Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 09 de maio

9.5.2012

CLIPPING

09 de maio de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Policiamento na Beira-Mar

                 Farra do Boi

                 Caixa Eletrônico

 

NA PISTA

A PM tem reforçado o policiamento na Beira-Mar Norte com a utilização desta espécie de patinete movido a energia elétrica. Medida mais do que válida. Somente no último sábado, foram registrados nove furtos a veículos estacionados ao longo da avenida.

 

FARRA PRIVATIZADA

A SDR da Grande Florianópolis contratou, por R$ 48 mil, Gilmar Ricardo Bernardino para a a realização de ações de prevenção e repressão… à Farra do Boi, conforme consta no contrato Nº 010/2012. O dinheiro foi pago em duas parcelas, R$ 20 mil em março e R$ 28 mil em abril. E com dispensa de licitação!

 

A PROPÓSITO

Depois que os criminosos assaltaram até o caixa eletrônico do Caridade, qual será a próxima instituição vítima da ação dos criminosos?

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Prazo para prescrição de crime de pedofilia

 

Prazo para prescrição de crime será maior

A Câmara dos Deputados aprovou, ontem, uma lei que estabelece que o prazo de prescrição dos crimes sexuais contra crianças e adolescentes deve passar a contar a partir do momento em que a pessoa abusada completar 18 anos. Hoje, o prazo de prescrição começa no

momento em que o crime é praticado. Isso impede, ou dá uma margem de tempo muito curta, para que a pessoa abusada decida entrar com uma ação, o que só é possível com a maioridade, além de uma margem apertada de tempo para investigação policial e punição.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Greve dos professores

 

Professores suspendem a greve

Após 16 dias de uma paralisação que foi parcial no Estado, maioria decidiu ontem, em assembleia, pelo retorno ao trabalho

Professores e governo do Estado voltam a negociar, hoje, após suspensão da greve da categoria, que durou 16 dias. A decisão de voltar às aulas e ficar em estado de greve foi votada ontem, pela maioria dos docentes na assembleia estadual, em Florianópolis.

A suspensão da paralisação foi uma tentativa de fazer o governo apresentar uma nova proposta salarial. Os professores deram prazo de 30 dias para que isso seja feito. Após este prazo, será realizada uma nova assembleia geral.

– Queremos que o governo apresente uma descompactação da tabela salarial e repasse o aumento de 22% sobre o piso (nacional do magistério) a todos os outros professores. O estado de greve é para mostrar que a proposta já apresentada foi rejeitada por unanimidade – declarou a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, Alvete Bedin.

A greve não teve a adesão esperada pela categoria. A votação pela paralisação, em 17 de abril, não foi unânime, e o reflexo, sentido depois. No início do movimento, o Sinte falou em 30% dos 40 mil professores em greve. Na última segunda-feira, o dado divulgado foi de 15% a 20%. Já para o governo, a adesão não passou dos 3%, o que representava cerca de 1,1 mil trabalhadores em greve.

Além disso, o governo adotou a postura de não negociar com a categoria paralisada. Por isso, a retomada das aulas, hoje, será sem nenhum avanço nas propostas salariais.

Após a assembleia estadual, os representantes do sindicato entregaram um documento ao secretário de Educação, Eduardo Deschamps. Nele, além do pagamento dos 22% a todos e da descompactação da tabela salarial, eles pediram também um concurso público para a contratação de professores, a implementação de um terço da carga horária para preparação de aulas e correção de trabalhos (chamada hora-atividade) e a garantia de reposição dos dias parados sem punição ou desconto salarial aos grevistas.

O secretário informou que a questão sobre o desconto dos dias parados será discutida durante as negociações, que começam na manhã de hoje, no prédio da Secretaria de Educação (SED). Os encontros serão conduzidos pela Coordenadoria Executiva de Negociação e Relações do governo, equipe da SED e representantes do sindicato.

