Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 21 de setembro

21.9.2012

 

CLIPPING

14 de setembro 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Elucidação dos assassinatos

                    Leilão de veículos e sucatadas

                   São Lucas

 

 

CRIME E CASTIGO

Em resposta aos críticos sobre a queda na elucidação dos assassinatos da Capital, a Delegacia de Homicídios divulgou estatística que aponta 71% de resolutividade nos casos em 2012. De acordo com o delegado Enio de Oliveira Matos, titular da DP, este ano foram registrado 46 mortes em Floripa. Desses, 33 já foram resolvidos. Os outros 13 casos continuam sendo investigados pelas equipes.

 

SUCATA PAGA AS CONTAS

A Secretaria da Segurança Pública arrecadou R$ 506 mil no primeiro leilão de veículos e sucatas que estavam nos pátios das delegacias de São Bento do Sul e Rio Negrinho. Foram leiloados 402 carros, sendo 122 em condições de rodar e o restante sucata.

***

Os valores arrecadados servirão para quitar débitos que estes veículos possuíam com o Estado – IPVA e multas bem como dívidas com os pátios permissionários das prefeituras, onde os automóveis estavam depositados.

 

 

PROMESSA É DÍVIDA

Durante entrevista ao Notícias da Tarde, da CBN Diário, a secretária de Justiça e Cidadania, Ada de Luca, disse que o edital do São Lucas deve ser lançado em até 45 dias e dentro de um ano a obra estará pronta para receber os menores infratores.

– Hoje acontece a abertura da 5° Semana Internacional de Gastronomia da Costa Esmeralda, em Itapema. O chefe da noite será Claude Troisgros. Os pratos serão harmonizados com vinhos da também catarinense Casa Pisani.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Buscas no mar continuam

 

 

Buscas no mar continuam

As buscas por Lucas Rocha dos Santos, de 17 anos, desaparecido durante o naufrágio de um barco pesqueiro ocorrido na madrugada de quarta-feira, em Passo de Tores, no Sul do Estado, irão continuar hoje. Ontem o Corpo de Bombeiros de Araranguá e Sombrio percorreram a região com barcos e Jet-ski, mas não encontraram pistas do adolescente.

Lucas era um dos 11 tripulantes do barco pesqueiro Kailany, que virou após ser atingido por uma onda. Os demais pescadores conseguiram se agarrar ao casco da embarcação e foram socorridos por um outro barco três horas depois. Os bombeiros esperam receber hoje mais homens e equipamentos para ampliar as buscas em direção ao Litoral gaúcho e na região de Sombrio, Balneário Gaivotas e Balneário Arroio do Silva.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Tropa de elite ao vivo na Serra

Pela primeira vez, homens da Swat, uma das mais prestigiadas corporações policiais do mundo, estão dando um curso em SC. O treinamento reúne 120 agentes de segurança de 17 estados e torna Lages cenário de ações que ficaram famosas na série de TV dos anos 1970.

Nos últimos dias, os moradores de Lages, na Serra Catarinense, se viram num cenário de cinema e de série de TV. A Swat, elite da polícia dos Estados Unidos, desembarcou na cidade para treinar profissionais das forças de segurança do Brasil inteiro, num evento realizado pela primeira vez em Santa Catarina.

Promovido pelo Centro Avançado em Técnicas de Imobilização (Cati), empresa privada de treinamento policial com sede mundial em Dallas (EUA) e filiais em Lisboa, Portugal, e Vitória, no Espírito Santo, o 1o Prison Swat (Swat Prisional) começou no último dia 13 e termina neste sábado, em Lages. A cidade foi escolhida porque muitos policiais e agentes penitenciários da região costumam frequentar os cursos do Cati em todo o país.

 

Hierarquia só entre instrutores e alunos

O curso preencheu todas as 120 vagas oferecidas. Os alunos são agentes penitenciários, policiais, militares das Forças Armadas e guardas municipais de 59 cidades de 17 estados. Cada um pagou R$ 1,2 mil, incluindo alimentação e alojamento, apesar de alguns terem preferido ficar em hotel.

Durante os treinamentos não há hierarquia entre os alunos. Um soldado, por exemplo, não é obrigado a obedecer a um coronel, e nem um coronel tem o poder de dar ordens a um soldado. A única relação hierárquica é entre os alunos e os instrutores, que são superiores.

As aulas do curso, que em muitos momentos levam os participantes à exaustão física, foram ministradas por quatro norte-americanos da Swat e por instrutores brasileiros que já treinaram militares enviados para a guerra contra o terrorismo no Afeganistão, seguranças da Nasa e até do Vaticano.

