Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 14 de setembro

14.9.2012

 

CLIPPING

14 de setembro 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Batalhão de Aviação da PM

                  

DESAFIO

Coronel Nazareno Marcineiro, comandante da PM, aproveitou a cerimônia no Batalhão de Aviação da PM, ontem, para lançar um desafio ao tenente-coronel Abelardo Camilo Bridi, que assumiu a unidade: o de dobrar o número de bases. Hoje, existem estruturas em Florianópolis e Joinville, mas a ideia e ampliar para Criciúma e Serra.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Caixas eletrônicos

 

 

Bandidos passam de todos os limites

Ladrões arrombam caixa do Hospital Infantil da Capital, levando pânico a um local onde crianças e pais precisam de paz e conforto na luta pela vida

A dor de familiares com crianças internadas. A dedicação integral de enfermeiros para recuperar e tratar vítimas de queimaduras, câncer e doenças das mais tristes possíveis. Nada disso comoveu os assaltantes que atacaram o Hospital Infantil Joana de Gusmão, na madrugada de ontem, em Florianópolis, e causaram indignação geral.

Um lugar onde a luta é pela vida de pequenos – que nem imaginam a dimensão da maldade humana – virou alvo de bandidos. Cinco ladrões – dois podem ser adolescentes – puseram armas no rosto de mulheres enquanto comparsas abriam, com maçarico, o caixa eletrônico na portaria.

A poucos metros dali, dezenas de crianças internadas dormiam onde pais e parentes imaginavam que o crime daria trégua. Não foi o que aconteceu.

– Se eles subissem onde estavam as crianças, seria uma tragédia ainda maior para todo mundo. Mesmo aqui na portaria, foi uma sem-vergonhice só o que fizeram. Uma barbaridade atacar hospital infantil – dizia, revoltada, à tarde, uma vigilante que há 15 anos trabalha no local, no Bairro Agronômica.

Nestes anos, segundo ela, esta foi a primeira ação dentro da unidade. Em outras duas, nos últimos anos, o alvo tinha sido o posto bancário da garagem.

Quem via o caixa com as fitas de isolamento passava indignado. Havia uma revolta contida. Segundo alguns funcionários, uma enfermeira foi rendida ao descer para ver o que acontecia, pois havia sentido cheiro de fumaça. Ela conseguiu fugir correndo.

Duas servidoras foram rendidas e obrigadas a ficar no chão. O vigilante foi contido com arma na cabeça. Uma mãe, que esperava o atendimento do filho, ficou na mira dos bandidos e teve o celular roubado.

Os ladrões levaram o dinheiro – a quantia não foi divulgada –, abandonaram maçarico e ferramentas e fugiram num Corsa, depois abandonado na Avenida Beira-Mar Norte. As imagens feitas pelo circuito interno estão sendo analisadas pela polícia. Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.

Este foi o segundo ataque a caixa eletrônico de hospital este ano na Capital. No primeiro, em 6 de maio, no Caridade, os ladrões vestiam jalecos brancos e usavam crachás. A polícia prendeu os autores. Alguns deles eram vigilantes do próprio hospital.

 

Bandos partem para ataques a lojas e postos

Acuados com o monitoramento policial nas agências bancárias, à noite, os ladrões de caixas eletrônicos partiram para alvos como lojas de conveniências em postos de combustíveis, empresas e até universidade, conforme mostram os registros policiais das últimas ações pelo Estado.

Geralmente, os novos pontos escolhidos pelos bandidos de agir estão bastante movimentados. Isso significa que os ataques das quadrilhas deixaram ainda mais a população na linha de fogo.

Ontem, por exemplo, por volta das 6h, os caixeiros, como são chamados os arrombadores de caixas eletrônicos, escolheram um posto de combustíveis na BR-101 na Praia de Fora, em Palhoça.

O bando rendeu o vigia e o frentista. Depois, abriu um caixa eletrônico com uma furadeira. Ficaram no local por uma hora e fugiram com o dinheiro do terminal, dinheiro do caixa e energéticos.

