Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 11 de dezembro

11.12.2012

 

Clipping do dia 11 de dezembro

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Apreensão de cocaína

                   Dirigir com celular ou tablet

 

Num mato sem cachorro

 Virou motivo de piada na Polícia Civil a versão oficial da apreensão, na semana passada, de 37 quilos de pasta-base de cocaína no Morro da Mariquinha, em Florianópolis, por uma equipe da Coordenadoria de Operações Especiais, a Cope. A informação apresentada pelos agentes naquele domingo, dia 2, foi de que graças à ação heroica de um cachorro da raça American Staffordshire Terrier, batizado de Cyborg (foto acima), a droga teria sido encontrada em um matagal no alto do morro.

 

O cão, inclusive, posou e foi capa de todos os jornais e sites da Capital. Só que não houve nenhuma movimentação suspeita, como chegaram a afirmar os policiais envolvidos na operação. Soube-se depois que, na verdade, um morador da comunidade havia comprado um ar-condicionado pela internet. Recebeu a encomenda em casa. Ao abrir a caixa ele teria estranhado o peso e o cheiro que vinha do aparelho. Imediatamente ligou para uma amigo seu que é policial da Cope, pedindo orientação.

 

Os policiais foram até a casa com Cyborg. Bastou ele chegar perto para logo sinalizar a presença de droga. Como o morador pediu para preservar sua identidade e endereço por medo de represália dos traficantes, a forma que a equipe encontrou para apresentar a droga foi inventando a operação e o endereço, no caso, a Mariquinha. A polícia investiga, agora, como um carregamento com 37 quilos foi parar na casa de um cidadão sem ligação com o tráfico. A suspeita é de que a caixa tenha sido trocada na hora do despacho.

 

OFICIALMENTE…

O comando da Cope nega que tenha ocorrido a montagem da operação, apenas admite que a apreensão não aconteceu na Mariquinha, mas em outro local do Maciço do Morro da Cruz, região central da Capital. A estratégia seria para preservar a vida do informante.

 

PERIGO AO VOLANTE

Quem for flagrado ao volante falando ao celular ou manuseando tablets poderá sofrer a mesma infração de quem dirige alcoolizado ou com a carteira vencida. Está tramitando na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 7471/2010, que pretende passar esta infração de média (4 pontos na carteira de habilitação) para gravíssima (7 pontos).

 

 

O deputado Edinho Bez (PMDB-SC), relator do projeto, apresentou um substitutivo que permite uma exceção à proposta. O condutor até poderá fazer e receber chamadas, mas somente com auxílio de tecnologia que garanta que suas mãos estejam livres para guiar. A sugestão foi aprovada por unanimidade na Comissão de Transportes.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Risco no abandono de barco

O afundamento, ontem, de um navio gaseiro levantou um grave problema que existe no no Rio Itajaí-Açu: a presença de embarcações abandonadas.

Doutor em recursos naturais e especialista em recursos hídricos, Paulo Schwingel diz que infelizmente essa é uma prática comum. Seja por imbróglios jurídicos ou motivos financeiros, empresas acabam abandonando as embarcações no canal.

– Temos várias embarcações abandonadas no Itajaí-Açu e elas acabam se deteriorando. Isso pode poluir o rio e prejudicar a navegação.

Segundo o coordenador regional da Fatma em Itajaí, Jairo Serapião, o papel de fiscalizar o abandono é dever da Marinha. A Capitania dos Portos informou que a responsabilidade de tirar a embarcação do rio é do proprietário, que pode ser multado caso a carcaça cause algum acidente.

A Fundação de Meio Ambiente de Itajaí (Famai) informou que a responsabilidade sobre a fiscalização de contaminação deveria ser do Ibama ou da Fatma. O Ibama esclarece que compete ao Ibama fiscalizações de rios em fronteiras, divisas com outros estados, em áreas indígenas, ou áreas militares.

 

 

Fatma diz que não há contaminação

Análise da água mostrou que não havia produtos químicos na água do rio

O cardume de sardinhas mortas no mangue no Bairro Boa Vista, em Joinville, e o mau cheiro, fizeram com que moradores desconfiassem que havia algo errado, ontem, no Rio Cachoeira. Mas, na análise preliminar da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fundema) foi descartada a hipótese de contaminação da água.

