Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 17 de maio

17.5.2012

CLIPPING

17 de maio de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos:  1º DP da Capital

                    Operação Choque de Ordem

                     Estiagem

 

 

CASA NOVA

A 1º DP da Capital está de mudança. A procura por um novo local já foi iniciada. Permanecerão na sede da Central, na Osmar Cunha, apenas as especializadas: Delegacia de Homicídios; de Repressão a Roubos; e a futura Delegacia de Repressão a Entorpecentes.

 

TOLERÂNCIA ZERO

Comando do 4º BPM trabalha no detalhamento da operação Choque de Ordem que será aplicada no Centro de Floripa nos próximos dias. A ideia é fiscalização intensa para veículos estacionados irregularmente e motoristas que dirigem embriagados.

 

SECA AVANÇA

Fraiburgo, Forquilhinha e Abdon Batista também decretaram situação de emergência por conta da estiagem que atinge o Estado desde novembro de 2011, subindo para 142 o número de municípios afetados em SC. Faltam apenas quatro para chegar 50% das cidades catarinenses. A Defesa Civil diz que são 761.762 mil pessoas afetadas.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Empresa faz simulação de incêndio

 

Empresa faz simulação

Um acidente foi simulado ontem em Guaramirim, na sede da empresa Distribuidora Brasileira de Petróleo (Dibrape).

O objetivo foi treinar os funcionários caso ocorra um incêndio no local onde ficam os caminhões que fazem a distribuição. O treinamento ocorreu devido aos riscos de explosões que poderiam atingir moradores da redondeza. A ação envolveu 15 bombeiros voluntários de Guaramirim, 10 funcionários da Dibrape e Rudipel Rudnick Petróleo e sete da empresa de consultoria de engenharia ambiental Cactos.

 

Não existe registro de acidente parecido com o simulado nas empresas de Guaramirim. Mas na BR-280, há pouco mais de três anos, uma colisão gerou vazamento na pista e deixou feridos os passageiros de outros carros envolvidos. Por isso, a Dibrape organiza essa simulação e outra na BR-413 todos anos, desde 2009.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Briga na escola

 

Adolescente vai parar no hospital

Uma adolescente de 14 anos foi agredida numa escola de Joinville, na manhã de terça-feira, no intervalo da aula. O crime teria sido cometido por três meninas com idades entre 15 e 16 anos.

O motivo seria ciúmes de um rapaz, namorado de uma das supostas agressoras. A adolescente teve mechas de cabelo arrancadas durante a briga e chegou a desmaiar. Ela foi levada para o Hospital Infantil por volta do meio-dia e recebeu alta no fim da tarde. Segundo os amigos da adolescente agredida, duas meninas seguraram a vítima enquanto uma terceira a agredia. Ela também teria recebido chutes na cabeça, o que fez com que perdesse os sentidos.

A diretora da escola, Cleide Futami, convocou os pais para uma reunião e orientou a mãe da vítima a registrar um boletim de ocorrência na Polícia Civil. A diretora acredita que expulsar ou transferir as adolescentes não seria a melhor solução.

– Precisamos trabalhar o problema. Não nos livrar dele.

Ainda assim, os pais de duas das meninas que participaram da agressão decidiram transferi-las.

A mãe da vítima levou a filha para fazer um exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e registrou um BO contra as três adolescentes na Delegacia de Proteção à Mulher, Idoso e Adolescente.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Insegurança

 

Vinte anos de insegurança

Se o ritmo de contratação de policiais civis e militares continuar como está, vai demorar 20 anos para que o efetivo de segurança seja o ideal. A estimativa é da Secretaria de Segurança Pública. Hoje, o números de policiais é a metade do adequado. A solução do problema está na realização de concursos públicos sequenciados que venham a suprir a necessidade de homens e mulheres atuantes em nível de segurança estadual. Bandidos, fiquem tranquilos. Vocês têm duas décadas de moleza pela frente.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Ação policial apurar extorsão

 

Ação policial apura extorsão

Quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos na manhã de ontem em São João Batista, na Grande Florianópolis, por policiais da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Florianópolis. A ação policial apura denúncia de extorsão contra o prefeito do município, Aderbal Manoel dos Santos.

