Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 17 de setembro

17.9.2012

 

CLIPPING

18 de setembro 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Casa Militar

                  

LETRA FRIA

Leitor atento foi lá dar uma conferida na Lei 573/12, que trata sobre os estagiários do Ministério Público. E surpreendeu-se ao ver que o artigo 274 também cria a Casa Militar, cuja chefia será exercida por um coronel da PM. O efetivo será definido pelo comando da corporação.

O MP já contava com uma assessoria militar, responsável pela segurança institucional. Tanto o MP quanto o comando-geral da PM garantem que foi apenas para garantir a isonomia com TJ e Assembleia, não houve criação de cargos e muito menos aumento de salários. Aí, o leitor pergunta: então, pra que a lei?

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Incêndio em empresa de usinagem no Norte

Uma empresa de usinagem, no Bairro Nova Brasília, em Joinville, pegou fogo ontem. Um curto-circuito em uma máquina que auxilia na fabricação de moldes foi o causador do incêndio. Não havia atividade de funcionários no momento e o chamado foi feito pelo homem que fazia a segurança do local.

Apesar de o fogo ter sido contido com extintores de incêndio e poucos litros de água, representava um grande risco à região, já que o fogo poderia se alastrar muito rápido por causa dos maquinários.

 

 

Morre homem atacado por abelhas

O idoso Valdir Luiz Campregher, que foi atacado por abelhas-africanas no dia 12, em Jaraguá do Sul, não resistiu e morreu no começo da manhã de sábado. O aposentado estava limpando um terreno no Bairro Rau quando um enxame o atacou. Ele saiu correndo para se proteger e foi socorrido pelos bombeiros voluntários da cidade. Até a metade da semana, Valdir estava internado em um quarto no Hospital São José. O aposentado é a segunda vítima de abelhas na cidade esse ano. Em agosto, Arminda Lüdtke também foi atacada e morreu no começo de setembro.

 

Idosos atropelados durante caminhada

Casal de 75 e 69 anos morreu no acostamento da SC-416 em Rio dos Cedros

Os idosos Victor Carlini, 75 anos, e a mulher, Erotides Carlini, 69, faziam sua caminhada matinal às 5h50min quando foram atropelados por um Kia Cerato, placas de Rio dos Cedros, no acostamento do km 1 da SC-416, no Bairro Santo Antônio, em Rio dos Cedros, Vale do Itajaí. O casal não resistiu aos ferimentos e morreu.

A Polícia Militar Rodoviária informou que o motorista do automóvel que atropelou o casal de idosos, Alan Luís Chiste, 21 anos, afirmou ter dormido ao volante, quando perdeu o controle do veículo. O rapaz se submeteu ao teste do bafômetro, que não acusou o consumo de álcool.

Além deles, outras quatro pessoas morreram em acidentes neste final de semana em Santa Catarina.

À 1h15min de ontem, no km 78,4 da BR-470, em Indaial, a colisão entre uma Ducatto de Brusque e um Chevette de Apiúna matou uma adolescente e feriu seis pessoas. Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a van, que transportava o time de futsal feminino de Brusque, seguia no sentido Indaial-Blumenau.

O motorista do Chevette, Paulo Ezequiel Rodrigo dos Santos, 28 anos, e a passageira Juciane Djenifer Tescke, 15, estavam presos às ferragens e foram encaminhados em estado grave ao Hospital Beatriz Ramos, de Indaial. Juciane morreu logo em seguida. Paulo permanecia internado ontem no hospital.