As principais suspeitas são de que alguém possa ter descartado os peixes ali ou ainda os animais terem sido trazidos mortos pela maré. Também não foi descartado o baixo teor de oxigênio na água – resultado, em geral, da mistura de poluição com estiagem. Especialistas retornarão hoje ao rio para coletar uma amostra da água para análise em laboratório.

Pela manhã, com a maré baixa, os peixes mortos cobriam o rio na região da rua conhecida pelos moradores como Beira-mangue.

– Quando a maré subiu de novo, levou boa parte dos peixes. Mas muitos ficaram. Acho um pecado esses peixes mortos – observou Rivo da Silva, 56 anos, que mora ao lado do rio.

A mortandade dos animais também intrigou o experiente pescador e morador da Beira-Mangue, José Pedro Ferreira dos Santos.

– Cheguei a pensar que pescadores fizeram um cerco, mas descartei, porque seriam menos peixes que teriam aparecido. Acho que foi água contaminada, poluição – sugeriu Santos.

 

Seca atinge 15 municípios do Oeste e Meio-Oeste de SC

Sem chuvas regulares há três meses, as duas regiões enfrentam dificuldades com o abastecimento humano e para animais

O número de atingidos pela estiagem ainda não foi contabilizado pela Defesa Civil, mas milhares de torneiras estão secas em Santa Catarina. Há pelo menos três meses sem chuvas significativas, municípios do Oeste e Meio-Oeste tentam driblar as dificuldades. Garantir água para o consumo animal e para a agricultura é o desafio.

Em alguns locais, falta água nas áreas urbanas e para a subsistência humana. Em Seara, no Oeste, o problema é antigo e o rio que abastece a cidade está seco. Enquanto os homens não tomam providências para combater a estiagem, resta à aposentada Terezinha Martini pedir a Deus que mande chuva para não passar mais um final de ano com a torneira seca, como no ano passado.

– Espero que venha água para o Natal – disse, ao lado da caixa de água reserva no fundo da casa, onde restam apenas 500 litros.

A caixa que fica em cima da casa está vazia há três dias. E Terezinha para tomar banho, beber, lavar a roupa, fazer a comida, lavar a louça e utilizar no banheiro. O banho é de bacia. Depois, a água é usada para o vaso.

– É a coisa mais triste do mundo – diz Terezinha.

A vizinha, Malvina Rodrigues, não vê água saindo da torneira há 15 dias. O pouco que chegou nesse período veio de um caminhão dos bombeiros, mas que serve só para tomar banho e fazer limpeza. Para beber e lavar a louça, ela depende das duas viagens diárias que o marido faz a pé, com uma bombona de 20 litros nas costas, para buscar água numa fonte a mil metros de distância.

Seara está entre os 15 municípios que decretaram situação de emergência. Mas poderia estar fora da lista. É que o governo do Estado investiu R$ 3 milhões num poço profundo, com 588 metros, mas está com o motor com problemas para operar.

A Epagri/Ciram informou os níveis de chuva nas suas estações meteorológicas em novembro. Nas regiões atingidas pela seca, Videira, teve registro de 14,7 milímetros enquanto a média é de 160 milímetros. Em São Miguel do Oeste choveu 113 milimítros e a média é de 173 milímetros.

 

Custo é de R$ 500 para ter água

O prejuízo da seca foi sentido na conta de água da família de João Atílio Parizi, que mora em Linha Serra Alta, no interior de Herval d’Oeste, no Meio-Oeste. No último mês, o consumo na propriedade, onde a água é oriunda de um poço artesiano comunitário, custou R$ 500.

Além de desembolsar a alta quantia na hora de pagar a fatura, o milho que serviria para alimentar 130 cabeças de gado leiteiro também precisará ser substituído por alimentos mais caros. Com a falta de chuva, a colheita foi prejudicada.

– Gastamos muito porque temos que dar água do poço artesiano para o gado, por conta da estiagem. E vai precisar comprar ração também, porque parte do milho está seca e outros pés nem nasceram – lamenta.

