Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 06 de fevereiro

6.2.2012

 

Clipping 06 de fevereiro

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

16 mil ficaram sem luz em Blumenau

Uma chuva forte, seguida de granizo, caiu sobre Blumenau por volta das 16h30min de ontem e deixou cerca de 16 mil pessoas sem energia elétrica. Os moradores da região Norte foram os mais atingidos. Segundo o gerente regional da Celesc Claudio Varela, a falta de energia prejudicou, principalmente, moradores dos bairros Itoupava Central, Itoupavazinha, e partes do Salto do Norte e Testo Salto. O número de residências atingidas foi reduzindo gradativamente ao longo da tarde e início da noite, com o restabelecimento gradual do serviço. No fim da tarde, por volta das 18h, o número de atingidos havia baixado para 6 mil. Por volta das 20h, eram 1,3 mil consumidores sem energia elétrica, segundo a Celesc.

 

Residência em risco é interditada

Em Rio do Sul, no Alto Vale, a chuva de sábado à noite provocou a interdição de uma casa na Rua Concórdia, no Bairro Santa Rita. Segundo o Corpo de Bombeiros, perto das 23h30min, o ribeirão transbordou e a residência de madeira com 50 metros quadrados foi deslocada por um metro. A família saiu da casa e se abrigou em outra, próxima ao local. Ninguém se feriu. Por orientação da Defesa Civil, ontem a residência começou a ser desmontada. O diretor da Defesa Civil de Rio do Sul André Gustavo Wormsbecher diz que a chuva foi isolada e atingiu poucos bairros. Foram registrados outros três pontos de alagamentos e um segundo deslizamento, sem danos.

 

Ocupação improvisada

Sentado ao lado de uma das 70 casas do loteamento da Margem Esquerda, doadas pela embaixada da Arábia Saudita em 2009, próximo à BR-470, em Gaspar, Augusto Galberto Vieira fazia planos para o jardim. Ele e a mulher, Maria Tereza, arrumavam os últimos detalhes da mudança para o local, que ocorreu no sábado. A família Vieira, assim como cerca de outras 20, não quis esperar pela inauguração do loteamento.

O lugar já tem água e luz instaladas na maioria das casas. Cada morador providenciou o esgoto.

– Vou fazer um sumidouro do lado da casa. Não deu mais para esperar. Onde a gente morava estava muito perigoso – comenta Augusto.

A antiga casa dos Vieira, no Bairro Poço Grande, foi condenada pela Defesa Civil após a catástrofe de 2008.

Loreci Dias está morando no loteamento há um mês. A água que saía de um buraco ao lado da casa e seguia em direção à rua, a moradora disse ser da máquina de lavar roupas.

– Meu marido instalou fossas. Assim dá para usar o banheiro. Tivemos que fazer porque a gente estava há três anos pagando aluguel – explica.

Todos os moradores receberam as chaves das suas casa, que têm 36 metros quadrados divididos em dois quartos, sala/cozinha e banheiro. A prefeitura fez a entrega para que as famílias cuidassem do lugar, evitando invasões. Para liberar o loteamento, o município precisa pavimentar as ruas e implantar o tratamento de esgoto e drenagem pluvial.

– Aguardamos R$ 2 milhões de financiamento da Caixa Econômica Federal para isso. Fizemos as alterações solicitadas e acredito que, em breve, o dinheiro seja entregue – informa o diretor de Habitação da Secretaria de Planejamento Urbano de Gaspar, Heriberto Kuntz.

Caso a liberação do projeto não aconteça em breve, o município estuda a possibilidade de bancar as obras com recursos próprios.

As famílias que receberam as casas moravam nos bairros Belchior, Margem Esquerda e Sertão Verde, atingidos pela catástrofe de 2008

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: O reencontro do PSDB

 

 

O reencontro do PSDB

Pela primeira vez este ano e depois de um longo hiato, o comando estadual do PSDB volta a se reunir hoje, na residência do presidente Leonel Pavan, em Balneário Camboriú. Motivado pelo enfraquecimento dentro do governo, pelas disputas internas e pela desmobilização estadual, o encontro pretende reunificar o partido, pacificar o tucanato e definir os projetos para as eleições municipais deste ano, sem perder de vista o pleito governamental e presidencial de 2014.