Já a reposição das aulas será debatida dia 17, quando haverá reunião com todos os gerentes de Educação das 36 secretarias de Desenvolvimento Regional. A estimativa da secretaria é que cerca de 17 mil alunos, dos 640 mil, foram prejudicados com a greve. Para o secretário, o ideal seria o encerramento total da greve. Ele não garantiu que em 30 dias já se tenha uma nova proposta para apresentar.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Morto do cônsul honorário da França

 

Mistério

Decorridos cinco dias, a polícia não sabe a causa e a circunstância da morte do publicitário e cônsul honorário da França, Francisco Borghoff, encontrado sem vida em um quarto de hotel em Joinville. O mistério deverá ser desvendado pelo delegado Leonardo Marcondes Machado, que trabalha com a hipótese de suicídio

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Greve dos professores

 

Greve: final previsível

A suspensão da greve dos professores da rede estadual constituiu-se numa decisão prevista lá atrás, antes mesmo que a assembleia tivesse decidido pela paralisação. Era a crônica de uma derrota anunciada.

Numa disputa política, como numa competição esportiva ou num confronto sindical, avaliações de cenário, análise dos poderes dos adversários e outros fatores são fundamentais para o sucesso do projeto.

A greve deste ano tinha apenas dois pontos em comum com a histórica mobilização de 2011: pagamento do piso na carreira e descompactação da tabela salarial. De resto, tudo mudou.

Há três semanas, o cenário era claro como água. A sociedade não era a favor da greve, os professores estavam divididos, o ano eleitoral não recomendava a paralisação, havia racha no comando estadual, a comunicação do governo melhorou e, o mais importante, inexistia clima para greve.

Os professores deveriam ter mantido o “estado de greve”, ampliado a mobilização estadual, procurado informações oficiais sobre o Fundeb, aprofundado dados financeiros sobre os 25% da educação, sensibilizado os pais dos alunos para, aí sim, tentar partir para a paralisação.

O governador Raimundo Colombo manteve uma posição firme, reiterada pelo secretário Eduardo Deschamps durante os 16 dias de greve: só reabriria as negociações com a volta das aulas. O governo estava escaldado com a greve de 2011. Negociou pelo menos três vezes, chegou a selar acordos com o Sinte, vieram as assembleias gerais e os dirigentes sindicais foram desautorizados. As negociações – avaliou o governo – prorrogaram a greve. A tese acabou vitoriosa: a negativa da reabertura das conversações antecipou o fim da paralisação.

A segunda mudança: a blindagem do governador. Desde que a paralisação foi anunciada, Raimundo Colombo evitou falar sobre a decisão. Na greve de 2011, o tema esteve presente em todas as entrevistas nas mais diferentes regiões do Estado. Ajudou até, de certa forma, a oxigenar a oxigená-la, pela ação inédita das redes sociais. Na paralisação de 2012, tudo foi transferido ao secretário da Educação, Eduardo Deschamps, que conduziu as conversas com o Sinte, juntamente com o coordenador de Negociações, Décio Vargas.

No magistério, o cenário também era outro. Como a liderança da presidente Alvete Bedin e o grupo do PT-CUT saíram fortalecidos, as outras correntes ideológicas trabalharam para ocupar os espaços. Esta disputa interna explica a própria decisão da assembleia estadual. As regionais do Sinte no Oeste eram contra a greve. Outras, no Vale do Itajaí e no Planalto Serrano, também. A maioria transferiu a decisão para a assembleia, que teve justamente a presença majoritária dos que queriam a greve. A assembleia esteve longe de falar pela maioria, justamente o oposto de 2011.

Todos estes fatores políticos na base e na cúpula do Sinte estarão influenciando o Congresso Estadual, quando vai haver renovação da diretoria. Na internet, esta disputa ideológica é flagrante, e ficou mais patente agora na greve.

A greve teve conquistas, ressaltou a professora Joaninha de Oliveira, do Conlutas, presença em todas as greves, após a reunião do Sinte com o secretário Eduardo Deschamps. A primeira reunião de negociações acontece hoje, com uma pauta que inclui a questão salarial, as punições, a reposição das aulas e também antigas reivindicações do magistério.