 

Cisterna garante água para as aves

Após enfrentar pelo menos oito fortes estiagens na última década, o avicultor Adenilso Zampieri, de Herval d’Oeste, resolveu investir em uma cisterna para captar e armazenar 500 mil litros de águas de nascentes da propriedade, na Linha Sede Sarandi.

Ele financiou R$ 16 mil para construir o local de armazenagem e a bomba que leva a água até os três aviários, onde são criadas 35 mil aves de corte. A medida evitou que os animais ficassem sem água, mesmo após um período de 90 dias sem chuvas significativas.

– A cisterna garante água suficiente para os animais durante quatro meses, mesmo que todas as nascentes sequem. É uma alternativa viável.

A Defesa Civil Estadual deve fazer nova contabilização, ainda nesta semana, do número de municípios catarinenses atingidos pela seca.

Segundo o diretor de resposta aos desastres, Aldo Baptista Neto, “os kits disponibilizados anteriormente poderão ser reutilizados nas novas ações de assistência, visto que permaneceram nas regiões para atendimento das comunidades atingidas”.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Assassinato em Penha

 

Abalou

Efeitos dos quatro homicídios dolosos ocorridos durante o último final de semana em Penha, Litoral Norte. Em menos de 12 horas, o número de assassinatos na pacata cidade mais do que dobrou. Pulou de três, até sexta-feira à noite, data do crime, para sete. Isso representa uma taxa de 27,8 mortos por cada grupo de 100 mil habitantes. Até então, essa taxa era de 11 mortos.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Visita íntima

 

Visita íntima

Enquanto a população clama pela redução da idade penal na esperança de desacelerar a violência praticada pelos menores, é dado a eles o direito a visita íntima. Não se espantem se o Ministério Público passar a exigir dos governantes a construção de suítes cinco estrelas para eles.

Alírio Jeremias

Florianópolis

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Mortes em Penha

 

Polícia espera pela preventiva

Se a Justiça não conceder pedido até quinta, assassino confesso será solto

O pedido de prisão preventiva de Luiz Carlos Flores, que confessou ter assassinado os pais, a irmã e o sobrinho de 10 anos na noite de sexta-feira, em Penha, foi enviado ontem à tarde ao fórum de Balneário Piçarras, no Litoral Norte, pelo delegado de Polícia Civil responsável pelo caso, Rodolfo Farah.

A Justiça tem até quinta-feira para confirmar o pedido. Caso contrário, Luiz Carlos será solto. Enquanto não há uma decisão, o preso está num local não divulgado para evitar a revolta de familiares e comunidade.

– Temos que preservar a integridade dele e até a vida dos policiais – destacou o delegado.

Mesmo tendo a confirmação da autoria do crime apenas no domingo, Farah diz que desde sexta-feira já suspeitava de Luiz Carlos.

O delegado afirma que os detalhes do crime só serão conhecidos após a liberação de informações técnicas, que serão divulgadas com o laudo do Instituto Geral de Perícia nos próximos 15 ou 20 dias.

 

Delegado vai aguardar para fazer reconstituição

O delegado não descarta a possibilidade de fazer a reconstituição do crime, mas só depois que conseguir a prisão preventiva. O tempo para terminar o inquérito é de 10 dias. Até o fim de semana, Farah vai enviar informações prévias ao Judiciário e depois tentará um prazo maior, de 30 dias, para reconstituir o crime.

A investigação também prevê conversas com familiares e vizinhos, além de interrogar o suspeito pelo menos mais duas vezes.

A ideia é exaurir todas as possibilidades, pois o interrogatório de domingo com o autor confesso foi mais objetivo. Apesar de algumas lacunas no depoimento de Luiz Carlos, o delegado não tem dúvida quanto à autoria, apenas quer detalhar o crime.

Ainda no domingo, segundo o delegado, o suspeito teria dito que não estava arrependido e que tinha a intenção de fugir.

 

Irmão destaca boa relação

Sentado no banco onde a mãe costumava ficar, Roberto Luiz Flores, 50 anos, pensou no que ocorreu, chorou e desabafou. A ausência dos familiares ficava mais forte. Para ele, que convivia diariamente com o irmão, o crime não faz sentido.

