Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 01 de março

1.3.2012

CLIPPING

30 de março 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Antifarra do boi

                   Unificação da Segurança Pública

                

 

OPERAÇÃO ANTIFARRA DO BOI

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nazareno Marcineiro, reuniu, ontem à tarde, gente de todas as áreas para discutir ações de combate à farra do boi durante a quaresma. Dados da Agência Central de Inteligência (ACI) da Polícia Militar revelam redução de 21% no número de ocorrências de farra do boi no comparativo entre 2011, com 221 registros, e 2010, quando foram registrados 302 casos.

Participaram representantes do Ministério Público estadual, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Cidasc, Secretaria de Desenvolvimento Regional da Grande Florianópolis, Instituto Ambiental Ecosul e prefeituras de 12 municípios do Litoral catarinense. O protocolo de cooperação será fechado durante a próxima reunião, agendada para o dia 6.

 

UNIFICAÇÃO NA SEGURANÇA PÚBLICA

Está bem encaminhada a unificação entre Sinpol (Sindicato dos policiais) e Sintrasp (Sindicato dos Trabalhadores em Segurança Pública) para criação de uma única entidade representativa da categoria em SC.

A Associação dos delegados, por enquanto, ficou de fora.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Operação Simbiose

 

Testemunhas foram intimidadas

No momento do julgamento, promotor pediu ao juiz a prisão do réu Rodrigo Schoene, que estaria fazendo ameaçasSentado na sala de audiências da 2ª Vara Criminal de Joinviille à espera dos depoimentos de ontem no processo que envolve a denúncia da Operação Simbiose, o advogado Rodrigo Schoene voltou a ser preso.

O promotor Affonso Ghizzo Neto, responsável por fazer as perguntas que interessam à acusação, abriu a audiência pedindo que o juiz João Marcos Buch decretasse a prisão de Rodrigo com a alegação de que testemunhas estariam sendo intimidadas pelo réu. A audiência reuniu os últimos depoimentos das testemunhas convocadas pelo Ministério Público para depor no caso. Todas as 17 pessoas ouvidas foram unânimes em dizer que nunca viram Marcos Schoene oferecer vantagens indevidas por determinados atos ou cobrar atitudes ilegais de seus subordinados.

Sobre o suposto “trânsito livre” de Rodrigo Schoene na Fundema enquanto o pai dele esteve na presidência do órgão municipal, entre 2009 e 2011, apenas Laércio Copanski e Gilberto Pires Gayer, ex-servidores da Fundema, afirmaram ter visto Rodrigo em áreas daquele órgão que não seriam comuns a outros consultores.

Em relação à conduta de Marcos Schoene com os profissionais subordinados, Gilberto Gayer e Sergio Bahiense, que foi exonerado da Fundema na gestão Schoene, afirmaram terem protagonizado discussões calorosas com o ex-presidente do órgão.

As outras testemunhas não detalharam sobre a postura profissional de Marcos Schoene. Já o empresário Edson Schramm afirmou que Rodrigo Schoene lhe garantiu que levaria meses para conseguir a renovação de uma licença ambiental com qualquer empresa de consultoria que não fosse a Quasa Ambiental – representada por Rodrigo – que seria capaz de obter a documentação em alguns dias.

O advogado Paolo Farris afirma que seu cliente não procurou nenhuma das 62 testemunhas de acusação, seja para intimadá-las, ameaçá-las ou pressioná-las a prestar depoimento em favor dele. O advogado ainda observa que Rodrigo não esteve em nenhum órgão ambiental, não exerceu a atividade de advogado ambientalista nem manteve contatos por e-mail ou qualquer outro tipo de comunicação com clientes ou pessoas relacionadas à área.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Segurança de voo

 

Três acidentes em seis dias

Um avião de instrução e dois aparelhos usados na agricultura provocaram sustos e ferimentos leves em seus ocupantesNos últimos seis dias, três aviões monomotores caíram em Santa Catarina. Por sorte, não houve mortes, mas os acidentes mostram a necessidade de reforçar os cuidados com a segurança em aeronaves de pequeno porte.

A atenção deve ser redobrada nos voos agrícolas por serem os mais arriscados. De acordo com o diretor de Segurança de Voo do Aeroclube de Santa Catarina, Mário Pinho, os monomotores voam a 3 mil metros de altura, na altitude onde as condições de mau tempo mais influenciam a pilotagem. Além disso, normalmente não operam por instrumento, dependem apenas do alcance da visão.

– É preciso ter mais cuidado com aviões pequenos, porque têm menos instrumentos do que as grandes aeronaves. Isso exige que seja feito um bom planejamento do voo e atenção a mais critérios para não entrar em situações que coloquem o avião em risco – alerta Pinho.

Por sobrevoar em baixa altura, a aviação agrícola é considerada a mais arriscada. Das três quedas que ocorreram nos últimos dias, duas foram dessa categoria.

