Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 04 de janeiro

4.1.2012

 

CLIPPING

04 de janeiro 2011

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Tráfego em local indevido

                    Papagaio

                    Vistoria no Estádio Índio Condá

 

RISCO Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, nas últimas duas semanas foram autuados 220 condutores por trafegarem em local indevido, na BR-101 Sul, no trecho entre Paulo Lopes a Passo de Torres.

 

SAI DA “TOCA”

O assaltante Cláudio Adriano Ribeiro, conhecido como Papagaio, que está preso na penitenciária de São Pedro de Alcântara, onde passou o Réveillon no setor de triagem, troca hoje a pequena cela, conhecida por “toca”, pela cela coletiva. A defesa do assaltante está preparando o pedido de permanência dele em Santa Catarina.Nos bastidores, os policiais, apontam um grande motivo para a insistência do assaltante em ficar em SC. Seria a paixão por uma garota de programa que trabalhava em uma conhecida casa em Itapema.

 

MELHORIAS

A vistoria da Polícia Militar no Índio Condá, ocorrida na semana passada, não foi acompanhada por ninguém da Chapecoense e da prefeitura, que é a administradora do estádio. A ala leste é a que mais preocupa, onde há tapumes para serem trocados e entulho. O local está bastante deteriorado, mas o município não quer fazer investimentos, pois a previsão é de licitar uma nova ala. Se tudo der certo, a licitação sai ainda em 2012.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Fim de ano com menos mortos em SC

O trânsito foi mais violento neste fim de ano em Santa Catarina em comparação com o mesmo período do ano de 2010, em número de acidentes. Foram 1.243 e 32 mortes nas rodovias federais entre 16 de dezembro e 2 de janeiro, contra 1.155 acidentes e 36 mortes na operação anterior.

 

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a imprudência foi, mais uma vez, determinante para números tão negativos. Das mortes, 15 aconteceram em colisões frontais, acidentes que, na maioria dos casos, são provocados por ultrapassagens indevidas e excesso de velocidade. Houve seis atropelamentos que resultaram em mortes.

Nos 18 dias da operação, 13.980 veículos foram fiscalizados, e 8.361 multas aplicadas. Foram retidos 814 veículos e 201 carteiras de habilitação apreendidas. Foram lavrados mais de 9 mil autos de infração por excesso de velocidade, via radares.

 

Duas pessoas mortas em acidente na BR-101

Um acidente no km-256,8 da BR-101, em Paulo Lopes, na Grande Florianópolis, resultou na morte de duas pessoas às 18h de ontem. Um Nissan Tiida Sedan bateu na lateral de um Fiat Uno, que trafegava no sentido contrário, saiu da pista e capotou. Dos ocupantes do Uno, Daniel Alfredo Pereira, 24 anos, morreu na hora, e Rodrigo Freitas, 24 anos, a caminho do hospital. O motorista e um dos passageiros do Uno ficaram feridos levemente, e outro ocupante, teve lesões graves. No Nissan, o condutor e um passageiro saíram ilesos.

 

 

Pedreiro soterrado em obra em Guaramirim

O pedreiro Gilberto Rodrigues de Campos, 32 anos, foi soterrado, ontem, enquanto trabalhava em uma obra em Guaramirim, Norte de SC. Quando os bombeiros chegaram ao local, os colegas de Gilberto já tinha tirado parte do barro de cima dele. Os bombeiros cavaram um buraco de dois metros de profundidade para retirá-lo com segurança. Ele foi levado para o hospital com suspeita de fratura na bacia e na perna direita.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Guarda-vidas

 

Forte terá salva-vidas

Secretaria de Segurança garante monitoramento na praia após manifestações em razão do afogamento de dois irmãos

Sob pressão real, da comunidade, e virtual, das redes sociais, a Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina (SSP) voltou atrás, ontem, e vai contemplar a Praia do Forte, no Norte da Ilha de Santa Catarina, com guarda-vidas. De forma improvisada, em barracas, eles estarão presentes à beira-mar a partir do próximo sábado.

Pouco depois de ser divulgada uma nota oficial justificando os custos e investimentos da Operação Veraneio 2011/2012 e a quantidade de guarda-vidas nas praias, o secretário César Gruba informou à reportagem do DC, por telefone, que a Praia do Forte terá uma equipe de salvamento já neste ano. A decisão foi tomada durante uma reunião com o coronel bombeiro militar José Luiz Masnik.

– Não estamos aumentando o quadro de pessoal, mas trabalhando com remanejamento de profissionais – explicou o secretário Gruba.

