Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 26 de dezembro

26.12.2011

 

Clipping 22 de dezembro

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Renato Hendges visita comunidades

                   Desabafo de um bombeiro

                   Número de assassinatos dolosos

                

 

EM CLIMA NATALINO, OS BRAVOS TAMBÉM AMAM

Que rena, que nada. O delegado Renato Hendges, presidente da Adepol, visitou as comunidades do Jardim Eldorado e Brejaru, em Palhoça, na sexta, a bordo do helicóptero da Polícia Civil. Ele deu um tempinho às reivindicações salariais para entregar mais de 5 mil brinquedos para cerca de 600 crianças. Sempre organizado pelo próprio Renatão, o evento natalino já acontece há 11 anos.

 

 

DESABAFO DE UM BOMBEIRO

Valdecir Cristiani é sargento do Corpo de Bombeiros Militar de SC há 31 anos. Ontem à tarde, fez um desabafo ao DC, por telefone. A ligação era para buscar informações sobre um furto que ocorreu no quartel do 1º Pelotão da 1ª Cia do 10º Batalhão de Bombeiros Militares, em Barreiros, São José, na noite de Natal.

– Estamos abandonados, sem efetivo. Os ladrões entram aqui a hora que querem – resumiu o sargento.

 

***

A ambulância, disse, está quebrada há 10 dias. Do total de bombeiros que deveriam estar de plantão, apenas três trabalhavam ontem. Quando saem para atender a uma ocorrência, precisam fechar o quartel porque não fica ninguém. Mesmo assim, já levaram motosserra, rádio das viaturas e até as mangueiras dos caminhões.

– Há um ano fazemos relatórios diários sobre este caos, mas não somos ouvidos.

 

RAIO X DOS ASSASSINATOS

O número de homicídios dolosos (intenção de matar) em SC caiu 2,08% no comparativo entre 1º de janeiro e 23 de dezembro e o mesmo período de 2010. Este ano foram atendidos 848 assassinatos no Estado, contra 866 no ano passado. A taxa de homicídios por grupo de 100 mil habitantes é de 13,57%. Já o índice de resolução dos crimes chega a 60,61%, com destaque para a Capital, onde este número alcança 81,32%.

 

***

 

De acordo com a SSP, os autores dos crimes são, de forma exponencial, do sexo masculino, com idade entre 18 e 24 anos, e apresentam antecedentes criminais. Já as vítimas apresentam perfil semelhante a este – homens, com idade entre 18 e 24 anos com antecedentes. Ainda segundo o documento, o homicídio em SC é cometido, expressivamente, por arma de fogo, tendo como motivação a desavença e o tráfico de drogas.

 

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Susto na ceia

 

Pedra racha e quase atinge residência em Florianópolis

Onze pessoas participavam do almoço de Natal quando a rocha de sete metros de altura se partiu

O almoço de Natal de Maria Gorete Pereira foi interrompido pelo estrondo de uma pedra de sete metros de altura que rachou atrás de sua casa, na comunidade de Vila Aparecida, na parte continental da Capital.

Ontem, as três famílias que vivem com a tesoureira da associação comunitária tiveram de procurar a residência de parentes, pois a dela foi interditada pela Defesa Civil.

Após dois dias de chuva, parte da pedra se desmembrou por volta das 13h30min. Maria Gorete almoçava quando ouviu o forte barulho e percebeu a mesa estremecer. As 11 pessoas correram para trás de casa, de onde veio o impacto.

– A pedra se partiu. É perigoso ficarmos, pois o resto dela pode cair sobre o telhado. Fiquei muito nervosa, pois aqueles pedaços de rochas caíram bem perto do quarto de minha filha caçula, que completou três anos há pouco tempo – conta, assustada, Maria Gorete.

A assistência social da prefeitura já garantiu o pagamento do aluguel social de R$ 300 para os moradores, o que tranquilizou um pouco Maria.

O geólogo voluntário Rodrigo Sato esteve no local na tarde de ontem e vai pedir o desmonte da rocha.

Como a chuva deve continuar hoje, o gerente de Prevenção da Defesa Civil de Florianópolis, Marcelo Ricardo Silva, recomenda para quem vive nos morros que, ao sinal de qualquer deslizamento, saia de casa imediatamente e chame a Defesa Civil ou Corpo de Bombeiros.