Em Indaial, no Vale do Itajaí, na quarta-feira à noite, quatro ladrões invadiram a empresa Hering em busca do caixa eletrônico. Armados e encapuzados, eles fizeram o vigilante refém e usaram um maçarico para cortar o equipamento.

Também no Vale, em Blumenau, assaltantes agiram dentro da Universidade Regional (Furb), na madrugada de terça. O vigilante e três mulheres da limpeza foram amarrados e trancados num banheiro enquanto os ladrões abriam o terminal.

 

“Vamos responder à altura”

As polícias Civil e Militar disseram estar mobilizadas à caça do bando que atacou no Hospital Infantil.

– Vamos responder à altura. Em hospital, cheio de crianças, é muita safadeza – disse o diretor da Polícia Civil na Grande Florianópolis, delegado Ilson Silva.

O policial garantiu que a polícia intensificou as rondas à noite e rechaçou críticas de que haveria policiamento apenas para as empresas privadas, no caso, os bancos. Segundo Ilson, a intenção é proteger a sociedade, principalmente os alvos mais recentes, que estão no microcomércio.

 

Especialista alerta sobre risco de reação

Não adianta bancar o herói e tentar reagir se estiver num desses lugares quando houver um assalto a caixa eletrônico. Em caso de troca de tiros, a recomendação é imediatamente se atirar ao chão.

– Em locais movimentados, é um acaso até agora não termos tido morte ou feridos – diz o coronel aposentado do Exército Eugênio Moretzsohn, especialista em segurança.

Para ele, as recentes ações dos criminosos representam um perigo a mais, pois eles não têm qualquer responsabilidade com vidas e propriedades alheias. Como, geralmente, os bandidos estão armados, ainda há risco de confronto com a polícia e de danos colaterais, como as balas perdidas.

– O uso do celular para acionar as autoridades é a única forma de reagir – alerta.

SC vive uma onda de ataques a caixas eletrônicos desde 2011, e 135 caixeiros foram presos. Ontem, procurado pelo DC, o secretário da Segurança Pública, César Grubba, não quis se manifestar.

 

Opinião DC

Os assaltos a caixas eletrônicos tornaram-se rotineiros no Estado. A cada dia, aumenta a ousadia dos criminosos. Se, antes, os saqueadores atuavam apenas na calada da noite, agora agem a qualquer hora e lugar, sempre com o uso de explosivos ou maçaricos para os arrombamentos. Ontem foi a vez do aparelho localizado no Hospital Infantil Joana de Gusmão, na Capital. Para diminuir suas perdas, os bancos já reduziram pela metade o numerário à disposição dos clientes nos caixas.

De justiça registrar que a polícia já desmantelou, pelo menos, uma gangue “especializada”, e se mantém atenta. Mas até agora são escassos os resultados. Talvez com o uso mais efetivo e integrado dos serviços de inteligência das duas corporações – a Civil e a Militar –, maiores avanços se registrem. Os atentados constituem ações típicas do crime organizado, e não será surpresa se estiverem, também, relacionados ao tráfico de drogas.

Ação e repressão à altura.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Chuva em Joinville

 

Noite de estragos em Joinville

Moradores do Nova Brasília amanheceram contando os prejuízos causados pelo vendaval que danificou mais de mil casas

A paisagem do Bairro Nova Brasília, na zona Oeste de Joinville, amanheceu transformada ontem. O novo cenário deixou muita gente perplexa. Um temporal castigou parte da cidade na noite de quarta-feira.

Pelo menos seis casas da região tiveram as estruturas completamente comprometidas pela força do vento e precisaram ser interditadas. Mas centenas de outras propriedades do bairro sofreram estragos suficientes para mudar a rotina dos moradores.

