Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 02 de agosto

2.8.2012

 

CLIPPING

02 de agosto de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Troca de comando no CBMSC

                    Retrato falado de criminosos

                    Delegacia Geral da Polícia da Civil

 

DUCHA DE ÁGUA FRIA – Os coronéis Marcos de Oliveira (de costas) e José Luiz Masnik não escaparam do tradicional batismo durante a troca de comando no Corpo de Bombeiros Militar. O desafio de Oliveira será conseguir a liberação de recursos para modernizar os equipamentos da corporação. Das 154 viaturas auto-bombatanque, 81 têm mais de 25 anos de uso (são do ano 1982) e 143 tem mais de 5 anos de uso.

 

RETRATO FALADO

As mudanças não param na Deic, no Estreito. Cassius Clay, desenhista e policial que há anos faz o retrato falado de criminosos para a Polícia Civil, também não atua mais na diretoria. Cassius foi para o subdistrito do Ribeirão da Ilha, na Capital. A saída teria sido por vontade própria. As reconstituições de imagem, a partir de agora, serão feitas pelo IGP.

 

CASA NOVA

Dentro da política de contenção de gastos públicos, o secretário César Grubba foi quem deu a boa notícia durante a posse de 324 novos policiais civis, terça à noite, em Florianópolis. A Delegacia Geral da Polícia da Civil passa a funcionar, até o final do ano, em edifício próprio. O prédio atual, na Rua Álvaro de Carvalho, é alugado e o seu custo chega a R$ 679 mil por ano. A nova sede da PC será no Edifício Embaixador, nos altos da Felipe Schmidt, onde funcionava a Cidasc. O prédio foi cedido… pelo governo do Estado.

____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Troca de comandos no CBMSC

 

Nova gestão cobra troca de caminhões

Coronel Marcos Oliveira quer melhorar o atendimento à população de SCO banho de água no batismo do coronel Marcos de Oliveira, 48 anos, que assumiu o posto de comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de SC, descontraiu a solenidade de passagem de cargo na tarde de ontem, em Florianópolis.

 

Mas, internamente, o clima é de receio pelo corte de horas extras determinado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) e de pressão para a troca de caminhões velhos.

Na solenidade, o novo comandante reconheceu a necessidade de investimentos na corporação, que tem 2,5 mil bombeiros em 96 cidades catarinenses. A principal carência, revelou Oliveira, é a substituição dos caminhões antigos para economizar em manutenção e melhorar o atendimento, com bombas novas e mangueiras de alta pressão.

– Queremos aproveitar essa oportunidade junto com a secretaria e fazer um grande investimento que precisa. Há muitos anos que não temos um choque, fazer compra de muitos caminhões e ambulância. Isso ajudaria na relação com os municípios – assinalou Oliveira.

Ele negou que o coronel José Luiz Masnik, que pediu para deixar o comando, tenha tomado a decisão pelo corte de recursos aos bombeiros. A versão oficial é que Masnik saiu do cargo por razão pessoal. Masnik ficou 19 meses no comando.

O novo comandante afirmou, ainda, que as horas extras continuarão sendo necessárias e serão pagas aos bombeiros como vinha acontecendo. Presente na solenidade, o secretário da SSP, César Grubba, afirmou que houve uma adaptação em relação as horas extras, num ato que é geral no governo do Estado. Grubba garantiu que isso não irá afetar o atendimento nem provocar fechamento de quarteis ou postos.

Sobre investimentos, o secretário prometeu este ano a compra de quatro caminhões-tanques, 15 caminhonetes e 250 kits de proteção para os bombeiros. Há expectativa, também, para o reforço do efetivo. Mais 500 são esperados, sendo o ingresso este ano da metade e o restante em 2013. O coronel Oliveira comentou que espera a liberação da contratação de mais 40 homens pelo grupo gestor do governo.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Aterrissagem, agora, depende de tempo bom

 

Aterrissagem, agora, depende de tempo bom

As dificuldades enfrentadas ontem para embarcar no aeroporto de Florianópolis, quando o terminal ficou fechado até as 11h e 32 voos atrasaram, podem se repetir pelos próximos dias.