– Ele tinha bom comportamento.

Por ter uma boa relação com a irmã e o sobrinho assassinados, ele não conseguia suportar que alguém tão querido fosse o autor do crime.

Chorando, admitiu discussões entre Luiz Carlos e Leopoldina, por ela questionar os pais, que sempre defendiam o filho usuário de drogas.

– Discutiam sim. Mas era normal. Ele nunca levantou a mão.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria:  Segurança

Assunto: Camboriú recebe reforço

 

Camboriú recebe reforço

O reforço de efetivo anunciado pela Delegacia Geral de Polícia Civil já está em Camboriú. Os policiais foram recebidos pelas autoridades da região ontem à tarde na Delegacia Regional, em Balneário Camboriú. As equipes compõem uma força-tarefa para responder à onda de assassinatos, que já registrou 40 mortes no município em 2012.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria:  Segurança

Assunto: Fuga de presos

 

Muro tira visão de duas guaritas

Um muro construído dentro do Complexo Penitenciário da Agronômica tirou a visão de duas guaritas nos fundos do terreno. O paredão não permite ver o presídio nem a penitenciária, de onde quatro detentos fugiram entre sexta-feira e ontem.

A informação é da Polícia Militar. Mas a direção da penitenciária nega que exista o ponto vulnerável.

Ativadas e ocupadas por vigilantes, as duas guaritas ficaram com a visão comprometida pelo muro que cerca o Centro de Observação e Triagem (COT), uma das unidades do complexo, e junto ao Morro do Horácio, principal destino pós-fuga.

– Com certeza os apenados têm conhecimento desse ponto cego, vulnerável. Dessas guaritas só é possível ver o telhado do presídio. O muro tirou a visibilidade. Quem planejou o muro, planejou mal – disse um policial militar do alto escalão da PM que preferiu não se identificar.

 

O diretor da unidade, Gabriel da Silveira, negou o problema.

– São sete guaritas ativadas e todas têm visão normal. Há guaritas desativadas, mas as que interessam e trazem segurança para o complexo estão funcionando – garantiu Silveira.

O diretor explicou também porque o sistema de videomonitoramento espalhado pelo complexo não foi suficiente para conter os foragidos.

– A fuga demorou menos de um minuto. Foi visto pelo pessoal do monitoramento, mas foi muito rápido. Não deu tempo de alcançá-los.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria:  Segurança

Assunto: Dupla rouba R$ 30 mil da quermesse

 

Dupla rouba R$ 30 mil da quermesse

Dois assaltantes encapuzados e armados roubaram R$ 30 mil arrecadados numa festa religiosa no último domingo em Lages, na Serra Catarinense. O padre e fiéis foram feitos reféns.

Fazia seis meses que a Paróquia São Cristóvão, no Bairro Caroba e que abrange outras 11 comunidades, organizava a sua terceira festa de fim de ano. O tempo bom atraiu aproximadamente mil pessoas para o evento, realizado durante todo o domingo.

Vendas de churrascos, bolos e bingo ocorreram ao longo do dia. A arrecadação serviria para manter as despesas, cerca de R$ 5 mil por mês, e concluir a construção da nova casa paroquial. A festa também comemorava 25 anos da paróquia.

Quando o evento acabou, às 20h, o padre Reginaldo Pereira e seis fiéis se reuniram na casa paroquial para contar o dinheiro. Por volta das 22h, dois homens armados e encapuzados entraram e anunciaram o assalto.

Os reféns foram obrigados a deitar no chão. A dupla colocou todo o dinheiro em uma mochila e fugiu no carro de uma das vítimas. A polícia foi acionada, mas já era tarde.

– Não tínhamos seguranças particulares, mas a Polícia Militar ficou o dia inteiro no nosso evento. Só dispensamos os policiais quando a festa acabou, pois achávamos que eles não podiam acompanhar a contagem do dinheiro – diz o padre Reginaldo.