A estimativa da Defesa Civil é de que 1.028 residências do Nova Brasília tenham sido atingidas de alguma forma pelo temporal. Para quem foi vítima, o jeito foi arregaçar as mangas e minimizar os estragos já nas primeiras horas da manhã. Três equipes da Defesa Civil se dividiram nos trabalhos de vistoria das áreas atingidas e distribuição de lonas. A zona Sul de Joinville também não foi poupada. Os principais sinais de destruição foram percebidos nos bairros Adhemar Garcia e Ulysses Guimarães.

Quase 200 casas ficaram destelhadas, mas nenhuma surpreendeu tanto a Defesa Civil como a de uma na Rua Dilson Funaro, no Ulysses Guimarães. Só o que ficou de pé foi o vaso sanitário do banheiro, preso à única parte do piso construída com concreto.

– Me agarrei no bebê e fiquei por cima dele – conta Maira de Jesus Pogan, 19 anos, que estava no banheiro com a filha de três anos quando o temporal derrubou o imóvel.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria:Geral

Assunto: Ponte Hercílio Luz

 

Trabalhos embaixo da água

Quem passa no entorno da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, pode achar que as obras de restauração estão paradas. Mas, segundo o presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Paulo Meller, os trabalhos desta etapa envolve o ajuste de partes submersas e a conclusão de estruturas desenvolvidas fora do Estado, que depois serão montadas na ponte. Após a colocação da última das 16 estacas que ajudarão a sustentar o vão central da Hercílio Luz, os técnicos trabalham na preparação de estruturas que ajudarão na sustentação destas estacas. Estas estruturas estão vindo de Joinville.

– As estacas têm 30 metros, mas uns 10 que estão cravados na rocha. Para que elas não enverguem é preciso colocar outras estacas entre elas, formando um “x”– explicou Meller.

Depois desta parte, serão construídos blocos que, junto com as estacas, irão receber uma estrutura em “v” e outra tubular, que ajudarão a sustentar o vão central.

– É essa estrutura tubular que está sendo preparada na região Sudeste.

Estes procedimentos correspondem a primeira etapa da restauração, prevista para ser concluída em agosto de 2013. A restauração está prevista para ser concluída em 2014 e vai custar cerca de R$ 200 milhões. Para isso, o Ministério da Educação e Cultura aprovou R$ 64 milhões pela Lei Rouanet para que SC invista na reforma da ponte. De acordo com Meller, até a semana passada, cerca de R$ 2 milhões já foram arrecadados.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Mercado Público

 

Sugerida a apuração pelo MPSC

O procurador-geral da prefeitura de Florianópolis, Jaime de Souza, concluiu ontem o seu parecer sobre a quitação irregular de dívidas de aluguéis do Mercado Público.

Segundo ele, não há provas para imputar culpa nos donos dos quatro boxes devedores supostamente beneficiados por funcionários municipais que deram baixa nas dívidas.

 

Ele remeteu o parecer para a comissão da Secretaria da Receita Municipal. Jaime de Souza sugere que o assunto seja levado ao Ministério Público de SC para verificar se houve má-fé neste caso. Isso abre caminho para uma futura investigação criminal, que não pode ser realizada pela comissão da prefeitura. Cabe à comissão municipal apenas a apuração disciplinar.

A partir dos aluguéis do Mercado Público, o procurador abriu um outro questionamento. Ele quer saber estão corretos, ou não, todos os cancelamentos de dívidas entre abril e julho deste ano.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Trânsito

 

Campanha pretende reduzir os acidentes

O trânsito mata a cada ano, nas ruas e nas estradas do país, 42 mil pessoas, de acordo com o Ministério das Cidades. Para combater o problema, o governo federal lançou ontem, em São Paulo, uma campanha para conscientizar os motoristas sobre os riscos de acidentes e sobre a necessidade de uma direção segura para evitar que os números aumentem. A campanha faz parte do pacto Nacional pela Redução de Acidentes (Parada) firmado com a Organização das Nações Unidas (ONU).

