Área do associado

Área do associado

Clipping dos dias 23 a 25 de julho

25.7.2011
CLIPPING
23 a 25 de Julho 2011
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Sistema integrado de segurança
 
Todos por um
Sistema que começa a funcionar terça-feira reunirá chamados a PM, Bombeiros e Samu. Banco de dados único será criado
O lançamento de um novo sistema para atendimentos de ocorrências da Polícia Militar, Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), nesta semana, está dando o que falar. Se funcionar como a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) prevê, o Serviço de Atendimento e Despacho de Emergências (Sade) será aliado do cidadão, que terá seus chamados atendidos mais rapidamente. A euforia da SSP sõ não é completa porque a Polícia Civil está descontente com alguns pontos do sistema.
O sistema é um software que conta com geoprocessamento. Tudo vai parar em uma central unificada. Quando alguém quiser comunicar uma ocorrência, tanto faz ligar para o 190, 192 ou 193. Todas as chamadas cairão em uma central regional de emergência.
A partir dessas centrais, o atendente distribui o chamado para a Polícia Militar, Bombeiros ou Samu. O sistema terá também o monitoramento da frota. No momento do atendimento, o oficial terá um mapa em sua tela e saberá onde estão as viaturas adequadas mais próximas e a rota ideal para que a guarnição chegue rapidamente ao local do fato.
Para a implantação do Sade, a secretaria iniciou, em 2008, um convênio com o Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). O investimento em equipamentos e tecnologia ficou em torno de R$ 3,9 milhões, dos quais R$ 3,2 milhões são do governo federal e R$ 676 mil do governo estadual.
O Sade será lançado oficialmente nesta terça-feira, em caráter experimental, em Florianópolis. Em outras sete cidades do Estado (Criciúma, Balneário Camboriú, Joinville, Jaraguá do Sul, Blumenau, Lages e Chapecó), onde as centrais regionais de emergência estão prontas para funcionar, a implantação será gradativa. Também estão sendo construídas centrais em Rio do Sul, Tubarão, Herval D’ Oeste, São Miguel do Oeste, Caçador e outra em Canoinhas ou Mafra.
As 4 mil viaturas do Estado nos três segmentos serão rastreadas por GPS. A instalação dos rastreadores foi concluída em 3,2 mil veículos.
Além de possibilitar a localização, o rastreamento servirá também para a verificação do cumprimento de rondas e para casos, por exemplo, em que a polícia é investigada. Como na morte do menino Juan no Rio de Janeiro, em que os dados do GPS instalado na viatura certificaram que os policiais suspeitos estiveram no local do crime.
 
PM terá acesso a banco de dados da Polícia Civil
Um ponto dessa integração está incomodando a Polícia Civil. É que, com a utilização do Sade, a PM passará a ter acesso ao Sistema de Informações de Segurança Pública (Sisp), um módulo integrado adotado desde a década de 1990, mas que atualmente só é abastecido pela PC, Instituto Geral de Perícias (IGP), Departamento de Administração Prisional (Deap) e Departamento de Trânsito (Detran).
À medida que o atendimento é feito por meio do Sade, a PM começa a inserir dados da ocorrência no Sisp, esses dados são de responsabilidade de quem o gerou e podem ser disponibilizados aos demais órgãos da segurança. Hoje, PM, Bombeiros e Samu usam sistemas separados, que não permitem esse compartilhamento.
– Será possível ter estatísticas sobre criminalidade em tempo real. Um filtro fará o mapeamento apontando os locais de crimes e saberemos, por exemplo, para que região deslocar maior efetivo ou em que região fazer operações especiais – comenta o coordenador de videomonitoramento da SSP, tenente-coronel Vânio Dalmarco.
 
Polícia Civil quer exclusividade do BO
A novidade não agrada em nada à Polícia Civil e à associação dos delegados já planeja ações contra a medida. O delegado que preside a associação, Renato Hendges, esbravejou durante toda a semana passada. Segundo ele, com a inclusão da PM no Sisp, os militares passarão a fazer boletins de ocorrência de crimes e ganharão poderes de polícia judiciária.
– Isso é um desrespeito ao Código de Processo Penal, uma usurpação. O soldado não tem conhecimento jurídico para fazer BO, só existe uma autoridade competente: a Polícia Civil. Não somos contra a Polícia Militar, mas quando uma (polícia) quer fazer o papel da outra, nenhuma funciona – dispara.
Na última quinta-feira, o delegado reuniu documentos sobre crimes atendidos pela PM em que foram registradas falhas e entregou cópias no Ministério Público e na Procuradoria Geral de Justiça.
Segundo Hendges, houve um caso de carro tomado de assalto que o policial militar devolveu o carro à vítima sem que o caso fosse encaminhado à delegacia para o veículo ser periciado e houve um caso de abuso de incapaz, cuja pena varia de oito a 12 anos, em que o pai da vítima não quis fazer o registro e o suspeito, mesmo pego em flagrante, foi liberado sem ser encaminhado à delegacia responsável.
– Em Caçador, quando houve o sequestro daquela menina (de 14 anos, por dois dias, no início de junho), a teriam matado não fosse a Polícia Civil consertar o estrago. A Polícia Militar chegou a tentar negociar com o sequestrador. Isso não compete a eles – enfatiza.
Além da falta de conhecimento para investigações, o delegado destaca que colocando militares para preencher formulários e fazer serviço burocrático, começarão a faltar ainda mais militares na rua para policiamento preventivo. Hendges destaca que se suas tentativas não surtirem efeito irá recorrer ao governador do Estado.
 