O fato de ser marcado para o apartamento de Pavan gerou duas leituras: a primeira, que seria um gesto de boa vontade para com os correligionários que escaramuçam com o presidente há meses; a segunda, que, não sendo realizada na sede do partido, acaba constrangendo os que tem divergido de Pavan.

A primeira parte da reunião deverá se transformar numa espécie de muro das lamentações. Os secretários Marco Tebaldi, Serafim Venzon, Dalirio Beber e Felipe Melo farão um balanço do primeiro ano de governo. Tebaldi e Venzon tem queixas contra a “carbonização” pública a que foram submetidos. Tebaldi está fora da Secretaria da Educação; Venzon está com um pé na rua, indo na mesma direção. A situação de Dalirio, ao contrário, é forte na presidência da Casan. A de Felipe Melo depende do futuro do pai, o deputado federal Jorginho Melo.

Este, aliás, é outro capítulo a ser analisado. Dirigentes e a bancada estadual concordam em expedir um documento ao deputado Jorginho Melo, garantindo que não irão à Justiça Eleitoral pedir a cassação de seu mandato se ele cancelar filiação no PSDB. Mas o senador Paulo Bauer já antecipou seu voto: é contra. Primeiro, por constatar sua ineficácia. Uma carta não pode se sobrepor à legislação federal. Segundo, porque é da Executiva Nacional e não teria como justificar a autorização. E declarou que fará o que estiver a seu alcance para que Jorginho Melo permaneça no PSDB.

 

 

CANDIDATURAS

Paulo Bauer, que não indicou ninguém para cargos no governo Colombo, anunciou que vai mostrar o gradativo esvaziamento do PSDB. Cobra do governador Raimundo Colombo o critério fixado de dividir os cargos conforme a votação para a Assembleia. Compara com o PSD, que teve praticamente os mesmos votos e identifica que os tucanos tem a metade dos espaços dos liberais.

Os deputados estaduais querem saber como ficará o partido na reforma do secretariado. Se saírem Tebaldi e Venzon, qual a compensação que os tucanos terão. E, também, qual a estratégia do governador para as eleições municipais. Sobretudo, se as atenções que Colombo vem dando ao PMDB de Luiz Henrique e Eduardo Moreira se repetirá em relação ao PSDB. A exigência da contrapartida nas coligações faz parte da estratégia político-eleitoral.

A desgastante saída de Marco Tebaldi da Educação e a fritura de Serafim Venzon na Assistência Social feriram os brios do tucanato. Começou a mobilização para lançamento de candidaturas nos principais municípios.

Destacam os nomes de Clesio Salvaro (favorito em Criciúma), Marco Tebaldi (Joinville), coronel Ivon de Souza (Palhoça), Napoleão Bernardes (Blumenau), Carlos José Stüpp (Tubarão), Vicente Caropreso ou Miura De Marchi (Jaraguá do Sul), Rubens Spernau ou Fabricio Oliveira (Balneário Camboriú), Flavio Berte (Dionísio Cerqueira), Joao Batista Nunes ou Marcos Vieira (Florianópolis), entre outros nomes.

O PSDB quer definir se prevalecerão critérios locais ou o projeto estadual e federal de 2014 nas eleições deste ano.

_____________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Encontro delegado-geral e presidente da Associação dos Delegados

 

Expectativa

Encontro inusitado entre o delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, e o presidente da Associação dos Delegados, Renato Hendges, na Assembleia. A conversa começou com bom-humor e D’Ávila cobrou de Hendges um cumprimento que diz não ter recebido e que o colega de profissão disse que não foi percebido.

Antes, na conversa com o prefeito de Rio do Sul, D’Ávila disse que a proposta do governo era boa e lembrou que a passava pelos deputados estaduais promessas que teriam que ser cumpridas este no. Hendges afirmou que só espera ser chamado para conversar.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Secretariado

 

O secretariado

O secretário de Estado da Comunicação Social, Derly Anunciação, vai assumir a Secretária da Casa Civil do governo, sucedendo o deputado estadual Antônio Ceron. A mudança foi oficializada ontem pelo governador, na Casa dAgronômica, durante reunião com Ceron, logo após a leitura da mensagem anual na abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa. Raimundo Colombo tinha mantido várias conversas com Derly Anunciação, que deverá se transformar no principal executivo do governo. A ideia é que assuma o comando de uma comissão de gerenciamento, um gestor estadual, para cobrança de resultados, acompanhamento de obras e fiscalização de convênios e acordos com os municípios. De acordo com o novo projeto, a parte política da Casa Civil ficará sob a responsabilidade do ex-deputado Gelson Sorgato, secretário-executivo de Articulação Estadual, e do consultor geral, o ex-prefeito de Caçador Fernando Driessen.