 

Piloto de aeronave agrícola precisa de habilitação especial

Conforme o diretor de Segurança, o piloto agrícola precisa de um treinamento e habilitação especial. São 400 horas de voo, enquanto para avião comercial são 200 e monomotor 40 horas. A diferença é que para trabalhar sobre a lavoura é necessário aprender a desviar de obstáculos como linhas de transmissão e antenas.

– O piloto trabalha em uma altura muito baixa. Chega a três metros do solo, vai lambendo o chão para pulverizar. Se tem uma falha mecânica, ele não vai ter tempo para fazer um pouso de emergência – descreve.

Se a tarefa é tão arriscada, se precaver é indispensável. Seguir as regras de voo, desde treinamento adequado, conhecer o local onde vai voar e avaliar bem as condições meteorológicas. Outra questão importante é a situação da aeronave. Ela deve receber manutenção periodicamente em oficina credenciada.

– A grande maioria dos acidentes é por falha humana. Pela minha experiência, boa parte ocorre por falha no planejamento do voo ou por desrespeito às regras da aviação. Às vezes, colocam peso demais. Até mesmo decolar em uma pista curta em um dia muito quente pode causar um acidente. Tudo isso influencia – observa Pinho.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Chuva provoca estragos em Florianópolis

 

Chuva provoca estragos

Uma chuva intensa com fortes rajadas de vento atingiu a região da Grande Florianópolis na noite de ontem. Em poucos minutos de ventania, houve destelhamento de casas no Bairro Monte Cristo, no Continente, chuva de granizo no Bairro Abraão, no Continente, falta de luz em vários bairros e queda de árvores e de placas de trânsito.

Durante a partida entre Avaí e Chapecoense, partes do telhado da arquibancada coberta da Ressacada chegaram a se soltar.

O Aeroporto Hercílio Luz foi fechado para pousos e decolagens, mas a situação foi normalizada em meia hora. Segundo informações preliminares, pedaços de carros alegóricos teriam voado da Passarela Nego Quirido para o meio da Avenida Gustavo Richard. Por conta das descargas elétricas, o abastecimento de energia elétrica ficou comprometido nos Bairros Capoeiras, na região continental, Campeche, no Sul da Ilha, e Kobrasol, em São José.

De acordo com a Celesc, o problema chegou a comprometer 11 alimentadores, prejudicando 70 mil unidades consumidoras.

Até o início da madrugada, oito alimentadores ainda apresentavam problemas, prejudicando o abastecimento nas regiões dos municípios de São José e Florianópolis.

Na Capital, os casos foram em parte do Sul da Ilha, Centro, Estreito e Coqueiros. Cerca de 50 mil unidades consumidoras continuavam sem energia. Segundo a Celesc, seis equipes iriam trabalhar durante a madrugada para recuperar os alimentadores. Depois disso, casos pontuais de transformadores e postes caídos devem ser atendidos.

A previsão é de que o serviço seja concluído até as 14h de hoje.Uma das ocorrências mais graves foi registrada no Bairro Monte Cristo, onde três casas foram destelhadas, ferindo duas pessoas que estavam dentro de uma das residências. As vítimas foram encaminhados ao hospital pelo Samu, já fora de perigo.

Os bombeiros isolaram a área. Em São José, a Defesa Civil do município recebeu 30 chamados, mas estima que sejam mais de cem casas destelhadas. Os bairros mais atingidos foram Forquilhas e Forquilhinhas, onde foram registrados desabamentos de postes e placas. As casas destelhadas receberam cobertura de lona.

O Vale do Itajaí também foi atingido por um temporal no fim da tarde. A chuva começou por volta das 18h e chegou a causar pequenos estragos em Rio do Sul. Na cidade, o Corpo de Bombeiros registrou a queda de árvores. Em Blumenau, o vento forte e a chuva se intesificaram por volta das 18h30min.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: PSDB

 

A reanimação do PSDB

A presença do governador do Paraná, Beto Richa, em Florianópolis, acabou dando uma nova dinâmica ao PSDB catarinense neste início de ano. Suas lideranças e candidatos compareceram ao seminário promovido pelo Instituto Teotônio Vilela sobre os desafios de Santa Catarina. Com a única exceção do deputado federal Jorginho Mello, totalmente fora do ninho por divergências com o presidente Leonel Pavan. E viveram congraçamento no almoço que o senador Paulo Bauer ofereceu a Richa na Praia Brava, presentes alguns empresários.

O deputado Marco Tebaldi lá esteve. Ali, teve lançada a candidatura à prefeitura de Joinville pelo senador Paulo Bauer. No período matutino, Tebaldi despedira-se dos diretores e servidores da Secretaria da Educação. Amanhã, assume cadeira na Câmara Federal. Em Brasília, desenvolverá um esquema de trabalho que estará ligado à plataforma de sua candidatura em outubro.

O projeto, na prática, já existe. Quando retornou, ontem, a Joinville foi recebido por uma carreata, com adesivos “Volta Tebaldi”. A campanha de prefeito já acontece nas ruas da cidade, embora o ex-secretário diga que ainda não decidiu.