Grubba garante que PM não fará boletim de ocorrência
 
O secretário de Segurança, César Augusto Grubba, garante que a permissão do acesso de policiais militares ao Sade não vai interferir no que é feito hoje. De acordo com ele, quando a PM atender uma ocorrência vai gerar um registro dela no Sisp, e mesmo assim encaminhar o caso à delegacia; lá o delegado pode usar ou não os dados coletados pela PM.
– Haverá dados preliminares e ele pode escolher. Eu usaria para não ter retrabalho – diz.
De qualquer modo, conforme o secretário, serão gerados dois procedimentos: o registro de ocorrência e o BO. A SSP trabalha para que, posteriormente, o sistema tenha ligações de uma mesma ocorrência em links internos.
Para Grubba, a guerra entre as polícias está sendo causada pelo desconhecimento do sistema a ser adotado. Sobre o fato de a PM agir de forma investigativa, o secretário garante que isso está bem claro para a corporação e nada irá mudar. Ele salienta que casos em que houve falha da PM são pontuais e devem ser apurados.
– Nos últimos tempos houve uma banalização da violência. É preciso se despir de vaidades corporativas e agir em conjunto – finaliza o secretário de Segurança.
 
Mato Grosso tem sistema desde 2004
No Estado do Mato Grosso, um sistema único, similar ao Sade e ao Sisp, foi instalado em 2004 na região metropolitana. O Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) reúne, Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil e Guarda Municipal.
Na fase inicial, o Ciosp funciona como o Sade, o cidadão pode telefonar para qualquer telefone de emergência e a ligação cai em uma central. De lá o atendente remete a ocorrência à instituição competente. Mas os dados são gerados no próprio Ciosp, o que aqui em Santa Catarina será feito pelo Sisp.
De acordo com o coordenador do Ciosp no Mato Grosso, major Ademar do Nascimento, o sistema agilizou o atendimento de ocorrências, assegurou que não haja duplicidade de informação e por meio dele é possível visualizar estatísticas em tempo real. Mas o major não esconde que as corporações foram resistentes à implantação.
– No começo houve resistência por vaidade das instituições. A cada dois anos uma delas coordena o sistema. Por isso teve aquela coisa de sou policial militar, não quero ser mandado por um delegado e vice-versa, mas durou pouco – explica.
Segundo Nascimento, durante a implantação do Ciosp ficou claro que só haveria compartilhamento de dados. Nunca houve problemas como o enfrentado em Santa Catarina, de uma polícia entender que a outra agiria fora de suas atribuições.
____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Visor
Assuntos: Nota da ACORS
                  Aliança entre vizinhos em prol da segurança
 
 
DESDE DE 2007
O presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar do Estado, Coronel Fred Harry Schauffert, esclarece que a PM já lavra boletins de ocorrência desde 2007. Os casos que necessitam de apuração da infração penal são encaminhados à Delegacia de Polícia. Os demais, no caso dos termos circunstanciados, são remetidos diretamente à Justiça para celeridade da solução, conforme a Lei 9.099/95.
***
O que a Secretaria de Segurança pretende, com a implantação do novo sistema de integração, é que esses boletins sejam encaminhados eletronicamente, agilizando o atendimento, melhorando a prevenção e a repressão à criminalidade e reduzindo a duplicidade de registros e a não comunicação dos delitos. O Decreto 660/07 já prevê a integração entre os sistemas, hoje inexistente.
 
