Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 17 de julho

17.7.2012

CLIPPING

17 de julho de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Ada de Luca

                   Complexo Prisional da Agronômica

                   Assaltante em Florianópolis

 

DESCEU QUADRADO

Ada de Luca, secretária de Justiça e Cidadania, foi a única integrante do primeiro escalão a não comparecer à reunião do colegiado do governo do Estado, sábado, em Lages. Alegou problemas particulares. Em seu lugar, foi enviado o diretor financeiro da pasta. Pela cara, Colombo não teria gostado da ausência.

 

BARRIL DE PÓLVORA

Não será novidade se houver uma nova fuga ou até rebelião no complexo prisional da Agronômica, em Florianópolis. É grande a queixa dos de agentes sobre a falta de servidores para cuidar dos presos, principalmente na Central de Triagem e na ala de contêineres. Há denúncia de que por turno, na Triagem, por exemplo, seriam apenas dois agentes para ficar de olho em 200 detentos.

Os presos também estariam descontentes, pois estão sem o banho de sol. Ao mesmo tempo, haveria dezenas de agentes deslocados pela secretaria para atuar em serviços administrativos. Enquanto isso, segue indefinida a construção do novo complexo.

 

RETRATO FALADO

O assaltante em Florianópolis é do sexo masculino (98,46%), portador de arma de fogo (65,5%), age com o rosto descoberto (81,31%), com mais um comparsa (46%) e foge a pé (47,69%).

O perfil foi traçado pelo Núcleo de Geoprocessamento e Estatística da Secretaria de Segurança Pública.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Vigilância 24 horas na BR

 

 

Vigilância 24 horas na BR

Rodovia federal no trecho entre Garuva e Palhoça será a primeira do Estado a receber câmeras de monitoramento

No comércio, nas ruas e até dentro do elevador. Ninguém mais está livre das câmeras de vigilância. Agora, até na BR-101 o monitoramento será 24h. A Autopista Litoral Sul, que tem a concessão da rodovia em Santa Catarina, termina este mês a instalação das 122 câmeras, do trecho de Garuva, Norte do Estado, até Palhoça, na Grande Florianópolis.

O programa de computador adotado no trecho catarinense é espanhol e já vem sendo utilizado na Europa. No Brasil, será usado pela primeira vez em Santa Catarina. Por isso, precisa ser adaptado. Por exemplo, deve ser possível identificar quando um carro para no acostamento ou se está trafegando no sentido contrário.

O trabalho começou em maio e, segundo a concessionária, faltam só oito equipamentos entrarem em funcionamento. Com o sistema completo, serão 220 quilômetros vigiados. O trecho catarinense terá, em média, uma câmera a cada 1,8 quilômetro. Cada uma tem zoom ótico de dois quilômetros. Do comando de operação em Joinville serão repassados dados as 10 bases da concessionária, que atendem, cada uma, trechos de 35 a 40 quilômetros.

Não será possível controlar todas as 122 câmeras. O software que foi adquirido para o sistema consegue identificar uma situação diferenciada e, automaticamente, jogar para a tela. A finalidade não é a de fiscalização de irregularidades. Pelo contrário. De acordo com a Autopista Litoral Sul, a intenção do monitoramento é agilizar o socorro de vítimas de acidentes de trânsito, motoristas com problemas mecânicos, facilitando, ainda, a liberação do fluxo na rodovia.

O investimento chega a R$ 30 milhões, entre câmeras e a nova estrutura utilizada, com cabos em fibra óptica. O custo do novo Big Brother estará incluso na tarifa do pedágio, mas ainda não há previsão de aumento de valor, afirma a assessoria da concessionária.

A intenção é verificar o quanto o monitoramento fará diferença na resposta ao atendimento, hoje feito depois que o usuário aciona o 0800 da concessionária. Apesar de a maior parte das câmeras já estar operando, a Autopista ainda não possui um levantamento sobre a eficácia do sistema, o que ainda está em fase de análise.

