Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 10 de maio

10.5.2012

CLIPPING

10 de maio de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Caixa eletrônico do Palácio Barriga Verde

 

SINAL AMARELO

Depois da ação ousada dos criminosos que assaltaram os caixas eletrônicos do Hospital de Caridade, o comentário nos bastidores da Assembleia Legislativa, ontem, era de que o Palácio Barriga Verde possa ser o próximo da lista das quadrilhas especializadas.

A preocupação é maior durante os finais de semana, quando somente dois PMs fazem a segurança do prédio

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Quatro mortos em acidente na Serra

Um acidente ainda não explicado matou quatro jovens na noite de terça-feira na Serra Catarinense. Alecsandro Fischer de Oliveira, 25 anos; Anderson Luiz Wandervegen, 20; Lucas Maioki Ribeiro, 19; e Maicon André dos Santos, 25, trabalhavam numa distribuidora de bebidas de Balneário Camboriú.

Eles voltavam da cidade de São Joaquim, onde montaram um estande para comercializar os produtos durante a 19a Festa Nacional da Maçã, de 3 a 7 de maio.

A festa acabou na segunda à noite. Na terça, eles desmontaram o estande de bebidas e, no fim da tarde, pegaram a estrada em direção a Balneário Camboriú. Após rodar 25 quilômetros, por motivos ainda desconhecidos, o caminhão-baú saiu da pista, desceu um barranco e só parou ao bater num paredão de pedra.

O acidente foi perto das 18h, numa reta com descida no km 63 da SC-430, pouco antes da localidade de Pericó, entre São Joaquim e Urubici. Bombeiros das duas cidades e de Lages, além de policiais militares rodoviários de Bom Jardim da Serra, foram mobilizados para o socorro, mas todos os jovens já estavam mortos.

O resgate dos corpos nas ferragens durou cerca de duas horas. Como o veículo parou fora da pista, o trânsito não foi comprometido.

A Polícia Militar Rodoviária ainda desconhece as causas do acidente, mas já sabe que o caminhão era dirigido por Alecsandro e suspeita que um dos jovens viajava no baú. Os corpos já foram liberados do Instituto Médico Legal (IML) de Lages.

 

Motorista morre ao bater carro em poste

O motorista de um I30 morreu depois de bater contra o poste de uma placa na Avenida Gustavo Richard, na saída do Túnel Antonieta de Barros, na Capital. A vítima foi identificada como sendo Douglas Luiz, cuja idade não foi divulgada. O acidente foi por volta da 1h de ontem. Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), a suspeita é de que ele tenha perdido a direção do veículo.

 

112 radares nas BRs catarinenses

As rodovias federais de Santa Catarina devem receber 112 novos radares de controle de velocidade. Os equipamentos serão instalados nas BRs 101, 153, 158, 280, 282 e 470.

Em Florianópolis, a Via Expressa deve ter três novos pontos monitorados, nos kms 3,4, 3,401 e 0,6. A velocidade permitida nestes trechos continuará sendo de 100 km/h.

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), os equipamentos só devem funcionar depois que a Celesc fizer a energização dos pontos e o Inmetro verificá-los. Ainda não há uma previsão para que isso aconteça. Segundo o Dnit, o controle de velocidade tem como objetivo evitar acidentes e atropelamentos, principalmente nos locais de maior circulação de pedestres e ciclistas.

 

Automóvel capota três vezes na Capital

O motorista de um Siena ficou preso ao carro depois de capotar três vezes próximo a um supermercado, na Avenida Max Schramm, no Bairro Jardim Atlântico, região continental da Capital. Apesar da gravidade do acidente, que aconteceu por volta de 9h30min, ele sofreu apenas ferimentos leves. Segundo o Corpo de Bombeiros, só o motorista estava no veículo na hora do acidente.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Reportagem Especial

Assunto: Enchente e seca

 

R$ 193 milhões para prevenção

Oeste terá R$ 60 milhões para combate à estiagem, e regiões que sofrem com chuvas receberão R$ 133 milhõesA Assembleia Legislativa aprovou, ontem, o projeto de lei que autoriza o financiamento de R$ 611 milhões do BNDES, com emendas, para o Programa Caminhos do Desenvolvimento, que prevê obras em vários setores.

