Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 12 de dezembro

12.12.2012

 

Clipping do dia 11 de dezembro

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Operação da Polícia Civil

 

OPS!

Ao contrário do que foi publicado na chamada de capa da edição de ontem, foram agentes da Polícia Civil que teriam forjado uma operação, e não a Polícia Federal.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Mulher morre ao bater em caminhão

Uma mulher de 33 anos morreu em um acidente por volta das 8h de ontem, na BR-282, em Erval Velho, no Meio-Oeste do Estado. Silvia Paloschi dirigia um Gol que bateu de frente em um caminhão. A filha dela, de 12 anos, também sofreu ferimentos graves e foi encaminhada ao Hospital Santa Terezinha, em Joaçaba. O caminhoneiro, de 29 anos, não se feriu. Chovia bastante na hora do acidente.

 

Mulher morre em acidente na Serra

Ela acompanhava o marido que ia fazer um consulta médica em Lages

Uma aquaplanagem – perda da aderência da pista quando ocarro passar por um poça de água na pista – teria causado o acidente na Serra que matou Jucelma Fernandes da Silva, 35 anos, e deixou 14 feridos.

Perto das 8h30min de ontem, na SC-438, uma van que levava pacientes de Bom Jardim da Serra para Lages, capotou no km 22 próximo de Painel. Jucelma, que morava em Bom Jardim, acompanhava o marido a uma consulta no oftalmologista. Além dele, ela deixou três filhos. Uma vizinha relatou que Jucelma trabalhava em barracão de maçã, selecionando os frutos, mas que no momento estava mais em casa porque agora não é época de colheita.

Os outros 13 passageiros e o motorista Luiz Roberto de Lima, 53 anos, foram encaminhados ao Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, em Lages. Eles tiveram ferimentos leves e foram liberados no final do dia. Apenas um deles continuou na emergência.

Todos os dias uma Van sai de Bom Jardim com pacientes para consultas de média e alta complexidade porque o município tem apenas posto de saúde. O motorista conseguiu contar o que aconteceu. Ele disse que chovia muito na hora em que perdeu o controle da direção e bateu contra o acostamento.

– A estrada não está em boas condições e sempre ocorrem alguns acidentes por aqui. Mas a chuva potencializa ainda mais os riscos – disse o 2o tenente do Corpo de Bombeiros, Eduardo Peduzzi, que comandou o resgate.

 

 

Empresário bateu o veículo

Um grave acidente marcou a madrugada de ontem em Itapema. O empresário Oneide Machado, 51 anos, bateu o carro e morreu em frente ao próprio restaurante. As causas do acidente ainda são desconhecidas. O colisão foi pouco depois da 0h30min. O empresário dirigia pela Avenida Nereu Ramos, na Meia Praia, quando perdeu o controle do veículo Honda Civic.

Ele bateu em uma motocicleta que estava estacionada e só parou ao colidir contra a fachada de duas casas de comércio. Oneide estava sozinho no veículo. O empresário estava indo buscar a mulher no estabelecimento. Ele tinha duas filhas.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Ataques em SC

 

Segurança se organiza para prevenir novos atentados

Um mês após o início da onda de ataques, ainda restam perguntas sem resposta e Estado mantém sigilo sobre estratégias

As forças de segurança se organizam para não serem surpreendidas com novos atentados. Há um mês, o Estado enfrentou uma onda de 68 ataques que causaram medo e horror à sociedade. Além do recente período de violência, duas situações aumentam o nível de alerta do Estado: o indulto de Natal e o aniversáriodo Primeiro Grupo Catarinense (PGC), em março.

Um trabalho integrado e sigiloso entre as secretarias de Segurança Pública e de Justiça e Cidadania, Exército, polícias Federal e Rodoviária Federal e Ministério Público foi intensificado para garantir a ordem.

Intensificação do compartilhamento de informações e reuniões entre setores de inteligência dessas instituições, das operações pente-fino nas cadeias, do patrulhamento nas ruas, prisões e investigações de determinados fatos recentes são algumas estratégias adotadas pelo Estado. Os detalhes deste processo de enfrentamento não são divulgados.

Três investigações ainda não concluídas poderão esclarecer os motivos dos ataques e ajudar a evitar novos atentados. Com a conclusão, a polícia espera identificar e prender integrantes e lideranças do PGC.

Uma das investigações é sobre a execução da agente Deise Alves, que teria sido assassinada no lugar do marido, Carlos Alves, ex-diretor da penitenciária de São Pedro de Alcântara. A segunda são as supostas torturas contra detentos da unidade, que teriam contribuído para o afastamento de Alves. E a terceira é sobre a autoria dos 68 ataques. A facção é suspeita de ter ordenado as ações.