 

Jovem é arremessada através do para-brisas

Em Araquari, Paula Stefay Macedo, 21 anos, morreu ao ser arremessada pelo para-brisas da caminhonete em que ela viajava com três amigos de São Francisco do Sul para uma festa em Joinville, e que capotou na BR-280. A jovem estava no banco de passageiro dianteiro, sem cinto de segurança. O veículo, com placas de Florianópolis, saiu da pista no no km 28, bateu em um barranco e capotou no pátio da casa de uma família. O corpo da jovem foi parar no quintal.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Blitze

 

Guarda faz três blitze no final de semana

A Guarda de Trânsito de Blumenau vistoriou 800 veículos em três blitze feitas no fim de semana na cidade. Na primeira ação, foram abordados 150 veículos, com 30 autuações. Na segunda, 350 veículos foram vistoriados e 49 multas, aplicadas. Na última, 300 veículos abordados e 59 notificações. De sete testes de bafômetro, cinco deram positivo.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Reportagem Especial

Assunto: Trânsito

 

Hora de pensar e ajudar a mudar

A Semana Nacional do Trânsito começa amanhã, e neste ano, o foco das ações de conscientização está no excesso de velocidade, um dos principais motivadores de acidentes. Mas além de tentar reduzir a violência no trânsito, os próximos dias também devem servir de reflexão para todos que fazem parte do trânsito. O que cada um de nós pode fazer para melhorar a mobilidade? Mostramos nesta reportagem algumas iniciativas em Santa Catarina que podem servir de exemplo.

O trânsito faz parte do dia a dia das pessoas e é foco de críticas e cobranças. Mas o que muitas vezes não se percebe é que o comportamento de cada um ajuda a tornar as ruas violentas e sem mobilidade. Para conscientizar a sociedade, acontece de amanhã até o dia 25, a Semana Nacional do Trânsito, promovida pelo Conselho Nacional de Trânsito. As ações querem alertar para o perigo do excesso de velocidade, uma das principais causas de acidentes. O foco são jovens entre 18 e 25 anos. Em SC, a violência nas estradas estaduais já levou 295 pessoas à morte este ano.

Se os acidentes com mortes são o lado mais cruel do trânsito, é no dia a dia que percebemos outro problema crônico: a falta de mobilidade. Em Florianópolis, quem acessa a Ilha todas as manhãs sabe o que é isso. É difícil disputar espaço entre os 180 mil carros que passam por dia na BR-282. No final de tarde, o sufoco se repete no sentido contrário. No Sul da Ilha, motoristas saem cada vez mais cedo de casa para evitar transtornos em direção ao Centro. Nem a inauguração, em dezembro, da faixa reversível da SC-405 os problemas foram resolvidos.

No Norte da Ilha, o principal ponto de congestionamento é na SC-403, saída do Bairro Ingleses e, também, na ligação do Rio Vermelho. Com o término da duplicação da SC-401, o trânsito melhorou, mas aumentou o número de motoristas que excedem o limite de velocidade e provocam acidentes. Sem falar do que turistas e moradores enfrentam no trânsito da Lagoa da Conceição no verão.

Blumenau também já mostra reflexos dos 218 mil carros. A cidade, com muitos morros, cortada pelo Rio Itajaí-Açu, já não consegue ampliar a estrutura viária. Ainda na região do Vale, é a BR-470, segunda mais movimentada do Estado, que traz preocupações. Apesar de ter boa estrutura e sinalização, a rodovia é uma das mais perigosas.

Já o trecho Sul da BR-101 é o principal gargalo. No feriado de 7 de Setembro, motoristas ficaram quatro horas na fila em Laguna, que ainda não teve a duplicação concluída.

Nesta Semana Nacional do Trânsito, vamos aproveitar para discutir problemas e mostrar que quando a consciência acompanha a evolução das cidades, dos carros, dos tempos, é possível, sim, criar alternativas. Confira na página ao lado histórias de pessoas que decidiram ir em busca de soluções para melhorar a mobilidade.

 

 

Anjos de rodas

Se você quer começar a pedalar, mas tem medo de fazer isso no meio da cidade, saiba que pode contar com uma ajuda especial. Os Bike Anjos são ciclistas experientes e voluntários que ajudam pessoas que querem aprender a andar de bicicleta na cidade correndo menos riscos. Eles saem para pedalar com você, dando dicas e ensinando boas rotas por Florianópolis. E tudo de graça. Os anjos estão nas redes sociais: www.facebook.com/BikeAnjoFloripa. Em SC, estão também em Itajaí.