O jornalista Benhur Lima, que assessorou Marco Tebaldi na prefeitura, nas campanhas e ultimamente na Secretaria de Educação, começa a articular o grupo de apoio à candidatura já a partir de amanhã. Deputado e jornalista estavam praticamente rompidos. Conversaram no fim de semana em Joinville e fumaram o cachimbo da paz.

Durante a visita do governador paranaense, não faltaram leituras sobre a saída de Tebaldi da Secretaria da Educação e sua provável candidatura a prefeito. Entre elas, a de que o PSD teria interesse em vários candidatos para não fortalecer mais a liderança do senador Luiz Henrique no maior colégio eleitoral do Estado. Ficção ou verdade, o fato é que a candidatura de Tebaldi debilita o projeto do empresário Udo Döhler, o nome do PMDB.

 

 

EXPERIÊNCIAS

O senador Paulo Bauer dominou a cena nos eventos tucanos. Destacou nominalmente os principais destaques nas próximas eleições. Depois de lançar Tebaldi em Joinville, falou da reeleição de Clésio Salvaro em Criciúma, da projeção do vereador Napoleão Bernardes em Blumenau, do favoritismo do coronel Ivon de Souza em Palhoça e até da candidatura de João Batista Nunes em Florianópolis. Nos dois eventos, o vice-prefeito da Capital não escondia a irritação com a greve dos motoristas de ônibus, pelo inesperado. Não poupou críticas à irresponsabilidade dos grevistas, parando sem aviso prévio e deixando os passageiros ao relento, sob chuva e até no meio da rua.

O discurso otimista da tucanada acabou virando animada festa, com o anúncio de novos eventos para neutralizar o marasmo dos últimos meses.

Beto Richa, o governador homenageado, fez coro, ao comemorar a decisão do ex-governador José Serra de concorrer à prefeitura de São Paulo. Virou entusiasta do projeto, dizendo que o PSDB não podia correr o risco de perder a prefeitura de São Paulo. É fortaleza político-eleitoral fundamental para 2014.

Depois, em análise de conjuntura, admitiu que a presidente Dilma Rousseff terá a reeleição azeitada se a situação econômica continuar como está e o Brasil passar blindado diante da crise financeira que atinge a Europa.

– Ministério Público Estadual instaurou inquérito civil para investigar a terceirização da merenda escolar em Santa Catarina. É presidido pelo promotor de Justiça Aor Stefanis. O processo tem 37 volumes

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Remadores protestam na Beira-Mar

 

Remadores protestam na Beira-Mar

Cerca de 30 remadores de Florianópolis fizeram uma manifestação por mais segurança no trânsito na manhã de ontem, na Avenida Beira-Mar Norte. Com remos em mãos, o grupo bloqueou uma das pistas, próximo ao Elevado Carl Hoepcke, por cerca de 10 minutos.

Os atletas reivindicam a instalação de um semáforo e placas de redução de velocidade em frente aos clubes Aldo Luz, Francisco Martinelli e Riachuelo, que atendem aproximadamente 300 praticantes, entre eles, cadeirantes. Conforme o atleta e presidente do clube Aldo Luz, Marcos Knoll, os remadores vêm solicitando uma solução para o trânsito há anos.

De acordo com secretário municipal de obras, Luiz Américo Medeiros, o IPUF já fez estudos na região e afirma que a instalação de uma sinaleira ou faixa de pedestre seria inviável.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Política

Assunto: CNJ retira escolta de juíza que julga PMs

 

CNJ retira escolta de juíza que julga PMs

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) retirou, ontem, a escolta da juíza Fabíola Michele Muniz Mendes Freire de Moura. Por intermédio da Associação dos Magistrados de Pernambuco, a juíza havia pedido ao CNJ providências para garantir sua segurança, já que se sentia ameaçada, porque estava julgando processo no qual policiais militares estavam envolvidos

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Reforma no governo

 

A primeira reforma

Concretiza-se hoje, às 10h, a primeira reforma do secretariado do governo Colombo. Não terá a amplitude e a profundidade imaginada lá atrás. Fica claro, contudo, que o governador se impôs no jogo do poder e no contexto da aliança. A segunda mudança vai acontecer logo após as eleições. Há prefeitos que terminam o mandato e que estão na porta. Além disso, o colegiado pós-eleições municipais servirá de alicerce para o projeto de reeleição.

Em outras palavras: tudo agora, no exercício do poder, nos três níveis, no Brasil, está condicionado às eleições e aos líderes aliados.

Mudam hoje seis secretários: Casa Civil, Educação, Comunicação, Turismo, Assistência Social e Articulação Nacional. Alguns chegam com novas credenciais, como o médico João José Cândido da Silva, que vai cuidar da Assistência Social, Trabalho e Habitação. Terá o aval de Colombo para buscar verbas federais em Brasília e a criação, a ser anunciada logo, de um Fundo de Assistência Social, para tentar reduzir os bolsões de pobreza que ainda mancham a imagem de Santa Catarina.

A Casa Civil, a ser comandada por Derly Anunciação, é uma incógnita. Destituído de mandato parlamentar, o novo secretário tem projeto de ficar restrito ao campo administrativo. Deve atuar com um primeiro-ministro que vai cuidar da gestão, cobrando resultados, fiscalizando obras e serviços e atuando como anteparo do governador.