Privilegiar presos do semiaberto sem crimes hediondos para passar o fim de ano em liberdade não garante paz nas ruas. Geralmente, é este tipo de detento usado pela facção para cometer crimes. De 1 mil a 1,5 mil deles devem receber o indulto de Natal.

O Estado se diz preparado também para garantir a segurança de seus profissionais e da sociedade em relação às especulações de novos ataques nos 10 anos de fundação do PGC, em 3 de março de 2013.

 

“Os detalhes interessam somente a nós”

Entrevista: Akira Sato/Diretor da Deic

Duas investigações que podem dar a real dimensão da facção investigada como autora dos atentados praticados em SC são coordenadas pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). Confira a entrevista com o diretor da Deic, delegado Akira Sato:

 

Diário Catarinense – Como estão as investigações dos atentados do mês passado?

Akira Sato – Sob sigilo. Só isso que eu posso dizer. Tem muita coisa andando. A morte da Deise, as especulações da comemorações do PGC, do aniversário deles. Precisamos manter sigilo para não sermos surpreendidos. Não posso detalhar nomes e lugares porque a finalidade é a resolução. Pode ter certeza que tem bastante coisa andando, mas os detalhes interessam somente a nós. A sociedade só quer resposta.

 

DC – Como estão se articulando com as investigações dos atentados, do caso Deise e a preocupação do aniversário do PGC?

Sato – Não posso falar o que estamos fazendo. A Secretaria de Segurança Pública toda está envolvida. A Deic é um dos braços de trabalho. Não é o único nem o principal.

 

DC – A Deic recebeu informação sobre novo ataque do PGC?

Akira – Não posso dizer.

 

DC – Quando pretende concluir o inquérito do caso Deise?

Akira– Antes do recesso de fim de ano do Fórum.

 

DC – Conseguiram identificar o mandante da morte dela?

Akira – Estamos caminhando.

 

DC – Estão caminhando também em direção à prisão desse mandante?

Akira – (risos) Boa tarde.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Polícia Civil investiga apreensão de drogas

 

 

Polícia Civil investiga apreensão de drogas

A Polícia Civil abriu uma investigação interna para apurar as circunstâncias da apreensão de 37 quilos de pasta-base de cocaína, em 2 de dezembro, no Morro da Mariquinha, na região central de Florianópolis. O delegado-geral da corporação, Aldo Pinheiro D’Ávila, disse ter sido informado que a droga foi entregue por engano a um morador, que depois acionou a Coordenadoria de Operações Especiais (Cope).

O relato foi repassado pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) e diverge da versão apresentada no dia da apreensão, de que o cão Cyborg havia farejado a droga no matagal atrás do prédio do Hospital de Caridade.

O delegado-geral falou que a investigação será coordenada pela corregedoria e vai durar cerca de um mês. Os policiais querem descobrir se houve descumprimento dos princípios regimentais da corporação.

Aldo afirmou que a mudança no histórico seria uma maneira de preservar a pessoa que avisou o Cope. Ele confirmou a versão apresentada pela coluna Visor na edição de ontem do Diário Catarinense.

De acordo com o texto do jornalista Rafael Martini, um morador recebeu um ar-condicionado em casa e estranhou o peso e o cheiro. Ele teria chamado um amigo que trabalha no Cope e a cocaína foi descoberta.

 

Diretor do Cope nega a versão

A versão foi negada pelo delegado Alfredo Ballsteadt, diretor do Cope. Ele explicou que houve um telefonema anônimo falando que recebeu em casa um aparelho de ar-condicionado recheado de drogas.

Com medo, a pessoa teria tirado os tijolos de cocaína e jogado em um matagal. Os policiais foram ao local para tentar achar o material, mas só conseguiram encontrar a droga depois de quatro horas de buscas graças a Cyborg. O delegado Ballsteadt disse que não teme qualquer investigação interna.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Segurança

Assunto: Deap realiza pente fino em São Pedro de Alcântara na tarde desta terça-feira

 

 

Deap realiza pente fino em São Pedro de Alcântara na tarde desta terça-feira

PM auxiliou na varredura pelas celas do Complexo Penal

 Esta terça-feira (11) foi marcada por uma grande inspeção na Penitenciária de São Pero de Alcântara. Agentes prisionais, policiais militares, guarnições do Choque, canil e policiamento especial de rua, totalizando cerca de 50 homens, além dos cachorros, entraram na unidade pela manhã para vistoria que só terminou por volta das 17hs. Segundo informações da chefia de segurança, o pente fino não resulto em apreensões relevantes.