Marcelo de Souza, agente penitenciário em São Paulo e membro da diretoria operacional do Cati, destaca que, uma vez por ano, a empresa leva policiais brasileiros para treinar nos Estados Unidos e traz profissionais norte-americanos para treinar no Brasil. Este intercâmbio permite ao Cati utilizar o nome, a logomarca e a estrutura da Swat, inclusive humana, para a realização dos cursos.

– Os alunos fazem todos os cursos e recebem um certificado para cada. Para fins de promoção, alguns estados reconhecem os treinamentos privados; outros, só os cursos institucionais. De uma forma geral, o Estado brasileiro só fornece o treinamento básico aos profissionais da segurança pública e, mesmo que esteja melhorando, ainda deixa a desejar na parte técnica e específica.

 

O amor entre tiros e fardas

Quem vê o curso da Swat e se depara com um monte de homens fardados, armados, gritando e fazendo força pode não imaginar que, ali, o amor também está presente. Mauro Cesar da Silva, 43 anos, é policial civil em MG. A mulher dele, Claudia Cristina, 22, é agente penitenciária.

Os dois viajaram 1,5 mil quilômetros de carro até Lages para participar pela primeira vez de um curso da Swat, mas abriram mão do alojamento coletivo improvisado no ginásio de esportes Jones Minosso e estão hospedados em um hotel.

Gostaram da cidade, apesar de achá-la fria, e garantem que o treinamento junto aos melhores policiais do mundo será importante em suas vidas.

– Se você não investir do próprio bolso, o Estado não oferece. Todo ano as técnicas são aprimoradas, pois enquanto criamos uma técnica, o marginal cria uma contratécnica. E você precisa estar bem preparado – diz Mauro.

 

Vaidosas e preparadas para a luta

Entre os 120 alunos do curso da Swat em Lages, seis são mulheres. Mas, apesar de vaidosas e com as manias de toda mulher, a dica é: não se meta com elas.

Mara Soares, 32 anos, é segurança no Presídio Regional de Tijucas. Selanir Santos Sala, 47, agente penitenciária no Presídio de Araranguá. E Viviane Lunelli de Oliveira, 31, agente de disciplina no Presídio Masculino de Lages.

Para nenhuma delas o treinamento junto aos homens é constrangedor e, muito menos, novidade, pois o contato com o público masculino – mais de 90% dos 500 mil detentos do país – é diário.

Selanir é a única mulher agente no presídio de Araranguá. Viviane, apesar de não ser a única mulher no Presídio Masculino de Lages, trabalha em uma cadeia onde, como o próprio nome já diz, só há detentos homens.

As três participaram de todas as atividades executadas durante o curso e garantem que ficaram ainda mais preparadas para enfrentar o dia a dia nas unidades. Selanir, que está prestes a se aposentar, quer repassar os conhecimentos obtidos aos profissionais que estão só no início da carreira.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria:Segurança

Assunto: Ação em posto

 

 

Polícia evita assalto e mata um bandido

Inteligência da PM montou uma operação em postos de Biguaçu à espera de ladrões. Após troca de tiros, um criminoso morreu, dois foram presos e um conseguiu escapar. Dois policiais e um cliente do posto ficaram feridos.

O cerco fechou na noite de ontem para uma quadrilha de assaltantes de postos de combustíveis que agia na Grande Florianópolis. Um dos bandidos foi morto durante a operação, que aconteceu em um estabelecimento de Biguaçu e atraiu dezenas de curiosos.

Há 15 dias, o setor de inteligência da Polícia Militar vinha investigando o caso. Para auxiliar na captura dos bandidos – responsáveis por mais de 40 assaltos a postos da região –, policiais à paisana permaneciam instalados em vários locais, a fim de capturar os criminosos.

Os quatro assaltantes que faziam parte da quadrilha chegaram ao local por volta das 20h em dois veículos: uma moto Honda Twister, com placa adulterada, e um Gol prata, com placas de Apucarana (PR). A moto era camuflada com cores diferentes a cada ação dos bandidos.

Os policiais conseguiram reconhecer a moto e logo identificaram os assaltantes. Um deles, Jonathan, entrou na loja de conveniências, e antes de chegar aos caixas, foi surpreendido pelos policiais à paisana.

A abordagem deu início a uma troca de tiros. Um dos assaltantes morreu na hora, dentro da loja de conveniências do posto. Dois policiais foram atingidos, mas passam bem. Um cliente do posto ficou ferido de raspão no braço. Policiais e assaltantes usavam coletes à prova de balas.

Nivaldo Alves de Souza, 24 anos, que chegou com Jonathan na moto, foi preso na hora. Os outros dois conseguiram fugir em um táxi, abandonando o Gol no posto. Um foi capturado e o outro está foragido.

 

Grupo não roubava fazia duas semanas

De acordo com o comandante do 24o Batalhão da Polícia Militar, em Biguaçu, tenente-coronel Newton Ramlow, as investigações da polícia indicavam que os assaltantes se preparavam para agir na noite de ontem.