 

Mariquinha será analisado

A prefeitura de Florianópolis deve escolher, no começo desta semana, a empresa que fará o estudo geofísico na comunidade da Mariquinha, e avaliar a situação da área onde ocorreu o deslizamento de uma pedra há duas semanas. O incidente resultou na morte de uma mulher de 45 anos. A fatalidade despertou o alerta sobre o risco de deslizamento de rochas nos morros de Florianópolis.

De acordo com o gerente de Prevenção da Defesa Civil da Capital, Marcelo Ricardo Silva, três empresas encaminharam propostas de preço na semana passada. A escolha pode ser realizada ainda hoje. O levantamento deve ser feito com equipamentos na área e a sua conclusão pode levar até 30 dias. A contratação será sem licitação por causa da urgência. Para isso, foi assinado o decreto de situação de emergência no dia 17.

O Morro da Mariquinha não figurava entre os pontos de risco do Maciço do Morro da Cruz, e o fato é tratado como “fatalidade” em razão de suposto fenômeno raro, chamado de desplacamento. O pedaço de rocha de 200 toneladas se descolou dia 13, carregando 6 mil toneladas de terra morro abaixo. Além da morte da mulher, a ocorrência deixou quatro casas destruídas e 12 interditadas.

Segundo o geólogo da Defesa Civil Rodrigo Sato, a iminência da situação era perceptível, pois a casa apresentava rachaduras, mas os moradores não souberam identificar o risco.

 

Chuva persiste no Estado

Para quem achou ruim o fim de semana com chuva, uma notícia nada boa: o tempo continuará instável hoje no Estado. A chuva deve aparecer no começo da manhã e fim de tarde desde o Litoral, Vale do Itajaí até o Planalto Norte.

 

Nas demais regiões, haverá sol com aumento de nuvens e pancadas de chuva, com trovoadas de forma isolada. A temperatura tende a permanecer amena nesta segunda-feira, com mínima de 19°C na Grande Florianópolis, e máxima de 23°C na Grande Florianópolis.

No Oeste, há possibilidade de ficar um pouco mais quente. Os termômetros podem chegar a 25°C.

Amanhã e quarta-feira, deve haver nebulosidade variável com chuva isolada na madrugada e à noite, e aberturas de sol no decorrer do dia entre o Litoral e a Serra.

Temperatura será amena na Serra de madrugada

No restante do Estado, o dia será de sol entre nuvens e pancadas de chuva ao anoitecer. Temperatura mais amena na madrugada na Serra, com mínima de 11°C.

__________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Números da violência

 

Sem glamour, mas mortal

Os dados da violência no Brasil e nos estados brasileiros, divulgados dia 14 no relatório Mapa da Violência do Brasil 2012, são de apavorar. O DC publicou os números catarinenses, que mostram que o número de homicídios no Estado cresceu 60% entre 2000 e 2010. Nossa taxa, menor do país, ainda assim passou a barreira dos 10 assassinatos por 100 mil habitantes, índice considerado epidêmico pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Outro dado horrível: 1,1 milhão de pessoas foram assassinadas nos últimos 30 anos no país. Curioso é que os grandes bandidos, que viram notícia e são quase celebridades, não são, a rigor, assassinos. Papagaio, recapturado sábado em Brusque, criou fama pelos assaltos a banco e pelas fugas, todos sempre cinematográficos.

Ou mesmo a mais comentada prisão do país nas últimas semanas, a de Dudu, o perigoso assaltante do Morumbi. Nossos assassinos, na esmagadora maioria, são menos glamourosos. Não têm preparo algum para manusear uma arma, nenhum “profissionalismo” como criminosos – em boa parte dos casos, são menores de idade, inclusive. É de assustar.

____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Papagaio

 

Papagaio seria consultor, mas fica de bico fechado

Famoso assaltante de bancos e carros-fortes está em uma das 14 celas do setor de isolamento

Papagaio está sozinho em uma das 14 celas do setor de isolamento, conhecido como “a toca”, na penitenciária de segurança máxima de São Pedro de Alcântara. Está usando uniforme laranja e deverá ser transferido para o raio 4, onde estão os internos de uma facção criminosa catarinense. Um dos mais perigosos assaltantes de banco e carros-fortes do Sul do país, ele é apontado pela polícia como consultor dos quadrilheiros que vêm explodindo caixas eletrônicos em Santa Catarina. Foi preso em flagrante na véspera de Natal, em Brusque, Vale do Itajaí.