 
VIZINHOS
Durante a Expo Concórdia 2011, o governador Raimundo Colombo, lançou a campanha Vizinhança em Alerta, que tem o objetivo de promover uma aliança entre os vizinhos em prol da segurança. A região tem sofrido com o aumento de ocorrências.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Hospital da PM
 
Ajustamento será proposto
Promotora pretende reunir órgãos oficiais do Estado e da PM para regularizar sistema de consultas
O Ministério Público Estadual (MPSC) vai propor um termo de ajustamento de conduta para regularizar o sistema de consultas do Hospital da Polícia Militar (HPM), em Florianópolis. A promotora Sonia Maria Demeda Groisman Piardi quer uma audiência entre secretários de Estado, o comando da PM e a Associação Beneficente dos Militares Estaduais (Abepom) para resolver o impasse.
A intenção do MP é até o final deste ano definir a forma de gestão do HPM, prazos e metas. O hospital atende há anos por convênios e os atendimentos são cobrados. Essa forma gera polêmica e também denúncias de remuneração dupla (salários do Estado e privados) por servidores públicos da instituição.
Ainda não há data da reunião. A promotora antecipou que vai chamar para o encontro os secretários da Segurança Pública, Administração e Saúde, Procuradoria Geral do Estado, comandante-geral da PM e Abepom. Sonia entende que o HPM deve ser inteiramente público e atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ou ser entregue de forma definitiva pelo Estado a uma entidade.
O DC apurou que o hospital teria dívidas de R$ 300 mil com a Abepom. Os atendimentos por convênios continuam em vigor, segundo portaria do dia 14 deste mês do novo diretor, tenente-coronel Márcio Pereira.
No MPSC, são dois inquéritos civis em andamento para apurar suposta improbidade administrativa e concussão (quando o servidor exige vantagem indevida para exercer a função). Em entrevista ao DC publicada na edição de ontem, o subdiretor do HPM, major José Nunes Vieira, relatou que há ilegalidades e imoralidades no local. Ele está afastado do cargo para tratamento de saúde.
A corregedoria da PM também apura as irregularidades.
Nas ruas, há descontentamento com a exigência de convênios ou cobranças por consultas no Hospital da Polícia Militar.
 
Oficial pagou R$ 80 pelo atendimento
Ouvido ontem pelo DC, um PM da Capital com mais de 40 anos e duas décadas na corporação precisou de atendimento médico este ano após sentir dor na coluna.
Sem convênio ou plano de saúde, teve de ir para casa após a primeira tentativa pelo atendimento sem custo. No outro dia, ainda com dor, procurou novamente o hospital e decidiu pagar R$ 80 pela consulta.
– Quando entrei na polícia constava no edital assistência médica e odontológica gratuitas, mas isso nunca aconteceu. Sei de colegas que não tem condições de pagar plano ou consulta e tem de recorrer a hospitais públicos comuns – relatou o policial militar, que pediu para não ser identificado.
 
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Acidentes deixam oito mortos em SC/Gerais
 
Acidentes deixam oito mortos em SC
Em uma das batidas, caminhonete se chocou com a mureta de proteção e caiu em um rio, no Oeste
Oito pessoas morreram em acidentes em estradas federais e estaduais em Santa Catarina neste fim de semana.
 
No mais grave deles, o motorista perdeu o controle de uma caminhonete, bateu contra a mureta de proteção e caiu dentro de um rio em Maravilha, no Oeste do Estado. Uma pessoa morreu e cinco ficaram feridas.
A família viajava para São Miguel do Oeste em uma Chevrolet D10. Na ponte sobre o Rio Iraceminha, o motorista perdeu o controle, bateu contra a mureta e o veículo caiu de uma altura de oito metros dentro da água.
Com o impacto, Inês Valler Pott, 57 anos, morreu na hora. Guilherme Alirio Pott (motorista), 59, Arlete Pott do Couto, 34, e uma adolescente de 13 anos tiveram lesões graves. Um jovem de 16 anos e João Romirio do Couto, 42, apresentaram lesões leves.
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) a caminhonete caiu em um parte mais rasa do rio, onde havia pedras.
 
 
Outras mortes
SÁBADO
– Em Palhoça, na BR-101, por volta das 0h30min, Aristide Ribeiro da Silva, 35 anos, morreu em um acidente. Segundo a PRF o motociclista estava trafegando na contramão. Os patrulheiros investigam se a causa do acidente foi uma ultrapassagem forçada.
– Em Lageado Grande, na SC-459, por volta das 17h, duas pessoas morreram em uma batida entre uma Honda Biz e um Monza . O motoqueiro Eliton Luiz Duz e a passageira Renata Rosolen, ambos de 20 anos, morreram no local.
– Em Palmitos, na BR-158, às 17h10min, Anderson Gonçalves, 19 anos, morreu ao bater o carro em um caminhão. A colisão frontal foi no km 136,9.
DOMINGO
– Em Correia Pinto, na BR-116, por volta das 5h30min, Davi Oliveira de Paula, 21 anos, foi atropelado. Um veículo não identificado atingiu o pedestre quando ele estava parado sobre a pista no km 221.
– Em Guaramirim, na BR-280, por volta das 6h40min, uma batida entre dois carro causou a morte de Douglas Carlan Freitag, 24 anos, motorista de um Corsa que se partiu ao meio.
– Em Alfredo Wagner, na BR-282, às 11h30min, um motociclista morreu após se envolver em um acidente com um caminhão e um carro no km 87 da rodovia. Loan Goetten de Souza, 23 anos, não resistiu e morreu na hora. O motorista e três passageiros do carro se machucaram e foram encaminhados ao hospital. O motorista do caminhão saiu ileso.
 