De acordo com o delegado Renato Hendges, responsável pela investigação, o prefeito teria sofrido ameaça de extorsão no valor de R$ 150 mil. As ordens judiciais foram expedidas pela Justiça local. As buscas são em residências dos suspeitos de envolvimento no caso, um ex-prefeito, dois empresários e um cabeleireiro.

Os computadores e equipamentos apreendidos na casa de empresários e políticos serão encaminhados para o Instituto Geral de Perícias (IGP). A Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) espera, com a perícia, obter novas informações para a investigação. Entre os objetos apreendidos, está um relógio em que foi feita uma gravação que mostra o prefeito entregando R$ 2 mil a uma pessoa.

Segundo a polícia, o dinheiro era da conta pessoal do prefeito e foi entregue como um pedido de ajuda feito por um cabeleireiro da cidade que se filiou anteriormente a um partido político. Depois, a polícia afirma que o prefeito passou a ser alvo de ameaças de extorsão, onde o grupo que supostamente arquitetou o plano pedia R$ 150 mil.

À tarde, o ex-prefeito de São João Batista Jair Sebastião de Amorim, o Nonga, prestou depoimento na Deic. Ele esteve acompanhado de seu advogado, Jeyson Puel. O advogado afirmou que ele falará sobre o caso apenas em juízo. A Deic vai ouvir novas pessoas no inquérito.

Na apuração, há gravações e cópias de mensagens a telefones celulares que indicariam que o prefeito Aderbal Manoel dos Santos sofreu ameaças de extorsão. Conforme o delegado, o grupo seria adversário político de Aderbal e pretendia difamá-lo no município. Aderbal não pagou o valor exigido.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Jovem que matou menina é transferido para Caçador

 

 

Jovem que matou menina é transferido para Caçador

Mesmo com vaga nos centros socioeducativos da região da Capital, Justiça optou pelo interior por questão de segurançaO adolescente de 17 anos que confessou ter matado a facadas uma menina de nove anos no Dia das Mães, na Capital, ficará apreendido no Centro de Internação Provisória (CIP) de Caçador, no Meio-Oeste catarinense. Apesar da crônica falta de vagas no sistema socioeducativo da Grande Florianópolis, a transferência para o interior teve como motivação a segurança do próprio adolescente.

Por ser crime sexual e ter uma criança como vítima, as autoridades entenderam que o garoto correria risco de vida caso ficasse apreendido em Florianópolis. Ele foi para Caçador na terça-feira, segundo a delegada Ana Silvia Serrano, da 6a Delegacia de Polícia, onde ele estava desde domingo.

A decisão ainda é de internamento provisório e pode durar no máximo 45 dias. Nesse período, a Justiça deverá aplicar a medida socioeducativa definitiva. Na Capital, o lugar que ficaria caso não tivesse a vida em risco seria o Plantão de Atendimento Inicial (PAI), no Bairro Agronômica.

O lugar tem recebido os adolescentes infratores provisórios da região. Surpreendentemente, não está superlotado, como vinha sendo comum após o fechamento do Centro Educacional São Lucas, em São José, no final de 2010. O problema é que o local não tem um espaço em que ele pudesse ficar isolado e em segurança dos outros internos.

– Nos internamentos provisórios temos vagas, embora em número insuficiente. A dificuldade maior é para os internamentos definitivos, que ainda são um problema na Grande Florianópolis – disse o promotor da Infância e Juventude de Florianópolis, Marcelo Wegner.

A Secretaria da Justiça e Cidadania estaria encontrando dificuldades em Brasília para a liberação dos recursos do novo São Lucas, cujas obras ainda não começaram. O DC tentou ouvir a secretaria ontem sobre o assunto, mas as autoridades designadas pela assessoria para dar entrevista estavam com os telefones celulares desligados e não foram encontradas.

 

Crime ocorreu dentro de casa, após uma festa

O crime ocorreu no início da madrugada de domingo, Dia das Mães. Mariele da Silva Araújo, nove anos, foi assassinada em uma festa da família na Caieira do Saco dos Limões, na Capital. O adolescente que confessou o crime era vizinho dela.

Por volta de 1h, quando a maioria dos convidados já havia deixado a festa, o jovem, conhecido da família, teria entrado no quarto onde estava Mariela e a golpeado com duas facadas – uma nas costas e outra no peito.