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Polícia Civil

 

Hollywood

Polícia de Primeiro Mundo é assim. Nossa Central de Polícia Civil está utilizando caminhonetes Ford Edge, na faixa de R$ 120 mil a unidade. Por esse preço, se compraria duas ou três viaturas de outros modelos para resolver o problema de quem não tem nenhuma.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Operação Transparência

 

Justiça abre novo processo contra ex-governador de SC

Vara da Fazenda Pública da Capital aceitou ação que apura suposta prática de improbidade administrativa por Leonel Pavan

Dois anos e 10 meses depois da Operação Transparência, o juiz Luiz Antonio Fornerolli, da 1ª Vara da Fazenda Pública da Capital, abriu novo processo contra o ex-governador Leonel Pavan (PSDB), desta vez por improbidade administrativa.

O magistrado considerou que é necessário apurar as supostas irregularidades apontadas na ação civil proposta pelo Ministério Público. Segundo a denúncia, os réus, entre eles o ex-governador, teriam atuado contrariamente ao interesse público e de forma maliciosa para o favorecimento de uma empresa.

Na decisão, o juiz cita ainda que todos teriam atuado sob comando do vice-governador à época, que teria usado o cargo para exercer influência. Para Fornerolli, “se tais fatos não configuram uma provável improbidade administrativa, não se sabe o que mais poderia configurar ilícito administrativo de tal envergadura!”.

O ex-governador já responde a processo na Vara Criminal por corrupção passiva, corrupção ativa, advocacia administrativa e quebra de sigilo funcional. Um dos argumentos da defesa de dois réus foi a suspensão do processo até o encerramento da tramitação da ação penal. Mas o magistrado considerou que as duas são independentes e não há razão para suspender a investigação por improbidade administrativa.

“A rejeição da inicial, medida excepcional neste momento, somente se justificaria se não existisse a menor margem de dúvida acerca da inocorrência de ato de improbidade administrativa, o que não é o caso”, afirma Fornerolli em sua decisão.

 

Advogado disse que avaliará medidas jurídicas da defesa

O advogado de Pavan, Cláudio Gastão da Rosa Filho, diz que não foi intimado formalmente e que só depois avaliará que medidas tomar. Mesmo com mais uma ação relacionada à Operação Transparência, ele não considera que possa dificultar a defesa.

– Pelo contrário, tenho convicção que ele será absolvido e uma coisa não interfere na outra.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Caixeiros de SC são presos no Nordeste

 

Caixeiros de SC são presos no Nordeste

Três foram capturados no aeroporto, quando tentavam fugir para Curitiba

O Estado de Pernambuco foi escolhido por quatro joinvilenses para praticar arrombamento a caixa eletrônico, por se tratar de um local com baixo índice de ocorrências desse tipo. Esta foi a justificativa dada por um dos suspeitos presos na quarta-feira, no Recife, horas depois de praticar o crime.

A Polícia Civil pernambucana foi acionada pela agência bancária no momento do crime, já que havia câmeras de segurança flagrando a ação. O próprio delegado responsável pelo Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri) de Pernambuco, José Cláudio Nogueira, foi até o local. Ele conseguiu prender em flagrante apenas um dos rapazes, de18 anos. Um policial militar a caminho do trabalho presenciou a ação do delegado e parou para ajudar.

Os demais suspeitos, de 20, 21 e 25 anos, foram detidos na fila de embarque do Aeroporto Internacional dos Guararapes, em Recife, quando tentavam fugir em um voo com destino a Curitiba. Com eles, a polícia apreendeu parte do dinheiro furtado e equipamentos eletrônicos que teriam sido comprados com o dinheiro proveniente do furto. Foram apreendidos ainda um veículo Fiat Siena e o maçarico utilizado na ação.

A polícia acredita que o grupo seja responsável por outro arrombamento, ocorrido em 26 de agosto. Eles estariam no Recife desde então, usufruindo do dinheiro furtado no primeiro crime. Fotos dos suspeitos curtindo as praias do litoral Sul de Pernambuco, que auxiliaram nas investigações, foram divulgadas.