PRF flagra catarinense a 172 km/h no RS
Um polo com placas de Chapecó foi flagrado a 172km/h. Ele passava pela BR-386, no Rio Grande do Sul no final de semana, quando passou por um radar da Polícia Rodoviária Federal. A velocidade permitida naquele trecho, de pista simples, é 80 km/h. O motorista, de 36 anos, estava indo de Porto Alegre para Chapecó. De acordo com a PRF, ele alegou que estava indo rever familiares na cidade catarinense e por isso dirigia com pressa. Ele pagará multa de R$ 574,62, responderá a processo administrativo e pode perder a carteira de motorista.
 
Preso motorista que dirigia em zigue-zague
Um homem embriagado foi detido dirigindo pela SC-401, em Florianópolis, no início da noite de sábado. A Polícia Militar Rodoviária recebeu várias ligações denunciando o motorista, que andava em ziguezague pela rodovia, e montou uma barreira para deter o suspeito. Ele se negou a fazer o teste do bafômetro mas, segundo a polícia, estava visivelmente alcoolizado. O homem foi encaminhado a 5ª DP e teve sua habilitação apreendida.
 
Homem fica preso em grades
Um jovem de 25 anos, ficou gravemente ferido na manhã de sábado, em Joinville. O rapaz ficou preso a pontas de ferro e precisou ser socorrido pelos bombeiros voluntários. O resgate durou cerca de meia hora. Ele tentou pular uma grade para entrar na casa da própria família, onde morava, no Bairro Boa Vista.
Quatro lanças tiveram que ser serradas pelos bombeiros para que o jovem fosse retirado. Mas uma delas não pôde ser removida, porque estava cravada na perna do jovem, que foi levado ao Hospital Municipal São José sob o efeito de sedativos.
Segundo a avó do rapaz, a vítima é usuária de drogas e, pela manhã, tinha discutido com o avô, que decidiu trancar o portão para que o neto não entrasse. Mas o jovem desobedeceu à ordem.
– Quando ele estava tentando pular, a calça jeans ficou presa, e no que tentava se soltar, ele caiu sobre as lanças – contou a avó.
Rapaz já havia sido internado 13 vezes
Segundo a família, o rapaz já foi internado 13 vezes, mas não consegue largar o vício e vivia mais na rua do que em casa. Como o rapaz roubava objetos de dentro de casa, a família colocou uma grade em frente à porta para que ele não entrasse sem autorização.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Diário do Leitor
Assuntos: Postos de policia fechados
                   Segurança Pública
 
Insegurança
No Jornal do Almoço da última sexta-feira (22), o coronel Araújo Gomes protegeu o governo de SC ao mostrar as vantagens do sistema de segurança adotado pela PM. É como se os EUA desativassem todas as suas bases pelo mundo, incluindo os porta-aviões. Pode baratear, mas a resposta a uma emergência terá um tempo muito maior para atendimento. A PM depende do governo para treinar novos policiais. A Civil também, mas o que vemos são políticos querendo aumentar o número de vereadores em vez de policiais. Caro coronel, o modelo ideal de segurança não é o deste governo. Seria assim: bases com policiais fixos e em ronda 24 horas. Apenas para começar.
Álvaro Pereira
Florianópolis
 
Segurança pública
O governador do Estado, em sua campanha eleitoral, afirmava que a polícia deveria estar presente e interagindo com a comunidade, mas não é o que temos visto, basta ver o número de postos policiais fechados em nossas comunidades. Como também não vimos policiais nas ruas protegendo a população, mas, sim, nos quartéis ou em órgãos públicos, prestando serviços em desacordo com as suas funções. Pergunto: quantos policiais militares tem em Santa Catarina? Destes, quantos estão no quartel (serviço burocrático), quantos em desvio de função (órgãos públicos) e quantos realmente estão nas ruas protegendo a população?
Antônio Carlos de Borja
Por e-mail
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Congresso Catarinense de Municípios
 