Isso porque um equipamento está sendo substituído, o ILS, mecanismo que permite a aproximação de aeronaves em dias com visibilidade ruim. A situação deve durar até 22 de agosto, prazo para finalização do serviço, de acordo com a Aeronáutica.

Uma regra básica da aviação civil é que o piloto tenha visão da pista no momento do pouso. Com o ILS operando, é possível buscar essa visibilidade até a altitude de 200 pés (61 metros), porque um sistema de rádio cria uma rampa virtual que aproxima a aeronave da pista. Sem o equipamento, a visibilidade deve ser garantida a 600 pés (182,8 metros). Desta maneira, o chamado teto (a altura que as nuvens estão do solo) precisa ser mais alto.

A Aeronáutica informou que o ILS está sendo substituído porque o equipamento antigo apresentava custos muito altos de manutenção.

O período para a troca do equipamento foi escolhido para agora porque, historicamente, é o que apresenta melhores condições de visibilidade. Enquanto a troca durar, o Aeroporto Internacional Hercílio Luz fica mais exposto às condições climáticas.

___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Polícia  Rodoviária – caminhoneiros

 

Exemplo (2)

É certo que a lei existe para ser cumprida e todas as infrações devem ser punidas, nos limites da lei. E assim deve proceder a Polícia Rodoviária Federal por ocasião das infrações que sejam de sua competência punir, mas causa estranheza o comportamento de alguns membros dessa instituição. Agora, com a paralisação dos caminhoneiros, a PRF tem aplicado os rigores da lei e punido os que param em acostamento, bloqueiam rodovias, afinal, a lei proíbe tal comportamento. No entanto, o direito de expressão e manifestação é um direito constitucional.

Airton Borges Duarte

Videira ___________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Julgamento do mensalão

 

Mensalão: um julgamento histórico

O Supremo Tribunal Federal começa a julgar hoje o processo do mensalão, envolvendo 38 réus, entre ex-ministros, parlamentares, dirigentes partidários e empresários, a maioria com atuação destacada no PT e no governo Lula. Entre eles, o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula José Dirceu, apontado como líder do grupo. São vários os dispositivos do Código Penal em que estão enquadrados os envolvidos no maior escândalo da história do Brasil.

Será o maior, mais longo e mais importante julgamento do Supremo Tribunal Federal. A previsão é de que as sessões comecem hoje com o voto do relator Joaquim Barbosa, e só terminem, se tudo correr bem, no dia 30 de agosto, com o último voto. O volumoso processo já chega a mais de 50 mil folhas. O relatório do ministro Joaquim Barbosa tem 122 páginas. Há outras estatísticas, sobre tempo para apresentação da defesa pelos advogados dos réus, que aumentam a expectativa em torno da decisão.

O resultado tende a revelar para a cidadania brasileira o nível de independência dos ministros e, sobretudo, da Suprema Corte. O ex-presidente Lula e seus seguidores querem transformar o mensalão numa peça de ficção política. Como se fosse possível apagar da memória dos brasileiros os vergonhosos depoimentos dos Delúbios, dos Valérios e de outros acusados, expectorando sobre a nação inverdades acintosas e revelações indecentes, aliados ao silêncio condenatório.

Mais do que isso, indicará se a cidadania vai se afirmar com a memória refrescada pela vigilante mídia a exigir julgamento justo ou se prevalecerão os conhecidos conchavos que apostam no esquecimento. Collor é o melhor exemplo de que os brasileiros são desmemoriados com os atos indecorosos e delitos praticados por governantes. Costuma ser rigoroso com os ladrões de galinha e benevolentes com os políticos.

 

 

REFLEXOS

A principal indagação feita no Estado por governantes, líderes partidários e candidatos – qual a influência que o julgamento e, sobretudo, seu resultado trará nas eleições? – permanece como dúvida, sem resposta.

