Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 13 de setembro

13.9.2012

 

CLIPPING

13 de setembro 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Ação nos bancos

                  

OPERAÇÃO VAZOU

A Secretaria de Segurança Pública envia nota oficial para este Visor informando que a ação das unidades especializadas das polícias Civil e Militar durante a madrugada nos bancos, publicada na edição de ontem, faz parte de uma operação que, até então, vinha sendo mantida em sigilo para conter a onda de ataques aos caixas eletrônicos. E lamenta que tal fato tenha se tornado público.

 

 

ALIÁS

Os bancos também parece que cansaram de entregar dinheiro tão fácil aos criminosos: cortaram pela metade os valores depositados, em média nos caixas eletrônicos. Antes da onda de ataques, cada aparelho recebia cerca de R$ 300 mil. Hoje, é apenas R$ 150 mil.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Servidores da saúde pedem reajuste

 

 

Servidores pedem reajuste

SindSaúde faz reivindicação de 8,33% de aumento salarial e protesta contra o corte da hora-plantão

Centenas de trabalhadores da Saúde do Estado participaram, ontem, de uma assembleia geral, em Florianópolis. para reivindicar aumento salarial. A movimentação, que foi das 14h às 17h, terminou com uma passeata até a Secretaria da Saúde, na Rua Esteves Júnior, no Centro.

O assunto em pauta foi o corte da hora-plantão e do sobreaviso, e outras reivindicações. A hora- plantão foi adotada por hospitais catarinenses para organizar escalas de servidores e suprir a necessidade de pessoal nas instituições. O valor ajuda a complementar a renda do mês, já que os salários da categoria acumularam perdas nos últimos anos.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em estabelecimentos de Saúde Público Estadual e Privado de Florianópolis (SindSaúde), a categoria pede 8,33% de reajuste salarial. Atualmente, há 12 mil servidores da Saúde em Santa Catarina.

– Concordamos com a contratação de novos funcionários, mas queremos aumento de nossos salários – reclama Pedro Paulo Chagas, presidente do SindSaúde.

Hoje, o salário base dos servidores de Saúde do Estado é de R$ 1.513, para 30 horas semanais trabalhadas, somados ainda às horas extras realizadas por cada um deles. Com a contratação dos novos servidores concursados – 611 somente para o Hospital Regional de São José – essas horas extras serão cortadas. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, este corte não será imediato e levará em média 60 dias, até que todos os novos servidores comecem a trabalhar. Segundo o presidente do SindSaúde, todos os funcionários da Saúde do Estado estão fazendo uma hora diária de paralisação até o dia 20 deste mês, como protesto.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Blitz

 

 

Preocupação policial

As polícias Militar e Rodoviária têm intensificado as blitze em Florianópolis, uma forma de conter o avanço da criminalidade, certo? Que bom seria se o alvo fossem os bandidos que arrombam carros em todos os lugares e levam tudo.

O que a polícia apreende e multa sem perdão são pessoas sem o cinto de segurança e carros rebaixados e com rodas esportivas.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria:Segurança

Assunto: Assassinatos em Camboriú

 

Assassinatos impõem lei do silêncio em Camboriú

Em 2012, já são 26 homicídios registrados no município, número perto de igualar o total de 27 mortes de todo o ano passado

O amanhecer de ontem foi marcado pelo som de tiros no Bairro Tabuleiro, em Camboriú, no Litoral Norte. Fernando Robson Merighe, 21 anos, saía para trabalhar quando foi executado com oito tiros de pistola calibre 9 mm, na porta de casa, sob o olhar da mulher, grávida de três meses. O principal suspeito é um usuário de drogas que acreditava ter sido denunciado à polícia pela vítima.

A três meses do final do ano, o crime eleva para 26 os assassinatos na cidade desde o início do ano – só um a menos que em 2011 inteiro.