Entre as principais modificações aprovadas está a destinação de R$ 60 milhões dos recursos de combate aos desastres naturais para a seca no Oeste.

O projeto original previa de R$ 141 milhões para o combate às enchentes em Santa Catarina, sem citar a estiagem ou outro desastre natural. Em fevereiro, o governador Raimundo Colombo afirmou ao Diário Catarinense que o valor estava assegurado, e que as cheias eram prioridade. As ações contra os desastres naturais, inclusive, já estavam definidas (veja na página ao lado).

Mas, uma das emendas do projeto dividiu os recursos da Defesa Civil, de R$ 193 milhões, entre enchentes e seca no Oeste. O projeto aprovado ontem prevê R$ 60 milhões para o combate à seca no interior do Estado, enquanto R$ 133 milhões serão destinados às cheias. O resultado é que, dos R$ 141 milhões prometidos pelo governo estadual para a prevenção das enchentes, serão subtraídos R$ 8 milhões.

– No projeto inicial não havia nenhum recurso destinado especialmente para o combate à seca, mas apenas para o combate aos desastres climáticos de maneira geral. Entendemos que a situação das cheias merece preocupação, mas também apontamos que o Oeste sofre muito com a seca e, por isso, fizemos essa alteração na distribuição do dinheiro – afirmou o deputado Marcos Vieira (PSDB), presidente da Comissão de Finanças e Tributação.

A intenção, ainda de acordo com o deputado, é de que aproximadamente 40 mil propriedades rurais da região sejam beneficiadas com o programa, que será coordenado pela Defesa Civil, em conjunto com a Secretaria de Estado de Agricultura e a Epagri.

Durante a votação, o deputado Jean Kuhlmann (PSD) protestou contra as modificações do projeto, alegando que o problema da seca no Oeste é legítimo, mas que os recursos deveriam ser retirados dos investimentos previstos em fibras óticas, usadas na infraestrutura de telecomunicações, e não do combate às cheias. O BNDES vai emprestar ao Estado R$ 79 milhões para a rede de fibra ótica.

– Não podemos resolver o problema da seca prejudicando um compromisso assumido com o Vale do Itajaí. Que esses recursos sejam retirados da parte destinada à fibra ótica – sugeriu.

 

Corte nos recursos preocupa o Vale

O relator do projeto, o deputado Gilmar Knaesel (PSDB), não garante que os R$ 8 milhões a menos, diminuídos das ações de combate às cheias, serão compensados com outros recursos. Mas, afirma que uma possibilidade é a de o governo do Estado cobrir este valor.

O secretário estadual de Defesa Civil, Geraldo Althoff – fonte do governo para tratar do assunto –, preferiu não se posicionar sobre o remanejamento dos recursos do BNDES.

Knaesel argumentou ainda que a emenda teve aval do governo estadual. Apenas Kuhlmann, Ismael dos Santos (PSD) e Ciro Roza (PSD) votaram pela retirada da emenda da Comissão de Finanças. Em seguida, o projeto, destinando os R$ 60 milhões para a prevenção da seca, foi aprovado.

A notícia de que os recursos para a prevenção a enchentes sofrerão um corte de R$ 8 milhões não foi bem recebida no Vale do Itajaí, região que historicamente é atinginda pelas chuvas e sofre com prejuízos milionários.

O prefeito de Rio do Sul, Milton Hobus, afirma que o mais importante era garantir que o projeto tivesse seguimento, pois poderia ter atraso futuramente. Ele afirma que o governador Raimundo Colombo está comprometido com o Vale e que essa retirada deve ser um “breve remanejamento de verbas”.