O deputado Antônio Ceron também já esteve reunido com seu sucessor. Retomará os contatos na próxima segunda-feira, para ultimar a transmissão de cargo. Em princípio, a mudança ocorrerá no final de fevereiro.

Com a ida de Derly para a Casa Civil, a Secretaria de Comunicação deverá ser ocupada pelo ex-deputado Ênio Branco, atual presidente da SC Parcerias. Ele está neste momento na Itália, em missão oficial. Seguirá hoje para a China, acompanhado dos secretários Paulo Bornhausen e Alexandre Fernandes e da presidente da Cohab-SC, Maria Darci Mota Beck. Retornará dia 10 de fevereiro, quando será convidado para comandar a comunicação do governo.

 

 

MUDANÇAS

As últimas conversações em torno da reforma sofreram alteração de rumo. Colombo estava decidido a nomear um professor com formação técnica para a Secretaria da Educação. Um nome circulava forte nos bastidores: o do professor Sérgio Gargioni, atual presidente da Fapesc.

Com as reações do PSDB, contudo, o governador estaria refluindo para a ideia inicial, com a promoção do professor Eduardo Deschamps, do PSDB de Blumenau, de adjunto para titular da pasta. As negociações prosseguem.

Novas cogitações incluem a Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte. Para o lugar do deputado Cesar Souza Junior (PSD), surgiram duas hipóteses: a do prefeito Beto Martins, que uniria o PSDB, em franca divisão interna; e o deputado Silvio Dreveck, se o PP entrasse agora no governo. Beto Martins descartou a hipótese porque teria que renunciar à prefeitura de Imbituba, passando o cargo para a vice-prefeita Leia Lopes, do PSD, com a qual está em conflito. Pulverizaria sua sucessão. O vice-governador Eduardo Moreira esteve ontem com ele no Sul e ainda tem esperanças de que aceite, embora considere a operação muito difícil.

Quanto ao PP, a tendência que se consolida é de assumir o governo só depois das eleições municipais. Com isso, a Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte seria entregue a um dos líderes da tríplice aliança. O nome agora cogitado é do deputado estadual Darci de Matos, do PSD. Seria uma compensação para Joinville, que perde Marco Tebaldi na Educação, e um reforço na candidatura de Udo Döhler (PMDB) à prefeitura.

O governador está determinado também a mudar a Secretaria da Assistência Social e Trabalho, hoje dirigida pelo deputado Serafim Venzon, do PSDB. O nome mais citado hoje é do deputado estadual Dado Cherem, líder da bancada. Há um acordo político na Assembleia de que o próximo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado será indicado pelo PSDB. Dado Cherem sonha com o cargo.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Detenta é morta dentro de presídio

 

 

Detenta é morta dentro de presídio

A mulher presa na semana p assada por maltratar a filha foi morta dentro do Presídio Feminino, em Florianópolis. O crime ocorreu por volta das 17h de sábado.

A autora do crime foi pega em flagrante e, como já estava detida, deve sofrer medida disciplinar.

A polícia não informou como Simone Siqueira Chaves, 19 anos, foi assassinada. O companheiro dela também foi preso na quinta-feira passada e seria encaminhado para a Central de Triagem na última sexta-feira.

Os dois seriam usuários de drogas e são suspeitos de ter agredido a filha de Simone, de dois anos e dois meses. A menina teria ficado com o rosto desfigurado e encaminhada ao Hospital Infantil, na Capital.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

 

Duas tentativas de homicídio na Capital

Uma mulher levou do marido uma enxadada na cabeça, por volta das 13h30min de ontem, no Bairro Rio Vermelho, Norte da Ilha.