O reinício das negociações reduz, pelo menos, o desânimo que atinge o magistério.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Informe Político

Assunto: PEC dos Bombeiros

 

Quase acertou

Antes de abrir a sessão ordinária da tarde de ontem, o presidente Gelson Merisio previa que pelo menos 26 deputados votariam a favor da admissibilidade da PEC dos bombeiros voluntários.

No resultado final, foram 25, quando eram necessários 21.

 

 

Mobilização

Caravanas vindas de Joinville tomaram conta das galerias e áreas próximas ao plenário na Assembleia. Bombeiros voluntários e empresários repetiam o discurso dos 125 anos da corporação como forma de respaldar a campanha pela PEC, que autoriza convênios com as prefeituras para fazer a fiscalização e emitir alvarás.

 

 

Reunidos

Tamanha era a mobilização dos joinvilenses pela aprovação da PEC que questões políticas e a eleição que se aproxima foram suficientes para evitar o trabalho em comum.

Juntos, o prefeito Carlito Merss (PT), o empresário Udo Döhler (Acij e pré-candidato do PMDB), o deputado Darci de Matos (pré-candidato do PSD), além dos empresários Gean Marcos Corrêa (Ajorpeme), Marcos Krelling e Moacir Thomazi (do PP e presidente do Corpo de Bombeiros Voluntários) estavam em posição estratégica, à frente da porta principal que leva ao plenário.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: PEC dos Bombeiros

 

PEC passa em duas votações

O projeto de emenda constitucional (PEC) para permitir aos municípios fazerem convênios com os bombeiros voluntários para a verificação de normas de incêndios em construções passou pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) daAssembleia Legislativa e teve a admissibilidade aprovada em plenário por 25 votos a favor e sete contrários. Oito deputados preferiram não votar.

O dia de votações foi agitado na AL. Desde o começo da manhã, o plenário estava lotado de bombeiros militares e voluntários. Com excesso de público, parte das pessoas teve de assistir a reunião da CCJ e, posteriormente, a discussão em plenário por um telão instalado no corredor principal da Assembleia.

As duas votações de ontem foram muito festejadas pelas lideranças políticas, empresariais e comunitárias de Joinville que viajaram a Florianópolis acompanhar a votação e pressionar pela aprovação da proposta. A banda dos bombeiros voluntários celebrou a vitória com canções e músicas, que ecoaram pela Assembleia.

O texto, agora, irá novamente para discussão na CCJ, onde será analisado no mérito. Os deputados terão 40 dias para discutir a proposta. Caso seja aprovado, ele vai novamente à votação em plenário. Lá, serão necessários 24 votos entre os 40 deputados para a aprovação definitiva.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Violência no Ticen

                                                                   

Médicos, enfermeiros e funcionários de hospitais trabalham sem segurança

Bandidos armados, disfarçados de visitantes ou de polícia, continuam invadindo unidades de saúde para resgatar comparsas e executar rivais.

Insegurança nos hospitais

A invasão no Hospital Regional de São José, por homens armados, seguida da  execução sumária de Tiago Costa, com três tiros, num leito do quarto  é um exemplo claro da falta de segurança nas unidades de saúde. Não é a primeira vez que bandidos invadem hospitais. As ações de criminosos nestas unidades daria um belo roteiro para filme policial. Há cerca de seis anos, o Regional de São José registrou a fuga do mais famoso assaltante de banco do país, o gaúcho Cláudio Adriano, o Papagaio, resgatado por comparsas disfarçados de policiais. No Nereu Ramos, o traficante Gângster, que saiu da cela da Deic para atendimento de saúde, também conseguiu se livrar das algemas e pular a janela. Em quase todas as unidades hospitalares da Capital há registros de fugas cinematográficas. Apesar de todas estas ocorrências, a segurança nas unidades de saúde não foram reforçadas deixando médicos e funcionários no fio da navalha.  Até quando

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Caixa eletrônico do Hospital Caridade é atacado

 

Caixa eletrônico do Caridade é atacado

Durante a ação, na madrugada de domingo, bandidos usaram maçaricoA Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) deve assumir, hoje, as investigações para identificar seis homens que entraram no Hospital de Caridade, no Centro de Florianópolis, e arrombaram o caixa eletrônico do Banco Santander, no interior da entidade, com um maçarico.

