foi o primeiro a entrar. Em seguida, seu companheiro, que, com as mãos embaixo do casaco, aparentava estar armado. Sob a mira da arma, ela seguiu com os assaltantes pelo corredor da casa e chamou pelo marido, que nem teve tempo de levantar da cama até que eles aparecessem na porta.

Maria da Graça recorda que o adolescente de 16 anos ficou atrás, e o outro, mais à frente. O menor abriu a porta do quarto do filho do casal e viu o laptop perto da cama. Enquanto recolhia o computador, o comparsa armado distraiu-se e, neste momento, o policial militar tirou a arma do criado-mudo e atirou contra os ladrões, baleando Róger na barriga.

O assaltante revidou, acertando o braço do aposentado. Houve mais tiros, até que a arma do ladrão caiu no chão. Na tentativa de pegar a arma do dono da casa, o rapaz se engalfinhou com ele até ser novamente atingido.

– Foi uma cena horrível. Tudo ensanguentado e meus filhos ali, acordando – lembrou Maria da Graça.

O corpo de Róger – que já tinha passagem por tráfico de drogas – foi para o Instituto Médico Legal. O adolescente fugiu, mas foi localizado ferido, mais tarde, no Hospital Regional de São José. Na delegacia de Biguaçu, a mãe dele disse não saber do envolvimento do filho com o crime. Ele não tinha passagem pela polícia.

 

Reação

O tenente-coronel Newton Ramlow, comandante do Batalhão da Polícia Militar de Biguaçu, fez um alerta sobre o perigo de reação do cidadão comum a qualquer assalto.

Para ele, o desfecho do caso de ontem foi resultado da experiência profissional do militar aposentado.

– Não recomendamos que pessoas reajam a assaltos. Este caso foi bem-sucedido por se tratar de um policial da reserva com experiência nesse tipo de ação – sugeriu o comandante.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Foragido do Paraná detido em Palhoça

A Polícia Civil de Palhoça anunciou a prisão de Edson Luiz Siqueira, foragido da Justiça do Paraná e condenado a 14 anos de prisão em regime fechado por assassinato. A captura ocorreu no começo da noite de ontem, na comunidade Frei Damião. A polícia informou que ele tem mandado de prisão expedido pelo 1o Tribunal do Júri de Curitiba. O Diário Catarinense não teve acesso ao preso nem ao seu advogado.

 

Agricultor baleado no braço por ladrões

Um agricultor de 41 anos de Massaranduba, no Litoral Norte, foi baleado no braço por ladrões que, pouco antes, haviam roubado um carro na SC-416. Os bandidos foram encontrar os comparsas no meio de um bananal. O agricultor achou a atitude suspeita e foi até o local verificar. Ao chegar para falar com os suspeitos, foi atingido por um tiro. Ele passou por uma cirurgia para retirar a bala e não corre riscos.

 

Até o último pacote

A Polícia Civil incinerou, na manhã de ontem, 530 quilos de drogas em Luzerna, no Meio-Oeste catarinense. Os entorpecentes haviam sido apreendidos nos municípios da região durante os últimos quatro anos. Maconha, cocaína e crack estavam entre os produtos destruídos. As drogas foram incineradas em um terreno numa propriedade da cidade, onde foi cavado um buraco que serviu para a queima. A maior quantidade era de maconha. Foram destruídos os 487 quilos apreendidos em 30 de julho, quando um carro carregado com a droga capotou na BR-282 em Joaçaba.

 

___________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Barulho de festas noturnas perturba o sono de moradores do Kobrasol

 

 

Barulho de festas noturnas perturba o sono de moradores do Kobrasol

Som alto e baderna noturna tiram paz dos moradores da avenida central do bairro josefense

 

Ainda que more no 10º andar de seu prédio, o coronel da reserva da FAB (Força Aérea Brasileira), Vicente Paulo Machado, 62 anos, não está livre do barulho causado por clientes de bares e casas noturnas na avenida Lédio João Martins, a central do bairro Kobrasol, em São José. Após o fechamento dos estabelecimentos, os frequentadores usam as vias públicas para dar continuidade às suas festas. O som automotivo e o barulho das pessoas alteradas pela bebida tiram o sossego e a paciência dos moradores.

Vicente Paulo Machado diz que as vidraças de seu apartamento tremem durante as festas noturnas no calçadão do Kobrasol. “Falta repressão. As pessoas abusam da bebida e extrapolam o volume do som”, detalha, ao se queixar da falta de fiscalização da Lei 3731/01, a lei do silêncio. Machado lembra que liga para a Policia Militar e para a Guarda Municipal cada vez que tem seu descanso noturno perturbado. “O problema é que a Guarda Municipal nada faz. E a PM não tem contingente”, lamenta.

“O que sofremos aqui não é brincadeira. Não sabemos mais a quem recorrer”, desabafa Paulo Vitorino Silva, presidente da AmaKobrasol (Associação de Moradores do Bairro Kobrasol). Silva diz que não haveria problema com a comemoração alheia, desde que ela não violasse o direito ao descanso dos moradores. “Beber, festar é uma coisa. Causar arruaça é outra bem diferente”, defende, ao detalhar que a abertura de uma distribuidora de bebidas na avenida central fomentou o índice de reclamações junto à prefeitura e as demais autoridades civis e militares.