As imagens são exibidas em tempo real no Centro de Controle Operacional (CCO) da Autopista Litoral Sul, que fica em Joinville, Norte catarinense. O CCO, por sua vez, encaminha a ajuda necessária para o posto de pedágio mais próximo do quilômetro afetado. Cada câmera abrange dois quilômetros, sendo possível escolher o sentido da visualização, pois o equipamento tem capacidade para giro de 360 graus.

– Se for uma curva muito fechada pode haver um ponto cego, mas a visualização abrange, no mínimo, 80% de toda a malha viária – detalha o gerente de tráfego da concessionária, Ademir Custódio.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Corujas estão sob ameaça

 

 

 

Corujas estão sob ameaça

Uma nova avaliação do Instituto Chico Medes (ICMBio) sobre a situação das corujas buraqueira que habitam um terreno em Jurerê Internacional, no Norte da Ilha, confirma que o trabalho dos operários de uma construção no local não oferece perigo direto, mas pode afetar a vida dos animais.

Ontem, moradores do bairro entraram em contato com o instituto por acharem que os ninhos das aves estavam sendo comprometidos.

Após receber a denúncia dos moradores, técnicos do ICMBio estiveram no terreno. Após a vistoria, eles não identificaram problemas nas tocas dos animais, mas explicaram que a colocação dos tapumes cercando o terreno, bem como os procedimentos que irão começar ali dentro, podem sim colocar em risco as corujas.

A nova avaliação do ICMBio será encaminhada para o Ministério Público Estadual (MPSC) e anexado a um procedimento preparatório – recurso usado quando a informação que chega ao MP revele condutas e atividades lesivas ao meio ambiente – instaurado em abril.

Na ocasião, moradores haviam denunciado o funcionamento de um estacionamento no local, o que também estaria prejudicando a rotina dos animais.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Segurança Pública

 

Insegurança pública

É necessário que o senhor governador explique à sociedade o porquê do descaso com a segurança pública. Os meus direitos de cidadão foram violados quando tive minha casa arrombada por marginais que deveriam estar atrás das grades. O senhor governador esqueceu do seu lema de campanha, quando dizia que a prioridade era cuidar das pessoas. Para que servem os impostos que deixamos na conta do Estado? Para que servem os boletins de ocorrência? São apenas simples estatísticas.

João de Assis Ramos

Por e-mail

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Servidores federais fazem greve em SC

 

 

Servidores federais fazem greve em SC

Três fatos inéditos marcam a greve decretada pelos empregados da Eletrosul, a maior empresa federal do Estado. A destacar: 1. A assembleia geral que aprovou a suspensão das atividades teve, pela primeira vez, a participação dos sindicatos de diferentes categorias. A decisão coletiva superou as divergências ideológicas. 2. Os empregados da Eletrosul pararam por tempo indeterminado, depois de 22 anos. Durante este período, apenas paralisações curtas e específicas. 3. O presidente da Eletrosul, Eurides Mescolotto, que fez carreira como líder sindical e dirigente do PT, viajou para Londres, de férias, no dia em que a greve começou. Só retornará no fim do mês, segundo a assessoria.

 

A ausência do presidente da Eletrosul mereceu críticas e comentários irônicos dos líderes sindicais. Foi substituído pelo diretor Administrativo, Antônio Vituri. Sustentam que Mescolotto tem canais na Eletrobrás, no Ministério de Minas e Energia e até no Palácio do Planalto. Nesta condição, poderia colaborar para agilização nas negociações com o governo Dilma Rousseff. Negociações que foram encerradas no dia 11 de julho pelo governo, causando a greve no sistema Eletrobrás.

Na origem da paralisação estão duas questões: a econômica e a política. Os empregados reivindicam reajuste salarial com base no IPC, mais ganho real de 1,5%. O sistema Eletrobrás ofereceu apenas o IPC, de 5,1%. Segundo a Intersindical, mais de 90% dos empregados estão em greve na Eletrosul.