– Ele contou à polícia que o intuito era estuprá-la, mas como ela reagiu e disse que contaria para os pais, ele resolveu matá-la. Acredito que escolheu Mariele porque era a única criança que estava no quarto. Ele atacaria qualquer uma – disse Vania Kempner, tia da vítima.

O corpo de Mariele foi levado, na terça-feira, para Goiás. O enterro foi ontem, em Rio Verde, cidade onde mora a família da mãe dela, a 220 quilômetros de Goiânia.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Polícia pega carregamento de maconha em São José

 

 

Polícia pega carregamento de maconha em São José

Deic e agentes de Joinville prenderam nove pessoas com 193 tabletes com cerca de um quilo cadaEm uma operação conjunta no começo da tarde de ontem, a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) e policiais civis de Joinville prenderam nove pessoas e apreenderam cerca de 200 quilos de maconha. A droga estava numa casa no Bairro Praia Comprida, em São José, na Grande Florianópolis.

Entre os presos estão oito homens e uma mulher. Fábio João dos Santos, o Alemão, é apontado como o líder do grupo, conforme o diretor da Deic, Laurito Akira Sato.

Os suspeitos e a droga foram encaminhados para a sede da Deic, em Florianópolis. Também foram apreendidos sete carros, entre eles um Audi e uma caminhonete.

 

Adesivo sugere que droga veio do exterior

Os tabletes de maconha ostentavam um adesivo com os dizeres “El Dragon”, o que sugere que a carga tenha vindo do Paraguai. Nas embalagens, estava escrito ainda que era produção “para exportación”.

A polícia afirma que a droga chegou a São José na noite de terça-feira e seria distribuída para traficantes que atuam no varejo da atividade ilícita na região de Florianópolis. Havia também uma pequena quantidade de skank, droga considerada mais potente que a maconha.

Alemão, suspeito de ser o líder do grupo, era monitorado por policiais da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Joinville e por investigadores da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Deic.

Os presos optaram em ficar em silêncio com a reportagem. Apenas a namorada de Alemão falou rapidamente no corredor da Deic. Ela afirmou que a maconha era de Alemão e negou envolvimento com o bando.

 

650 quilos

– A apreensão de ontem em São José foi a segunda vez que uma grande quantidade de maconha foi encontrada em menos de uma semana na região. No último sábado, a Polícia Militar apreendeu mais de 600 quilos da droga em Palhoça, na Grande Florianópolis. Na ação, quatro pessoas foram presas, uma fugiu e outra morreu ao sofrer um acidente durante a fuga ____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Operação Sentinella

                                                                   

Em seis dias, R$ 650 mil apreendidos

Em seis dias de fiscalização no Extremo-Oeste de Santa Catarina e Sudoeste do Paraná, uma operação conjunta entre Receita Federal, Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF) recolheu mercadorias irregulares avaliadas em R$ 650 mil. Também foram apreendidos cinco veículos e um ônibus.

Conforme a Receita Federal de Dionísio Cerqueira, esta é a maior apreensão já realizada em operações nessas regiões.

De 8 a 13 de maio, foram recolhidas 515 caixas de mercadorias estrangeiras que ingressavam irregularmente no Brasil. O balanço foi divulgado ontem. As ações fazem parte da Operação Sentinela, que cuida da segurança das fronteiras.

 

Energéticos estão entre os produtos preferidos

Em uma das apreensões, realizada em 11 de maio, foram encontradas cem caixas de energético em um automóvel Gol com placas do Paraná. No mesmo dia, a PRF encontrou outro Gol com 246 garrafas de vinho, 360 latas de energético e 12 litros de vodca. Nestes dois casos, a polícia identificou que as mercadorias eram importadas de forma irregular, mas não informou a origem dos produtos.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Irmão atira em irmão em São José

O taxista Júlio César do Rozário, 29 anos, levou um tiro na cabeça, por volta das 14h30min de ontem. O autor do disparo foi o próprio irmão, Luís Fabiano do Rozário, 28, em São José. A vítima foi submetida a uma cirurgia no Hospital Regional de São José, e permanecia internada, ontem à noite, em estado grave. O irmão que atirou contra o outro fugiu.