 

Um pouco antes,

Apesar da garantia dos guarda-vidas, o comandante Masnik alerta:

– É indispensável que as pessoas compreendam que elas também são responsáveis pela sua segurança e das pessoas sob sua guarda. Não se pode esperar que a segurança dos banhistas seja oferecida exclusivamente pelos guarda-vidas – sugeriu.

Mesmo depois da morte por afogamento de dois irmãos, de 11 e 13 anos, na tarde de domingo, o governo mantinha a decisão de só colocar guarda-vidas na Praia do Forte em 2013. A comunidade local não aceitou a alegação de que faltava estrutura, como uma guarita, e desafiou:

– Conseguimos o material e a mão-de-obra necessária para a construção do posto. Mas o governo terá que colocar os salva-vidas – sugeriu Alberto Bion, presidente da Associação dos Moradores da Praia da Forte.

Além de convocar uma reunião com moradores – veranistas, comerciantes e até turistas – a associação deve fará um abaixo-assinado para a instalação definitiva de um serviço de salva-vidas. A decisão de colocar guarda-vidas na Praia do Forte não atinge, inicialmente, outra praia desprotegida: Ponta das Canas..

 

 

Banhistas sentem-se inseguros

Ninguém mais ficou tranquilo depois dos afogamentos que levaram à morte os dois irmãos. Além de medo, veranistas carregam para as areias questionamentos quanto à falta de guarda-vidas na praia.

– Eu estava saindo de casa e minha mulher avisou: cuida dessas crianças na água, que já morreram dois lá na Praia do Forte. Fica de olho porque lá não tem salva-vidas – contava Paulo Sergio Vergartenen, morador da Vargem Pequena, ao lado dos filhos.

Vergartenen considera injusta uma decisão que deixa um lugar frequentado por tantas famílias com crianças sem guarda-vidas:

– Segurança se faz necessário não apenas para os turistas e aqueles com maior poder aquisitivo, como em Jurerê Internacional, mas também aos moradores da cidade. O veranista ajuda a movimentar a economia comprando uma espiga de milho, um refrigerante, um picolé.

O amigo Giovane Andreola também foi acompanhado dos filhos à praia e fez a mesma reclamação.

– Claro que existe descuidos e muita gente relaxa com as crianças, mas o Estado tem obrigação de garantir proteção às pessoas – afirmou.

Hospedada na Praia de Canasvieiras, também ao Norte da Ilha, a turista argentina Soledad Perez nem percebeu que faltava guarda-vida na Praia do Forte.

Mas se somou ao grupo dos que fazem a reivindicação.

– Como tem em Canasvieiras e também em Jurerê Internacional, a gente nem percebe a inexistência. Achei que tinha salva-vidas em todas as praias de Florianópolis – explicou.

Soledad disse que busca águas calmas por causa das crianças e dá preferência por aquelas com maior faixa de areia, onde elas podem brincar com maior tranquilidade:

– Aqui me parece ideal, pois tem um espaço amplo. Mas fico preocupado se entrarem na água, principalmente por causa dos buracos.

 

 

Enterra um filho e vela o outro

Uma triste coincidência marcou a manhã de ontem da família Oliveira. Em Itajaí, eles velavam o corpo do caçula Henrique José, 11 anos, quando por celular foram avisados de que havia sido localizado Carlos Eduardo Alves Oliveira, 13 anos.

Tão logo terminou o enterro, às 9h, o pai dos meninos deixou Itajaí e foi para o Instituto Geral de Perícias, em Florianópolis, tratar da liberação e traslado. Carlos Eduardo será enterrado às 9h de hoje.

O corpo de Carlos Eduardo foi localizado por volta das 7h, por um pescador, na Praia do Forte. Estava próximo do local do afogamento. As mortes aconteceram a cerca de 50 metros da praia e a uma profundidade de três metros. Na noite de domingo foi resgatado o corpo de Henrique José. Na segunda-feira, bombeiros e pescadores usaram uma rede de arrasto para achar o segundo corpo.

Na hora dos afogamentos, os irmãos brincavam com um primo de 13 anos que conseguiu se salvar.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Corpo de Bombeiros/Viatura da polícia

 

Praias

Já que o Corpo de Bombeiros, por falta de material humano, não tem condições de colocar salva-vidas em cada uma das praias de Florianópolis, é muito importante ao menos colocar placas não só alertando do cuidado, mas, também, das responsabilidades dos pais com os seus filhos, para evitar tragédias como esta na Praia do Forte, na Ilha.