 

 

AMPLIAÇÃO

A bandeira política está ligada ao risco de privatizações no setor. Dentro de três anos encerram-se os contratos de concessão do sistema elétrico, o que inclui geração e distribuição. O governo já decidiu que vai renovar as concessões através de leilões. Como há exigência de redução das tarifas de, no mínimo, 10%, criam-se novas condições de compra das concessões pela iniciativa privada.

Florianópolis e outras cidades estão vivendo cenários que há muito tempo não se registravam, com várias categorias de servidores fazendo paralisações.

Estão em greve os professores da Universidade Federal de Santa Catarina e das instituições federais de ensino. Reivindicam reajuste salarial, alegando arrocho que vigora há anos. A mobilização se agigantou no país, apesar das férias. O governo fez proposta, recusada pelos docentes.

O Museu Victor Meirelles está fechado. Os servidores colocaram cartazes na porta principal: a Cultura está em greve. Os funcionários do Ministério da Saúde pararam atividades em Santa Catarina. Faixas acusam o governo de oferecer esmolas e pedem dignidade salarial. O mesmo ocorre em relação aos barnabés da previdência social. Finalmente, na Procuradoria da Fazenda Nacional anúncio de paralisação dos servidores.

Curioso é que o povo, maior prejudicado, parece que não está nem aí para estas paralisações.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Informe Político

Assunto: Pacto por Santa Catarina

 

Um pacto para o futuro

Há 16 horas do anúncio do Pacto por Santa Catarina, que pretende ser o carro-chefe da administração de Raimundo Colombo, o grupo que coordenará o programa se reuniu para tratar dos últimos detalhes da apresentação. O pedido foi feito por Colombo, que mesmo em audiência em Brasília, ao mesmo tempo em que seus assessores tratavam do assunto, não quer que nenhum ponto deixe dúvida sobre os propósitos do governo.

 

Composto no total por R$ 5 bilhões, recursos oriundos de um verdadeiro coquetel de fontes – BNDES, BID e recursos do Estado – a primeira etapa do audacioso plano prevê um investimento de R$ 789 milhões para a contenção de cheias no Vale do Itajaí e de estiagem, obras em rodovias e a construção da Penitenciária de Imaruí. Enquanto Derly de Anunciação (Casa Civil), Murilo Flores (Fatma), coronel Nildo (Casa Militar), João Rodrigues (Agricultura), major Fernando Luis (Cerimonial da Casa Militar), major Emerson Emerim (diretor da Defesa Civil), Paulo França (secretário adjunto da Infraestrutura) e Ada de Luca (Justiça e Cidadania), ultimavam providências sobre o Pacto, ontem, em outra frente o governador se reunia com as ministras Mirian Belchior (Planejamento) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais), além do secretário-geral do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), Maurício Muniz, em Brasília.

Colombo não chegou a sugerir valores, mas pediu que Santa Catarina ganhe espaço generoso no PAC da Defesa Civil, com foco na prevenção de desastres naturais. O lançamento ocorre nos próximos dias. O plano catarinense de contenção de cheias para o Vale do Itajaí passará pelo aval da presidente Dilma, levado por Ideli. O Planalto planeja recursos para Santa Catarina, Minas Gerais e Rio de Janeiro, três estados bastante atingidos por fenômenos meteorológicos graves.

O caminho do Pacto por Santa Catarina tem um forte viés político. Deve auxiliar os candidatos a prefeito da aliança que governa o Estado e garantir o crescimento econômico, movido pelas dezenas de obras que contempla. O arco de realizações é grande e servirá para dar um novo ar à administração de Colombo, volta e meia criticada por estar mais preocupada em apertar o cinto do que em fazer obras de grande impacto.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Golpe no tráfico

 

Polícia faz apreensão de 649 quilos de maconha

Após denúncias, carga foi encontrada num caminhão em sítio de Biguaçu, na Grande FlorianópolisUm posto de armazenamento e distribuição de maconha. Esta era a verdadeira finalidade de um sítio em Biguaçu, na Grande Florianópolis. No local, a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), com apoio da DP de Biguaçu, apreendeu uma das maiores cargas da droga registradas nos últimos anos no Estado. Foram 649 quilos de maconha. Um golpe de aproximadamente R$ 1 milhão no tráfico de entorpecentes.