 

Para entrar na instituição, na madrugada de domingo, os suspeitos usaram um crachá provisório capaz de abrir uma porta lateral exclusiva para funcionários. A agência bancária fica dentro do prédio e próxima a uma ala com pouca circulação durante a madrugada. O crime teria sido percebido por um funcionário na manhã de domingo, quando foi tentar sacar dinheiro e percebeu a violação do equipamento.

A agência está funcionando normalmente, mas o caixa eletrônico ainda está danificado. Um tapume improvisado esconde a parte da frente do equipamento, onde os criminosos fizeram um rombo para retirar o malote com dinheiro.

A direção do hospital não quis se pronunciar sobre o caso. As imagens captadas por câmeras de segurança foram disponibilizadas para a polícia. O delegado que ficará responsável pelo inquérito na Deic, Diego Azevedo, acredita que os bandidos sejam de Joinville e afirma que não pode divulgar as gravações da ação para não atrapalhar as investigações.

– Pelo tipo de ação, com o uso de maçarico, acreditamos que o bando tenha vindo de Joinville. Iremos intensificar as investigações sobre o crachá, como eles conseguiram ter acesso ao documento de identificação do funcionário.

Um colaborador do hospital, que preferiu não ter o nome divulgado, diz que o crachá utilizado pertencia a um médico. A polícia e a diretoria do hospital não confirmaram a informação. O banco também não informou a quantia levada pelos arrombadores.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Bando faz a limpa em loja

Os ladrões que entraram numa loja das Casas Bahia, no Bairro Campinas, em São José, na Grande Florianópolis, na madrugada de ontem, utilizaram três automóveis para levar mais de 40 TVs furtadas, além de celulares, câmeras, tablets, o cofre do estabelecimento e dinheiro de um caixa eletrônico do Banco Bradesco.

A estimativa é de que o valor levado pelos bandidos alcance cerca de R$ 100 mil, entre produtos e dinheiro do cofre. As informações são do titular da 3a Delegacia de Polícia de São José, delegado Rodolfo Cabral.

O policial afirmou que os investigadores conseguiram pistas da autoria do crime e acredita que será possível a identificação e a prisão dos responsáveis. Conforme o delegado, a polícia suspeita que os criminosos tiveram informações privilegiadas que facilitaram a ação. Segundo a polícia, os ladrões teriam conseguido entrar por uma porta lateral, arrombando um cadeado. Com isso, chegaram a uma porta nos fundos da loja. Como não havia marcas nessa porta, a suspeita é de que os criminosos tinham a chave ou que ela estava aberta.

Não há filmagens da invasão, apenas da movimentação de pessoas no local por volta das 2h30min, feitas pelo sistema de câmeras de um estabelecimento próximo.

 

Menina era espancada por mãe e padrasto

Uma denúncia anônima pode ter salvado a vida de uma menina de dois anos em Criciúma. De acordo com a Polícia Militar (PM), a criança vinha sendo espancada pelo padrasto e pela mãe há pelo menos um mês.

Ontem pela manhã, a PM prendeu os agressores e o conselho tutelar da cidade pegou a criança. Segundo a conselheira Giovana Madeira Loureano, o nascimento da menina, em 2009, foi acompanhado pela entidades, pois havia suspeitas de que ela pudesse sofrer negligência.

Mas, como até então não havia denúncias de maus-tratos, a criança permanecia sob os cuidados da mãe, de 21 anos, e do padrasto, de 25, que seriam usuários de drogas.

– Esta foi a primeira denúncia envolvendo os dois. Segundo vizinhos, a criança vinha sofrendo agressões há mais de um mês – disse Giovana.

A menina foi encaminhada para o Hospital Infantil Santa Catarina com suspeita de uma lesão no ombro. Segundo a conselheira, o estado dela é grave, mas estável. A vítima tem uma irmã de apenas cinco meses. As duas serão levadas para um abrigo.