Para achar soluções
Prefeitos debatem sobre segurança, mobilidade urbana e saneamento
Florianópolis será sede, hoje e amanhã, do 9º Congresso Catarinense de Municípios. O evento é da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e tem parceria com o DC.
Durante dois dias, no CentroSul, prefeitos e servidores municipais irão abordar temas sobre segurança, mobilidade urbana, saneamento, políticas de assistência social e fortalecimento dos municípios.
A abertura do congresso está marcada para as 9h com a participação do governador Raimundo Colombo. A primeira conferência vai tratar sobre Comunicação das Políticas Públicas, ministrada pelo publicitário Rui Rodrigues tendo como debatedores o secretário de Estado de Comunicação Derly Massaud de Anunciação e do colunista Roberto Azevedo.
A programação continua amanhã às 9h com palestra sobre saúde, com secretário Dalmo Claro de Oliveira. As atividades do congresso serão finalizadas pela ministra da Relações Institucionais Ideli Salvatti.
 
Programação de hoje
– 9h – Abertura – Participação do governador Raimundo Colombo
– 10h30min – Conferência: Comunicação das Políticas Públicas
Palestrante: Rui Rodrigues, publicitário especialista em Marketing Político. Com a participação do secretário de Comunicação Derly de Anunicação e do colunista Roberto Azevedo
– 14h – O fortalecimento dos municípios no modelo federativo brasileiro
Palestrante: Paulo Ziulkoski, presidente da Confederação Nacional de Municípios
– 14h40min – Proposta Caixa para revisão da sistemática de transferência de recursos da União
Palestrante: José Carlos Medaglia Filho, Superintendente Nacional da Caixa
– 15h – A implantação do Saneamento Básico nos Municípios Catarinenses
Palestrante: Henrique Pires, Diretor do Departamento de Saúde Ambiental da Fundação Nacional de Saúde (Funasa)
– 15h40min – Saneamento em SC
Palestrante: Adelor Vieira, Diretor de Projetos Especiais da Casan
– 16h – A Regulação dos Serviços de Saneamento Básico
Palestrante: Marcos Fey Probst, diretor geral da Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento – Aris
– 16h20min – Acessibilidade e a Pessoa com Deficiência
Palestrante: Gilmar Borges Rabelo, Presidente do Conselho Municipal da Pessoa Portadora de Deficiência – Compod, de Uberlândia ( MG)
– 17h – Política de Assistência Social
Palestrante: Serafim Venzon, Secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação
– 17h20min – Exploração de Cascalheiras: Restrições e Benefícios
Palestrante: Sérgio Augusto Dâmaso de Sousa, Diretor Geral do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM).
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes e ocorrências
 
Repacturado garoto que fugiu do Pliat
Adolescente foi encontrado em uma ronda no Morro do Horácio, na Capital
Policiais militares recapturaram ontem um adolescente foragido do Plantão Interinstitucional de Atendimento ao Adolescente (Pliat) de Florianópolis.
O garoto de 16 anos foi apreendido em maio deste ano depois de ser baleado na perna ao tentar roubar uma motocicleta na avenida Beira-Mar Norte, Centro da Capital.
No dia 18 de maio o adolescente tentou roubar a moto de um contador quando ele parou em um semáforo da avenida. Para azar do infrator o delegado em Palhoça Atílio Guasparini Filho seguia logo atrás e presenciou a ação. Ele sacou a arma e mandou que o adolescente parasse, mas ele não obedeceu e acabou baleado.
O garoto, que ficou com o movimento de perna comprometido, foi encontrado por volta das 10h de ontem durante uma ronda da PM no Morro do Horácio e encaminhado à 6ª Delegacia de Polícia. Ao longo da próxima semana, ele deve ser transferido para uma unidade para adolescentes infratores no interior do Estado.
O jovem estava foragido desde o dia 12 de junho, quando 13 menores escaparam do Pliat, restando apenas dois na unidade. Após a fuga, a Justiça deu um prazo para que a ala masculina da unidade fosse esvaziada.
Outros cinco adolescentes foram recapturados desde então e levados para o interior do Estado. Com a interdição do Pliat, a Grande Florianópolis está sem unidade para internamento de adolescentes infratores homens.
Na época da fuga, uma sindicância foi aberta para apurar se houve negligência, mas o levantamento ainda não foi finalizado. As obras de readequação do prédio ainda não começaram – a previsão é esta semana.
 
Homem escapa de assassinato
Valdinei Geraldo da Silva, 41 anos, foi vítima de uma tentativa de homicídio na madrugada de ontem em Palhoça, na Grande Florianópolis. Ela caminhava pela rua Saul Brandalise, no Bairro Passa Vinte, pouco antes da 1h quando uma pessoa em um veículo atirou contra a vítima. O disparo de arma calibre 22 atingiu o coração de Silva, segundo a polícia.
 