Em depoimento, a quadrilha confessou ter feito arrombamentos em vários estados do Nordeste e Sudeste.

– Eles pensavam que pelos dados estarem caindo, o nível de atenção da polícia para esse tipo de crime também estaria baixa – disse o delegado.

A polícia investiga a participação deles em arrombamentos que ocorreram em maio na capital pernambucana. Casos de Aracaju (SE) e Maceió (AL) também estão na lista.

Os joinvilenses foram autuados por formação de quadrilha e furto qualificado. Eles estão presos em Abreu e Lima, na Grande Recife.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Foragido detido no Paraná

 

Foragido detido no Paraná

Em uma operação da Polícia Civil catarinense no Paraná, Júnior Cezar de Assis, conhecido como Maringá, foi preso em São José dos Pinhais.

Foragido do sistema prisional paranaense desde 2010, ele teria participação direta em mais de 10 roubos a comércios de Florianópolis, nos bairros Rio Vermelho, Ingleses, Ponta das Canas e Cacupé.

A polícia já investigava Júnior Cezar de Assis. Este ano, alguns integrantes da quadrilha que ele fazia parte – e que seria responsável por cerca de 50% dos assaltos cometidos no Norte da Ilha – haviam sido presos. Num dos casos, os policiais chegaram perto de pegar Maringá, mas ele conseguiu fugir mesmo ferido na nádega por um tiro.

 

Campana na casa durou toda a tarde

Investigações mais recentes apontaram que o foragido poderia estar na cidade de São José dos Pinhais. No início da tarde de quarta, os policiais começaram a acompanhar a movimentação em frente à casa em que Maringá estaria. Ele foi preso ao chegar ao local, por volta das18h.

Em uma operação da Polícia Civil catarinense no Paraná, Júnior Cezar de Assis, conhecido como Maringá, foi preso em São José dos Pinhais.

Foragido do sistema prisional paranaense desde 2010, ele teria participação direta em mais de 10 roubos a comércios de Florianópolis, nos bairros Rio Vermelho, Ingleses, Ponta das Canas e Cacupé.

A polícia já investigava Júnior Cezar de Assis. Este ano, alguns integrantes da quadrilha que ele fazia parte – e que seria responsável por cerca de 50% dos assaltos cometidos no Norte da Ilha – haviam sido presos. Num dos casos, os policiais chegaram perto de pegar Maringá, mas ele conseguiu fugir mesmo ferido na nádega por um tiro.

 

Campana na casa durou toda a tarde

Investigações mais recentes apontaram que o foragido poderia estar na cidade de São José dos Pinhais. No início da tarde de quarta, os policiais começaram a acompanhar a movimentação em frente à casa em que Maringá estaria. Ele foi preso ao chegar ao local, por volta das18h.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Operação Dragão

 

 

Polícia pega suspeito da Operação Dragão

Um homem foi preso na noite de quarta-feira por envolvimento com arrombamento de caixa eletrônico em Florianópolis. Claudio Augusto da Silva, 27 anos, tinha prisão decretada desde junho, quando foi identificado pela Operação Dragão, deflagrada pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), que investigou este tipo de crime.

Silva foi pego em uma lanchonete de São José, na Grande Florianópolis. De acordo com a investigação da Deic, ele seria um dos responsáveis por cortar os equipamentos bancários com o uso de maçarico.

Além da prisão decretada, ele tem três mandados de prisão preventiva e responde por crimes de furtos na Capital, São José e Porto Belo.

 

 

 

 

BLOGS

 

Moacir Pereira

 

Policia Federal prende prefeito Anisio Soares

Prefeito de Governador Celso Ramos, Anisio Soares, do PMDB, o vice-prefeito Manoel Marcelo Cunha(PMDB), e o vereador Alcemir Alves, foram presos pela Policia Federal, sob acusação de prática de crime de extorsão.

São acusados de exigência de R$ 400.000,00 para liberar uma construção no município.

O advogado Antônio Carlos Brasil Pinto, que defende os três, tem outra versão para esta acusação.