Assim que Claudio Adriano Ribeiro chegou a São Pedro, às 22h30min de sábado, a notícia se espalhou pela unidade da Grande Florianópolis. A penitenciária não recebeu reforço na segurança, mesmo com a chegada do “campeão de fugas”. Ele foi o primeiro a fugir da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc), no Rio Grande do Sul.

– Dá certa preocupação de ter o Papagaio aqui, por seu histórico. Tão logo seja possível, espero que seja transferido para o Rio Grande do Sul – disse o diretor do Departamento de Administração Prisional de Santa Catarina (Deap), Leandro Soares.

Contrariando a fama de falastrão que lhe rendeu o apelido, Papagaio tem se mantido quieto, sem fazer pedidos especiais nem chamado a atenção. Hoje, ele vai passar por entrevista com o chefe de segurança para dizer se tem algum desafeto na unidade e assim ser transferido para cela conjunta. Até lá, vai tomar banho de sol sozinho. Assim que for para cela comum, o veterano assaltante vai tomar sol no pátio com os outros internos.

É nos raios 3 e 4 que está a maior concentração de integrantes de uma facção criminosa catarinense. O diretor do Deap diz que nunca ouviu o nome de Papagaio ligado à facção, mas admitiu que o criminoso gaúcho é muito bem articulado dentro e fora das cadeias.

A polícia acredita que é esta característica que transformou Papagaio no suposto conselheiro das quadrilhas responsáveis pela onda de explosões a caixas eletrônicos em Santa Catarina. Consultor dos grupos profissionais, que usam armamento pesado e segurança de área. O criminoso tem contatos com bandidos que alugam armas e carros para fugas, e informações privilegiadas de bancos no Estado. Além disso, tem comércio em SC.

Papagaio foi preso em flagrante às 14h de sábado, em Brusque, por integrantes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de SC. Ele estava foragido do sistema gaúcho desde abril deste ano. Foi surpreendido enquanto comia churrasco. Papagaio estava com identidade falsa de nome Benício de Jesus e uma pistola .380 com numeração raspada.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Cunhados brigam e um acaba no hospital

A celebração de Natal deste ano ficará marcada para uma família no Centro de Corupá, Norte de Santa Catarina. Por volta das 5h de domingo, dois cunhados se desentenderam. Um deles buscou um facão em casa e acabou atingindo o outro.

O agressor foi preso em flagrante e encaminhado ao presídio de Jaraguá do Sul. A vítima foi levada em estado grave para a UTI do Hospital São José, em Jaraguá do Sul, onde permanece internada e corre o risco de perder um dos dedos da mão.

 

Quatro corpos são encontrados

O corpo de um homem de 28 anos, ainda não identificado, foi encontrado sexta-feira, no Bairro Vila Lalau, em Jaraguá do Sul. O médico do Instituto Médico Legal confirmou uma bala na nuca do jovem, que já estava com o corpo em decomposição.

No mesmo dia, outros dois homens foram encontrados mortos em Joinville. Um estava em um mangue no Bairro Fátima e outro caído na rua, no Boa Vista. Ontem, outro foi encontrado no Rio do Ferro, também em Joinville (foto).

 

Rapaz é assassinado em Florianópolis

A noite de Natal foi violenta na Cachoeira do Bom Jesus, no Norte da Ilha de Santa Catarina. Anderson Batista Cordeiro dos Santos, 18 anos, foi assassinado a tiros depois de uma confusão na Rua Leonel Pereira, perto da Padaria Lucas.

De acordo com o delegado de Homicídios da Capital, Ênio Matos, após uma discussão entre pessoas no bairro, um grupo foi embora e retornou de carro, atirando contra a vítima. O crime ocorreu por volta das 23h30min. Já há suspeitos.

 

Incêndio em mangue pode ser criminoso

Um incêndio supostamente criminoso destruiu uma área equivalente a cinco campos de futebol no sábado no Bairro Carianos, em Florianópolis. O fogo atingiu uma região de mangue e chegou a cinco metros de casas. O trabalho de combate às chamas durou uma hora e foram necessários três caminhões dos bombeiros. Moradores viram um homem saindo do mangue com uma garrafa de plástico, logo após o início das chamas. O suspeito foi detido pela Polícia Militar, mas negou envolvimento.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Cai número de homicídios no Estado

 

Cai número de homicídios no Estado

O número de homicídios dolosos em Santa Catarina caiu 2,08% no comparativo entre 1º de janeiro e 23 de dezembro e o mesmo período de 2010, segundo levantamento divulgado sexta-feira pela Secretaria de Segurança Pública. Este ano, foram atendidos a 848 assassinatos no Estado contra 866 no ano passado.