Adolescentes batem carro após assalto
Dois adolescentes foram detidos depois de sofrerem um acidente na SC-401, em Florianópolis. Eles estavam fugindo porque haviam assaltado uma padaria. O carro em que os adolescentes estavam foi roubado de um cliente no sábado à noite. A polícia foi acionada e montou uma barreira na SC-401. Na fuga, eles bateram em um poste.
 
Drogas em relógio e na caixa d’água
A Polícia Militar apreendeu 86 papelotes de maconha e 80 de cocaína em um edifício da Rua João Meirelles, no Bairro Abraão, em Florianópolis, n sábado. A droga foi encontrada nos fundos de um relógio de energia elétrica e de uma caixa d’água. Nenhum responsável pela droga havia sido preso até o fechamento desta edição.
 
Casa de skatista assaltada na Ilha
A Polícia Civil investiga um assalto contra a família do skatista Pedro Barros, 16 anos, no Bairro Rio Tavares, em Florianópolis. O catarinense é um dos principais nomes do mundo no esporte.
O ataque teria ocorrido na madrugada de sexta-feira. De acordo com moradores da região, os bandidos teriam invadido a residência, em uma região conhecida como Cova Funda, e amarrado a mãe do skatista. Pedro não teria presenciado o ataque porque estaria viajando.
Os investigadores não deram detalhes do roubo. Limitaram-se a informar que o circuito de câmeras da casa não captou imagens que possam ajudar na identificação dos bandidos. Na casa do atleta, ninguém atendia à companhia na manhã deste sábado para comentar o caso.
Pedrinho, como é conhecido entres os skatistas, costuma ser destaque nas competições mundo afora pela ousadia e idade. É considerado um dos melhores do mundo na megarampa. Há dois anos, ficou em quinto lugar na modalidade, e entrou para a história como o atleta mais novo a participar da final.
____________________________________________________________________________
Veículo: Notícias do Dia
Editoria: Hélio Costa
Assuntos: Comandante da Guarda fala sobre os atendimentos ao longo do dia
                   Depoimento Nelson Goetten
 
Comandante da Guarda fala sobre os atendimentos ao longo do dia
Orientar o trânsito, garantir a integridade do patrimônio público, combater o comércio ilegal são algumas das inúmeras atribuições da Guarda
Contraponto
Em resposta à nota “O que faz a Guarda?”, informamos que, ao longo do dia, atendemos as escolas municipais, deslocamos guardas para as praças públicas, orientamos o trânsito da cidade, fiscalizamos as vagas da Zona Azul – principalmente na região central, onde fluxo de veículos e pedestres é intenso – e atendemos às ocorrências geradas através da nossa central 153, que está sempre à disposição da sociedade. Considere-se, ainda, que nossas equipes apoiam a SESP no combate ao comércio ilegal, a Floram e as demais Secretarias Municipais que solicitam a presença da Guarda Municipal para garantir a manutenção da lei e a integridade do patrimônio público. Finalmente, mantemos, há seis anos, um setor que ministra palestras de educação no trânsito para crianças, jovens e adultos, visando formar melhores condutores e pedestres. Ou seja: a Guarda Municipal trabalha. (Ivan Couto Júnior – Comandante da Guarda Municipal de Florianópolis).
 
Ex-deputado lava roupa suja na cadeia e denuncia corrupção no legislativo
Depoimento fez barulho na Assembleia Legislativa,deixando muita gente preocupada. Nelson Goetten denunciou esquema de subvenção. E agora?
CPI nele
O depoimento que o ex-deputado federal Nelson Goetten, deu numa cela do presídio de Itapema, fez muito barulho na Assembleia Lesgislativa. Gotten mora numa cela com mais oito homens enquadrados na Lei Maria da Penha (agressão feminina) estupro e outros crimes contra os costumes. Ele falou exclusivamente para o jornalista Nader Khalil – a matéria foi ao ar no Jornal Meio Dia Ric, que apresento de segunda a sábado – sobre as mutretas na contratação de cargos comissionados, a mágica na liberação de subvenção e na multiplicação de diárias. Goetten não deu nome aos bois, mas falou com tanta propriedade, dando a entender que tudo o que disse também teria sido feito por ele. Será que a Mesa Diretora da Assembleia não vai querer ouvi-lo, numa Comissão Parlamentar de Inquérito? O dinheiro público merece ser aplicado com respeito e honestidade. E por falar nisso, que fim levaram as aposentadorias fantasmas milionárias da Assembleia Legislativa?
 