A vítima foi socorrida. A polícia não soube informar se o marido foi preso. Outra tentativa de homicídio ocorreu em um posto de combustíveis em Canasvieiras, também no Norte da Ilha. A ação ocorreu por volta das 23h30min de sábado. Uma mulher com R$ 9 mil na bolsa levou três tiros no braço. O atirador fugiu.

 

Homem sofre disparo no sábado à noite

Mais um homicídio foi registrado em Florianópolis. A ocorrência foi no sábado à noite. Jean Geraldo dos Santos, 30 anos, estava na Rua Luiz Boiteux Piazza, no Bairro Cachoeira do Bom Jesus, na região Norte da Capital. Um homem apareceu e disparou contra Jean. Boletins de ocorrência contra a vítima e registrados por ela foram identificados na 7a DP de Canasvieiras.

 

Polícia encontra jovem morto em Camboriú

Um homem foi encontrado morto na madrugada de ontem, em Camboriú. A Polícia Militar fazia ronda e encontrou o jovem, de aproximadamente 25 anos e 1,78 metros de altura, caído no na Rua Macieira, no Bairro Tabuleiro. Ele teve traumatismo craniano e não apresentava lesões. A Polícia Civil investigará o caso. O corpo, que estava até a noite de ontem no Instituto Médico Legal, ainda não havia sido identificado.

 

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Segurança

Assunto: Guardas municipais de Florianópolis lutam pelo reconhecimento

 

 

 

Guardas municipais de Florianópolis lutam pelo reconhecimento

Profissionais querem ser respietados pelo trabalho, não pelo poder ou uso de armas de fogo

 

 

Agentes atuam na abordagem de usuários de drogas nas ruas

 Com oito anos de atuação nas ruas da Capital, a GMF (Guarda Municipal de Florianópolis) quer abandonar o papel de coadjuvante no atendimento à comunidade. Os agentes pretendem conquistar o respeito da população pelo trabalho, não pelo poder de aplicar multas aos motoristas imprudentes ou uso de armas. A busca é por uma contribuição maior para garantir a segurança pública. Atividades de fiscalização ao comércio ilegal de mercadorias e abordagens a usuários de drogas começam a dar visibilidade à atuação da corporação.

Até o fim do mês passado, poucas pessoas sabiam que a Guarda poderia efetuar prisões. Após uma ocorrência ao lado da base, os servidores prenderam três arrombadores. Os criminosos haviam furtado o carro de um casal de turistas argentinos. O comandante da instituição, Ivan Couto, explicou que fazer detenções não é o foco da GMF. “Só fizemos isso em casos de flagrante ou por ordem judicial”, ressaltou. O centro de controle da entidade não tem à disposição um número sobre a quantidade de prisões. Porém, diariamente alguém é conduzido para a delegacia de polícia.

Entre as atribuições da corporação estão tarefas de fiscalizar o trânsito, orientar a entrada de estudantes em 20 escolas municipais, zelar pelo patrimônio público e, desde o fim do ano passado, coibir vendedores ambulantes ilegais. Durante a temporada, já foram registradas 20.000 apreensões, somando 200 mil itens.

Couto justificou a nova atribuição. Para ele, a comercialização irregular de produtos está ligada diretamente ao crescimento das favelas na Capital. “As pessoas vêm para trabalhar no verão. Gostam da cidade e acabam ficando. O problema é que, sem qualificação, não conseguem se emprego e são empurradas para locais como as favelas Papaquara e do Siri, no Norte da Ilha. São regiões marcadas pela criminalidade”, avaliou.

 

Impressão é de um serviço tranquilo

Para a produção da reportagem, a equipe do Notícias do Dia acompanhou o trabalho de uma guarnição pela região central de Florianópolis. Em uma hora de trabalho, houve aplicação de multas, morador de rua se negando a dar explicações e abordagem a usuários de drogas. A impressão é que o serviço de rua é tranquilo Faltou ação.

Fábio Luiz Mendes, 36 anos, explicou que a rotina é normal. Tudo depende do dia. “Às vezes, nada acontece. De repente, chove, e são dois ou três acidentes de trânsito ao mesmo tempo”, disse. Na corporação, há equipes responsáveis pelo trânsito, fiscalização de ambulantes e para acompanhar os usuários de drogas.

A atuação da GMF é restrita ao Centro da Capital e ao Continente. O comandante Ivan Couto estima que sejam necessários 900 guardas para atender toda a cidade. Atualmente, são 147 servidores Pelo menos para este ano, não há previsão de novas contratações.