O delegado Sérgio Roberto de Sousa usará uma filmagem do evento para tentar identificar suspeitos por meio das imagens. E fez um alerta:

– Esse dinheiro não poderia estar lá. Era uma grande quantidade num ambiente sem segurança, ainda mais num fim de semana. Não dá para contar só com a sorte ou com o Estado. O correto é, a cada certa quantidade, depositar num banco ou levar para um local seguro.

Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria:  Segurança

Assunto: Quatro são presos

 

Quatro homens suspeitos de praticarem roubos violentos na Grande Florianópolis são presos

Após perseguição policial em São José, a quadrilha bateu o carro e acabou presa

Quatro homens conhecidos por praticarem assaltos violentos na Grande Florianópolis foram presos, na tarde desta segunda-feira (10), por agentes da Polícia Militar. Eles trafegavam em Barreiros em um Ford/Escort e eram monitorados por um carro descaracterizados da PM desde a BR-101. Ao avistarem uma outra viatura comum da Polícia Militar na avenida Independência, o motorista engatou a marcha ré e tentou fugir em alta velocidade, mas acabou batendo na viatura que os monitorava. A batida foi tão violenta que o Escort “abraçou” um poste depois de colidir com a viatura.

Os bandidos acabaram colidindo contra um poste

Dentro os presos está um homem que, além de ser foragido do presídio de Tubarão, foi identificado como o autor de um assalto há dois meses, em que apontou uma arma para a cabeça de uma criança de seis anos de idade. No carro foi encontrada uma arma de fogo, 32 pedras de crack e oito buchas de cocaína.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria:  Geral

Assunto: Vereadores de Florianópolis aprovam orçamento para 2013

 

 

Vereadores de Florianópolis aprovam orçamento para 2013

Na noite desta segunda-feira (10), a Câmara aprovou orçamento para 2013, o primeiro do futuro prefeito da Capital, Cesar Souza Junior (PSD).

Numa votação tranquila na noite desta segunda-feira (10) os vereadores de Florianópolis aprovaram o Orçamento da Capital para 2013. O orçamento, que fixa despesa e prevê receita, teve como relator o vereador Cesar Farias (PSD) aliado do futuro prefeito Cesar Souza Junior. O vereador deve o próximo presidente da Câmara.  A previsão do Orçamento é de R$ 1,8 bilhão. Com a aprovação da matéria, os vereadores podem entrar em recesso. Hoje deve ter a última sessão do ano.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria:  Hélio Costa

Assunto:  Polícia vai fechar bar que funciona fora de horário determinado

 

 

Polícia vai fechar bar que funciona fora de horário determinado

Será exigido tratamnento acústico para bares com música ao vivo. Quem não tiver habite-se ou alvará de funcionamento tem de correr atrás

Lagoa sem barulho

Além das ocorrências policiais rotineiras, prisões de pessoas suspeitas, apreensão de drogas e de tantas outras lidas diárias na delegacia, a delegada  Michele Correa enfrenta um novo desafio: organizar e manter a ordem no funcionamento de bares, restaurantes e similares. Principalmente os que têm som ao vivo. As reclamações na delegacia são tantas que a delegada resolveu ficar à frente do movimento por uma Lagoa mais calma e menos violenta. Quinzenalmente reúnem-se com a delegada integrantes do Ministério Público, Floram, Acif, Consegue, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil  outras entidades representativas. Os 277 bares e similares da região já foram notificados sobre o projeto que determina o horário de fechamento e outras obrigações. Mas não é somente do barulho que a comunidade reclama. Ela também pede mais polícia nas ruas.

 

ACONTECEU NA ALESC

 

 

Semana prevê votação do relatório final sobre o orçamento estadual para 2013

A semana legislativa do Parlamento catarinense terá como destaque a apresentação e votação do relatório final da proposta referente à Lei Orçamentária Anual 2013 (LOA) pela Comissão de Finanças e Tributação – o PL 311/2012. A votação está prevista para a reunião ordinária desta quarta-feira (12), a partir das 9 horas, conforme o cronograma de tramitação da matéria.

O relator da LOA, deputado Marcos Vieira (PSDB), apresentará o parecer sobre as 332 emendas parlamentares e de bancada propostas pelos deputados. A previsão é que o projeto de lei vá para votação em plenário na semana que vem.