No início da tarde, Júlio César teria ido até a casa da família, no Bairro Areias, onde, segundo informações da Polícia Militar, o irmão mais novo dele traficava drogas. O taxista seria contra as atividades ilícitas de Luís Fabiano e teria levado um facão para ameaçar o irmão.

O suposto traficante, então, teria entrado na casa e, lá de dentro, atirado contra o irmão. O disparo acertou a cabeça de Júlio César, que ainda teve tempo de fugir até o carro, conforme a PM. Luís Fabiano, conhecido como Bibi, teria tirado certa quantidade de drogas, possivelmente crack, do forro da casa e colocado em um Siena e fugido.

 

 

Vendedor de dia, assaltante à noite

A vítima de um assalto ocorrido na noite de terça-feira, em Jaraguá do Sul, no Norte do Estado, foi rendida em casa por um suspeito que teria lhe atendido, na mesma tarde, numa fábrica de lajotas.

A surpresa só foi revelada depois que o ladrão foi preso, com mais outros dois suspeitos, numa ação realizada pela Polícia Militar, com cooperação da Polícia Civil.

Na tarde daquele dia, o ferramenteiro de 37 anos foi fazer um orçamento para a compra de lajotas e pedras na empresa localizada no Bairro Nereu Ramos. Ao chegar ao local, ele foi atendido por um funcionário de 24 anos. Ele explicou que queria comprar pedras para colocar na casa, situada na localidade de Vila Machado, no mesmo bairro.

À noite, por volta das 21h, o ferramenteiro foi surpreendido em casa por dois homens encapuzados e armados com um revólver calibre 22 e uma garrucha. Os ladrões colocaram toalha e um capuz na cabeça da vítima, além de mantê-la com as mãos e pés amarrados, mas sem agredi-la.

Quando o ferramenteiro disse que tinha apenas R$ 500, eles começaram a recolher eletrodomésticos, um computador, uma máquina fotográfica, o dinheiro e colocaram tudo no carro da vítima, uma GM Zafira branca, e fugiram com o veículo. A ação teria durado 15 minutos. O funcionário da loja foi reconhecido pela voz.

O morador conseguiu desamarrar-se e ligou para a polícia. Durante a investigação, os policiais encontraram uma moto abandonada numa estrada do bairro. Em rondas no local, encontraram um dos suspeitos, que teria voltado para buscar a moto. Ele teria confessado o crime e entregado outros dois suspeitos. Os detidos têm idades de 20, 22 e 24 anos.

 

Trio usa maçarico em arrombamentos

Dois caixas eletrônicos foram arrombados com maçaricos, às 6h de ontem, na agência do Banco do Brasil de Rio das Antas, no Meio-Oeste. A quantia roubada não foi divulgada. Segundo a polícia, uma câmera de monitoramento registrou quando três homens violaram os caixas. Até o fechamento desta edição, nenhum suspeito havia sido preso.

 

Suspeito de matar motorista está detido

Agentes da Divisão de Investigações Criminais de Itajaí (DIC) apreenderam ontem um adolescente de 16 anos, suspeito de ter assassinado um funcionário público em dezembro de 2011. Felix Antônio de Freitas, motorista da prefeitura de Itajaí, foi abordado pelo assassino, que o deixou de joelhos na estrada e o executou a tiros.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Segurança

Assunto: Promotor pene punição

 

Promotor pede punição para adolescente que assassinou menina de 9 anos

Na Capital não existe local para abrigar menores infratores. Adolescentes em conflito com a lei estão sendo encaminhados para Lages

 

O adolescente D. A., 17, que matou a facadas a menina Marielly Silva Araújo, 9 anos, em Florianópolis, no último domingo, foi ouvido no final da tarde de segunda-feira pelo promotor da Vara da Infância e Juventude, Marcelo Wegner. O promotor representou pela contenção  enquanto  processo tramita. Neste período serão ouvidas testemunhas e policiais, que detiveram o garoto, até a decisão final do juiz que pode determinar uma punição sócioeducativa, num abrigo de menores.

Antes da conclusão do processo o juiz também poderá mandar soltar o adolescente. Caso ele opte pela continuidade da contenção, o prazo máximo para o garoto aguardar a decisão final é de 45 dias. Em Florianópolis, não há local para abrigar menores infratores. Adolescentes em conflito com a lei estão cumprindo medidas sócioeducativa em Lages.