Walter Lemos Filho – Consultor motivacional

Florianópolis

 

Praias

Passei uma semana na Praia do Campeche, em Florianópolis, e nesses sete dias não avistei nenhuma viatura da polícia e nenhum policial monitorando a quantidade de cachorros e de fezes dos mesmos na faixa de areia e perto da praia. Era assustador. Os próprios moradores levam seus cachorros e deixam eles fazerem suas necessidades. Sinceramente, uma vergonha!

Daniela Carla de Jesus – Recepcionista

São José

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: SC saúde

 

Impasses no SC Saúde

 

Importante reunião entre os presidentes das entidades médicas especializadas e diretores técnicos de clínicas e instituições hospitalares vai acontecer hoje, às 19h30min, na sede da Associação Catarinense de Medicina. Tratará dos impasses na implantação do SC Saúde. Os integrantes do Conselho das Entidades Médicas (Cosemesc) estarão presentes.

O prazo para adesão de médicos e instituições hospitalares termina nesta sexta-feira, dia 6. Até agora não houve acordo entre o governo, as entidades médicas e as associações de hospitais do Estado.

O secretário da Administração, Milton Martini, informa que estão credenciados mais de 1,7 mil médicos e de 50 hospitais. Anunciou para amanhã a assinatura de ato de adesão do Hospital de Caridade e do Laboratório Santa Luzia, de Florianópolis.

O edital que trata do credenciamento dos hospitais sofreu alguns ajustes. O novo texto será publicado hoje. Mas dois dos pleitos dos hospitais não foram atendidos. Um deles fixa que os preços dos medicamentos serão aqueles de fábrica. Os hospitais querem um acréscimo, para cobrir as despesas operacionais com os pacientes. Outro pretende dar liberdade aos servidores internados de optarem por um quarto ou apartamento de qualidade superior, e assumindo o pagamento da diferença. Martini descartou esta possibilidade.

Em relação aos médicos, o que está impedindo um acordo é o valor dos honorários fixados para as diferentes especialidades. O Conselho das Entidades Médicas enfatiza que a assistência de qualidade só será possível com a aplicação da tabela da CBHPM, adotada pela AMB. Martini já disse que este nível de remuneração inviabilizaria o SC Saúde, quebrando seu equilíbrio financeiro.

 

 

NOVOS DILEMAS

O secretário da Administração alega, também, que os valores do novo SC Saúde são superiores àqueles pagos hoje pela Unimed no atendimento às 180 mil pessoas do plano. O presidente da ACM e do Cosemesc, Aguinel José Bastian Junior, concorda que houve melhoria, mas esclarece que os valores atuais estavam totalmente defasados. E foi esta tabela que levou a Unimed a rescindir o contrato com o governo.

Os médicos estão questionando dois problemas graves que poderão afetar os pacientes, a partir de 1º de fevereiro. Primeiro, indagam quem são os 1,7 mil médicos credenciados. São os especialistas que dão assistência hoje aos pacientes ou outros profissionais sem o mesmo nível de confiança? Segundo, como ficarão os pacientes em tratamento, que serão obrigados a mudar de médicos, se eles não se credenciarem ao novo plano? Alguns especialistas já estão advertindo seus pacientes.

Outra situação delicada que não foi devidamente esclarecida. O governo garante que o novo SC Saúde, com gestão própria, não estará subordinado às regras da Agência Nacional de Saúde, o que ocorre atualmente com todos os serviços da Unimed. Ninguém sabe como, legalmente, será possível prestar o serviço sem subordinação à ANS.

O presidente do Cosemesc, Aguinel Bastian, está enviando uma carta a todos os servidores explicando a posição dos médicos e alertando-os sobre os delicados problemas que poderão surgir a partir de fevereiro.

– O nome da catarinense Eva Maria Cella Dal Chiavon, ex-secretária do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e ex-braço direito de Dilma Rousseff na Casa Civil é o mais cotado para ser a nova ministra do Desenvolvimento Agrário. Eva Maria, natural de Chapecó, há vários anos é a poderosa secretária da Casa Civil do governador Jacques Wagner, na Bahia.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Movimento supera 2 mil apoios

 

Movimento supera 2 mil apoios

Até as 21h de ontem, mais de 2 mil pessoas aderiram ao abaixo-assinado eletrônico que pede a anulação da sessão extraordinária do dia 20 de dezembro, que aprovou o aumento de 35% para o salário dos 15 vereadores de Blumenau para a próxima legislatura.