A taxa de homicídios por grupo de 100 mil habitantes é de 13,57%. O índice de resolução dos crimes chega a 60,61% com destaque para a Capital, onde esse número alcança 81,32%.

Os autores dos crimes são, na maioria das vezes, do sexo masculino, com idade entre 18 e 24 anos, e apresentam antecedentes criminais. As vítimas apresentam perfil semelhante a este. A arma de fogo é a mais utilizada, tendo como motivação a desavença e o tráfico de drogas, além de acontecerem, em sua maioria, em via pública e de forma secundária na residência da vítima.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Reportagem Especial

Assunto: Crimes e ocorrências

 

 

Mais filas à vista no Réveillon

Se as viagens de Natal já exigiram paciência dos motoristas que utilizaram as rodovias estaduais e federais de SC, a polícia rodoviária avisa que o pior ainda está por vir. A previsão é de um aumento de até 100% no fluxo de carros no fim de semana que vem

A BR-101 deverá receber até 100% mais carros do que o normal, nas duas regiões mais movimentadas, no feriadão de Ano- Novo. Na região da Grande Florianópolis passam, hoje, cerca de 160 mil veículos por dia. Em Balneário Camboriú, são 40 mil carros diariamente.

A previsão para as rodovias estaduais também indica mais carros nas estradas e mais paciência para os motoristas. O movimento deve crescer aos poucos, durante a semana, até quinta e sexta-feira, quando as SCs irá receber de 40% a 50% mais veículos.

Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), sexta, dia 30 de dezembro, e domingo, 1º de janeiro, vão ser os dias em que o fluxo de carros irá atingir o seu auge, com 50% de acréscimo de veículos nas rodovias mais movimentadas da Capital, a SC-401 e SC-405.

A rodovia que liga o Centro ao Sul da Ilha, a SC-405, vai receber atenção especial, com monitoramento da PMRv 24 horas por dia. Mesmo com a inauguração dos semáforos, prevista para quarta-feira, o monitoramento segue até o dia 1º de janeiro, já que a rodovia recém-inaugurou uma terceira pista reversível.

– É uma situação atípica para os moradores e, especialmente, para os turistas. Nos horários de maior movimentação, de manhã e no final da tarde, a terceira faixa, que normalmente, é sentido Sul-Centro, será invertida para Centro-Sul – explica Giovani Pereira, da PMRv.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), segundo o chefe do Núcleo de Comunicação, Luiz Graziano, vai aumentar o número de policiais nos 23 postos de fiscalização durante os três dias de pico de movimento. A BR-101 também vai receber quatro radares fotográficos, complementando os quatro que a rodovia já ganhou no Natal.

 

Cuidados na estrada

– Coerência no uso do carro

O sargento da Polícia Militar Rodoviária Estadual (PMRv) Charles Giovani Pereira recomenda, antes de tudo, ter coerência no uso do carro. Se existirem opções como ir a pé, de bicicleta ou de ônibus, deixar o carro em casa é sempre melhor. Principalmente nos horários de pico, que, nas rodovias estaduais, e também nos centro das cidades, são das 7h às 9h e no fim da tarde, das 17h às 19h.

– Limites de velocidade

A principal causa de acidentes de trânsito nas rodovias do Estado, de acordo com a PMRv, é o excesso de velocidade. No final de ano, especialmente, quando as pessoas estão passeando, mais relaxadas, é comum excederem os limites.

– Evite bebidas alcoólicas

O segundo motivo de acidentes, mas diretamente relacionado com o primeiro, é o álcool. É preciso evitar a ingestão de qualquer quantidade de bebida alcoólica nesta época do ano, que é caracterizada pelas festas.

– Respeitar as leis de trânsito

Estar em férias não é justificativa para desrespeitar as leis de trânsito. Segundo a PMRv, a terceira causa de acidentes é a imprudência – fazer ultrapassagens forçadas, desobedecer a sinalização, os limites de velocidade e as faixas de pedestre, atender o celular no carro, pedalar invadindo as pistas ou atravessar sem olhar para os lados são atitudes extremamente perigosas.

– Cuidados com o veículo

Fazer a manutenção periódica do carro é uma das medidas preventivas contra acidentes de trânsito mais eficazes. Pneus (calibragem e desgaste), limpador de para-brisas, quantidade de combustível, nível do óleo, condições das pastilhas de freio e funcionamento do motor são alguns dos itens que devem ser periodicamente checados.