Fazia 15 dias que os bandidos não assaltavam e, neste período, policiais à paisana foram colocados em todos os postos de combustíveis da cidade.

– Já estávamos preparados para a captura dos bandidos. Essa ação fechou mais um ciclo, só falta prendermos o foragido – afirmou.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Caso Pamela

 

Investigação pode ser retomada

Às vésperas dos 10 anos da morte de Pamela Thays Cunha, o caso segue sem respostas, mas surge uma esperança. Seis anos após o arquivamento pela Justiça, o caso pode ser reaberto a pedido do Ministério Público.

A menina de nove anos saiu de casa, em Gaspar, em 23 de setembro de 2002 para ir à padaria, e foi estuprada e morta. O corpo foi achado em decomposição, no Morro do Parapente, 16 dias depois.

Para o advogado da família, Renato Nicoletti, o pedido pode significar a retomada da investigação.

– Este pedido de desarquivamento anima a defesa. Agora, vamos aguardar se a Justiça vai aceitar – explica.

A família e a polícia têm certeza de que Dinart Fernandes Junior, principal suspeito na época, é o autor. Condenado por atentado violento ao pudor contra uma menina de oito anos em 2003, ele teria dito à vítima que já havia matado duas crianças.

A mãe de Pamela, Iara Cunha, diz tê-lo visto seguindo a família dias antes do sumiço. Uma testemunha afirma ter visto Dinart indo, de carro, em direção ao Morro do Parapente no dia em que Pamela desapareceu.

Dinart nega o crime e alega que estava em Blumenau no dia. José Manoel Soar, advogado dele na época, não foi encontrado.

O delegado Waldir Padilha diz que a demora para achar o corpo prejudicou a investigação. Em maio de 2006, o juiz Sérgio Aragão arquivou o caso. O Tribunal de Justiça manteve a decisão.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: LSD em gel

 

Polícia pega LSD em gel na Capital

Uma droga pouco comum em Santa Catarina foi apreendida esta semana pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Florianópolis. É o LSD em gel.

A apreensão de 50 microesferas do alucinógeno, na quarta-feira, demonstra que o tráfico de drogas está cada vez mais especializado, o que exige apuração mais técnica e profissional das forças policiais. A observação é do delegado Claudio Monteiro, titular da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Deic, responsável pelas apreensões.

– Esta microesfera de LSD, por exemplo, poderia não ser percebida por quem não conhece os diferentes tipos de entorpecentes. E, mesmo para as equipes especializadas no assunto, ainda assim, é necessária a perícia para apontar os princípios ativos da droga – disse Monteiro.

Na operação, resultado de seis meses de investigações, a DRE apreendeu mais de 30 quilos de ecstasy, maconha, cocaína e crack. Foram presos Alana da Silva Saturnino, 29 anos, Lourenço Benitz, 44, e Rodrigo Ferrari, 28. Um adolescente foi apreendido.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Tiroteio

 

Oito são baleados em três tiroteios

Pelo menos oito pessoas foram baleadas em três tiroteios na Capital em quatro dias. Os motivos seriam desentendimentos internos no tráfico de drogas. O primeiro foi numa casa no Centro, no domingo, durante uma festa de criança. Seis pessoas foram baleadas, entre elas o chefe do tráfico num dos morros. O mandante seria um traficante rival. Na noite de quarta-feira, no Morro da Caixa, uma mulher de 19 anos levou um tiro na mão e outro no braço. No terceiro tiroteio, um rapaz de 16 anos que estaria envolvido no ataque à mulher de 19 levou sete tiros.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Sindicato dos policiais civis e a categoria retomam as reivindicações

 

 

Sindicado dos policiais civis e a categoria retomam as reivindicações

Reunião acontece a partir das 14h de hoje no Iate Clube Veleiros da Ilha. Além das reivindicações, o sinpolvai discutir a conjuntura da PC

Policiais civis se mobilizam

O Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis) está convocando a categoria para uma análise da atual conjuntura da Polícia Civil. À tarde de debates acontece hoje no auditório do Iate Clube Veleiros da Ilha, no bairro Saco dos Limões, Florianópolis, a partir das 14h. No final do debate, às 20h, está programado um jantar. A diretoria do Sinpol que retomar a pauta de reivindicação apresentada em outubro para o governador Raimundo Colombo. Entre os temas centrais, os policiais lutam pela compactação das classes, de oito para quatro; promoções e a eleição no Sinpol para a sucessão da diretoria.  O presidente do sindicado, Pedro Cardoso, lembrou que durante as negociações em outubro, o governo prometeu sentar à mesa com as lideranças no primeiro semestre deste ano, mas não cumpriu com a palavra. Filiados do Sinpol estão sendo convocados por e-mail.