A morte de Merighe foge ao padrão dos assassinatos em Camboriú. Apesar de ter ocorrido no Tabuleiro, bairro que divide com o Monte Alegre e o Conde Vila Verde o epicentro do crime na cidade, a vítima não tinha relação com o tráfico de drogas, apontado como principal causa dos homicídios do município.

– Tudo indica que a vítima foi alvo de retaliação e era ameaçada – diz a delegada Daniela Souza.

Para os vizinhos, o jovem vivia entre a casa e os empregos de instalador de gás e segurança. Aos amigos, aparentava estar feliz com a gravidez descoberta na semana passada.

– Ela está em estado de choque – afirma uma tia do jovem, que preferiu não se identificar.

Merighe trabalhou três meses como agente terceirizado no Complexo Prisional da Canhanduba, em Itajaí, mas, para a polícia, não há relação entre o emprego e o crime. Até o fechamento desta edição, o suspeito ainda era procurado.

Na rua onde ele morreu, ontem à tarde prevalecia o silêncio. A maioria dos vizinhos dizia não ter visto nada.

– O silêncio preocupa, porque indica que impera o medo – diz a delegada regional, Magali Ignácio.

Sueli Santos, 52 anos, perdeu o filho Luís Fabiano, 36, há duas semanas, morto a tiros em uma briga de trânsito no Centro da cidade, e transformou sua casa em local de permanente protesto.

Em frente ao muro repleto de cartazes, faixas e fotos do filho, ela soube ontem, pela polícia, que o principal suspeito foi preso preventivamente.

– Não me alivia em nada essa prisão. Me tiraram o único bem que eu tinha na vida, me arrancaram um pedaço – diz a mãe.

Ela afirma não quer ir embora, pois vê na dor que enfrenta uma missão:

– Quero ajudar outras mães que estão sofrendo a lutar por justiça.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Crise debatida em reunião

 

Crise debatida em reunião

Autoridades da área da infância e juventude do Tribunal de Justiça de SC (TJ) e da Secretaria de Justiça e Cidadania (SJC) se reuniram, ontem, para buscar soluções para a crise no sistema socioeducativo.

O Plantão de Atendimento Inicial (PAI) deve ter os internos transferidos. A reforma dos alojamentos destruídos na rebelião da última sexta-feira deve ficar pronta em 30 dias.

O TJ decidiu revisar as internações definitivas em SC. Vagas preenchidas por jovens com delitos menos graves poderão ser destinadas a quem cometeu atos graves e aguarda vaga.

Para a unidade de internação de Joinville, que estaria 95% pronta, a SJC afirma que falta profissional capacitado para trabalhar. O TJ recomendou à secretaria que faça convênio com alguma organização não-governamental e na gerência coloque servidores efetivos da SJC.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Preso suspeito de assalto na Lagoa

 

Preso suspeito de assalto na Lagoa

Um mineiro de Belo Horizonte está preso em Florianópolis suspeito de ser um dos ladrões que participaram do assalto ao Banco do Brasil na Lagoa da Conceição, no dia 24 de agosto, quando foram levados pelo menos R$ 500 mil do cofre e caixas eletrônicos.

 

O assaltante foi capturado em uma casa na Barra da Lagoa, na semana passada, e teria contribuído com informações à polícia sobre o bando.

A investigação do audacioso roubo, em que o gerente do banco ficou 15 horas em poder dos bandidos, é tratada em sigilo pela Polícia Civil, principalmente na Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), responsável pela apuração.

A prisão foi confirmada por dois experientes delegados da Deic e por fontes na Secretaria de Segurança Pública (SSP). A polícia acredita que poderá prender toda a quadrilha em breve. O bando seria de MG, e não do RS, como se suspeitou no começo.

O cerco ao assaltante começou a se fechar quando um policial civil, que seria da 5a Delegacia de Polícia da Capital, recebeu a informação sobre a presença do homem escondido na Barra da Lagoa e acionou a Deic.

