Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 28 de setembro

28.9.2011
CLIPPING
28 de setembro 2011
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Visor
Assunto: Reunião dos Consegs
 
BATENDO NA MESMA TECLA
Os depoimentos durante a reunião dos conselhos comunitários de segurança (Consegs), ontem na Assembleia, apenas confirmaram o que todo mundo já sabe: a insegurança é generalizada por falta de efetivo. Alguns foram de arrepiar os cabelos (para quem tem, lógico). Os comerciantes dos Ingleses e de Capivari de Baixo, por exemplo, relataram que têm sido vítimas até de toque de recolher no Norte da Ilha, determinado por alguns criminosos na região.
 
***
O próprio delegado Nivaldo Claudino Rodrigues, que comanda a Polícia Civil na Capital, apresentou um dado preocupante: pelos menos 30 exonerações (desligamento do serviço público) são solicitadas por mês por policias civis que buscam novas atividades ou são aprovados em outros concursos. Em três anos, isto significa 900 agentes a menos. Enquanto isso, o o governo prevê formar 600 novos policiais no mesmo período.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Liberação do FGTS depende de decreto
 
Liberação do FGTS depende de decreto
Governador apresenta relatório dos prejuízos a ministros em Brasília
Em mais uma tentativa de auxiliar moradores de cidades atingidas por enchentes em Santa Catarina, o Planalto anunciou ontem a liberação do FGTS para os 72 municípios que decretaram situação de emergência ou estado de calamidade pública.
Para entrar em vigor, no entanto, a medida depende ainda de um decreto a ser assinado pela presidente Dilma Rousseff.
– Esse dinheiro é muito importante porque a pessoa passa a tê-lo no bolso. O cidadão vai à loja comprar, o dinheiro circula. E a loja também se capitaliza – explica o governador Raimundo Colombo.
Em reunião, ontem, com as ministras Gleisi Hoffman (Casa Civil), Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e com o titular da Integração Nacional, Fernando Bezerra, Colombo apresentou um relatório expondo a situação. De acordo com o governo, os prejuízos superam R$ 420 milhões. Diante do relato de mais de uma hora no Palácio do Planalto, o ministro Fernando Bezerra autorizou a liberação de mais verbas voltadas para reconstrução de pontes e rodovias.
– O ministro fará um levantamento dos recursos disponíveis e, após conversar com a presidente Dilma, dirá com que valor que eles vão poder colaborar – disse o governador.
O governo também anunciou que aposentados e pensionistas do INSS que residem nos 11 municípios que estão em estado de calamidade pública poderão ter acesso a um salário a mais, disponibilizado através de empréstimo. A medida injetará cerca de R$ 65 milhões na economia catarinense. Em Brasília, Colombo destacou ainda uma parceria com a fundação japonesa JICA, para prevenção de desastres naturais.
Em fase de estudos o projeto prevê, por exemplo, aumentar barragens de contenção a fim de evitar novos prejuízos em Santa Catarina.
Na segunda quinzena de outubro, uma missão catarinense irá ao continente asiático para acertar os últimos detalhes. A ideia é investir cerca de R$ 200 milhões – 70% provenientes da entidade e 30% do governo catarinense – na primeira etapa do projeto prevista para ser concluída em quatro anos. Raimundo Colombo também esteve na Secretaria de Portos, onde o governo anunciou a renovação da concessão do Porto de São Francisco por mais oito meses – de 1º de outubro a 30 de maio.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Fim da greve na UFSC
 
Os serviços voltam à normalidade
Ao meio dia de ontem, a fila para o Restaurante Universitário (RU) da UFSC tinha mais de 200 metros de extensão e chegava a metade da Praça da Cidadania, em frente à Reitoria. Um cenário que não se via há 113 dias, período em que os servidores da instituição de ensino estiveram em greve. Cerca de 4,5 mil estudantes almoçaram no local que tem como atrativo o preço: R$ 1,5.
Ao esperar para entrar no RU, o aluno de Engenharia Sanitária e Ambiental Vitor Santos Guimarães, 18 anos, se mostrava contente por voltar a economizar com o almoço. Ele ficou os mais de três meses fazendo as refeições em restaurantes próximos à universidade e gastava pelo menos R$ 10.
– Não deu nem mais para sair à noite – conta o jovem.
Conforme a diretora do HU, Deise de Oliveira Rita, retornaram ao trabalho os 39 servidores. O valor pago pelos estudantes pela refeição, seja almoço ou jantar, é de R$ 1,5 porque a UFSC arca com R$ 5,5 – o restante do custo real de R$ 7.
A Biblioteca também estava lotada ontem. Quem tiver livros atrasados para devolver devido à greve, tem até o dia 10 de outubro para entregar sem pagar multa.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da UFSC (Sintufsc), Celso Martins, em toda a universidade voltaram ao trabalho 1.170 técnico-administrativos, do total de 2.934. Também retornaram a funcionar as secretarias de centros de ensino e almoxarifado central.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Experiência na SC-405
 