O secretário municipal de Segurança e Defesa do Cidadão, Hamilton Pacheco da Rosa, reconhece a necessidade de reforçar a instituição. Segundo ele, no ano passado, a falta de recursos impediu a possibilidade de realizar um concurso. “A Guarda vem se destacando e merece novos agentes, mas surgiram outras prioridades”, justificou.

Dos 100 primeiros agentes chamados, em 2003, para formar a Guarda Municipal, 24 abandonaram o cargo devido à má remuneração e à falta de estrutura da corporação. A segunda turma, convocada em 2008, encontrou melhores condições ao se beneficiar da lei 321. Os novatos entraram com salário inicial valorizado, aproximadamente R$ 2,2 mil. Em contrapartida, a jornada de trabalhou passou de 30 para 40 horas semanais. E ficou definido que, em caso de novo concurso, os candidatos teriam que ter curso superior.

A alteração também permitiu o uso de armas de fogo. Nesses quatro anos, os agentes fizeram só um disparo, durante uma perseguição. Foi em dezembro de 2010. Um pedestre foi atingido no pé.

Vágner Manoel Canela, 36 anos, atua desde o início da Guarda. Ele destacou que a população ainda vê os agentes como aplicadores de multa, mas a percepção está mudando. “As pessoas veem que estamos nos estruturando. Somos um ponto de apoio à comunidade”, afirmou. A estruturação deve continuar neste ano. A Guarda foi beneficiada por um projeto da Secretaria Nacional de Segurança Pública, que destinou R$ 1 milhão para a aquisição de veículos, armas não letais e capacitação dos servidores.

 

Coronel afirma que atuação é importante

O coronel Araújo Gomes, da Polícia Militar, trabalha com mais que o dobro do efetivo da Guarda Municipal, no comando do 4º Batalhão da PM. São 350 policiais militares à disposição, além de reforço eventual em dias de eventos e de operações especiais. Para ele, a atuação dos guardas no ordenamento do trânsito é importante. Isso, no entanto, não significa que possa ser aumentado o número de policiais militares para fazer o trabalho de prevenção a crimes nas ruas.

Gomes argumentou que a ideia de montar a Guarda, em 2003, na gestão da então prefeita Angela Amin (PP), foi vendida como solução para a falta de efetivo da PM. “É só procurar nos jornais da época. Na prática, isso nunca ocorreu. Não há como desvincular o policiamento ostensivo do trabalho no trânsito”, afirmou.

 

Confira os números

 

147 agentes

14 viaturas

17 motos

6 bicicletas

R$ 2,2 mil é o salário médio de um guarda municipal, já com gratificações

A jornada de trabalho é de 8 horas

13.617 foi o número de ocorrências acionadas pelo centro de operação, no telefone 153, no ano passado

60 mil multas foram aplicadas em 2011

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Segurança

Assunto: Mãe que espancava filha pequena é estrangulada no presídio feminino

 

 

 

Mãe que espancava filha pequena é estrangulada no presídio feminino

Presa que matou Simone disse que foi obrigada a cometer o crime. Ela revelou que recebeu ordem para matar, se não obedecesse seria morta

O Deap (Departamento de Administração Prisional) abriu sindicância para investigar a morte da detenta Simone de Siqueira Chaves, 19.  Ela foi estrangulada por uma companheira de cela no Presídio Feminino da Capital. O crime ocorreu na tarde de sábado.  A jovem estava detida desde a última sexta-feira, acusada de espancar a filha, de dois anos e dois meses de idade.A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar as causas da morte.

O delegado Ênio Oliveira Matos revelou que uma das reclusas estrangulou Simone com um saco plástico. “Ela confessou o homicídio, mas ainda temos que investigar para saber o quê realmente ocorreu”, afirmou Matos.

Segundo o diretor do Deap, Leandro Lima, a acusada contou que foi obrigada a cometer o crime. “Existem algumas regras na cadeia que são difíceis de entender. A Simone foi presa por espancar a filha. Isso não é aceito pela massa carcerária. A colega de cela informou que recebeu a ordem para matar. Se não obedecesse, ela seria morta”, relatou o diretor.