Na captura, a polícia teria encontrado dinheiro enterrado na casa. A assessoria da Polícia Civil disse, por e-mail, que não houve qualquer prisão pela 5a DP em relação a esse caso. O diretor da Deic, delegado Akira Sato, também pela assessoria, revelou que houve avanços na investigação, mas que, em razão do sigilo, não divulgaria qualquer informação.

Ao DC, o delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, afirmou que a investigação é de alta complexidade e também não antecipou nada. A Polícia Civil ressaltou que não há informações sobre retrato falado ou uso de imagens das câmeras do banco.

Na ação, o gerente foi rendido à noite, quando chegava a uma pousada na Lagoa. Além da ameaça de armas, os bandidos prenderam uma suposta bomba em sua cintura.

Na manhã seguinte, os assaltantes o levaram até a agência e roubaram o dinheiro do cofre e caixas eletrônicos. Funcionários que chegavam também eram rendidos. Ao sair, o bando deixou um falso artefato, ameaçando o detoná-lo se a polícia fosse chamada.

____________________________________________________________________________Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Vigilância eletrônica

 

Vigilância eletrônica

Santa Catarina já conta com 40 cidades atendidas por sistema de videomonitoramento. Ontem, mais duas centrais  eletrônicas foram inauguradas em Navegantes e Tijucas. Ainda essa semana, os serviços serão estendidos para Tubarão e Corupá. As câmeras flagram principalmente delitos contra  o patrimônio, consumo de drogas e auxiliam a polícia na identificação de pessoas suspeitas. As imagens são compartilhadas, on line, com as Polícias Civil e Militar.

____________________________________________________________________________Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Homens armados arrombam caixa eletrônico e rendem funcionários do Hospital

 

Homens armados arrombam caixa eletrônico e rendem funcionários do Hospital Infantil na Capital

Crime aconteceu no início da madrugada desta quinta-feira.

Homens armados arrombaram um caixa eletrônico e do Banco do Brasil na madrugada desta quinta-feira no Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis. Funcionários do hospital foram rendidos na ação. O crime aconteceu por volta da meia-noite.

Os criminosos atiraram em uma porta da entrada de serviço, para ter acesso ao caixa. De acordo com a Polícia Militar, cinco homens armados com fuzis renderam um vigilante do hospital. Uma funcionária, que também foi rendida, teve o celular roubado. Os suspeitos usaram um maçarico para arrombar o caixa.

Os homens levaram uma quantia de dinheiro que não foi revelada. Eles fugiram em um Corsa cinza, que foi abandonado na Beira-mar Norte, próximo ao Titri (Terminal de Integração da Trindade).

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: Policial civil morre após trocar tiro com colegas na Zona Norte de SP

 

 

Policial civil morre após trocar tiro com colegas na Zona Norte de SP

Sem saber, duas equipes trabalhavam em uma mesma investigação.

No momento de fazer o flagrante, elas entraram em conflito.

Um policial civil de 29 anos morreu após ser baleado por um colega na noite desta quarta-feira (12), na Zona Norte de São Paulo. Os dois faziam parte de delegacias diferentes, mas trabalhavam, sem saber, na mesma investigação de roubo de caminhão. No momento do flagrante, uma equipe achou que a outra era o grupo de criminosos e começou a troca de tiros.

Os investigadores da Divecar, uma divisão especializada do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), e do 90º Distrito Policial, do Parque Novo Mundo, na Zona Norte, estavam à paisana em um terminal de cargas para flagrar suspeitos de roubar um caminhão.

Os investigadores das duas equipes aguardaram a chegada dos criminosos ao terreno próximo da Rodovia Fernão Dias, na Vila Medeiros, usado como estacionamento de caminhões.

O delegado do 90º Distrito Policial, Edvaldo Faria, contou que quatro policiais do Deic decidiram ver o caminhão de perto. Nesse momento, os investigadores da outra equipe fizeram a abordagem. Eles imaginaram que os policiais do Deic fossem os ladrões. “Existe comunicação, sim, mas não num caso como esse”, explicou Faria.