 

Mortes chegam a 13 no Estado

Apesar de todas as recomendações das polícias rodoviárias federal e estadual aos motoristas, com vistas à diminuição dos acidentes de trânsito, o que se viu foi mais um feriado de Natal violento nas rodovias catarinenses.

Desde os primeiros minutos da madrugada de sexta-feira até as 22h de ontem, 13 pessoas perderam a vida nas estradas.

O número de mortos é o mesmo do feriado de 2010, porém, naquela ocasião, a operação especial natalina durou quatro dias, e, agora, apenas três. A rodovia onde mais ocorreram acidentes foi a BR-101, que resultaram em três mortes.

O caso mais grave, entretanto, foi registrado na SC-411, km 71,2, município de Canelinha, no Vale do Rio Tijucas, às 10h20min da manhã de ontem.

Os automóveis Ford Ecosport placas MIF-6114, de São João Batista, conduzido por Adimilson Arleno Machado, e o Suzuki placas ICS-7201, de Itajaí, dirigido por Gilmar Vargas, de 28 anos, bateram de frente. Morreram no local três ocupantes do Suzuki: Leomar Vargas, 28 anos, V. V. 15 anos; e J. S. V., de apenas dois anos de idade, e outros três ficaram feridos. Um deles foi levado de helicóptero para o Hospital Celso Ramos, em Florianópolis. Os outros dois, encaminhados para unidades médicas da região.

Chovia fraco no momento do acidente, que ocorreu em um trecho de reta e pista simples da rodovia estadual. O bloqueio montado para os trabalhos de resgate das vítimas complicou o trânsito no local por algumas horas.

Segundo informações preliminares, todas as vítimas pertenciam à mesma família – o que é uma característica dos acidentes ocorridos no Natal, época em que a família costuma viajar reunida.

O feriado de Natal está inserido na Operação Fim de Ano, que prossegue até a meia-noite do dia 2 de janeiro. Este ano, a operação ocorre de forma integrada entre as polícias militares de todo o país.

 

 

Radares ficarão sem aviso

Os órgãos de trânsito não são mais obrigados a avisar sobre a existência de radares em vias urbanas e rodovia com fiscalização eletrônica.

Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), oficializada na sexta-feira, revogou a exigência, em vigor havia mais de cinco anos. Os radares já podem ser colocados para multar os infratores mesmo onde não houver avisos.

Pela nova resolução, apesar de as placas de aviso não serem exigidas, os radares não podem ficar escondidos.

Estudo prévio não será mais exigido

Outras mudanças feitas pelo Contran são o fim da exigência de estudo prévio para radares móveis em rodovias e a liberação deles mesmo em trechos de estradas onde não há sinalização da velocidade permitida.

 

BLOGS

 

Moacir Pereira

 

Oficiais da PM lançam nota

O presidente da Acors, a Associação dos Oficiais da PM catarinense, coronhel Fred Schauffert, envia e-mail intitulado “Nota de Esclarecimento” sobre os comentários e notas aqui deste post. Leia seu conteúdo:

 

“Em relação as postagens em sua coluna no Jornal Diário Catarinense e seu blog, todas datadas do dia 22 de dezembro de 2011, viemos a público trazer alguns esclarecimentos que restituem a verdade e a

posição de nossa Associação.

A Associação dos Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina- ACORS agradece a forma polida, educada e séria que este jornalista tem pautado seus comentários. Inclusive,

demonstrando de maneira inequívoca a união de esforços e ações conjuntas entre os Comandos do Corpo de Bombeiro Militar e da Polícia Militar e as associações de classes dos oficiais e praças de ambas as

Corporações.

De fato alcançamos a maturidade classista e estamos todos engajados em proporcionar melhores condições de trabalho e vida para os nossos associados. Nossa associação tem sido a grande catalisadora dessa união de esforços e, junto com a APRASC, estamos pensando em melhorias significativas para a base de nossos quadros.

Ao contrário do que se lê em vossa coluna, não fomos a categoria que teve todas as suas demandas atendidas pelo governo. Ao contrário, obtivemos as mesmas vitórias das demais categorias da SSP, ficando atrás das conquistas salariais da própria Polícia Civil. Dizemos isso com tranqüilidade pois dispomos de todos os dados financeiros para comprovar.