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assuntos: Falso policial

                   Divisão de Repressão a Entorpecentes

 

 

Falso policial que tentou se infiltrar na delegacia de Biguaçu “dançou”

A maioria dos golpitas mexe com dinheiro falso. Mas o que chamou a atenção foi um cidadão que se passou por polícia e fez até blitz com a PM

Falso policial

Um sete um dentro de delegacia? Para evitar e prevenir tentativas deste desagradável golpe, muitas vezes o profissional é obrigado a quebrar a ética e pedir a carteira funcional para quem vai a uma delegacia alegando que é policial e precisa de ajuda. Golpistas existem aos montes e no verão eles se multiplicam. Na temporada são campeões em ir às compras com dinheiro falso. Mas o que chamou a atenção, na última sexta-feira, foi a ousadia de um cidadão que passava nas delegacias e dizia que era policial. O istepô chegou até a fazer blitz em morros da Capital com policiais militares. É bom cortar o mal pela raiz e ficar ligado em suspeito deste naipe, que se acha esperto, para impedir algum tipo de prisão irregular. O fio desencapado que tentou se infiltrar no meio dos policiais de Biguaçu, sexta-feira, deve estar arrependido até hoje.

 

Deic já botou o bloco da Divisão de Repressão a Entorpecentes na rua

Diretor diz que a investigação é longa e quando sai para pegar a cadeia é grande. Traficantes que se cuidem porque vai ter ensaio geral

A Diretoria Estadual de Investigações Criminais já botou o bloco da Divisão de Repressão a Entorpecente na rua: tirou de circulação uma quadrilha de traficantes de drogas que vinha aterrorizando nas comunidades de Chico Mendes e Pasto do Gado, no Continente, na Capital. Metidos a valentões com  pistola  nove milímetro na cintura, os traficantes expulsam das casas famílias que não guardam drogas e nem armas para eles. O diretor da Deic, delegado Cláudio Monteiro afirma que a investigação é longa, mas,  quando sai para pegar,  a cadeia é grande, como ocorreu durante a incursão de quinta-feira na comunidade Chico Mendes. A Deic está ligada na movimentação de traficantes, foragidos, assaltantes que explodem caixas eletrônicos e revelou que em breve vai ter ensaio geral do bloco da DRE. Está certo o delegado, tem que botar esta “vagabundagem” na cadeia.

 

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Portal G1/Terra

Editoria: Brasil

Assunto: Greve da Polícia em Salvador

 

 

Sindicalista em greve da Polícia Militar é preso em Salvador

Um dos integrantes do movimento grevista dos policiais militares foi preso na madrugada deste domingo. De acordo com o governo, Alvin dos Santos Silva, que é lotado na Companhia de Policiamento de Proteção Ambiental (COPPA), foi detido pelo comandante da COPPA, major Nilton Machado.

Ele é acusado de formação de quadrilha e roubo de patrimônio público em função da retenção de viaturas. O policial também vai responder um processo administrativo na corporação. Alvin foi encaminhado para a Polícia do Exército.

Com a prisão dele, a polícia cumpre o primeiro dos 12 mandados de prisão expedidos pela Justiça.

A greve dos policiais militares da Bahia, que completou no domingo cinco dias, motivou uma onda de violência na capital. Desde a quarta-feira, a região metropolitana de Salvador registrou 70 homicídios, o que representa 117% de aumento na comparação com o mesmo período do ano passado.

A ausência de policiamento nas ruas causou dezenas de saques e violência em todo o Estado. Só na sexta, 58 carros foram roubados e algumas lojas arrombadas e saqueadas. Cerca de 3 mil militares da Força Nacional e de unidades das Forças Armadas estão sendo enviados ao estado para fazer a segurança da população. Mais 4 mil militares da 10ª Região Militar, em Fortaleza, no Ceará, podem ser deslocados para reforçar o policiamento na Bahia.

 

Greve da polícia dobra homicídios em 4 dias em Salvador

Greve na polícia militar baiana motivou ida do Exército às ruas na capital

A greve dos policiais militares da Bahia, que completou neste sábado quatro dias, motivou uma onda de violência na capital. Desde a quarta-feira, a região metropolitana de Salvador tem mais de 50 homicídios, o que representa 117% de aumento na comparação com o mesmo período do ano passado.