 

Justiça procura o suspeito de matar jovem

A Justiça de Joinville procura por um rapaz de 19 anos acusado de matar um jovem de 16 anos e deixar outro gravemente ferido em um jogo similar à roleta-russa feito dentro de casa, no Bairro Jardim Iririú, em agosto do ano passado.

Segundo a denúncia do Ministério Público, Philipe Ronan Sestrem colocou duas munições intactas e uma terceira já deflagrada no revólver e apertou o gatilho pela primeira vez, apontando na direção de um adolescente. A arma não disparou.

Em seguida, teria apontado para a cabeça de Rafael Mafra e puxado o gatilho novamente. A arma disparou e matou o garoto de 16 anos na hora. A mesma bala acertou o rosto de um rapaz de 18 anos, que ficou gravemente ferido. Na época, as testemunhas teriam dito à polícia que um homem havia invadido a casa e atirado, sem mencionarem a roleta-russa.

Em setembro, a Justiça recebeu a denúncia e expediu um mandado para Philipe responder às acusações, mas ele não foi encontrado. Na semana passada, um edital de citação foi publicado no Diário da Justiça.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Homem é preso com 600 pedras de crack

Jorge Roberto da Silva, 32 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar com cerca de 600 pedras de crack, por volta de 22h30min da última terça-feira, no Bairro Monte Cristo, em Florianópolis. Segundo o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), ele foi flagrado com a droga na localidade conhecida como grota, mas estava sem nenhuma arma. As 600 pedras de crack estavam dentro de uma mochila que ele carregava no momento da prisão. Juntas, renderiam cerca de R$ 3 mil, de acordo com a Polícia Civil.

 

Pai agride filho de 15 anos com enxada

Um adolescente de 15 anos foi agredido com uma enxada pelo próprio pai, em Itajaí. O caso ocorreu na tarde de terça-feira no Bairro São Vicente. O homem de 43 anos acabou preso por tentativa de homicídio. O menino, que sofreu um corte na cabeça e tinha vários machucados pelo corpo, passa bem. Segundo a Polícia Militar, o homem alegou que agrediu o filho porque o menino estaria o ameaçando. Na Delegacia de Polícia foi constatado que já existiam vários boletins de ocorrência contra o pai, todos por agressão.

 

Médico é suspeito de injúria racial

A polícia investiga a denúncia de que o médico Heverton Menezes, 62 anos, teria praticado crime de injúria racial contra uma atendente de um cinema de Brasília, na tarde do último domingo. A intimação para o depoimento do médico foi feita na manhã de ontem, e ele deve depor ainda nesta semana.

O advogado de Menezes, Aldo Zago, nega as acusações.

– Ele não praticou toda essa ofensa. Pode ter ocorrido uma discussão, como se tem diariamente com a secretária ou o porteiro do prédio, mas não a título de humilhar a pessoa.

Irritado com o início da sessão e sem um ingresso ainda comprado, ele teria dito a Marina Serafim, 25 anos, que ela deveria “estar morando na África, cuidando de orangotangos”. Diante da reação dos demais clientes, que aguardavam para ser atendidos, ele fugiu do shopping, segundo mostram câmeras de segurança do lugar.

– Ele começou a falar que eu era muito grossa e por isso eu era dessa cor. E que eu estava no lugar errado e não deveria estar lidando com gente, mas com animais – disse Marina.

Segundo o delegado Marco Antonio de Almeida, o médico deve responder por injúria racial, com pena de um a três anos de prisão e multa. Segundo Almeida, o médico esteve envolvido em ocorrência semelhante em 2002, quando discutiu com uma mulher numa fila para votar.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Atuação do PCC

 

A Polícia fala da atuação do PCC nas explosões, mas não mostra a prova

Assim como ela derrubou a quadrilha “treinada pelo PCC” deveria frear a violência na Capital, onde casas de família são alvos de ladrões