Ameta do Movimento Marcha Contra a Corrupção, que organizou o documento virtual, é superar as 3 mil assinaturas para depois, entrar com ação judicial.

Segundo o coordenador do Movimento, Ruy Basílio, a intenção é atingir esta meta ainda neste mês para entrar com a ação mês que vem, junto com o retorno dos vereadores aos trabalhos legislativos. O Movimento argumenta que faltou transparência e publicidade da sessão por parte dos vereadores.

A votação do reajuste foi no último dia de trabalho dos vereadores no ano. Com o aumento, o vereador passará a ganhar R$ 7.436.

O abaixo-assinado está no site www.peticaopublica.com.br. Basta procurar por Blumenau na busca.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: PM prende mãe de Suéllen

 

PM prende mãe de Suélen

Adriana Alves estava numa casa onde policiais filmaram comércio de drogas

Adriana Sabino Alves, 37 anos, viúva do traficante Paulo César Alves, o Cesinha, foi presa na noite de ontem, em Florianópolis, por suspeita de tráfico, numa operação da Polícia Militar. Adriana chegou com suas duas filhas e seu advogado à Central de Polícia da Capital, às 21h30min. Questionada sobre seu envolvimento com o tráfico, ela respondeu secamente que nem sabia por que estava ali.

De acordo com o delegado Antônio Godoi, a filmagem feita pela PM, que mostrava dois usuários comprando drogas na casa onde Adriana estava foi decisiva para a prisão em flagrante. Na gravação, foram identificados dois homens, de 39 e 34 anos, comprando crack e cocaína.

Ao serem abordados, eles afirmaram ter comprado a droga numa casa da Rua Capitão Osmar Silva, no Bairro Pantanal. Na casa, estavam Adriana e seu sobrinho Leonardo Luiz Alves, 21 anos, que também foi preso em flagrante.

Apesar de Adriana ter negado seu envolvimento com o tráfico, para o delegado, a filmagem caracterizaria a prova de que ela estaria supervisionando o comércio ilegal da droga na região. Além da gravação, foram apreendidas algumas pedras de crack e certa quantidade de cocaína.

– O que importa não é a quantidade, e sim a caracterização da comercialização da droga – disse Godoi.

Adriana, que já cumpriu pena em 2006, será encaminhada ao presídio feminino da Capital. Leonardo vai para a central de triagem, no Bairro Estreito. Segundo o delegado, ainda ontem à noite um juiz decidiria se Adriana responderá em liberdade ao processo ou se fica presa.

Em 1o de dezembro de 2011, Suélen Sabino Alves, 21 anos, filha de Adriana, foi assassinada com três tiros na Avenida Beira-Mar Norte. Segundo a polícia, Suélen teria assumido o controle do tráfico no Bairro Pantanal após a morte de Cesinha.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Garoto permanece na UTI

 

Garoto permanece na UTI

O estado de saúde do garoto baleado na cabeça na noite de segunda-feira, no Bairro Monte Cristo, região continental de Florianópolis, é gravíssimo. Ele está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Infantil Joana de Gusmão.

Omenino tem entre 11 e 13 anos. Segundo a Delegacia de Homicídios, o irmão dele, morto em 2011, tinha envolvimento com o tráfico de drogas. Policiais suspeitam que o garoto foi atingido por causa de outro crime, na madrugada de domingo, na comunidade Chico Mendes.

De acordo com a polícia, Douglas Alexandre dos Santos, 22 anos, foi baleado na Rua Joaquim Machado, na Chico Mendes, que fica no Bairro Monte Cristo. Ele foi encontrado morto pela mulher depois que moradores a avisaram do ocorrido.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a morte de Douglas foi o primeiro homicídio na Capital em 2012. Outro jovem, identificado apenas como Ivan, também foi baleado no mesmo fato. Ele sobreviveu, mas está internado em estado grave no Hospital Celso Ramos. A polícia investiga a motivação do crime, que estaria ligado a desentendimentos.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

 

Homem morre queimado

Um homem morreu e um sargento da Polícia Militar teve queimaduras de primeiro e segundo graus em 60% do corpo após o primeiro ter tentado incendiar dois caixas eletrônicos em Abelardo Luz, no Oeste.

Às 20h30min de segunda-feira, o sargento Valmir Bressan Camargo tentou impedir que Fábio Bevilacqua, 30 anos, incendiasse os caixas usando gasolina.

Os dois lutaram e Bevilacqua pôs fogo no policial, mas também ficou ferido. Ele teve 90% do corpo queimado, não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada de ontem, no Hospital São Paulo, em Xanxerê.