 

 

Preferência

O engenheiro eletricista Vinicius Rolim alterna: usa ônibus e carro. Quando opta pelo transporte coleitvo, chega mais cedo em casa, já que o veículo tem via exclusiva na saída do túnel até o terminal do Centro, em Florianópolis. Vinicius lembra que é importante dar preferência aos ônibus.

– Tento ceder a vez, sobretudo nos casos de afunilamento. Temos que respeitar, pois sua capacidade de transporte é maior. Precisamos deixar de ser egoístas no trânsito.

 

 

Estacionamento

A segunda infração mais cometida pelos motoristas de SC é o estacionamento irregular: perde apenas para o excesso de velocidade. O Trânsito 24h recebe, todos os dias, flagrantes de diversas cidades do Estado de motoristas que não respeitam a sinalização e acabam usando a falta de educação para estacionar.

 

DE BICICLETA

Enio Guilherme conta a história da mulher dele. Há dois anos eles saíram do Bairro Estreito, em Florianópolis, para morar em Palhoça. Para Enio, projetista de 41 anos, a mudança trouxe conforto: estava mais perto do trabalho e podia ir pedalando para a empresa. Mas Lígia continuava trabalhando na Ilha. Cansada de perder tempo nos congestionamentos, a química de 43 anos resolveu fazer alguns testes quanto ao percurso. Tentou várias rotas de ônibus, somando o custo da passagem com o tempo percorrido. Ela gastava quatro horas por dia para ir e voltar.

Então, resolveu comprar uma bicicleta e pedalar os 25 quilômetros: leva uma hora e meia. Só que o caminho exige muita atenção e concentração porque precisa passar pela marginal da BR-101, Beira-Mar de São José e Beira-Mar Norte – sendo que apenas estas duas últimas contam com ciclovias.

– Poderia ser mais rápido se tivesse mais estrutura para ciclistas no caminho – ressalta Enio.

E Lígia agora está em outro teste: há duas semanas comprou um modelo de urbe bike – uma bicicleta dobrável. O equipamento pode ser útil naqueles dias em que ela sai de casa com o tempo seco e no fim da tarde está chovendo. É só dobrar a bicicleta, colocar na bolsa e voltar de ônibus.

A PÉ

O empresário Roberto Gretz, 34 anos, dá um exemplo simples para melhorar a mobilidade urbana. Ele comenta que na Grande Florianópolis temos pequenos “centros de facilidades”, onde, em um raio de três quilômetros, há farmácias, mercados, bancos, escolas, academias, e não é preciso se deslocar para longe.

Centros como nos bairros Trindade, Ingleses, Campinas, Kobrasol ou Estreito, onde mora. Residindo em um desses centros, Roberto faz tudo que pode a pé, inclusive em dias de chuva.

– Quando chove, a contribuição para a mobilidade é maior ainda, já que mais pessoas saem de carro.

Roberto tem um escritório em casa e outro no mesmo bairro em que mora, para onde também vai a pé. Quando precisam usar o carro, ele e a mulher Vanessa planejam um trajeto que atenda a ambos, usando um só carro.

Outra solução apontada por Roberto, ao alcance de qualquer um, é fazer tarefas pela internet, como pagar contas, ao invés de se deslocar ao banco. Outra dica é dividir o carro com alguém conhecido e pegar uma carona.

– Faço tudo a pé. Do meu prédio à academia são cinco quadras. E tem gente que vai de carro.

Roberto conta que desde a faculdade tinha carro e deixava na garagem.

– Hoje uso menos a bicicleta porque no meu bairro não há ciclovias.

DE CARONA

Fabiano de Freitas Silva e seus colegas de trabalho, Vitor e Fernando, arranjaram uma ideia bem simples para ajudar o trânsito. Eles moram em bairros da Grande Florianópolis, um no Estreito e os outros dois em Barreiros, no Continente. Eles trabalham no Parqtec Alfa, no João Paulo, que fica na parte da insular. Há três meses fazem um rodízio de carros. A cada semana um vai de carro dando carona aos outros. Além do congestionamento para entrar na Ilha todas as manhãs, outro problema foi amenizado.