No tiroteio, dois investigadores foram baleados. Um levou um tiro de raspão. Leonardo Andres Rodrigues Aguiar, do 90º DP, morreu no hospital. Ele estava na polícia desde dezembro de 2010.

No terminal de cargas, quase sem iluminação, os peritos recolheram pelo menos oito cápsulas de dois calibres diferentes. O caso vai ser investigado pela Corregedoria Geral da Polícia Civil. Os delegados do Deic estiveram no local, mas não quiseram comentar o caso com a equipe de reportagem do Bom Dia São Paulo.

____________________________________________________________________________Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: Ação da rota

 

Polícia já ouviu 27 envolvidos em ação da Rota em Várzea Paulista, SP

Policiais, testemunhas e criminosos estiveram na delegacia de Jundiaí (SP).

Dono da chácara deve ser ouvido nesta quinta-feira (13).

 

A Polícia Civil de Jundiaí (SP) já ouviu 27 pessoas envolvidas na operação da Rota que matou nove criminosos na noite desta terça-feira (11), em uma chácara em Várzea Paulista (SP), como mostra a reportagem do Tem Notícias.

Dezoito são policiais que participaram da ação, outros cinco fazem parte da quadrilha e foram presos no local, e quatro são apenas testemunhas. Elas fazem parte de uma mesma família e são parentes de uma menina de 12 anos que teria sido vítima de estupro. No local, seria realizado pelo “tribunal do crime” um “julgamento” do suposto responsável pela violência sexual, ao qual a família havia sido convidada a assistir.

O dono da chácara deve ser ouvido nesta quinta-feira (13). Ele afirmou que alugou o imóvel na segunda-feira (10) por R$ 200 e que não tinha ideia de que o grupo era formado por criminosos, como mostra o vídeo. Como houve flagrante, as investigações devem ser concluídas em, no máximo, dez dias.

 

Familiares estiveram no IML

Familiares dos nove mortos na ação policial da Rota passaram o dia no IML de Jundiaí (SP), aguardando a liberação dos corpos. Os mortos são das cidades de Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí. Oito dos nove mortos têm menos de 30 anos. “Não tínhamos nem ideia do que havia acontecido. Vimos a notícia na TV e hoje de manhã ligaram para a gente avisando que ele tinha morrido”, disse em entrevista ao G1 uma irmã de Marcos Alessandro Garcia Fernandes, de 33 anos, que não quis se identificar.

“Eu avisei ele várias vezes, falei pra ele sair dessa vida, mas não adiantou. Falta de aviso não foi”, lamenta o tio de Denilson Roberto Tiago, de 22 anos, que já tinha passagem por roubo de veículo. “Não fazia nem três meses que ele tinha saído da prisão, conversei com ele que era para parar com essas coisas, agora tá aí, saindo em um carro funerário”, diz.

Maciel Santana da Silva, de 21 anos, apontado como o suposto estuprador, teria sido inocentado durante o “julgamento”, mas morreu na ação policial. “Eles não tinham direito de julgar ninguém. Só um juiz pode decidir quem é culpado ou inocente”, afirma Geisa Carvalho dos Santos, irmã de Maciel. Segundo ela, o irmão era usuário de crack e não trabalhava. “A gente não sabia do que estava acontecendo com ele, só sabia que ele dava muito trabalho pra família toda”, afirma.

Entenda o caso

Nove pessoas morreram na terça-feira em um tiroteio com policiais da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), a tropa de policiamento ostensivo da capital, em Várzea Paulista. Todos os mortos seriam criminosos.

Segundo nota divulgada pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, uma denúncia anônima chegou ao setor de inteligência do batalhão informando sobre uma reunião com criminosos em uma chácara. Dois pelotõese um caminhão do Gate foram deslocados para o município.

Durante a ocorrência, foram apreendidas duas espingardas calibre 12, uma metralhadora, sete pistolas, quatro revólveres, uma granada, cinco veículos produtos de roubo, 20 kg de maconha e uma quantidade ainda não calculada de explosivos.