 

Camargo – que teve mãos, braços, pernas e rosto queimados – foi transferido ontem à tarde para o centro de tratamento de queimados do Hospital da Unimed da Joinville.

Bevilacqua foi enterrado no final da tarde de ontem.

 

 

Mulher mata marido com faca e marreta

Um homem de 55 anos foi morto a marretadas e facadas pela mulher, em Criciúma, na madrugada de ontem. Presa em flagrante, ela confessou que, numa briga, deu duas marretadas na cabeça do marido. Arrependida, teria tentado levar o homem inconsciente até o hospital. No caminho, ele teria acordado e os dois voltaram a brigar. A mulher parou o carro, pegou uma faca e o golpeou duas vezes no pescoço.

 

Assaltantes levam R$ 1,5 mil de loja

Uma dupla levou R$ 1,5 mil da loja de conveniências de um posto de combustíveis, em assalto na madrugada de ontem em Biguaçu, na Grande Florianópolis. O vigilante foi rendido e trancado no banheiro. A arma dele também foi roubada. O assalto aconteceu por volta das 2h. Os dois estavam encapuzados e o vigilante disse que não conseguiu ver detalhes da fisionomia. Um fugiu a pé, e o outro, numa bicicleta.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Estudo mostra que praia da Daniela é uma mais perigosas

 

 

Estudo mostra que praia da Daniela, no Norte, é uma das praias mais perigosas de Florianópolis

A praia do Forte é de médio risco, segundo geólogo. Bombeiros destinam três guarda-vidas para o local ainda nessa semana

 

Pessoas frequentam o Pontal da Daniela, apesar da placa reforçando o perigo

Pouca gente imagina, mas, apesar da ausência de ondas e da aparência inofensiva, a praia da Daniela, no Norte da Ilha, é considerada uma das mais perigosas de Florianópolis. A praia do Forte, cenário de dois afogamentos que levaram à morte duas crianças no domingo, é considerada de risco médio. Apesar do CBMSC (Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina) avaliar que a praia é de risco baixo, o órgão anunciou, na tarde de terça-feira, o remanejamento de três guarda-vidas que irão atuar no local ainda nesta semana.

As informações sobre a periculosidade das praias da Ilha foram publicadas em 2010, em estudo realizado pelo geólogo e professor da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Norberto Horn Filho. A praia da Daniela, segundo ele, é influenciada por correntes marítimas superficiais, que podem arrastar os frequentadores para o oceano com facilidade. O estudo indicou que as praias de frente para o oceano Atlântico não são recomendadas para banho, principalmente por causa do fundo irregular.

De acordo com Horn, os pontos mais perigosos são o norte da praia da Armação, a parte central do Moçambique e o centro-norte da praia Mole. “Mas, além delas, duas próximas à baía apresentam perigos: a da Daniela, bem ao sul, e a situada embaixo da ponte Hercílio Luz. Esta possui um canal com cerca de 30 metros de profundidade”, afirmou.

O perigo das correntes marítimas se espalha por toda a praia da Daniela, piorando no Pontal. “Na praia do Forte não é tão intenso, mas existe. Principalmente se a pessoa não sabe nadar e as questões emocionais influenciam no momento de voltar para a areia”, comentou o geólogo. Na Daniela, uma placa já desgastada pelo tempo tenta alertar para os perigos de nadar no local. Mas o aviso está situado na ponta mais ao Sul, longe de onde fica a maioria das pessoas.

“Sempre viemos, mas percebemos as placas e tomamos cuidado. Quase nunca nadamos aqui”, garantiu Edson Antonechen, que mora há cerca de um ano em Florianópolis. O namorado da filha dele, João Matheus Ceole, viajou de Maringá (PR) para visitar a família e tentou entrar na água. “Desisti. Dá para sentir que puxa. Passa uma corrente fria”, contou. Próximo dele, uma criança brincava na areia. “Ela toma banho pertinho. Ficamos sempre de olho”, justificou Mara Anele, avó da menina.

 

Daniela e Forte são de risco baixo para Bombeiros

O subcomandante-geral do CBMSC, coronel Marcos de Oliveira, não concorda com o estudo e afirmou que a Daniela é uma praia que não apresenta riscos. “Assim como a do Forte, a Daniela é de baixo risco. Mas toda praia é perigosa e exige cuidados”, avaliou. Nessa temporada, os 1.200 guarda-vidas civis e 250 bombeiros espalhados pelo Litoral catarinense já ressuscitaram 45 pessoas e salvaram 812 banhistas levados por correntes de retorno.