No Morro da Caieira, Florianópolis, onde ocorreu o brutal assassinato os moradores continuam revoltados e muitos comentam em fazer justiça, caso o adolescente ganhe liberdade. D.A. é natual de Laranjeiras do Sul (PR), e veio com a família para Florianópolis há cerca de quatro anos.

 A mãe do adolescente, esperando nenê para o próximo dia 20, não concorda com a bárbarie que o filho fez e disse que ele tem que pagar pelo crime, pelo menos é o que comenta o pai do padrasto de Marielly, Liberalino Gomes de Lima, 62. 

O crime ocorreu no final da festa de aniversário do padastro da menina, Claudiomar Tadeu de Lima, que completava 31 anos, sábado passado.  A festa acontecia nos fundos da casa de Claudiomar,  onde  estava a churrasqueira.

 Já passava da meia-noite quando Marielly deu um beijo de boa-noite na mãe e disse que iria dormir porque estava cansada. Num quarto ao lado, um amigo da família, Diogo, 7, jogava videogame. Ao perceber que todos se divertiam e a menina adormecia, D.A. se aproximou de Diogo e o expulsou dali: “O alemão (Claudiomar) tá te chamando lá frente. Acabou a bagunça do videogame”. 

Quando o  menino saiu, D.A. invadiu o quarto de Marielly e começou a passar a mão pelo corpo da garota. Ela  acordou assustada. “Talvez para ela não gritar, o monstro deu as duas facadas”, contou o pai de Claudiomar, Liberalino.

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Folha Online

Editoria: Geral

Assunto: Senado aprova sistema de dados sobre segurança pública

 

 

Senado aprova sistema de dados sobre segurança pública

.

Com o objetivo de reunir dados nacionais sobre segurança pública e criminalidade, o Senado aprovou nesta quarta-feira um projeto que cria o Sinesp (Sistema Nacional de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas). O sistema pretende reunir, em um banco de dados, informações sobre execuções penais, sistemas prisionais e combate às drogas em âmbito nacional.

Os Estados e municípios ficam obrigados a enviar dados para alimentar o banco de dados do sistema, sob pena de não receberem recursos do Pronasci (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania) e do Fundo Penitenciário Nacional.

O projeto também prevê para quem deixar de fornecer informações ou atualizar seus dados o não recebimento de recursos da União para celebrar convênios ou financiar programas, projetos, ações de segurança pública e do sistema prisional.

Pelo texto, os dados devem ser organizados de forma a subsidiar a política de segurança pública do país. Será criado um conselho gestor responsável pela sua administração, com funções a serem definidas posteriormente por regulamentação do governo. Inicialmente, a regulamentação fica sob o comando do Ministério da Justiça.

Entre os dados que ficarão disponíveis no sistema, estão o registro de armas de fogo, apreensão de drogas, entrada e saída de estrangeiros, nomes de pessoas desaparecidas, recursos humanos e materiais dos órgãos e entidades de segurança pública, assim como condenações, penas, mandados de prisão, entre outros.

Na prática, o projeto amplia poderes do FNSP (Fundo Nacional de Segurança Pública), criado em 2001 no âmbito do Ministério da Justiça, ao condicionar o recebimento de recursos ao envio das informações.

O projeto prevê como condição para o repasse de recursos do FNSP a instituição de um plano de segurança pública por parte da unidade federativa. Para os municípios, a condição é a existência de guarda municipal.

O sistema será controlado inicialmente pelo Poder Executivo e os governos estaduais – mas o texto prevê a adesão dos municípios, do Poder Judiciário, da Defensoria Pública e do Ministério Público.

No início de sua tramitação no Senado, o projeto apenas previa novas condições para Estados e municípios receberem recursos do FNSP. O Senado, porém, acatou sugestões propostas pelo líder do governo, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), para a criação do sistema com informações nacionais de segurança.

“Atualmente esse sistema não existe, por isso o projeto dá continuidade à política de segurança pública com cidadania”, afirmou o líder.

O projeto foi aprovado pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado em caráter terminativo. Segue para votação na Câmara se não houver recurso para ser analisado pelo plenário do Senado.