Localizado no Bairro Três Riachos, o sítio tem uma estufa de carvão, material produzido na região por meio da queima de madeira, muitas vezes de forma ilegal. A polícia acredita que a estufa servia de fachada para o dono do sítio comercializar a maconha.

Ele colocava tijolos da erva prensada em sacos de carvão e vendia para traficantes menores, que compravam quilos da droga e depois revendiam para outros traficantes que abasteciam bocas de fumo em morros e no “asfalto”, na Grande Florianópolis.

A movimentação estranha de carros diferentes no sítio chamou a atenção de moradores do bairro pacato, região de chácaras, marcada pela agricultura familiar, além da produção de palmito real e carvão.

Não demorou para policiais da D de Biguaçu receberem denúncia de que aquela propriedade, aparentemente idônea, era na verdade um posto de distribuição de maconha.

 

Proprietário da chácara era monitorado há um ano

A primeira denúncia foi há cerca de um ano. Desde então, o dono do sítio é monitorado pela polícia. Ele é conhecido na comunidade de Três Riachos como pai de família, acima de qualquer suspeita. Mas por trás da imagem de homem de bem está um dos principais atacadistas de maconha da Grande Florianópolis.

– Pode ser o maior atacadista de maconha da Grande Florianópolis – observou o titular da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Deic e coordenador da operação, delegado Cláudio Monteiro.

A Deic também recebeu a mesma denúncia e começou a investigar. Segundo Monteiro, a equipe recebeu ontem a informação de que um caminhão levaria um carregamento da droga até o sítio nesta madrugada, e foi até Três Riachos.

A equipe da Deic contou com apoio do agente de polícia Jean Cipriani, da DP de Biguaçu.

Os policiais em duas viaturas descaracterizadas enfrentaram o frio de 50C e fizeram o flagrante, por volta das 3h. Quatro homens fugiram pelo mato, sendo um deles o caseiro.

 

Motorista ganharia R$ 12 mil pelo transporte da carga

Apenas o motorista do caminhão, Valnei Borges da Silva, 47 anos não conseguiu escapar do cerco da polícia.

Ele foi conduzido para a carceragem da Deic e segundo o delegado Monteiro, contou que ganharia R$ 12 mil pelo transporte da maconha, de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul até o sítio.

Na propriedade os policiais encontraram a maconha em um fundo falso de um caminhão graneleiro (que faz o transporte de grãos).

A droga seria de uma nova safra, cujo valor de mercado é em torno de R$ 1,5 mil o quilo, segundo o delegado Monteiro. Foram apreendidos no local também uma espingarda 12 e munição de revólver 38.

 

Suspeito se escondeu em matagal

Durante a operação policial de ontem, um homem em uma caminhonete Hylux, com placas de Itajaí, se aproximou do sítio, viu a movimentação da polícia e fugiu. Ele é suspeito de ser sócio do dono do sítio no comércio atacadista de maconha.

Segundo o delegado Monteiro, na perseguição a caminhonete capotou e caiu em uma plantação de mandioca. O homem fugiu deixando para trás a comida que seria entregue aos funcionários. Nenhum dinheiro foi encontrado na caminhonete, que está em nome de uma empresa de calçados de Itajaí. Por volta das 13h de ontem, o suspeito foi capturado por policiais da Deic, na região. Ele havia passado a madrugada escondido no mato.