Oliveira explicou que até a próxima tempora será feito um novo estudo para identificar outras praias que precisam de guarda-vidas, como a Daniela e a praia do Forte. “Com a ajuda da associação de moradores, e de forma improvisada, vamos colocar três guarda vidas na praia do Forte ainda nesta semana”, reforçou.

 

Banhistas inseguros na praia do Forte

Enquanto a assistência não chega, os frequentadores têm medo e ficam receosos. Letícia Pereira e Luis Fernando Pereira, moradores de Ribeirão Preto (SP) estão passando as férias com os filhos e vivenciaram os afogamentos no local. “Antes, a gente já era chato. Isso serviu para eles também verem como é perigoso”, relatou Letícia. Os meninos, de 7, 10 e 13 anos jogavam bola na praia, na tarde de terça-feira, próximo às pedras.  “Precisaria ter guarda-vidas. A gente não tem ideia de como pode ser perigoso e chega a perder a noção de distância quando entra na água. Dá a impressão que é uma lagoa. Falta sinalização”, reclamou Luis.

 

Cuidados na praia

 

– Crianças não devem nadar sem supervisão de adultos

 

– Reconheça suas habilidades e seus limites no mar

 

– Procure não ultrapassar profundidades superiores à cintura

 

– Evite tomar banho em locais com correntes, obstáculos e nas proximidades de desembocaduras de rios

 

– Evite mergulhar em locais próximos a costões

 

– Não nade depois de ter ingerido bebidas alcoólicas

 

 

BLOGS

 

 

Moacir Pereira

 

Colombo e o novo piso salarial dos professores

Quando desembarcar hoje em Miami, o governador Raimundo Colombo vai tomar um susto, se estiver acompanhando este blog ou se tiver acesso à Folha de São Paulo. O assunto é piso salarial dos professores da rede estadual, que deverá ser atualizado este ano por força da lei federal.  Está no Painel de hoje:

” Antes de se despedir do MEC rumo à eleição paulistana, Fernando Haddad (PT) deverá faturar com o derradeiro gesto de visibilidade de sua gestão: até o dia 15 o ministro planeja anunciar o patamar de reajuste do piso nacional dos professores, que pode atingir 22% -de 2010 para 2011, o salto foi de 15,85%.

Embora afague categoria numerosa do funcionalismo, o novo valor intimida os governadores. Quando o tema foi discutido no Congresso, políticos dos mais diversos matizes entraram em campo na tentativa de reduzir o percentual, já que 17 Estados descumprem hoje a remuneração mínima, de R$ 1.187.”

 

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Folha Online

Editoria: Geral

Assunto: PM e bombeiros do CE voltam ao trabalho; polícia civil paralisa

 

 

 

PM e bombeiros do CE voltam ao trabalho; polícia civil paralisa

 

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do Ceará devem retornar ao trabalho hoje após a greve que durou seis dias. A Polícia Civil, no entanto, iniciou ontem uma nova paralisação.

Após acordo, PM e bombeiros do Ceará encerram greve

Segundo o Sinpoci (Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará), a categoria quer a redução da carga horária de oito para seis horas diárias, reajuste salarial e o pagamento de um subsídio equivalente a cerca de 60% do valor pago aos delegados de polícia do Estado.

Até as 8h40 desta quarta (horário de Brasília), no entanto, o sindicato ainda não tinha um balanço de adesão a paralisação.

A greve da Polícia Civil é a terceira registrada em menos de um ano. O sindicato da categoria já havia promovido greves em julho e em outubro de 2011.

           

Lojas ficaram fechadas ontem em Fortaleza devido ao medo de arrastão; PM decidiu encerrar greve

ACORDO

O retorno dos PMs e bombeiros ao trabalho deve ocorrer ao longo de hoje, de acordo com a Associação de Cabos e Soldados Militares do Ceará. Ontem (2), estabelecimentos comerciais foram fechados devido ao temor de arrastões, assim como órgãos públicos, como o Tribunal de Justiça do Ceará.

O acordo com o governo que encerrou a greve incluiu um reajuste de 56%, deixando o salário em R$ 2.634, e uma redução na jornada de trabalho de 46 para 40 horas semanais, além da implantação de um auxílio-alimentação de R$ 10 por dia (os policiais militares não recebiam nada até então, só os civis).

Também ficou combinado que nenhum dos policiais ou bombeiros que participaram das paralisações serão punidos.