É certo que haverá alguma consequência. E que o maior prejudicado será o Partido dos Trabalhadores, ainda que as eleições municipais sejam menos politizadas e tratem mais das questões locais.

A tendência é de que não haja exploração nos debates e nos programas eleitorais, também, pela formação de alianças cruzadas do PT com todos os partidos. Os aliados dos petistas num município devem poupar seus candidatos em cidades em que sejam adversários.

O presidente do diretório estadual, José Fritsch, está questionando o momento do julgamento. Diz que o Supremo Tribunal teve quatro anos e decide pautá-lo às vésperas das eleições municipais.

Um processo histórico em que o próprio Supremo será julgado pelo povo.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Operação vê 55 licitações suspeitas de fraude em SC

 

Operação vê 55 licitações suspeitas de fraude em SC

Força-tarefa executou a prisão de um empresário e investiga contratos que somam R$ 1,4 milhão

Uma operação iniciada há seis meses identificou pelo menos 55 licitações com suspeita de fraudes envolvendo 30 cidades do Oeste e Meio-Oeste. As supostas fraudes aconteciam também em outros estados. Ontem, um empresário foi preso preventivamente e está no Presídio Regional de Chapecó.

Também foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão dentro da operação Licitação Mapeada. Os contratos públicos investigados somam aproximadamente R$ 1,4 milhão.

Uma força-tarefa do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Chapecó com Ministério Público, polícias e Secretaria da Fazenda apreendeu na manhã de ontem computadores e documentos na sede da empresa, que fica em Chapecó, e nas filiais de Pinhalzinho e Xanxerê.

Segundo o auditor fiscal da Secretaria da Fazenda, Felipe Nadere, os documentos que comprovam a existência de duas empresas administradas pelos mesmos proprietários, sendo uma delas fictícia, serão encaminhados para auditoria em Florianópolis.

Segundo o promotor responsável pelo caso, Jackson Goldoni, a Justiça indeferiu o pedido de prisão provisória de 10 pessoas. Somente o pedido de prisão temporária foi aceito.

– A prisão foi para garantir a segurança pública e evitar novas fraudes – disse Goldoni.

A investigação teve início após uma denúncia sobre fraudes em contratos de uma prefeitura da região Oeste, na 10a Promotoria de Justiça de Chapecó, que apurou um esquema de empresas que fraudavam o caráter competitivo de licitações em órgãos públicos municipais. Os administradores das empresas participantes das fraudes escolhiam a empresa vencedora.

A empresa investigada, e uma fictícia, também participaram de licitações em municípios no Rio Grande do Sul. Já a empresa fabricante nacional de produtos de informática, que dava suporte à fraude, mantinha um “mapeamento da licitação” em diversas regiões.

O advogado da empresa envolvida, Irio Grolli, disse que empresa só deve se manifestar hoje, após tomar conhecimento das acusações.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Projetos para três presídios

 

Projetos para três presídios

Santa Catarina entrará na disputa por recursos federais para a construção de três unidades prisionais femininas e assim reduzir o déficit atual de 1.037 vagas no sistema prisional.

A Secretaria de Justiça e Cidadania (SJC) vai protocolar amanhã, último dia de prazo, projetos dos três presídios no Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Segundo a secretária adjunta da SJC, Maria Elisa De Caro, todos os estados estão na disputa e não existem valores negociados com o Depen para os três projetos. No momento da aprovação, caso sejam selecionados, é que os valores serão anunciados. A contrapartida do Estado é entre 25% e 30%.

Os projetos aprovados devem ser executados com recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen).

O objetivo do programa é investir R$ 1,1 bilhão para gerar pelo menos 42 mil vagas no Brasil até 2014. O Depen vai aplicar R$ 30 mil por vaga criada e R$ 11.250 por vaga ampliada. O valor restante será financiado pelo Estado interessado. A previsão é começar as construções ou ampliações até 2013.

Se os três projetos catarinenses forem aprovados, o Estado vai ganhar 580 novas vagas para mulheres. Atualmente, Santa Catarina dispõe de um presídio feminino. Fica no Complexo Prisional da Trindade, em Florianópolis, e abrigava 109 detentas até ontem. Tem 58 vagas disponíveis.