– Não vejo problemas com a retirada se não for prejudicar a cronologia do projeto. Mas, se isso for atrapalhar sou totalmente contra. É um investimento essencial para o Vale e deve ser cumprido.

 

Açudes serão a prioridade

A notícia de que o governo do Estado destinará R$ 60 milhões do BNDES para obras de combate à estiagem repercutiu bem entre lideranças do Oeste. O secretário de Agricultura, João Rodrigues, disse que uma das prioridades da pasta será a construção de açudes e cisternas, pois são ações que deram bom resultado nessa estiagem.

– Vamos investir em armazenagem de água – disse o secretário.

As famílias que guardaram água da chuva praticamente não tiveram problema de falta de água. Cada cisterna custa cerca de R$ 20 mil a R$ 30 mil. O governo do Estado já paga o valor do juro para famílias que fazem o financiamento para esse fim. Mas, com o recurso do BNDES, essa medida será ainda mais intensificada.

Outra medida a ser adotada, segundo o secretário, é investimento em redes de água e irrigação. Ele afirmou que a forma de viabilizar a aplicação de recursos e quanto será investido em cada ação ainda vai passar por avaliações dos técnicos da secretaria e outros órgãos do governo.

O prefeito de São Carlos, Élio Godoy (PMDB), que é vice-presidente da Associação dos Municípios do Oeste de Santa Catarina, defende que esse dinheiro seja aplicado na captação de água de rios maiores, levando até reservatórios no alto dos morros para atender comunidades rurais.

Godoy disse que nesta estiagem o maior problema das prefeituras foi a falta de água no interior. Somente a prefeitura de São Carlos gastou R$ 750 mil em transporte de 6,3 mil cargas de água, com média de 12 mil litros cada. Foram 300 famílias beneficiadas.

Como existem hoje 138 municípios em situação de emergência, o dinheiro em média seria de R$ 400 mil a R$ 500 mil por município. Godoy disse que com esse volume de recursos seria possível atender cerca de 200 famílias do interior com rede de água.

Para o coordenador da Federação dos Trabalhadores na Agricultura da Região Sul, Fetraf-Sul, Alexandre Bergamin, o recurso é bom, mas deve ser aplicado em políticas estruturantes, como instalação de cisternas nas propriedades, preservação de fontes, sistemas de irrigação, pequenas barragens em rios e equipamentos meteorológicos para prever alterações no clima.

Além disso, ele afirmou que seria necessário um crédito emergencial para ajudar os agricultores, de cerca de R$ 10 mil por família, com subsídio de 50%, para pagar em 10 anos, para minimizar as perdas, que chegam a R$ 770 milhões em Santa Catarina.

A Secretaria de Defesa Civil do Estado está elaborando um projeto com medidas para amenizar os efeitos da estiagem na região Oeste. Em secas anteriores, foi relizada uma proposta, em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que previa 555 ações.

No entanto, uma verba de R$ 10 milhões, liberada em 2009, pelo governo federal para esse fim acabou sendo rateada entre as prefeituras e o projeto foi engavetado. Agora ele está servindo de base para atualização de um novo projeto.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Segurança

Assunto: Adolescentes que mataram paciente no Hospital Regional

 

Adolescentes que mataram paciente do Hospital Regional se apresentam à polícia

Menores afirmaram em depoimento que eram ameaçados pela vítima. A polícia investiga a participação da dupla na morte de um turista

Uma das balas perfurou a vridraça do quarto do pacienteOs dois adolescentes que executaram um homem dentro do Hospital Regional de São José se apresentaram à polícia nesta terça-feira (9). Eles alegaram que mataram Tiago Costa, 25 anos, porque eram ameaçados de morte. Foram liberados após prestar esclarecimentos, já que não foram apreendidos em flagrante.

Os jovens são suspeitos, também, da morte do turista paranaense Caio Bertomeu, 21, na Guarda do Embaú, Palhoça, no dia 30 de dezembro do ano passado. Ele foi morto por engano. Os tiros eram destinados a Tiago.