MÍDIAS DO BRASIL
 
 
Veículo: Último Segundo
Editoria: Brasil
Assunto: Tamanho do País é desafio para segurança nas fronteiras
 
Tamanho do País é desafio para segurança nas fronteiras, avalia Dilma
Em 30 dias, 550 pessoas foram presas, 10 toneladas de maconha e 500 quilos de cocaína foram apreendidos nas fronteiras brasileiras
A extensão da fronteira brasileira, quase 17 mil quilômetros, e a diversidade do país são os principais desafios para a segurança pública nessas regiões. A avaliação é da presidenta Dilma Rousseff, que comentou nesta segunda-feira o balanço do primeiro mês do Plano Estratégico de Fronteiras.
Em 30 dias, 550 pessoas foram presas em flagrante. Além disso, 10,5 toneladas de maconha e 500 quilos de cocaína foram apreendidos nas fronteiras do país. O plano, coordenado pelos ministérios da Justiça e da Defesa, envolve ações da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Força Nacional de Segurança e das Forças Armadas. A iniciativa visa a fortalecer as ações de controle nas fronteiras.
“O tamanho do Brasil e a diversidade da nossa geografia são os grandes desafios para a segurança na fronteira brasileira. São quase 17 mil quilômetros de extensão. E, para cada região, precisamos ter estratégias diferentes”, avaliou Dilma no programa semanal de rádio Café com a Presidenta.
A repressão à entrada de drogas e armas em território brasileiro é uma das principais frentes do plano, e, segundo Dilma, complementa outras ações da política de segurança pública do governo. “Quando impedimos a entrada de drogas e armas no país, evitamos que esses produtos cheguem às cidades, às comunidades e às favelas. E aí, esta operação se soma às várias ações que estamos implementando nos centros urbanos, como as UPPs [unidades de Polícia Pacificadora]”, disse.
Além das ações policiais, o plano prevê investimentos em tecnologia e inteligência. Segundo Dilma, o Ministério da Defesa está elaborando um sistema que vai permitir o monitoramento por satélite das fronteiras. “É impossível imaginar que quase 17 mil quilômetros de fronteira possam ser monitorados só com policiais e soldados. É preciso usar informações e ter equipamentos que permitam planejar as ações”, ressaltou a presidenta.
____________________________________________________________________________
Veículo: Agência Estado
Editoria: Brasil
Assunto: São Paulo terá mais 500 PMs nos fins de semana
 
 
São Paulo terá mais 500 PMs nos fins de semana
Número de policiais será ampliado nas noites dos fins de semana para combater os casos de roubos a bares e restaurantes na capital
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou neste sábado que o contingente de policiais será ampliado nas noites dos fins de semana para combater os casos de roubos a bares e restaurantes e tentar reduzir o número de acidentes no trânsito.
A partir da implementação do programa Direção Segura, estarão nas ruas mais 500 policiais e 190 viaturas, além do efetivo normal nas noites de sexta-feira, sábado e domingo. “Vamos priorizar regiões de maior movimento, para evitar assaltos e pegar criminosos, e para a aplicação da Lei Seca”, afirmou.
Alckmin se mostrou preocupado especialmente com a expansão no número de acidentes. “Hoje, já acontecem mais mortes por acidente do que por homicídio”, ressaltou o governador, citando como causa dessas ocorrências a ingestão de bebidas alcoólicas.
Para tentar reverter esse quadro, o governo estadual também iniciará em 1º de agosto uma campanha para abordar o tema álcool, principalmente junto aos jovens. A campanha educativa abordará entre outros pontos as punições para quem ingere álcool antes de dirigir e a necessidade de cumprimento da lei.
O governador esteve neste sábado na capital paulista para o ato simbólico de início da ampliação da Linha 5-Lilás da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), no trecho entre as estações Adolfo Pinheiro e Chácara Klabin. O projeto deverá ser concluído em 2015.
____________________________________________________________________________
Veículo: Último Segundo
Editoria: Brasil
Assunto: Polícia usa tecnologia para combater o crime
 
Polícia usa tecnologia para combater o crime
Veja em detalhes como funcionam os óculos que identificam pessoas em tempo real
A tecnologia é cada dia mais presente no cotidiano das Polícias Civil e Militar no Brasil. A mais nova aquisição dos órgãos de segurança paulista são óculos vindos de Israel que possuem uma minicâmera acoplada. Ele filma as pessoas durante eventos e envia informações em tempo real para uma base de dados que responde com os dados criminais da pessoa identificada.
Outros equipamentos permitem, além da identificação de criminosos, cruzar dados entre unidades policiais e interceptar ligações telefônicas feitas de aparelhos públicos. Veja em detalhes como funcionam os óculos e conheça outros recursos usados pelas polícias no combate ao crime.
 