Evolução criminosa

É de se estranhar a participação do PCC (Primeiro Comando da Capital) facção criminosa criada nos presídios paulistas, nos ataques aos caixas eletrônicos em Santa Catarina. A Diretoria Estadual de Informações Criminais não informa como descobriu a ligação da facção paulista com os caixeiros catarinenses que usam dinamites.  Com exceção de um gaúcho, os demais presos, no último fim de semana, são catarinenses de Brusque. É bom lembrar que as explosões a caixas eletrônicos foi uma evolução da gangue do maçarico, que nasceu em Joinville. Independente da polêmica, a polícia fez uma investigação perfeita, tirando de circulação bandidos que aterrorizavam com explosivos e armas longas. Assim como ela derrubou esta quadrilha organizada e violenta, também deveria frear a onda de assaltos na Capital, onde jovens armados invadem casa de trabalhador. Estes suspeitos não são organizados como a gangue da dinamite da dinamite e “nem treinados pelo PCC”, mas deixam muitas famílias apavoradas.

 

 

 

 

BLOGS

 

 

Moacir Pereira

 

Aprovada PEC dos Bombeiros Voluntários

Decisão sensata da maioria dos deputados estaduais foi tomada hoje. A Assembleia Legislativa decidiu pela continuidade da tramitação da Proposta de Emenda (PEC) 001/2012 que estende aos municípios o direito de realizar convênios com os corpos de bombeiros voluntários para fiscalização de projetos e obras. Na parte da manhã, a Comissão de Constituição e Justiça derrubou o relatório do deputado Sargento Amauri Soares pela inconstitucionalidade da matéria. A proposta seguiu para o plenário, que aprovou a sua admissibilidade por 25 votos a 7.

O gabinete do deputado Darci de Matos (PSD) registrou a importante decisão: “O deputado Darci de Matos, que foi um dos maiores defensores da PEC, comentou que foi uma batalha difícil, pois usaram argumentos falsos, de que o Estado estaria abrindo mão da fiscalização se a PEC fosse aprovada. Antes da votação, Darci encerrou seu discurso dizendo “que essa PEC não é contra ninguém. A vistoria técnica depende da Prefeitura, que pode fazer convênio com a corporação que quiser. O momento não é de briga. Estamos pensando somente na vida dos catarinenses”. O parlamentar lembrou que a mobilização de políticos, líderes empresariais e bombeiros voluntários, principalmente de Joinville, foi fundamental para garantir este placar favorável.”

Os bombeiros voluntários prestam, realmente, serviços inestimáveis a população catarinense.

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

 

Veículo: Folha Online

Editoria: Geral

Assunto: Helicóptero com suspeito de degolar 7 cai no interior de GO

 

Helicóptero com suspeito de degolar 7 cai no interior de GO

Um helicóptero da equipe da Polícia Civil usado pela polícia na investigação da chacina de sete pessoas em Doverlândia (GO) caiu na tarde desta terça-feira a 30 km da cidade de Piranhas, quando retornava a Goiânia. O suspeito dos assassinatos, Aparecido Souza Alves, 23, estava no helicóptero e morreu no acidente.

Não há sobreviventes, segundo a Polícia Civil. Além do piloto e do copiloto, também estavam no voo outros três delegados e dois peritos, de acordo com a delegacia.

A perícia foi ao local do acidente para avaliar as causas da queda.

A FAB (Força Aérea Brasileira) enviou dois peritos para investigar as causas do acidente com o helicóptero modelo Agusta-Koala. Eles devem chegar ao local do acidente na manhã de quarta.

Alves confessou ter degolado o dono de uma fazenda e outras seis pessoas. Outras três pessoas estão presas sob suspeita de cometer o crime junto com Alves.

 

CRIME

Sete pessoas foram mortas e degoladas no último dia 28 em uma fazenda no sul de Goiás. O crime aconteceu por volta das 17h no município de Doverlândia (a 403 km de Goiânia).

Além do fazendeiro Lázaro de Oliveira Costa, foram mortos seu filho, Leopoldo Rocha Costa, e o vaqueiro Eli Francisco da Silva, funcionário da fazenda.

As outras quatro vítimas –Miracy e Joaquim Manoel Carneiro, o filho do casal, Adriano, e a namorada dele, Tames Mendes da Silva– eram amigos do fazendeiro e foram ao local para fazer uma visita.