Já no caminhão, foram encontrados restos de soja na caçamba do Scania 112. Apreendido pela Deic, o caminhão tem duas placas diferentes. A da frente, na parte conhecida como cavalinho, é a placa BWY 8447, de Cascavel, Paraná. A de trás, na carreta, é a CLH 5959, de Terra Roxa (PR).

As buscas pelo dono do sítio e atacadista da droga continuam. O delegado Monteiro informou que já identificou todos os envolvidos e que vai solicitar à Justiça mandados de prisão preventiva.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Corpo de adolescente é encontrado dentro de rio

 

 

Corpo de adolescente é encontrado dentro de rio

Ariana Donato Arndt, de 16 anos, estava desaparecida desde o dia 22 de junho, em TimbóOs brincos e as botas sentenciaram aos pais de Ariana Donato Arndt, 16 anos, o que eles se negavam a aceitar. Os adereços, usados pela garota em 22 de junho, último dia em que foi vista pela família, estavam no corpo que foi encontrado boiando ontem de manhã no Rio Benedito, no Centro de Timbó.

O corpo foi avistado por funcionários de um posto vizinho ao rio. Os pais, Mércio Arndt e Yara Donato, foram avisados pelos familiares. Assim que Mércio desceu à margem e avistou o que o cadáver vestia, ligou para uma das irmãs para avisar. Em choque, os pais nem sequer conseguiram ir até o IML de Blumenau para fazer o reconhecimento. Ficou para a tia Iris da Silva a dor de confirmar que os brincos e as botas eram mesmo da sobrinha.

A delegada responsável pelo caso, Stela Maris Antunes da Rosa, afirmou que as investigações tomavam um novo rumo. Para ela, está descartada a hipótese de suicídio.

– Agora temos configurado crime.

O principal suspeito para a delegada, Johny Osmar Karsten, 22, namorado de Ariana, foi ouvido na tarde de ontem e teve a prisão preventiva decretada depois que calou-se diante das 40 perguntas feitas no último dos seis depoimentos que concedeu. Ao chegar à delegacia, ele negou qualquer envolvimento.

– Não matei ela – limitou-se a dizer.

Polícia deve concluir o inquérito em 10 dias

Ainda ontem à noite, Johny foi levado ao Presídio Regional de Blumenau. Enquanto isso, o corpo de Ariana era velado na Capela Mortuária Municipal de Timbó. Hoje, às 9h, a adolescente será sepultada no Cemitério Municipal, ao lado da irmã Talita, que morreu em janeiro deste ano, aos 22 anos, vítima de leucemia.

A delegada Stela Maris Antunes da Rosa aguarda para hoje o laudo da causa da morte de Ariana. A Polícia Civil tem agora 10 dias para concluir o inquérito. Segundo a delegada, a prisão de Johny foi baseada em dois fatores: no depoimento de três testemunhas que afirmaram ter visto o rapaz com Ariana, no dia em que ela desapareceu, e também nas informações desencontradas que o rapaz falou em depoimentos anteriores.

 

Sem lesões, causa seria afogamento

Assim que o corpo de Ariana Donato Arndt foi retirado das águas do Rio Benedito, ele foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Blumenau. No fim da manhã, a equipe do Instituto Geral de Perícias (IGP) começou a análise para emitir o laudo que irá apontar as causas da morte da adolescente.

Até ontem à noite, o documento ainda não tinha sido recebido pela Polícia Civil de Timbó. A previsão é de que ele seja encaminhado hoje de manhã à delegada responsável pelo caso, Stela Maris.

Segundo declaração do coordenador do IGP em Blumenau, Daniel Koch, à RBS TV, os peritos constataram inicialmente que a causa da morte foi afogamento. Além disso, nenhuma lesão foi encontrada no corpo dela. Os policiais militares e bombeiros que trabalharam no resgate elataram que, aparentemente, Ariana não apresentava sinais ou marcas de assassinato.