Sentido único Centro-Bairro funcionou
Os 20 minutos de duas pistas liberadas, no sentindo Centro-Bairro da SC-405, na Capital, que leva ao Sul da Ilha, foram o suficientes para aliviar o trânsito para quem encarou a volta para casa, no início da noite de ontem.
Já quem vinha na direção Rio Tavares-Centro ficou numa fila de cerca de um quilômetro. No Campeche, a fila foi de aproximadamente 40 carros, de acordo com a Polícia Militar Rodoviária. A experiência será repetida hoje e amanhã. Na sexta-feira haverá uma avaliação para saber se a mudança virará rotina.
A promessa era liberar das 18h40min às 19h, mas houve um atraso de 10 minutos, por causa da obra de duplicação de uma das faixas da rodovia. Para colocar o piche, o trânsito ficou interrompido nos dois sentidos por 10 minutos no final da tarde, o que causou fila no sentido Bairro-Centro, não prevista pelos policiais rodoviários. Isso não deve acontecer hoje.
A operação começou às 18h50min. A fila, que às 18h15min já se formava sobre o Elevado da Seta, começou a andar. Com as duas pistas liberadas, o trânsito fluiu, sem ficar retido em nenhum ponto.
Apesar de estar há 10 minutos parada em sua moto, a moradora do Rio Tavares, Ana Cristina Santos, aprovou a iniciativa.
– Fomos todos avisados e bem informados. Quem tem compromisso à noite pode se programar com antecedência – observou.
O tenente Jairo Gonçalves Cabral, que coordenou a operação, disse que, exceto o atraso, saiu tudo dentro do esperado e que o resultado foi positivo. Quando o trânsito foi liberado, ele ficou surpreso com a quantidade de carros que seguiram do Campeche para o Sul, via SC-405, porque havia outras ligações entre as regiões. Trabalharam na mudança do trânsito 10 policiais militares rodoviários, que orientaram os motoristas. Há um ano e quatro meses, a mesma operação é feita todas as manhãs, no sentido contrário. Das 7h13min às 7h33min, as pistas são liberadas para os motoristas que seguem no sentido Bairro-Centro.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Política
Assunto: PSD é o mais novo partido
 
PSD é o mais novo partido
TSE aprovou o registro da sigla, que tem até 7 de outubro para filiar nomes que concorrem em 2012
Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou ontem a criação do PSD. O novo partido foi idealizado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e contou com adesão de lideranças catarinenses do DEM, como o governador Raimundo Colombo. Agora, sigla tem até 7 de outubro para filiar os políticos que pretendem disputar as eleições de 2012.
O julgamento foi retomado no noite de ontem após pedido de vista do ministro Marcelo Ribeiro na sessão do dia 20 de setembro, quando o tribunal vivia um impasse entre os ministros. Uma resolução do TSE exigia que as listas de assinaturas de apoio à criação do partido fossem certificadas pelos tribunais regionais eleitorais. Com base na legislação sobre a criação de partidos, que fala apenas no aval dos cartórios eleitorais, o PSD apresentou parte das assinaturas diretamente no TSE.
Ao votar, Marcelo Ribeiro disse que se tratava de uma “falsa incompatibilidade”. Ele entendeu que como a lei determina que o partido consiga a assinatura de 0,1% do eleitorado nos Estados e de 0,5% no país, a sigla poderia encaminhar as assinaturas necessárias aos tribunais locais e seguir coletando adesões diretamente ao TSE. O ministro entendeu que o PSD conseguiu mais de 510 mil assinaturas, enquanto a lei exige 492 mil.
– A resolução não contraria a lei, apenas não cogitou da hipótese (de assinaturas serem colhidas após o registro no tribunal regional)”.
A relatora Nancy Andrighi havia votado a favor da criação do PSD na semana passada. Segundo ela, foram comprovados o registro em 16 estados e 514,9 mil assinaturas de eleitores em apoio à a criação da sigla. Teori Zavascki, que tinha votado pela realização de investigações, mudou de posição ontem, após o voto de Ribeiro. Ele, Arnaldo Versiani, Cármen Lúcia e o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, aprovaram o PSD. O único voto contra a criação do partido foi de Marco Aurélio Mello.
O processo de criação da nova sigla ocorreu sobre denúncias de fraude na coleta dessas assinaturas.
O PSD nasce com 40 deputados federais em exercício – representando a sexta maior bancada da Câmara, ao lado do PP – , mas planeja chegar a 52. O DEM perde 17 dos 44 deputados, ficando com uma bancada de 27 parlamentares. Maior alvo do PSD, o DEM cai um ponto no ranking de bancadas, passando de sexta para sétima maior da Casa.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Política
Assunto: Iprev abrirá processos de inválidos
 