Informações de que havia armas e explosivos na unidade levou a diretoria do DEAP (Departamento de Administração Penal) a convocar os agentes para realizar o pente fino rigoroso nos quatros pavilhões da casa de detenção.

O comboio militar quebrou a rotina dos cerca de seis mil habitantes, ao cruzar a pacata cidade de São Pedro de Alcântara, colonizada por alemães, e que atualmente sobrevive da agricultura. Mulheres de presos que estavam na frente da penitenciária também ficaram surpresas ao receberem a  notícia de que as visitas estavam suspensas mais uma vez. A entrada de advogados também foi barrada por causa da operação. Um grupo de evangélicos da Igreja Batista Bíblica, que pretendia levar conforto espiritual para os presos, também não pode entrar. Pelo lado de fora a imprensa apenas acompanhava o entra e sai de viaturas da PM, mas nenhuma informação sobre o resultado da revista foi divulgada no local.

Cerca de 30 mulheres de presos não retornaram para a casa quando foram informadas da suspensão da visita. Ficaram na frente da penitenciária na esperança de conseguir pelo menos alguns minutos junto com os maridos após o fim da operação pente fino. Enquanto isso, os presos eram colocados para o pátio de cueca, deixando a cela livre para as revistas.

Por volta do meio dia, um agente falou por telefone que os colegas haviam encontrado alguns estoques – arma branca improvisada com pontas de ferro. O pente fino se estendeu durante todo o dia. As mulheres dos presos retornaram para casa no final da tarde, sem poder falar com os maridos.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria:  Hélio Costa

Assunto: Sistema de videomonitoramento da penitenciária

 

Sistema de videomonitoramento da penitenciária tem que ser revisto

Em apenas 48 horas foram resgistradas duas fugas semelhantes. A falta de funcionários na central de monitoramento estaria facilitando fugas

Facilidade da fuga

Todo mundo sabe que nesta época do ano os presos ficam excitados para sair da tranca, menos a segurança da penitenciária da Capital.  Sexta-feira e domingo, quatro detentos serraram grades e ganharam o morro.  As duas fugas devem ter incomodado a secretaria da Justiça e Cidadania, Ada de Luca, que foi pessoalmente na unidade prisional e deve ter constatado como é fácil fugir do regime fechado. No complexo penitenciário,  a segurança é feita por agentes prisionais, empresa terceirizada, além de  videomonitoramento.  Porém, como ocorre nas ruas da cidade  onde há várias câmeras instaladas em pontos estratégicos, não existe gente suficiente na central de monitoramento com os olhos grudados em tudo o que se passa no ambiente coberto pelas câmeras. Já fiz este comentário na coluna e repito: se a secretária não reforçar a segurança com efetivo terceirizado na central de monitoramento mais fugas vão ocorrer.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria:  Segurança

Assunto: Fuga de presos

 

Muro tira visão de duas guaritas

Um muro construído dentro do Complexo Penitenciário da Agronômica tirou a visão de duas guaritas nos fundos do terreno. O paredão não permite ver o presídio nem a penitenciária, de onde quatro detentos fugiram entre sexta-feira e ontem.

A informação é da Polícia Militar. Mas a direção da penitenciária nega que exista o ponto vulnerável.

Ativadas e ocupadas por vigilantes, as duas guaritas ficaram com a visão comprometida pelo muro que cerca o Centro de Observação e Triagem (COT), uma das unidades do complexo, e junto ao Morro do Horácio, principal destino pós-fuga.

– Com certeza os apenados têm conhecimento desse ponto cego, vulnerável. Dessas guaritas só é possível ver o telhado do presídio. O muro tirou a visibilidade. Quem planejou o muro, planejou mal – disse um policial militar do alto escalão da PM que preferiu não se identificar.

 

O diretor da unidade, Gabriel da Silveira, negou o problema.

– São sete guaritas ativadas e todas têm visão normal. Há guaritas desativadas, mas as que interessam e trazem segurança para o complexo estão funcionando – garantiu Silveira.

O diretor explicou também porque o sistema de videomonitoramento espalhado pelo complexo não foi suficiente para conter os foragidos.

– A fuga demorou menos de um minuto. Foi visto pelo pessoal do monitoramento, mas foi muito rápido. Não deu tempo de alcançá-los.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria:  Segurança

Assunto: Dupla rouba R$ 30 mil da quermesse

 

Dupla rouba R$ 30 mil da quermesse

Dois assaltantes encapuzados e armados roubaram R$ 30 mil arrecadados numa festa religiosa no último domingo em Lages, na Serra Catarinense. O padre e fiéis foram feitos reféns.