O ex-deputado Ênio Branco chega com carta branca para tocar a comunicação. Terá como adjunto o experiente Ernani Bayer, ex-reitor da UFSC e com larga experiência administrativa. E nas relações com a imprensa, o jornalista Claudio Thomas, que pela primeira vez ocupará uma função pública, depois de 30 anos na iniciativa privada.

 

 

EDUCAÇÃO

O ex-deputado José Natal Pereira (PSDB) deverá cumprir mandato-tampão no Turismo, Cultura e esporte. É o que assume com menor taxa de expectativa, pela falta de familiaridade com os três importantes setores. Pelo projeto político do governo, guardará a vaga até as eleições para o prefeito tucano Beto Martins.

A principal alteração deve ocorrer na Secretaria da Educação. Ali, as peças foram movidas pelo próprio governador. Aliados defendiam a permanência de Marco Tebaldi. Luiz Henrique queria que ele ficasse para evitar a candidatura tucana contra Udo Döhler em Joinville. O deputado Darci de Matos batalhou pela continuidade. O deputado Marco Tebaldi assume hoje em Brasília. Na coletiva de despedida, metralhou o “Partido da Ilha”, atribuindo às forças da Capital a fritura que sofreu durante meses.

Raimundo Colombo idealizou uma alteração mais profunda e mais técnica. O professor Sérgio Gargioni, presidente da Fapesc, era seu preferido para o cargo de secretário. Recuou diante da reação tucana para evitar outros complicadores políticos. Promoveu o professor Eduardo Deschamps, que já tem bom diálogo com os professores. E convocou como adjunta sua amiga e colaboradora lageana, professora Elza Moretto.

Modificação maior ocorre na equipe. Os diretores foram exonerados. Caiu a poderosa professora Elisete Melo, há mais de 10 anos diretora de Gestão de Pessoas. Era a mais criticada pelos educadores, acusada de autoritarismo. Vai para seu lugar a professora Lúcia Steinheuser Gorges, de Timbó. Tem currículo acadêmico, com ênfase para pós-graduação na Univali. E o carimbo eleitoral e partidário. Em 2008, disputou a prefeitura pelo DEM.

Uma renovação que coincide com a reivindicação dos professores de pagamento do reajuste de 22% no piso salarial. Um dilema para o governo

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Caso Chiarello

 

Laudos diferentes geram desconforto

IGP reconhece que ficou em situação difícil por conta das contradiçõesAs contradições sobre a causa da morte do vereador Marcelino Chiarello estão deixando as autoridades policiais e o Instituto Geral de Perícias (IGP) de Santa Catarina em situação desconfortável.

A confirmação de um laudo elaborado pelo IGP indicando suicídio colocou mais lenha na fogueira. Tudo porque esse laudo entrou em contradição com o primeiro, elaborado pelo médico-legista de Chapecó Antonio de Marco, que apontava para homicídio. Com isso, há dois laudos, cada um com conclusão diferente. Marcelino Chiarello foi encontrado enforcado no quarto de visitas de sua casa no dia 28 de novembro. Na época, o delegado Alex Passos, ligado ao Partido da República, base da atual administração do município, afirmou que a cena era forjada e que os indícios eram de homicídio. Uma coletiva com cinco delegados, entre eles Ronaldo Neckel Moretto e Augusto Brandão, reiterou a tese de homicídio.

Depois de três meses, as investigações não apontaram suspeitos do possível crime, a perícia não encontrou provas da presença de terceiros no local do crime e a tese de suicídio tomou força. Isso gerou reações fortes de lideranças do Partido dos Trabalhadores (PT).

– É uma fraude – afirmou o deputado federal Pedro Uczai, presidente do partido e um dos possíveis nomes para concorrer a prefeito na cidade. Uczai afirmou que o laudo do suicídio não explica de forma satisfatória o motivo das lesões no nariz, no olho e na cabeça de Chiarello, entre outros quesitos.

O presidente do diretório municipal do PSD, João Rodrigues, disse que aguarda a conclusão do inquérito para se manifestar. Ele afirmou que poderá mover ações contra o PT, que teria tentado relacionar a morte do vereador a denúncias.

O diretor do Instituto Geral de Perícias, Rodrigo Tasso, reconhece que o órgão ficou em situação difícil, pois há dois laudos com conclusões diferentes. Ele argumenta que algumas situações podem levar a conclusões tanto de suicídio quanto de homicídio, mas acredita que algum dos peritos se excedeu nas conclusões. Uma junta médica composta de três pessoas recebeu ontem o inquérito e deve emitir um parecer até o dia 6 de março, sobre as incompatibilidades entre os laudos. Mesmo assim, o desgaste é inevitável

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: PM recupera carro furtado

 

PM recupera carro furtado

Um homem aproveitou o momento em que um banhista mergulhou no mar para furtar a chave do carro dele, na manhã de ontem, na Capital.