Os novos presídios femininos deverão ser construídos nas regiões Sul, Oeste e Norte. A SJC informou que não é possível divulgar os nomes dos municípios que deverão receber as novas unidades prisionais.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Delegado é demitido pelo Estado

 

 

Delegado é demitido pelo Estado

Investigado por irregularidades na compra de materiais administrativos e de limpeza, o delegado Carlos Emílio da Silva acabou demitido em um ato assinado pelo governador Raimundo Colombo. Uma agente de polícia e um escrivão também perderam os cargos.

O processo administrativo disciplinar de iniciativa do Ministério Público afastou o delegado e a agente por supostas irregularidades na compra de produtos de limpeza e de escritório com verba mensal repassada para a manutenção da delegacia.

Na época do afastamento, Carlos Emílio divulgou nota contestando a ação do MP pois estava afastado de suas funções para se dedicar à campanha política.

Com a decisão do governo, o delegado, a agente e o escrivão perderam os direitos trabalhistas acumulados e não podem realizar concursos públicos nos próximos seis anos. Carlos Emílio foi procurado pela reportagem, mas não retornou às ligações para comentar o assunto.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Vigilante baleado na cabeça em estado grave

Permanece internado em estado grave o vigilante que sofreu um tiro na cabeça durante um assalto na manhã da última terça-feira na SC-474, ainda no perímetro de Barra Velha, perto de São João do Itaperiú, Norte do Estado. Alexandre Nazareno de Sá, 37 anos, foi baleado assim que os bandidos anunciaram o assalto.

Ele estava em um táxi descaracterizado na companhia do motorista e de um funcionário do Banco do Brasil de Barra Velha, que carregava um malote apenas com documentos. O táxi deles foi interceptado pelo Renault Clio dos criminosos e os dois veículos chegaram a bater. Alexandre sofreu perda de massa encefálica e foi levado em estado grave para o Hospital São José de Joinville.

Os suspeitos, que estavam em um no Clio abandonaram o carro pouco depois e fugiram em um Fiat Uno pela BR-101.

 

Idosa vai a banco armada para receber troco

A aposentada Janet Benfatti, de 73 anos, foi presa ontem depois de entrar armada com um revólver carregado em agência do Itaú em São José do Rio Preto (SP). Janet estava revoltada porque uma das caixas do banco teria deixado de lhe entregar R$ 50 de um saque de R$ 500 que fizera na véspera.

Ela disse que percebeu que faltava dinheiro quando chegou em casa. A aposentada pretendia usar a arma para intimidar a caixa e receber os R$ 50. Sem encontrar dificuldade, ela entrou na agência, e como não encontrou a caixa, que não tinha ido trabalhar, ameaçou o gerente, que entregou os R$ 50 e ainda conseguiu acalmar a mulher, que foi embora.

Em seguida, o gerente chamou a polícia e anotou as placas do Fiat Uno usado por ela. A idosa foi presa em flagrante e foi liberada após pagar fiança de R$ 630.

 

Suspeito de agredir vigia é preso após denúncia

Homem de 31 anos agrediu, com uma barra de ferro, Arlindo Zunino, de 63 anos, que fazia a segurança do terminal de Brusque

Foi encaminhado à Unidade Prisional Avançada (UPA) de Brusque ontem à tarde o suspeito de ter agredido o vigia do terminal urbano da cidade, Arlindo Zunino, 63 anos, na madrugada de segunda-feira.

Sandro Kammer, 31, que confessou o crime, foi preso em casa no início da madrugada de ontem, após uma denúncia anônima feita à Polícia Militar e à Polícia Civil.

O delegado substituto da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso de Brusque e titular da Delegacia da Comarca, Ismael Gustavo Jacobs, pretende concluir o inquérito até a próxima semana. Kammer será indiciado por tentativa de latrocínio.