Fazia seis meses que a Paróquia São Cristóvão, no Bairro Caroba e que abrange outras 11 comunidades, organizava a sua terceira festa de fim de ano. O tempo bom atraiu aproximadamente mil pessoas para o evento, realizado durante todo o domingo.

Vendas de churrascos, bolos e bingo ocorreram ao longo do dia. A arrecadação serviria para manter as despesas, cerca de R$ 5 mil por mês, e concluir a construção da nova casa paroquial. A festa também comemorava 25 anos da paróquia.

Quando o evento acabou, às 20h, o padre Reginaldo Pereira e seis fiéis se reuniram na casa paroquial para contar o dinheiro. Por volta das 22h, dois homens armados e encapuzados entraram e anunciaram o assalto.

Os reféns foram obrigados a deitar no chão. A dupla colocou todo o dinheiro em uma mochila e fugiu no carro de uma das vítimas. A polícia foi acionada, mas já era tarde.

– Não tínhamos seguranças particulares, mas a Polícia Militar ficou o dia inteiro no nosso evento. Só dispensamos os policiais quando a festa acabou, pois achávamos que eles não podiam acompanhar a contagem do dinheiro – diz o padre Reginaldo.

O delegado Sérgio Roberto de Sousa usará uma filmagem do evento para tentar identificar suspeitos por meio das imagens. E fez um alerta:

– Esse dinheiro não poderia estar lá. Era uma grande quantidade num ambiente sem segurança, ainda mais num fim de semana. Não dá para contar só com a sorte ou com o Estado. O correto é, a cada certa quantidade, depositar num banco ou levar para um local seguro.

Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria:  Segurança

Assunto: Quatro são presos

 

Quatro homens suspeitos de praticarem roubos violentos na Grande Florianópolis são presos

Após perseguição policial em São José, a quadrilha bateu o carro e acabou presa

Quatro homens conhecidos por praticarem assaltos violentos na Grande Florianópolis foram presos, na tarde desta segunda-feira (10), por agentes da Polícia Militar. Eles trafegavam em Barreiros em um Ford/Escort e eram monitorados por um carro descaracterizados da PM desde a BR-101. Ao avistarem uma outra viatura comum da Polícia Militar na avenida Independência, o motorista engatou a marcha ré e tentou fugir em alta velocidade, mas acabou batendo na viatura que os monitorava. A batida foi tão violenta que o Escort “abraçou” um poste depois de colidir com a viatura.

Os bandidos acabaram colidindo contra um poste

Dentro os presos está um homem que, além de ser foragido do presídio de Tubarão, foi identificado como o autor de um assalto há dois meses, em que apontou uma arma para a cabeça de uma criança de seis anos de idade. No carro foi encontrada uma arma de fogo, 32 pedras de crack e oito buchas de cocaína.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria:  Geral

Assunto: Vereadores de Florianópolis aprovam orçamento para 2013

 

 

Vereadores de Florianópolis aprovam orçamento para 2013

Na noite desta segunda-feira (10), a Câmara aprovou orçamento para 2013, o primeiro do futuro prefeito da Capital, Cesar Souza Junior (PSD).

Numa votação tranquila na noite desta segunda-feira (10) os vereadores de Florianópolis aprovaram o Orçamento da Capital para 2013. O orçamento, que fixa despesa e prevê receita, teve como relator o vereador Cesar Farias (PSD) aliado do futuro prefeito Cesar Souza Junior. O vereador deve o próximo presidente da Câmara.  A previsão do Orçamento é de R$ 1,8 bilhão. Com a aprovação da matéria, os vereadores podem entrar em recesso. Hoje deve ter a última sessão do ano.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria:  Hélio Costa

Assunto:  Polícia vai fechar bar que funciona fora de horário determinado

 

 

Polícia vai fechar bar que funciona fora de horário determinado

Será exigido tratamnento acústico para bares com música ao vivo. Quem não tiver habite-se ou alvará de funcionamento tem de correr atrás

Lagoa sem barulho

Além das ocorrências policiais rotineiras, prisões de pessoas suspeitas, apreensão de drogas e de tantas outras lidas diárias na delegacia, a delegada  Michele Correa enfrenta um novo desafio: organizar e manter a ordem no funcionamento de bares, restaurantes e similares. Principalmente os que têm som ao vivo. As reclamações na delegacia são tantas que a delegada resolveu ficar à frente do movimento por uma Lagoa mais calma e menos violenta. Quinzenalmente reúnem-se com a delegada integrantes do Ministério Público, Floram, Acif, Consegue, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil  outras entidades representativas. Os 277 bares e similares da região já foram notificados sobre o projeto que determina o horário de fechamento e outras obrigações. Mas não é somente do barulho que a comunidade reclama. Ela também pede mais polícia nas ruas.