Assim que o corpo foi encontrado no rio, a delegada Stela Maris solicitou que o namorado da adolescente, Johny Osmar Karsten fosse à delegacia. Por meio do advogado Reny Becker Filho, ele informou que se apresentaria a partir das 14h para prestar depoimento.

Por volta das 15h, o jovem chegou à delegacia acompanhado do seu defensor. Assim que desceu do carro, foi cercado pelos familiares de Ariana, que protestavam pedindo justiça. Uma das tias da adolescente chegou a bater no vidro do carro em que Johny estava.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Polícia diz que já tem suspeitos

A Polícia Civil investiga o assassinato de um professor de Itaiópolis, que foi encontrado morto próximo à casa de campo, na localidade de Baía do Itajaí, no município de Santa Terezinha, na região de Rio do Sul.

De acordo com informações da Polícia Militar de Santa Terezinha, o corpo de Hercílio Max Junior, de 52 anos, foi encontrado por familiares e amigos na tarde de sábado. Ninguém foi preso, mas a polícia já tem suspeitos.

Morador de Itaiópolis, Hercílio era professor da Escola de Educação Básica Virgílio Varzea desde a década de 1980, mas segundo a direção da escola, estava afastado para tratamento de saúde. Segundo colegas de trabalho, a notícia chocou a comunidade, já que Hercílio era uma pessoa muito tranquila. A família também está inconformada.

– Considero que foi um assassinato a sangue frio, porque o laudo mostra que ele foi morto com dois tiros por trás, na nuca, e um na testa – diz a filha, Andréa Max.

 

Mulher é presa em flagrante

Agentes da Polícia Civil de Rio Negrinho prenderam em flagrante na sexta-feira uma mulher que vinha sendo investigada há um ano pela prática de golpes na região.

De acordo com informações da Polícia Civil, Francelize Kurz, de 33 anos, publicava anúncios em jornais informando que adquiria veículos financiados e transferia a dívida para o seu nome. Quando era procurada pelas vítimas, formalizava um contrato com informações falsas e fugia com o veículo.

Conforme informações da equipe de investigação, o golpe teria sido praticado nas cidades de Joinville, Guaramirim, São Bento do Sul, Rio Negrinho, Mafra, Papanduva e Canoinhas. Porém, vítimas de outras cidades estão procurando a polícia, o que indica a possível existência de uma quadrilha.

A mulher foi abordada ao sair do cartório, onde havia registrado procuração com dados falsos. O veículo havia sido levado por outro suspeito, mas foi recuperado.

____________________________________________________________________________ Veículo: A Notícia

Editoria: Geral

Assunto: PM divulga vídeo para conscientizar sobre uso do capacete

 

PM divulga vídeo para conscientizar motociclistas de Jaraguá do Sul sobre o uso do capacete

Acidente que aparece no vídeo aconteceu no dia 9 de junho na cidade

O vídeo de um acidente que aconteceu no dia 9 de junho, na avenida Prefeito Waldemar Grubba, em Jaraguá do Sul, captado por uma câmera de segurança foi divulgado no sábado pela Polícia Militar. A intenção da corporação com a divulgação das imagens foi conscientizar a população quanto ao uso do capacete.

Segundo a PM, dos 1881 acidentes que ocorreram no primeiro semestre desse ano o número de motos envolvidas foi de 519. A avenida Prefeito Waldemar Grubba é uma das mais perigosas da cidade com 168 acidentes somente esse ano. Em seguida vêm as ruas Walter Marquardt (84) e Bernardo Dornbusch (75).

A imagem é impactante, pois mostra a condutora da moto e a carona, uma criança de oito anos (idade dentro do permitido pela Lei, que é acima de sete anos ), lançadas para calçada próxima ao posto de gasolina. Ninguém se feriu no acidente e o motorista do carro parou para prestar ajuda.

Na época, ele disse que sinalizou que entraria em uma servidão. Já a condutora da motocicleta afirmou que foi o carro que cortou sua frente. A polícia indicou como causa do acidente falha humana e falta de atenção.