A vítima estava na Praia do Morro das Pedras, no Sul da Ilha, quando percebeu que o carro tinha sido levado. Após fuga em alta velocidade e perseguição policial, o criminoso abandonou o veículo e fugiu no Centro da Capital.

A vítima deixou seus pertences na areia e foi até o mar. Quando desconfiou da aproximação do ladrão, retornou até o local onde estava a cadeira e deu por falta da chave do carro.

A vítima conseguiu avisar a polícia com a ajuda de populares. Quando o suspeito passou pelo trevo do Rio Tavares, uma viatura estava em alerta e iniciou a perseguição. Vinte policiais, oito viaturas e o helicóptero da PM foram utilizados no cerco. A Ponte Colombo Salles, saída da Ilha, foi fechada. Na Via Expressa Sul, o ladrão chegou a 180 km/h. As viaturas não acompanharam por segurança, conforme o comandante do 4o Batalhão da Polícia Militar, coronel Araújo Gomes.

– A prática de não acompanhar é para não expor a população, na tentativa de evitar um grave acidente.

O suspeito seguiu até a Avenida Hercílio Luz, abandonou o carro e correu para a Avenida Mauro Ramos. A polícia acredita que tenha se escondido numa das comunidades do Maciço do Morro da Cruz.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Prisão após a maioridade

 

A primeira prisão após a maioridade

Geovane Xavier da Silva, o Gê, suspeito de diversos crimes quando adolescente, entre eles a morte do turista argentino Raúl Baldo, em 2011, foi detido pela PM por tráfico de drogas e porte ilegal de armaA inconfundível tatuagem vermelha de palhaço, que sugere matador de policiais, chamava a atenção no corpo franzino de Geovane Xavier da Silva, o “Gê”. O jovem, suspeito de ser um dos autores da morte de um turista argentino em 2011 e de um policial civil em 2010, foi preso, ontem, pela primeira vez depois de completar 18 anos no último dia 31 de janeiro.

O jovem era procurado pela polícia por estar foragido do sistema socioeducativo e por sua extensa ficha infracional. Policiais civis receberam informações de que ele estaria escondido, sob proteção de traficantes, no Morro do Costeira do Pirajubaé, Sul da Ilha de SC, ou no Morro do Caju, no Monte Verde, bairro onde Gê foi criado, na Capital. O chefe do tráfico do Caju, por exemplo, teria patrocinado a festa de aniversário de Geovane, na madrugada do dia 1o de fevereiro.

O Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) recebeu informação do Serviço de Inteligência da PM de que havia intenso tráfico de drogas em uma casa no Morro do Quilombo, no Itacorubi, e que Gê estaria lá.

Policiais do Choque montaram campana às 6h de ontem, até que viram Geovane arrumando uma mochila, dentro da casa. Às 9h, o local foi cercado e os policiais prenderam o jovem em flagrante. Outro rapaz, Lucas Nascimento Gama, 19 anos, o Furinho, estava dormindo e também foi preso. Na casa foram apreendidos um revólver 38 com duas munições, três petecas de cocaína, 10 torrões pequenos de maconha, nove pedras de crack, um rádio transmissor, dois celulares, R$ 250, uma moto que teria sido furtada, DVDs, roupas, e a chave de um carro Citröen C3 prata.

Segundo o soldado do Choque Guilherme Silveira, que participou da prisão, o carro teria sido usado no assalto a um posto de combustível na madrugada de ontem. O veículo, escondido no Itacorubi, foi apreendido pela polícia. A Polícia Civil informou que Geovane é suspeito de envolvimento neste assalto, mas não foi autuado por este crime.

Gê teria alugado a casa para vender drogas, e só usava o local para dormir. O jovem passava o dia escondido no morro, de casa em casa.

Na 5a DP, eles foram autuados por tráfico de drogas e porte ilegal de armas. À tarde, a dupla foi levada para a Central de Triagem do Estreito. Depois da maioridade, Geovane é suspeito de ter participado de um furto a um condomínio na Agronômica.

 

Histórico de crimes e fugas

Pela primeira vez, Geovane está preso em cadeia. Ele tem extensa ficha por infrações supostamente cometidas quando adolescente, como a morte do turista argentino Raúl Baldo, em janeiro de 2011. Suas impressões digitais foram encontradas no carro do turista por peritos do Instituto de Criminalística.

Gê também é suspeito de envolvimento na morte do policial civil Eliseu de Souza, em 2010, e por participação em pelo menos três assaltos a casas e estabelecimentos comerciais.

Em novembro, fugiu do Centro de Internação Provisória (CIP) de Itajaí, mas foi logo apreendido. Levado ao CIP de Rio do Sul, fugiu de novo. Desde então, estava foragido.

As medidas recebidas quando adolescente podem ser cobradas até que o jovem complete 21 anos. Se for liberado antes do sistema prisional, retorna ao socioeducativo para cumprir o restante das medidas que ficaram em aberto.

 

“Queria ser advogado”

Entrevista: Geovane XavierMuito magro e abatido, Gê falou ao DC na cela onde está detido, na 5a DP da Capital.