A ausência de policiamento nas ruas causou dezenas de saques e violência em todo o estado. Só na sexta, 58 carros foram roubados e algumas lojas arrombadas e saqueadas. Cerca de 3 mil militares da Força Nacional e de unidades das Forças Armadas estão sendo enviados ao estado para fazer a segurança da população. Mais 4 mil militares da 10ª Região Militar, em Fortaleza, no Ceará, podem ser deslocados para reforçar o policiamento na Bahia.

Alguns shows e atividades culturais agendadas para este fim de semana foram cancelados. Entre elas, um evento musical com a participação da cantora Ivete Sangalo.

Os policiais em greve estão acampados em frente à Assembleia Legislativa. Eles reivindicam a aprovação do plano de carreira, regulamentação da gratificação de atividade policial, nível 5, melhores salários e condições de trabalho.

Para avaliar a situação, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, estão em Salvador para acompanhar as operações das Forças Armadas na garantia da segurança da população durante a greve. O diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, e o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general José Carlos de Nardi, também participam da comitiva.

 

 

Com PM em greve, Polícia Rodoviária

A Polícia Rodoviária Federal no Ceará anunciou nesta terça-feira (3) que está executando um plano emergencial de reforço do policiamento nas estradas federais do Estado. A medida visa “garantir o exercício do direito de ir e vir da população” durante a paralisação de parte da Polícia Militar no Ceará, deflagrada na quinta-feira (29).

De acordo com a PRF, todo o efetivo do Ceará está à disposição da área operacional. Os policiais que iriam tirar férias nos próximos dias terão folga adiada e policiais que trabalham em serviço administrativo estão sendo redirecionados para o serviço de policiamento ostensivo. Além disso, segundo a PRF, todos estão trabalhando em escalas especiais de reforço.

Em nota, a Polícia Rodoviária Federal informa que requisitou do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, em Brasília, reforços de policiais, viaturas, armamentos e aeronaves para o Ceará. A previsão de chegada do reforço é para esta semana, conforme a Polícia Rodoviária.

Ainda conforme nota à imprensa, o objetivo do reforço é “minimizar os efeitos do déficit de policiamento para a população”, e não haver interferência nas negociações do Governo do Estado com os policiais militares paralisados.

saiba mais

Agentes de trânsito, banco, lojas e prefeitura encerram expediente no CE

Governo estadual cede 130 carros ao Exército para policiamento no Ceará

PMs vão continuar parados após decisão da Justiça, diz associação

Justiça determina o retorno imediato dos policiais do Ceará ao trabalho

No dia 29 de dezembro parte dos policiais militares e bombeiros do Ceará decidiram paralisar as atividades até reunirem com o governador do estado, Cid Gomes, para ouvir as reivindicações da categoria. Desde o início da paralisação, os funcionários se encontram acampados no 6º Batalhão da Polícia Militar.

Os policiais usaram carros da companhia para bloquear a rua que dá acesso ao Batalhão e secaram os pneus dos veículos. No Batalhão também estão filhos e mulheres dos servidores. De acordo com o presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar, Flávio Sabino, estão acampados no local cerca 800 policiais e 400 familiares. Ainda conforme Sabino, as crianças estão instaladas em conforte e eles estão se alimentando de doações de vizinhos e amigos.

Os policiais e bombeiros reivindicam aumento salarial reajuste salarial de 80% em quatro anos, sendo aumento de 20% em cada ano e ainda anistia pela participação em ato de protesto no dia 17 de dezembro, quando servidores protestaram durante uma visita de Cid Gomes a obras do Metrofor, o metrô de Fortaleza.

Por conta da paralisação dos PMs, cerca de 10.000 segundo Flávio Sabino, o governo do estado decretou situação de emergência e convocou homens das Forças Armadas e Força Nacional de Segurança Pública, autorizada pela presidente Dilma Rousseff em edição extra do Diário Oficial da União de 31 de dezembro.

Na segunda-feira (2), a Justiça decretou retorno imediato dos policiais e bombeiros ao trabalho. Em caso de descumprimento da determinação, cada policial está sujeito a multa diária de R$ 500, e as associações devem pagar multa de R$ 15.000. Apesar da decisão, os PMs seguem paralisados, acampados no 6º Batalhão.