Óculos da PM – A Polícia Militar de São Paulo deve incorporar ao dia-a-dia de trabalho óculos de alto poder tecnológico. Importados de Israel no começo do ano, onde auxiliam agentes no controle de fronteiras, os óculos possuem uma minicâmera acoplada, que filma o público e envia as informações em tempo real para um HD (Hard Disk) onde está gravado o banco de dados da PM. Desta forma, o equipamento identifica e avisa o policial sobre suspeitos, pessoas desaparecidas e até veículos com irregularidades. A tecnologia promete mudar a abordagem e revolucionar o trabalho da PM. Os óculos ainda estão em fase de teste no Brasil.
 
 
 
 
 
Alpha – Sistema criado para possibilitar a identificação de pessoas com a utilização do método de confronto de impressões digitais, colhidas em qualquer unidade policial, com aquelas arquivadas na base de dados do sistema.
 
Guardião – Sistema de interceptação telefônica autorizada, interligado à rede de telefonia pública, que é acessada por via digital para o Serviço Técnico de Monitoramento Legal de Telecomunicações.
 
Phoenix – Sistema para reconhecimento de criminosos, que integra os dados do RDO com bancos de dados de fotos, identidade, impressão digital, voz e outras características físicas, como as tatuagens. O sistema, que utiliza tecnologia de ponta, permite a construção de retratos falados simultaneamente ao registro do boletim de ocorrência.
 
Ômega – Dá suporte às investigações. Suas principais funções são agilizar o trabalho de pesquisa a partir da reunião de informações e fazer a identificação automática de relações entre pessoas, veículos, armas e endereços. Está disponível para todos os policiais civis onde há links de intranet.
 
Rádio Digital – Implantado em 2003, é um meio de comunicação via rádio digital que permite a intercomunicação das polícias Militar, Civil e da Superintendência da Polícia Técnico-Científica e visa realizar operações conjuntas. Toda conversa via rádio digital é criptografada e, portanto, não pode ser interceptada. Além da voz, a via digital permite o fluxo de imagens e dados. Somente em 2008, o investimento no projeto foi de R$ 21 milhões.
 
Sala de Situação – A Sala de Situação é um ambiente onde a Polícia Civil coordena operações integradas no Estado de São Paulo, com atualização de dados em tempo real. Todas as unidades policiais do Estado têm condições de interagir com a Sala de Situação. Em ambientes climatizados, o espaço possui equipamentos para videoconferências, computadores com links de alta velocidade e ramais Voip, que permitem a obtenção de dados como perfis de criminosos. O sistema de comunicação nacionalmente integrado aumenta a capacidade de investigação e dá sequência à obtenção de informações essenciais para o combate ao crime.
Registro Digital de Ocorrências (RDO) – Foi desenvolvido para informatizar o registro dos boletins de ocorrências (BOs) e termos circunstanciados. Via intranet, as unidades policiais padronizam suas rotinas e armazenam os boletins em um banco de dados, de modo que eles sejam consultados no Infocrim.
 
Infocrim – Com o Infocrim, a polícia cria roteiros para patrulhamento das áreas de maior criminalidade, despachando viaturas e designando policiais para o local das ocorrências. O Infocrim cruza dados dos boletins de ocorrência para a elaboração do mapa da criminalidade.
Viaturas mais equipadas – Algumas viaturas funcionam como uma espécie de central de inteligência e para isso estão equipadas com palmtops (veículos pequenos) ou notebooks, além de rádios digitais. Assim, no local da ocorrência o policial pode, por exemplo, pesquisar um veículo, uma arma ou uma pessoa que está sendo abordada. É possível também iniciar o registro da ocorrência, sem usar a voz, pelo sistema de radiocomunicação digital.
 
Lanternas forenses – São três tipos de lanterna que possibilitam o rastreamento de grandes áreas e permitem a visualização de provas impossíveis de detectar a olho nu. Esse equipamento representa um investimento de US$ 15 mil.
Cromatógrafo líquido de alto desempenho – Separa os componentes de uma mistura. A partir dele é possível fazer análises de entorpecentes e identificar medicamentos. Custa ao Estado cerca de R$ 1 milhão.
 
Tecnologia inédita – A Polícia Militar do Estado de São Paulo assinou no dia 26 de abril um protocolo de intenções com uma empresa de tecnologia para instalar a rede de transmissão de dados conhecida como 4G, tecnologia inédita na América Latina. O grande diferencial está na velocidade de comunicação e transmissão de dados entre o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) e os policiais na rua.
 
As informações podem ser transmitidas imediatamente aos homens mais próximos de ocorrência e a comunicação pode ser feita até por meio de videoconferência. Será possível enviar vídeos, áudios e dados em geral em segundos.
As viaturas que receberem a tecnologia também poderão acessar os sistemas inteligentes da PM, como o Fotocrim e o Copom Online, diretamente do computador de bordo do veículo. Será feito um teste de 90 dias e, se aprovada, a tecnologia será implantada em todo efetivo da PM.