 

DC – Esta é sua primeira prisão depois dos 18 anos. E agora?

Geovane – Foi a última oportunidade do cara mudar.

 

DC – Sua mãe sempre acreditou que você mudaria…

Geovane – Eu amo minha mãe. O sofrimento não é meu, é por ela.

 

DC – Por que você continua nesta vida “errada”?

Geovane – O cara quer sempre o melhor, ter condição própria.

 

DC – Você nunca trabalhou?

Geovane – Já fui lavador de carros. Queria ser advogado, porque o salário é bom e o serviço é tranquilo. Mas agora minha ficha sujou…

 

DC – Você lidera o Comando G?

Geovane – Não tem comando. Sou por mim mesmo.

 

DC – Você matou o argentino?

Geovane – Não.

 

O que diz o pai dele

Na manhã de ontem, por telefone, o pai de Geovane, funcionário de uma empresa de telefonia, disse ao DC que ainda não havia falado com a mãe do rapaz sobre o que fazer.

Segundo ele, a família já gastou muito com Geovane, e que ainda não sabia se contrataria um advogado para defender o filho, uma vez que acha que “o dinheiro vai fora”.

O pai revelou que falou pela última vez com o filho este ano. “Dei um abraço e um conselho para ele sair dessa vida. Ele sempre disse que ia sair.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Morte na cadeia

 

Dois assassinados no pátio do presídio

Detentos de Itajaí foram feridos com armas caseiras no peito e no pescoço

A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar a morte de dois detentos no Presídio Regional de Itajaí, segunda-feira à noite. Os corpos foram feridos por armas caseiras e encontrados nos pátios de diferentes alas, sob cobertores.

A Corregedoria Geral da Secretaria de Justiça e Cidadania também instaurou sindicância para apurar as circunstâncias das mortes. As vítimas são Leandro Melo Batista, 20 anos, e Luiz Henrique da Silva Souza, 22.

Os crimes mexeram com a rotina no Bairro Nossa Senhora das Graças, onde fica a unidade. Ontem era dia de visita, mas, com a entrada suspensa nas duas alas onde ocorreram as mortes, o movimento no entorno do presídio era menor do que o habitual.

– Quando soube, fiquei em choque. Assim como ocorreu com os outros, poderia ocorrer com meu filho também – disse Eli Bruch, 57 anos, que visitava o filho preso.

Os homicídios foram descobertos pelos agentes prisionais por volta de 18h, no momento em que os presos voltavam dos pátios para as celas. Embora os corpos estivessem em áreas de circulação, nas galerias C e D, agentes e policiais que trabalham nas guaritas não teriam percebido qualquer movimentação estranha.

– A arquitetura do presídio, mais antiga, não favorece a visualização. É diferente dos novos modelos de unidades – disse o diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap), Leandro Soares de Lima.

A perícia recolheu, nos dois pátios, facas feitas com pedaços de cadeiras plásticas e um estilete, que teriam sido usados para ferir as vítimas no peito e no pescoço. O material estava em lixeiras e será analisado. Os exames poderão indicar se havia sangue diferente dos das vítimas, ou impressões digitais que possam levar aos autores. A análise do Instituto Geral de Perícias (IGP) deve ficar pronta em 30 dias.

Para Lima, as mortes não têm relação, embora os dois homicídios tenham ocorrido no mesmo dia, em galerias vizinhas e no mesmo espaço de tempo: entre 17h e 18h. O pátio é fechado às 18h.

– Foi um fato isolado e de extrema truculência e agressão – lamentou.

 

Dupla estava presa por tráfico de drogas

Os corpos foram recolhidos pelo Instituto Médico Legal de Itajaí (IML), e liberados ontem para as famílias. Leandro Melo Batista, 20 anos, o Lelê, era morador do Bairro Machados, em Navegantes, e foi preso em novembro de 2010 por suspeita de tráfico de drogas.

Um ex-detento ouvido pela reportagem, que preferiu não se identificar, passou os últimos quatro meses na mesma galeria de Batista, e disse nunca ter presenciado desentendimentos entre ele e outros presos.

O outro detento assassinado é Luiz Henrique da Silva Souza, 22, conhecido como Naca. Preso desde julho de 2011 e condenado a oito anos de prisão há duas semanas, ele comandava, segundo a polícia, boa parte do tráfico de drogas em Balneário Camboriú, Camboriú e Itapema.

No ano passado, segundo a delegada Luana Backes, da Divisão de Investigações Criminais de Balneário Camboriú (DIC), a quadrilha encabeçada por Naca havia se envolvido em disputas por pontos de venda de drogas no Distrito Monte Alegre, em Camboriú. A rixa teria chegado ao Presídio Regional de Balneário Camboriú, e um detento foi esfaqueado em uma briga, meses antes de Naca ser preso. Ele foi transferido para o Presídio Regional de Itajaí há três meses, após uma fuga de 13 detentos.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Granada é lançada em pátio de delegacia

 

Granada é lançada em pátio de delegacia

Uma granada foi encontrada no pátio da delegacia do Distrito Monte Alegre, em Itajaí, na manhã de ontem. O artefato estava com o pino destravado, mas não detonou. A polícia ainda não sabe o que teria motivado o atentado e nem tem como precisar em que momento a granada teria sido lançada.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Dupla flagrada na Capita

lA Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) quer saber de onde veio a cocaína pura apreendida com uma dupla presa em flagrante em Jurerê Internacional.