– O estacionamento da empresa está sempre cheio. Se eu chegar às 8h10min, já não tem mais vagas – reclama Fabiano.

Menos carros nas vias e menos vagas ocupadas no estacionamento. Além da economia dos gastos que foi para todos e da companhia para todo o trajeto. O grupo aprovou a mudança e recomenda a todos.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Prefeito Anisio Soares

 

Contra-ataque

Prefeito Anisio Soares (PMDB), preso na sexta-feira pela Polícia Federal, por suposta extorsão, acusa o empresário Rodrigo Censi de montar uma trama. Vai registrar hoje boletim de ocorrência na Polícia Civil, sob alegação que o denunciante teve encontros no Ceisa Center, na Capital, com o candidato de oposição em Governador Celso Ramos. Diz que Censi responde a quatro processos por grilagem de terra em Navegantes e Biguaçu.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Moradores reclamam da PM

Uma festa com bebida e comida liberadas acabou em confusão, ontem à tarde, no Bairro Abraão, na Capital.

Chamada por policiais civis que estavam no local, a Polícia Militar invadiu um condomínio em frente ao terreno onde era realizado o evento – um residencial de prédios populares na Rua João Meirelles.

Segundo os moradores, de 10 a 15 policiais teria arrombado portas e invadido apartamentos apontando pistolas e disparando balas de borracha.

A aposentada Vanda de Andrade, 38 anos, foi atingida na barriga. A auxiliar de serviços gerais Luciane Carmelina, 38 anos, estava no quarto quando ouviu a porta ser arrombada.

– Eles entraram, olharam para dentro e foram embora. E me deixaram aqui, com essa porta arrebentada e que agora não fecha mais.

Simone de Melo, 26 anos, comemorava o batizado da filha quando foi surpreendida pelos policiais armados dentro de casa. A festinha acabou com balas de borracha espalhadas por toda a casa.

 

Contraponto

PM promete investigar o caso

Os policiais que estavam no local não quiseram falar sobre o caso, mas o comandante do policiamento da região, tenente Mário César Costa, disse que as equipes da Polícia Militar teriam sido recebidas a pedradas quando chegaram – eles haviam sido chamados por dois policiais civis que foram ameaçados durante uma abordagem a um homem.

Segundo o tenente, que disse desconhecer a invasão no condomínio, uma equipe fará um relatório mais aprofundado hoje para apurar o que aconteceu exatamente no local.

 

 

Candidato rebate afirmação de prefeito

O candidato Juliano Duarte Campos, da coligação adversária a do vice-prefeito de Governador Celso Ramos, rebateu as acusações feitas pelo prefeito Anísio Soares de que estaria por trás da denúncia que levou à prisão o atual prefeito, vice e de um vereador da cidade. Em nota, Juliano afirma que não conhece o empresário que ofereceu a denúncia e que não há qualquer ligação entre o caso e a coligação dos partidos que se opõe ao atual prefeito.

 

 

Polícia encontra dinamite enterrada

Investigação apura se quadrilha fornecia os explosivos a caixeiros do Estado

Policiais da Central de Plantão Policial (CPP) do Norte da Ilha desenterraram, na tarde de sábado, 120 bananas de dinamite na Praia de Ingleses, em Florianópolis. Os explosivos pertenciam a uma quadrilha presa em junho deste ano.

De acordo com o delegado Eduardo Mattos, a suspeita é de que o material tenha ligação com explosões a caixas eletrônicos na região de Florianópolis. A quantidade de dinamite encontrada pelos policiais equivale a 40 quilos de explosivos.