Iprev abrirá processos de inválidos
O anúncio foi dia 12 de setembro, mas apenas na próxima semana devem ser iniciados os processos administrativos do Instituto de Previdência de Santa Catarina (Iprev) para apurar indícios de irregularidade em 111 aposentadorias por invalidez da Assembleia Legislativa. O órgão ainda aguarda pareceres da Procuradoria Geral do Estado (PGE) para poder fazer a citação dos aposentados e publicar o início dos trabalhos no Diário Oficial do Estado.
Entre esses 111 processos estão os dos 16 inválidos que foram considerados aptos para o trabalho pela junta médica estadual e que foram convocados a retornar ao Legislativo pelo presidente da Assembleia, Gelson Merisio (PSD).
Os retornos foram suspensos por decisões liminares do Tribunal de Justiça (TJSC), justamente porque os servidores não passaram por processos internos antes de serem chamados. Segundo o presidente do Iprev, Adriano Zanotto (PMDB), a análise da PGE é uma questão formal prevista em lei. A expectativa é de que, iniciados, processos sejam concluídos em 60 dias.
 
Possíveis fraudes serão avaliadas em 111 casos
A intenção é apurar eventuais fraudes nas aposentadorias dos 111 inválidos que tiveram indícios de irregularidade constatados pela junta médica estadual entre julho e setembro. Dos 454 aposentados da Assembleia, 210 conquistaram o benefício por invalidez permanente. Desses, 207 foram convocados pelo Iprev para as perícias. Zanotto diz que está tudo preparado para iniciar a citação dos aposentados.
– Já deixamos os 111 envelopes prontos e selados para quando os pareceres chegarem não perdermos tempo nenhum – afirma.
Apesar da publicação no Diário Oficial do Estado, os nomes dos inválidos serão protegidos. Apenas as iniciais serão informadas. Até agora, apenas os nomes dos 16 considerados saudáveis vieram a público, por causa da convocação feita pela própria Assembleia.
Além deles, os aposentados Roberto Luiz Bousfield e Marilda Correa Bittencourt tiveram os benefícios suspensos porque não compareceram às perícias agendadas. Na sexta-feira, Bousfield apresentou um mandado de segurança no Tribunal de Justiça para não deixar de receber a aposentadoria. O pedido foi negado.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: 11 prisões põem fim a esquema internacional
 
11 prisões põem fim a esquema internacional
Outros cinco envolvidos já estavam detidos. Um deles tinha 17 celulares escondidos em sua cela
Uma investigação em andamento desde fevereiro deste ano já resultou na prisão de 22 pessoas que atuavam em um esquema internacional de tráfico de drogas. Metade dos envolvidos foi detida em SC ontem. Os entorpecentes vinham da Bolívia e eram revendidos nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
A estimativa é a de que, por mês, cerca de 350 quilos de cocaína e crack chegavam ao Sul do Brasil por meio da quadrilha, o que segundo a Polícia Federal, gerava uma movimentação de aproximadamente R$ 600 mil. Ontem, 11 foram detidos. Outros cinco já cumpriam pena em presídios de Itajaí e Curitiba.
– Eles usavam telefones celulares para auxiliar no tráfico de drogas de dentro dos presídios. Três estavam em unidades prisionais de Itajaí e dois em Curitiba – disse o delegado da Polícia Federal em Itajaí, Geraldo Barizon Filho.
Somente com um homem, que cumpria pena no Presídio Regional de Itajaí, localizado no Bairro Nossa Senhora das Graças, foram apreendidos 17 celulares, 15 chips de telefonia e 27 torrões de maconha. A Polícia Federal irá encaminhar o caso para a Justiça, que definirá a necessidade de investigações dentro das unidades prisionais.
Diretor do Presídio Regional de Itajaí, José Luiz Santos de Araújo afirma que a unidade não possui detector de metais. A revista das visitas é feita manualmente. Todos os pertences são vistoriados. Antes de entrar, o visitante precisa tirar a roupa para a fiscalização geral.
 