Na casa do suspeito pela venda aos usuários, Valcir Gilmar de Moura, 36 anos, a polícia encontrou 20 gramas de cocaína, R$ 1.104, quatro celulares e uma balança de precisão. Uma mensagem no telefone celular de Moura indicava que nova quantidade do entorpecente seria entregue a ele.

O outro suspeito, que teria ido levar a cocaína, não teve o nome revelado. Ele foi preso com 80 gramas da droga e R$ 5 mil. Dono de uma loja no Estreito, o suspeito de fornecer a cocaína estava com cheques, que foram apreendidos.

O diretor da Deic, delegado Cláudio Monteiro, informa que será preciso identificar se os cheques são de clientes da loja ou do tráfico.

– O perfil dos usuários chama a atenção pelo poder aquisitivo, pois pagavam R$ 60 o grama da cocaína de qualidade superior à média apreendida com outros traficantes.

 

Trio detido depois de assalto em Blumenau

A Polícia Militar prendeu um rapaz de 20 anos e apreendeu dois adolescentes, por assalto, em Blumenau. Eles ameaçaram a vítima com uma tesoura e levaram uma mochila com celular, dinheiro e documentos. Ao ser abordado, o trio tinha três celulares, um deles da vítima e outro de um jovem assaltado pouco antes.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Delegacias sem equipe de policiais

 

As duas únicas delegacias do Norte da Ilha estão sem equipe de investigação

Se o delegado colocar policiais para registrar b.o. fica sem investigação. Mas afinal, a Academia forma polícia para bater b.o.?

 Investigação policial

A falta investigação policial já foi assunto na coluna e ainda rende comentários. Recentemente, a 8ª DP ficou desfalcada de quatro agentes do interior que vieram reforçar a Operação Veraneio e, teoricamente, sem equipe de investigação. Efetivo atual: dois no plantão para registrar b.o; um para entregar intimação; um agente na secretaria, três no cartório e o delegado. A 7ª DP também não foge à regra. Aliás, a investigação é a prerrogativa da Polícia Civil. Ela não forma policiais para “bater b.o.”.  As duas DPs cobrem o Norte da Ilha, região com mais de 80 mil habitantes e alto  índice de violência. Em São José, a situação é semelhante. Amanhã, o diretor de Polícia Metropolitana, Ilson Silva, reúne-se com os delegados para tentar solucionar o  impasse. O discurso da cúpula é que os novos policiais que se formam em julho vão suprir esta defasagem. Mas este filme eu já vi no ano passado. A “ninhada de policiais” que saiu da academia foi aproveitada no interior do Estado.

 

 

 

ACONTECEU NA ALESC

 

PEC sobre carreira jurídica dos Oficiais Bombeiros é rejeitada na CCJ

A CCJ rejeitou a Proposição PEC/0008.6/2011 – que reconhece a carreira jurídica aos Oficiais Bombeiros Militares e cria o requisito de bacharelado em direito para ingresso ao CFO – BM. O Relator Elizeu Mattos foi desfavorável e a CCJ rejeitou a matéria. Agora esta decisão será comunicada em plenário. Faremos contato com o Deputado para verificar se a PEC referente aos Oficiais PM também será relatada desta mesma forma.

Comando garante a Padre Pedro veículo para bombeiros do Extremo Oeste

O deputado Padre Pedro Baldissera (PT) reuniu-se, no final da tarde de terça-feira (28), com o coronel José Luiz Masnik, comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, com quem debateu o apoio à estrutura de atuação dos bombeiros no Extremo Oeste.

Também participaram do encontro o major Aldo José Franz, comandante regional do Extremo Oeste e outros representantes do Corpo de Bombeiros da região. O coronel Masnik garantiu ao parlamentar o envio de um veículo zero quilômetro para o Corpo de Bombeiros de Guaraciaba, que tem atuação destacada na cidade, em parceria com a Associação de Bombeiros Comunitários.

A corporação foi decisiva em diversas ocorrências na região Extremo Oeste, especialmente no socorro às vítimas do tornado que atingiu a região em setembro de 2009. “O trabalho do Corpo de Bombeiros, em conjunto com a Associação de Bombeiros Comunitários, marca até hoje a nossa população. Foi um momento difícil em que essa estrutura de trabalho mostrou sua importância”, afirma Padre Pedro.

O comandante da unidade, Lauri Silvestre Kunz, destaca o trabalho dos bombeiros na região e a relação positiva com o Poder Público Municipal e a Comunidade. A Associação de Bombeiros Comunitários da cidade conta com 90 integrantes, sendo que 28 atuam diretamente junto aos seis bombeiros militares lotados no município. “O Estado mantém 95% das despesas, no entanto, a construção do quartel, entre outras ações, foram viabilizadas no próprio município e com o apoio da comunidade. Em breve teremos novos bombeiros militares e a ampliação de veículos e equipamentos é importante”, complementa kunz. 