Segundo Mattos, o grupo é suspeito de comandar pelo menos metade dos roubos desde o início do ano nos bairros Rio Vermelho, Ponta das Canas e Cacupé. A polícia investiga agora se os assaltantes detidos atuavam como fornecedores de explosivos a caixeiros que atuam no Estado.

O último integrante da quadrilha, Júnior Cezar de Assis Pires, foi preso na última quinta-feira em São José dos Pinhais. De acordo com o delegado, Assis, conhecido como “Maringá”, era foragido da polícia do Paraná desde 2010 e tinha cinco anos de prisão a serem cumpridos por roubos. Para se disfarçar, ele se identificava como Marcelo Pires.

No dia 18 de junho, quando cinco membros do grupo foram detidos, durante confronto com a polícia, Maringá levou um tiro, mas conseguiu escapar. Ele e o restante da quadrilha estavam morando nos últimos meses em bairros do Norte da Ilha.

Segundo a polícia, a participação dos assaltantes nos crimes foi identificada por imagens e reconhecimento de vítimas. Em junho, três carros usados nos assaltos foram recolhidos, além de duas armas apreendidas.

Um dos crimes atribuídos à quadrilha foi um assalto a um posto de gasolina em Ponta das Canas. Os ladrões levaram um cofre com aproximadamente R$ 11 mil. No Bairro Rio Vermelho, foram atacados um posto de combustíveis e um mercado.

Entre outros estabelecimentos assaltados na mesma região, estão uma loja de materiais de construção, uma de utilidades domésticas e uma revendedora de gás.

A investigação identificou ainda que, além do Norte da Ilha, o grupo também praticou assaltos em Balneário Camboriú, no Litoral Norte.

____________________________________________________________________________Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Tiroteio na Felipe Schmidt

 

 

Tiroteio na Felipe Schmidt, coração de Florianópolis, movimenta a polícia

Dois homens se envolveram em tiroteio no Centro. Um pegou o carro e dirigiu até o hospital. O outro foi localizado perto da rodoviária

A Polícia Civil está investigando uma tentativa de homicídio que ocorreu no início da noite de domingo (16) na rua Felipe Schmidt, Centro de Florianópolis. Um dos envolvido, ferido, foi localizado próximo ao Terminal Rodoviário Rita Maria e levado para o Hospital Universitário.

O segundo ferido, pegou o carro e dirigiu até o Hospital Celso Ramos. A PM  transferiu o caso para a 1ª DP da Capital. Não está descartada a hipótese de que os dois se envolveram em tiroteio.  Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

No bairro Pantanal, Capital, dois peões de obra discutiram e Luciano Souza Brandão esperou o rival dormir, no canteiro de obras, para esfaqueá-lo. A PM foi acionada e enquanto uma guarnição conduzia Marcioneiro Valeriano de São Pedro para o Hospital Universitário, outra viatura prendia o agressor. Ambos são naturais da Bahia. Brandão alegou na 5ª DP que tinha uma rixa antiga com o rival.

____________________________________________________________________________Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Segurança em banco

 

 

Os bancos, com lucros exorbitantes, precisam investir mais em segurança

No vácuo deixado pelo sistema financeiro, que parece não se importar com os furtos em caixas eletrônicos, a polícia faz ronda bancária

Rondas bancárias

Se os bancos não estão nem aí para a “febre de arrombamentos e explosões em caixas eletrônicos” fora do expediente, a polícia é obrigada a atuar neste vácuo  para garantir a segurança do estado. Rondas bancárias, das 22h às 6h, é sinônimo de mais polícia nas ruas. Em quase todos os bairros existem agências bancárias. Não é somente em Santa Catarina que os caixeiros estão agindo. Quadrilhas da Dinamite e do Maçarico atuam  todo país. Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e outros estados também estão acionando as forças estaduais no policiamento preventivo. A ação dos bandidos reflete, negativamente, na região. Qual é o empresário que vai investir em  estado inseguro? A polícia está fazendo o papel dela e agora os bancos também tem fazer a parte deles. O sistema financeiro, com lucros exorbitantes, precisa investir mais em segurança.