Para diretor, visitas e localização atrapalham
– A maioria dos celulares e drogas que entram aqui são trazidos pelas visitas. As mulheres escondem os pertences nas partes íntimas. Outra questão é a localização desse presídio. É uma área com alto índice de criminalidade, o que colabora com essa ação – acredita.
A operação, que ganhou o nome de Gato Preto, tirou de circulação, desde fevereiro, 100 quilos de cocaína e crack, R$ 157 mil em dinheiro, seis carros e uma moto.
– Eles se chamavam de gato entre si. Além de não revelarem seus nomes durante as ligações, eles também trocavam frequentemente os chips dos telefones. Era uma tentativa de despistar a polícia – diz Barizon.
O principal integrante da quadrilha está foragido. Osmar de Souza Júnior é o homem suspeito de mandar para o Brasil a droga produzida na Bolívia.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes e ocorrências
 
Ladrões levam R$ 400 mil
Amarrados por assaltantes, funcionários de uma relojoaria foram feitos reféns em Palhoça. Os ladrões levaram R$ 400 mil em peças de ouro e relógios.
Dois bandidos armados entraram no estabelecimento e um ficou esperando no carro, às 8h40min. Eles renderam três funcionários, o proprietário do estabelecimento e um cliente. As vítimas tiveram as mãos amarradas por fitas adesivas e ficaram deitadas no chão, durante a ação dos criminosos.
Os homens levaram da Thayse Relojoaria dezenas de peças de ouro e relógios, segundo o dono da loja, Osni Rogério dos Santos, 42 anos.
– Pegaram tudo o que eu tinha de ouro. Foi horrível. Ficaram ameaçando a gente – contou.
Os três assaltantes fugiram num Citröen C3, de acordo com informações de testemunhas. Os criminosos continuavam foragidos até o fechamento desta edição.
 
Duas famílias feitas reféns
Em menos de 24 horas, duas famílias foram feitas reféns em Biguaçu, na Grande Florianópolis. O primeiro caso aconteceu na madrugada de terça-feira. O segundo, ontem à noite.
No ataque mais recente, uma família do Jardim Carandaí foi surpreendida em casa por quatro homens armados. O pai, a mãe e um dos filhos do casal foram amarrados em um quarto.
Quando o outro filho chegou, ouviu do portão os gritos dos assaltantes. Correu para o vizinho, um policial militar que estava de folga. Ao verificar que era um assalto, o PM chamou apoio. Em 10 minutos, pelo menos cinco viaturas cercaram a casa. Os bandidos se entregaram e a família foi libertada.
No primeiro caso, um casal e a filha de 10 anos foram amarrados em casa por três bandidos armados. Um dos assaltantes suspeitos do crime acabou preso mais tarde, após invadir outra residência em São José.
Os três bandidos entraram na casa no Loteamento Primavera, em Biguaçu, e encontram mãe e filha na sala. Depois de renderem as duas, os assaltantes foram até o quarto do casal, onde encontraram o homem tomando banho. Os três foram amarrados e ficaram no quarto. Os criminosos levaram o carro da família, além de eletrodomésticos e eletroeletrônicos.
 
Morre idoso espancado
O idoso Vicente Pires, 73 anos, espancado por assaltantes em Garopaba, Sul do Estado, em abril deste ano, morreu ontem, em casa. Embora tivesse recebido liberação médica há alguns meses, os familiares acreditam que ele perdeu a vida em razão das graves lesões que sofrera no assalto.
Vicente e a mulher, Dorvalina Bento Pires, 81 anos, foram assaltados e espancados dentro da casa invadida por dois homens. A dupla, que morava perto das vítimas, foi presa dias depois. O preso Lourival Gonçalves, o Louro, 40 anos, confessou o crime. O outro preso, Pedro de Aguiar, o Mãozinha, negou o assalto. Eles ainda não foram julgados pelo crime.
 
Cães ajudam em buscas a mulher
Três cães farejadores ajudaram nas buscas pela aposentada Doraci Virgínia de Carvalho da Silveira, 67 anos, na manhã de ontem, em um mangue próximo à BR-101, em Barreiros, São José.
Um deles, que recebeu certificação internacional, saiu de Itajaí, no Litoral Norte, especialmente para a missão. Foi a primeira tarefa dele como oficial.
No Manguezal de São José a aposentada teria sido vista pela última vez, segundo descrição de dois moradores do local. Hoje, o desaparecimento de Doraci completa 44 dias. Além dos cães, outros 15 agentes da Delegacia da Mulher e do Grupo de Buscas e Salvamento (GBS), do Corpo de Bombeiros, participaram da operação, que também foi acompanhada pelo marido de Doraci, João Antônio da Silveira, e uma vizinha.
Segundo a delegada Sandra Mara Pereira, a polícia trabalha com duas possibilidades: que Doraci esteja morta, ou então circulando com andarilhos pela região, já que não teria levado documentos, bolsa, dinheiro ou chave no momento em que saiu de casa.
A partir de hoje, duas equipes da Delegacia da Mulher se dividem em viagens rumo às regiões Sul e Norte do Estado. A ideia é que eles reforcem as buscas em todas as pontes e margens de rios próximas às rodovias.
De acordo com levantamento da Polícia Civil, em 2010, no período de janeiro a agosto, 3.183 pessoas desapareceram no Estado. Em 2011, no mesmo período foram 2.115 pessoas que sumiram em Santa Catarina, sem deixar pistas.