 

Blitz para coibir excessos são orientadas pelo Ministério Público

A secretária de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José, Ane Warmling, lembra que a campanha educativa intitulada: “Após as 22h abaixe o volume nas ruas”, iniciada no mês de março teve adesão da maioria dos comerciantes do bairro, principalmente – que tem ainda a rua Koesa – uma das mais movimentadas com bares e restaurantes da região. “As casas têm tratamento acústico e fecham no horário devido. O problema é comportamental, porque os clientes continuam a beber e festar pelas ruas”, relatou a secretária.

Ane lembra que na madrugada dos dias 2, 4, 9 e 11 de agosto foram realizadas blitz na avenida central para coibir os abusos. “Apreendemos mais de 30 veículos e recolhemos os equipamentos de som automotivo”, detalho.  As ações foram orientadas pelo Ministério Público e realizadas em conjunto pelas polícias Civil e Militar, Guarda Municipal e Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José. “Tivemos uma diminuição de 40% nas reclamaçoes junto a ouvidoria municipal e 30% de chamadas para a Polícia Militar”, comemorou Ane, ao antecipar que novas ações estão agendadas para fiscalizar o cumprimento da lei do silêncio.

___________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Zona Azul é assaltada três vezes em menos de uma semana

 

Zona Azul é assaltada três vezes em menos de uma semana em Florianópolis

Monitores foram alvo dos roubos nas ruas do Centro, dois a mão armada

 

No total, prejuízo foi de R$ 1.500 em dinheiro e talões

Os funcionários que prestam o serviço da Zona Azul nas ruas do Centro de Florianópolis estão sofrendo com os assaltos recorrentes. Em menos de uma semana foram registrados três roubos. Dois deles ocorreram nessa terça-feira (21). Por volta das 10h, um homem armado rendeu dois monitores na Praça Pereira Oliveira. E, no início da tarde, dois assaltantes em uma moto, também armados, abordaram outros dois agentes na esquina da rua Madalena Barbi com a Hermínio Jacques.

O outro assalto a monitores do serviço de estacionamento rotativo aconteceu na última quinta-feira (16), na rua Hermínio Jacques. Em maio, a sede da Zona Azul também foi invadida por dois homens armados que abordaram monitores do primeiro horário da manhã, às 7h.

De acordo com a assessoria de imprensa do IPUF (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis), responsável pela Zona Azul, os valores furtados nos três roubos totalizam cerca de R$ 1.500 em dinheiro e blocos que seriam vendidos aos usuários do serviço. Dois palmtops utilizados em trabalho também foram levados pelos criminosos.

 

Reforço na segurança

Foram registrados BOs (Boletins de Ocorrência) na 1ª Delegacia de Polícia da Capital. Os casos estão sendo investigados pela Delegacia de Repressão e Roubo, que até o momento não tem indícios dos suspeitos. A polícia já solicitou os vídeos das câmeras de vigilância das áreas onde ocorreram os assaltos.

A Guarda Municipal de Florianópolis foi informada das ocorrências e reforçará o patrulhamento diário realizado na região central do Centro. “Não podemos colocar um guarda para cada monitor, mas procuramos dar o suporte necessário à segurança desta área. No mínimo, são entre 10 e 12 policiais circulando pelas ruas do Centro”, afirma a subcomandante Mariane Matos.

___________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assuntos: Agente temporário

                   Disque-denúncia

                   Vigilância eletrônica

 

Inscrições abertas

Estão abertas até o dia 11 de setembro as inscrições para o processo seletivo de agente temporário de serviços administrativo da Polícia Militar. Ao todos, estão sendo ofertadas 272 vagas para atuação em diversas cidades do estado, inclusive para a Grande Florianópolis. A prova objetiva acontece dia 16 de setembro. Para mais informações consulte: http://www.pm.sc.gov.br/cidadao/concursos.

 

Disque-denúncia

 O disque-denúncia da Polícia Militar ( 0800 48 17 17)  está bombando. A última informação levou uma guarnição à localidade Colônia Santana, no número 50 da rua Santina Miranda, perto do campo do baú, onde foi capturado Davi Carvalho. No quarto dele os PMs apreenderam uma espingarda calibre 32 municiada, mais cinco cartuchos intactos, um bucha de maconha e sete muda da erva num vazo de flores. O istepô foi levado para a 1ª DP de São José.

 

Vigilância eletrônica

Coqueluche do momento, o sistema de videomonitoramento urbano é considerado uma ferramenta de apoio ao trabalho policial. Uma câmera não substitui um homem, mas agrega valor ao trabalho de prevenção e de investigação policial, dizem os especialistas. Estado conta hoje com um total de 824 câmeras em funcionamento e outras 440 em processo de instalação até o final deste ano.  O sistema de videomonitoramento já é uma realidade em 54 cidades.