Segundo a delegada Sandra Mara Pereira, da DP de Proteção à Mulher e ao Adolescente, a investigação vai apontar o envolvimento de uma terceira pessoa no crime. Ela quer saber quem dirigiu o automóvel Ford Fiesta utilizado na fuga. Mesmo com a confissão, ainda há dúvidas sobre a autoria do homicídio de sexta-feira. “Precisamos comparar as imagens do circuito de monitoramento e ouvir os outros dois pacientes que estavam no quarto na hora do crime”, ressaltou. A análise dos projeteis também vai esclarecer o episódio.

Tiago foi morto com nove tiros de pistolas calibre nove milímetros e 380. Os disparos atingiram as costas da vítima, que morreu na hora. Os dois envolvidos entraram no hospital como visitantes. Em 20 minutos, subiram e desceram do 5° andar. A vítima aguardava por cirurgia na perna.

O delegado de Palhoça, Attílio Guaspari Filho, pediu a comparação das balas utilizadas nos dois crimes. Ele acredita que os  adolescentes também são responsáveis pela morte do jovem paranaense. “Os disparos eram para acertar o Tiago, mas também atingiram o turista. A balística pode comprovar isso”, contou o delegado.

____________________________________________________________________________Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: PRF

 

Anjos do asfalto correm contra o tempo para salvar vidas nas estradas

Graças a agilidade da PRF e de socorristas da Alto Pista Litoral Sul muitas pessoas envolvidas em acidente nas BRs chegam vivas em hospitais 

Anjos do asfalto

Hoje quero falar sobre o trabalho da Polícia Rodoviária Federal e Concessionária Alto Pista Litoral Sul, que administra o pedágio na BR-101, no atendimento às vítimas de acidentes de trânsito. No trecho da BR-282, acesso para Santo Amaro da Imperatriz, patrulheiros corriam contra o tempo para salvar a vida do motorista de um Saveiro, com fratura exposta e sangrando muito. O Helicóptero da PRF chegou rápido trazendo paramédicos e conduziu a vítima para o Hospital Regional de São José. Na BR-101,  a agilidade de socorrista da Alto Pista Litoral Sul também foi eficiente nos primeiros atendimentos a uma jovem que dirigia um veículo com placas de Araranguá. Enquanto uma equipe media a pressão e colocava a jovem no oxigênio a outra acionava o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Graças ao atendimento Vip, os dois pacientes chegaram vivos no hospital, onde passaram a ter cuidados médicos redobrados.

 

 

 

BLOGS

 

 

Moacir Pereira

 

Centro de Recuperação de Menores será em São José

O projeto do novo Centro de Reeducação de Menores Infratores que a Secretaria de Justiça e Cidadania está aprovando no governo federal prevê construção no mesmo local do antigo São Lucas,em São José. O estudo inicial previa a construção em Biguaçu, mas a área foi descartada. Com isto, todo o projeto teve que ser readequadro. Informações da secretaria de Justiça.

Por outro lado, o prefeito em exercicio de Biguaçu, Ramon Wollinger, envia e-mail, confirmando a informação. Confira:

“Prezado Jornalista Moacir Pereira,

Em atenção à nota publicada em sua coluna no DC, no dia 07 do corrente, dando conta de um novo São Lucas “a ser edificado em Biguaçu”, o Prefeito Municipal em Exercício, Ramon Wollinger, esclarece que a Prefeitura não tem conhecimento desse projeto nem registra o recebimento de qualquer pedido de viabilidade para construção de uma obra dessa envergadura social em seu território.

O Executivo Municipal acredita na responsabilidade social do Governo do Estado entendendo que não seria cometida contra o nosso povo a indelicadeza de “determinar” a construção de um Centro de Contenção de Menores Infratores em Biguaçu, sem antes dialogar exaustivamente com a Prefeitura, com a Câmara Municipal e, principalmente, com a comunidade, que já se posicionou contrária à ideia.”