De acordo com o delegado que coordenou a investigação, Alex Bonfim Reis, da Divisão de Investigações Criminais de Brusque (DIC), as imagens das câmeras de segurança nas imediações do terminal foram essenciais para a prisão de Kammer. Na terça-feira, foram divulgadas novas imagens que mostravam o rosto e o cabelo do agressor, que fugiu em direção à Rodovia Antônio Heil.

Uma denúncia anônima, por volta da meia-noite, denunciou o suspeito. Policiais militares, Reis e um agente da Polícia Civil foram à casa de Kammer, no Bairro Nova Brasília, às margens do caminho que leva a Itajaí. De acordo com o tenente da Polícia Militar Marcus Vinicius Fraga, ele teria esboçado reação e acabou sendo levado à delegacia. Fraga disse que o homem confessou aos policiais, ainda em casa, ser o autor da agressão. Kammer teria afirmado que roubou R$ 1,8 mil do local.

Ele já trabalhou como vigia no local. A prisão preventiva, que não tem prazo determinado, foi expedida ontem à tarde. Em depoimento ao delegado Jacobs e em entrevista, Kammer assumiu ter agredido Zunino.

– É uma pessoa extremamente fria, que se diz arrependida. Ele não soube explicar os motivos dos requintes de crueldade e da violência extremada – avaliou Jacobs.

Até a noite de ontem, Zunino seguia internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Carlos Renaux.

 

Trio rouba R$ 1,6 mil em cinco ações

Três empresas e dois postos de combustíveis foram alvos de dois criminosos na terça-feira à noite e ontem de madrugada na região Norte da cidade. Os bandidos também sequestraram uma mulher para utilizar o veículo e praticar os assaltos.

Nas cinco ações os assaltantes roubaram R$ 1,6 mil , cigarros, celulares e um colete à prova de balas de um vigia de uma empresa. Até ontem à noite nenhum suspeito foi preso.

 

 

Grupo usa maçarico para abrir caixa

Pelo menos cinco homens participaram do arrombamento a um caixa eletrônico do Santander que fica junto ao prédio da Eletrosul no Bairro Sertão do Imaruim, em São José. Eles invadiram o local onde fica o caixa por volta de 3h de ontem e abriram o equipamento. O valor levado por eles não foi informado. Antes desta ocorrência, uma tentativa de arrombamento foi registrada na sede da Comcap, na Capital.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: DIC da Capital

 

 

A delegacia geral precisar dar uma atenção especial à Barra da Lagoa

O balneário que já teve Corpo de Bombeiros e subdistrito policial está esquecido pela segurança pública.

DIC da Capital

A revolta é grande na Barra da Lagoa e também em outras regiões da Capital aonde os furtos e assaltos vêm traumatizando famílias. As vítimas de terça-feira foram o irmão, a sobrinha e a amiga de uma funcionária pública que ela os acolhia em casa, na Barra da Lagoa. A região que já teve uma unidade do Corpo de Bombeiros e um subdistrito policial hoje está completamente abandonada pela segurança pública. Na 10ª DP não há policiais suficientes. O 4º BPM também carece de efetivo e ainda tem que se desdobrar para fazer rondas e atender ocorrências no Sul da Ilha. O oficial PM Rafael Vicente vem realizando um bom trabalho na região, porém não é onipresente. Mas nem tudo está perdido. Vamos aguardar a inclusão de 40 policiais civis, desta nova turma de 324 alunos que se formou no mês passado e a criação da DIC da Capital, para que a Delegacia Geral reestabeleça a sensação de segurança na região da Barra da Lagoa.  ____________________________________________________________________________ Veículo: A Notícia

Editoria: Polícia

Assunto: Preso suspeito de espancar vigilante

 

 

Preso suspeito de espancar vigilante com barra de ferro no terminal de Brusque, no Vale do Itajaí

Homem resistiu à prisão, mas confessou que praticou o assalto para pagar dívidas com seu carro

A polícia prendeu na noite desta terça-feira o homem suspeito de espancar um segurança no Terminal Urbano do Centro de Brusque, no Vale do Itajaí. O paradeiro dele foi informado em denúncia anônima ao Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). A prisão foi feita por uma equipe formada por policiais militares, delegado Alex Bonfim Reis e mais um investigador da Delegacia de Polícia (DP) de Brusque. O homem teria resistido à prisão, mas em seguida confessou o crime.