 

 

Entidades de Concórdia pedem aprovação da PEC dos Bombeiros

Abaixo assinado foi entregue hoje (29) na Assembleia Legislativa

Representantes de entidades e Coletivo Sindical de Concórdia entregaram hoje, na Assembleia Legislativa, um abaixo assinado solicitando agilidade na tramitação da Proposta de Emenda Constitucional que oferece autonomia para que os municípios decidam quem deverá fazer vistorias e análise de projetos.

Segundo Bruno Marques, do Coletivo Sindical de Concórdia, a entidade é a favor do trabalho em conjunto, desde que, os militares atuem em municípios onde não há corporações voluntárias, oferecendo com isso mais segurança para os catarinenses.

O deputado Neodi Saretta (PT) acompanhou a entrega do abaixo assinado ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gelson Merisio (PSD), e mais uma vez manifestou o apoio aos bombeiros voluntários. 

Coletivo sindical pede apoio ao Parlamento em prol dos Bombeiros Voluntários de SC  Em defesa da corporação dos Bombeiros Voluntário de Santa Catarina, em especial do município de Concórdia, o coordenador do coletivo sindical, Bruno Marques, solicitou ao Parlamento catarinense atenção especial à classe ressaltando a importância e urgência da aprovação da Proposta de Emenda Constitucional nº 01/12, que estabelece autonomia para que os municípios decidam quem deverá fazer as vistorias e análises de projetos. “A atividade é atualmente realizada pelos bombeiros voluntários, mas disputada pelos militares”, frisou.

Com espaço assegurado pelos parlamentares durante a sessão ordinária desta quarta-feira (29), Bruno explicou em Plenário a importância da corporação que há 32 anos consolidou sua estrutura para atender a sociedade catarinense. “Não somos contra a atividade dos bombeiros militares, mas contra a maneira com que os militares estão agindo nos municípios que já têm a corporação dos voluntários. Eles querem se apropriar das atividades que garantem o sustento da corporação voluntária”, salientou.

Na ocasião, Bruno destacou que o coletivo sindical é favorável ao trabalho conjunto dos voluntários e militares, desde que os militares atuem em municípios que não contenham corporações voluntárias, oferecendo um suporte maior para os catarinenses, uma vez que atualmente cerca de 160 municípios ainda estão desassistidos. “Temos um trabalho de credibilidade no estado, entre eles o projeto Bombeiros Mirins, implantado em 2006, que atualmente conta com 66 bombeiros mirins e aspirantes distribuídos em quatro turmas de crianças e pré-adolescentes na faixa etária de 11 a 16 anos. Os participantes recebem instrução sobre educação para o trânsito, primeiros socorros, ética, cidadania, prevenção às drogas, vida em sociedade, entre outros. Ao atingirem o nível Bombeiros Aspirantes, com 18 anos, estarão formados bombeiros capacitados para atuar junto à sociedade”, informou.

 

Deputado Nilson Gonçalves envia ao Plenário requerimento à Ordem do dia

O deputado Nilson Gonçalves (PSDB) encaminha nesta quarta-feira, 29/02/2012, ao Plenário da Assembleia Legislativa, indicação ao governo do Estado e ao Secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão e ao Comandante Geral da Polícia Militar, solicitando o aumento do efetivo de policiais militares no município de Garuva. Nilson Gonçalves lembra que será uma forma de garantir mais segurança aquela população, uma reivindicação manifestada pela câmara municipal daquela cidade. 

 

Balanço do Dia

Insegurança em Blumenau

Ana Paula lamentou o fato de receber diariamente inúmeras reclamações por causa da insegurança. “Hoje vivemos um estado de insegurança, um morador de Blumenau pediu que o Exército vá para a rua”, afirmou a deputada, que denunciou que todos os dias mulheres são assaltadas no bairro Badenfurt. 

 

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Folha Online

Editoria: Geral

Assunto: Polícia faz operação para implantar unidade de segurança no PR

 

Polícia faz operação para implantar unidade de segurança no PR

Cerca de 450 policiais militare, civis e guardas municipais realizam desde a madrugada desta quinta-feira uma operação na região de Uberaba, em Curitiba, para a implantação da primeira UPS (Unidade Paraná Seguro). Até as 8h30, ainda não havia informações sobre prisões ou tiroteios.

A operação teve início por volta da 0h e conta com cerca de 300 policiais militares, 100 guardas municipais e 50 policiais civis que fazem varredura para apreender drogas, armas e capturar foragidos da Justiça. Devem ser cumpridos mandados de busca e apreensão, mas a PM não soube informar quantos.

Com a operação, deverá ser implantada a primeira UPS, no bairro de Uberaba. O anúncio de implantação das unidades foi feito pelo governador Beto Richa (PSDB), em janeiro. Elas deverão ter o formato parecido com as UPPs implantadas no Rio, mas adequadas à realidade paranaense.