Todos os corpos foram encontrados com cortes no pescoço que, segundo a polícia, chegavam quase à coluna das vítimas.

Na segunda-feira (30), a polícia prendeu Aparecido Souza Alves em flagrante. Ele tinha o tênis sujo de sangue e, com ele, foram encontrados um celular e uma carabina que pertenciam às vítimas.

____________________________________________________________________________ Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: PMs de Sergipe processam a cantora Rita Lee por danos morais

 

 

 

PMs de Sergipe processam a cantora Rita Lee por danos morais

Serão 16 ações individuais e cada policial pedirá indenização de R$ 24 mil.

Cantora protestou contra a ação dos PMs e os xingou em seu último show.

.A informação é do advogado Plínio Karlo, que representa os PMs, que se sentiram ofendidos pela artista durante seu último show realizado no dia 29 de janeiro, na Praia da Atalaia Nova, no município da Barra dos Coqueiros (SE), região metropolitana de Aracaju.

A cantora protestou contra a ação dos PMs que realizavam a segurança do evento e chegou a xingá-los. Ao final da apresentação Rita Lee foi detida por desacato e encaminhada à Delegacia Plantonista, na capital sergipana, onde prestou depoimento e foi liberada em seguida.

De acordo com o advogado, que preferiu entrar com ações individuais na justiça, cada policial irá requerer R$ 24.880 mil de indenização.

“A declaração dada por ela nesta semana ao Fantástico, de que sofreria de transtorno bipolar, não irá prejudicar a ação. A primeira audiência conciliatória já foi marcada para o dia 18 deste mês. Os processos irão tramitar nas 1ª, 3ª, 5ª e 8ª Varas Cíveis de Aracaju”, afirmou Karlo.

Ainda segundo o advogado, mesmo tendo sido diagnosticada bipolar, a cantora não poderá alegar que estava doente no momento da apresentação. “O processo seguirá normalmente, e esta nova informação passada pela cantora não deverá proceder, pois como ela poderá alegar que estava doente naquele momento?”, questionou.

 

Acordo

Na semana passada, a Justiça de Sergipe enviou uma carta precatória à comarca de São Paulo para que a cantora defina, no prazo de dez dias, se irá acatar ou não o acordo proposto pelo Ministério Público Estadual. A promotoria quer que a artista preste serviços comunitários por três meses e doe o cachê, de R$ 115 mil, para o Fundo Municipal para Criança e Adolescente do município da Barra dos Coqueiros.

 

Show polêmico

Rita Lee fez seu show de despedida, na Atalaia Nova, e xingou os policiais que faziam a segurança por considerar ‘invasivo’ o tratamento com seu público.

Em uma das interrupções a cantora fez a seguinte declaração: “Seus cachorros! Coitados dos cachorros. Cafajestes! Vocês estão fazendo de propósito. Eu sou do tempo da ditadura, se pensa que eu tenho medo, p..! Venha aqui! Eu sou mulher. Mulher, queridos! Sou mãe tive três filhos, tenho uma neta, 67 anos, que que vocês vão fazer? É isso que vocês querem? Chamar a atenção? Eles querem chamar a atenção, querem cantar? É horrível! Eu tenho paranoia com esse tipo de coisa, por que isso? Por quê? Eu queria saber. Cadê? Cadê por escrito que vocês têm que fazer isso? Cavalaria aqui não, filho. De cavalo. Cavalo é um bicho delicado. Que isso? Não. Eu não vou esperar, esse show é meu, as pessoas estão esperando eu cantar. Não é a gracinha de vocês. Seus f… da p…. Agora venha aqui me prender”.

Ainda durante a apresentação, a cantora recebeu um mandado de intimação para comparecer à Corregedoria de Polícia, na manhã seguinte, o que não foi aceito por ela. Ao deixar o palco, Rita Lee foi detida e encaminhada à Delegacia Plantonista, onde prestou depoimento. Segundo o delegado Leogenes Correa, em seu depoimento, a cantora disse que toda a ação foi gerada pelo ‘calor das emoções’ e por ter achado truculenta e desnecessária a ação dos policias com seus fãs.