Até então o suspeito não tinha passagens pela polícia. Morando em uma casa alugada, o homem tentou fugir correndo assim que percebeu a presença dos policiais na moradia, localizada na Rodovia Antônio Heil, bairro Nova Brasília, não muito longe do local do crime. Além das características físicas, outros sinais indicaram que se tratava do autor do roubo, como o ferimento em uma das mão, provocado durante a briga com o vigilante.

Dentro da casa foi encontrado um saco com moedas, mas o malote roubado não foi localizado. Depois de rendido pelos policiais, o homem teria dito que praticou o assalto para colocar em dia a documentação de seu carro.

O suspeito foi levado para a Delegacia de Polícia Brusque. Ao longo da manhã desta quarta-feira ele será ouvido e encaminhado à Unidade Prisional Avançada da cidade.

 

Estado gravíssimo

Até as 7h30min da manhã desta quarta-feira, o segurança Arlindo Zunino, de 63 anos, seguia internado em estado gravíssimo na no Hospital Azambuja. Ele teve traumatismo craniano, resultado dos diversos golpes que sofreu com uma barra de ferro na cabeça. Zunino passou por cirurgia e respira com ajuda de aparelhos.

 

Cenas de violência

O sistema de monitoramento local registrou o ataque na madrugada de segunda-feira. As imagens mostram que o suspeito ficou escondido sob uma escada e surpreendeu o vigilante que fazia a ronda. Em seguida ele começa a série de ataques contra Zunino, que ainda tentou reagir, mas acabou derrubado. Já no chão, sem possibilidade de defesa, o segurança ainda é agredido diversas vezes na cabeça.

 

 

BLOGS

 

Paulo Alceu

 

Bombeiros tem novo comandante

O coronel Marcos de Oliveira assumiu hoje o Comando-Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina. Sucede o coronel José Luiz Masnik, que desde janeiro de 2011 ocupava o posto maior da corporação. O ato foi presidido pelo secretário de Estado da Defesa Civil, César Augusto Grubba.

O novo coronel Marcos de Oliveira, de 48 anos, é natural de Brusque. Casado com Marisol Jaine Purey de Oliveira, é pai de Isabella de Oliveira e João Gabriel de Oliveira. Como oficial superior, exerceu funções destacadas, como a de Subcomandante-Geral (2011-2012); Coordenador do Serviço de Atendimento Pré-hospitalar do CBMSC; Comandante do 1º Batalhão Bombeiro Militar em Florianópolis; Comandante do Centro de Ensino Bombeiro Militar; Diretor Interino da Diretoria de Ensino; e Chefe do Estado-Maior da Corporação. Possui ainda outros cursos de formação e especialização, além de várias condecorações, entre elas duas medalhas de Mérito Intelectual, pelas primeiras colocações no Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais (CAO) e Curso de Altos Assuntos Estratégicos (CAEE), e os brasões de bronze, prata e ouro pelos serviços prestados à corporação.

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: Polícia Militar desmobiliza operação na Cracolândia

 

Sem alarde, Polícia Militar desmobiliza operação na Cracolândia

Mesmo antes da decisão judicial, que limitou a ação da PM no centro, efetivo de agentes militares foi reduzido; uso e comercialização da droga ainda estão presentes

Sem anúncio oficial, e antes de tomar conhecimento da decisão judicial, a Polícia Militar reduziu o efetivo deslocado para reforçar a segurança e coibir o tráfico de drogas na cracolândia. Iniciada em 3 de janeiro, com cem PMs, a ação foi ampliada depois de uma semana. Passou a ter 287 policiais, mas hoje, de acordo com informações da corporação, tem apenas 70 homens nas ruas – a redução é de 75%.

A reportagem circulou na terça-feira pelas principais vias da cracolândia. Entre 12h e 14h, viu somente dez policiais na região, em quatro bases fixas, e nenhum agente social. Nesse mesmo horário, cerca de cem viciados tomavam a rua Dino Bueno, entre a rua Helvétia e a alameda Glete. Parte deles fumava crack a cerca de 200 metros de uma das bases da PM.

Outros na região comercializavam a droga, bem na frente de uma unidade de rede de restaurantes Bom Prato, do governo estadual. Em outro ponto conhecido de consumo, a rua Apa, foi flagrada mais uma concentração de dependentes consumindo drogas. Policiais militares marcavam presença na rua vizinha, sem abordar usuários nem possíveis traficantes.

Quase sete meses após o início da operação, no entanto, a sensação de segurança é maior na região. Apesar da alta concentração de usuários na rua Dino Bueno, por exemplo, ainda é possível atravessá-la de carro ou mesmo a pé.

No entorno, as vias seguem mais limpas – desde janeiro, funcionários da Prefeitura lavam calçadas para impedir a fixação de dependentes na região. Ontem, um caminhão fazia a limpeza nas proximidades da Sala São Paulo, na Luz. Segundo o balanço oficial, 2.250 toneladas de lixo já foram recolhidas.

Nos últimos meses, a maioria dos viciados passou a se concentrar na rua dos Gusmões, próximo da esquina com a alameda Barão de Limeira. À noite, centenas deles fecham as ruas, fazendo com que quem passa de carro tenha de dar meia-volta. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

____________________________________________________________________________ Veículo: Globo

Editoria: Geral

Assunto: Cabo da Polícia Militar é preso por atirar em bandido já rendido no RJ

 

 

Cabo da Polícia Militar é preso por atirar em bandido já rendido no RJ

Imagens de um cinegrafista amador mostram o assaltante sendo desarmado, dominado e, em seguida, sendo atingido por um tiro no pé. Secretaria de Segurança abriu processo para expulsão sumária dos policiais envolvidos.

O cabo da Polícia Militar do Rio de Janeiro que atirou em um bandido já dominado foi preso em flagrante e passou a noite no Batalhão Especial Prisional da PM. Ele vai responder a inquérito militar por lesão corporal. Imagens feitas por um cinegrafista amador revelaram que Maurício Fabiano Braga Pessoa e outros policiais mentiram ao relatar o desfecho do sequestro-relâmpago de uma mulher.

As imagens mostram um PM atirando quatro vezes na direção de um muro. Logo depois, de frente para o bandido, o cabo Maurício saca a arma e atira no pé do assaltante. Depois do tiro, o bandido sai algemado e mancando. Ele foi levado para o hospital.

Acompanhe o Jornal Hoje também pelo twitter e pelo facebook.

Antes da divulgação dessas imagens, a versão do cabo sobre o que aconteceu foi outra: ”Não poderíamos atirar porque havia vítimas dentro do carro. Nesse momento, eles saltaram atirando na nossa viatura. Nós revidamos a injusta agressão quando um dos elementos foi alvejado na perna e os outros pularam para dentro do condomínio”.

Os outros policiais reforçaram essa versão em depoimento. Um deles afirmou que quando os PMs chegaram ao terreno encontraram o bandido baleado. Porém, as imagens mostram que o assaltante dominado foi atingido dentro do terreno.

 “É lamentável. Eu acho que se a gente quer viver em uma sociedade civilizada, umas das condições é que as pessoas tenham uma polícia que cumpra a lei e não uma polícia que desrespeite a lei, que atire em pessoas desarmadas. A polícia tem como missão proteger as pessoas e garantir a paz”, diz o sociólogo da UERJ, José Augusto Rodrigues.

A Corregedoria da Polícia Militar abriu investigação para apurar se houve conivência dos outros policiais que aparecem nas imagens. O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, determinou que os policiais sejam submetidos a processo de expulsão sumária. Segundo Beltrame, é inadmissível que uma polícia que busca a pacificação tenha policiais com essa conduta.