Evoluímos sim na negociação com o governo, através de sua liderança na Alesc. Não nos satisfizemos em, uma vez mais, ficarmos em segundo plano nas lutas e brigas salariais. Existe uma defasagem enorme entre os salários da Polícia Civil e da Polícia e Corpo de Bombeiro Militar em Santa Catarina. Nossos soldos figuram em todos os postos e graduações com valores bem inferiores aos da Polícia Civil. Esta defasagem que nos causa mal estar e nos faz lutar, cada vez mais, em benefício de nossos associados.

Em 2009, como fruto das negociações das Leis de Valorização Profissional LC 453 e 454 que envolveu todas as classes da SSP, garantimos que os militares estaduais obtivessem percentuais da

Indenização de Representação de Chefia na ordem de 3% a mais, justamente para que esta diferenciação salarial não aumentasse ainda mais. Fomos tomados de surpresa ao ver tal percentual ser utilizado

como argumento para que a PMSC e o CBMSC fossem deixados de fora de qualquer outro ganho salarial.

Somos militares estaduais, e como tal, somos cidadãos tolhidos de uma série de direitos e prerrogativas que todas as outras classes gozam, tais como, direito a sindicalização, movimentação e greve, filiação a partidos políticos, garantia de permanecer na ativa quando eleitos para cargos públicos, dentre outros. Além disso, quando passamos para a reserva remunerada ficamos aptos a sermos mobilizados a qualquer tempo para retornar ao serviço ativo. Sem falar na submissão ao código

penal militar e regulamento disciplinar rígido e em uso prático. Ou seja, temos uma série de obrigações e uma restrição de muitos direitos.

Com isso, nada mais justo que possuirmos algumas garantias salariais na carreira. Contudo, em Santa Catarina isso não acontece. Ao contrário, permanecemos com nossos salários base, os ditos soldos, bem inferiores as demais classes da SSP. Com esta concessão de aumento diferenciado, nossa condição salarial se tornará ainda mais grave do que ocorria. Ficando todos os militares estaduais a míngua e com uma forte dívida a ser cobrada do governo estadual.

O que obtivemos nesse final de ano, foi a garantia de que nosso projetos antigos, que estavam na Alesc há cerca de 2 anos pudessem ser analisados e votados em plenário. Esta foi a proposta que ouvimos do Deputado Elizeu Mattos, líder do governo, nos garantindo ainda que no início de 2012 seríamos novamente chamados para corrigirmos aquela desvantagem salarial.

Somos homens e mulheres de palavra e brio forte. Assim, jamais colocaremos nossos interesses acima do interesse e bem estar dos catarinenses. Pactuamos com o Líder do Governo que manteríamos a

normalidade em nossos serviços prestados para que o governo pudesse ter algum tempo neste final de ano. Tudo, como a perspectiva e garantia do Deputado Elizeu Mattos e do próprio governador que no

início de 2012 toda esta defasagem salarial pudesse ser corrigida.

Qualquer militar estadual para galgar postos e graduações na carreira precisa, necessariamente, participar de pelos menos 3 concursos internos e realizar 3 cursos de formação, aperfeiçoamento ou

especialização. Não somos promovidos automaticamente com o simples passar do tempo. Para que sejamos promovidos temos que estudar, nos qualificar e concorrer internamente para os postos e graduações superiores.

Assim, a promoção de tenentes coronéis com 30 anos de serviço e de soldados com mais de 25 anos de serviço nada mais é do que uma correção no curso da história recente. O governo não nos presenteou

com nada, apenas corrigiu uma distorção de carreira gerada por governos passados.

Respeitamos as lutas classistas das demais categorias da SSP e do serviço público. Inclusive, por diversas vezes tentamos compor negociações e propor uma agenda positiva. Contudo, as promessas e o

tempo estão nos deixando insensíveis aos discursos e pedidos de compreensão. Precisamos mais que isso. Merecemos ser tratados com respeito e sem distinção a qualquer outro segmento da SSP. Somos uma

classe que recebe um salário base inferior a outras classes de igual importância. Logo, exigimos tratamento igualitário e digno.

Como diziam os grandes líderes pacifistas, esperamos que nossa maneira peculiar, respeitosa e disciplinada de negociar não seja confundida com fraqueza ou covardia. Somos comandantes inteligentes,

estrategistas e corajosos. Sabemos o poder de comandar quase 12.000 homens e mulheres por todo o Estado de Santa Catarina. Nossos comandados também são inteligentes, corajosos e conhecem o poder que possuem.

Assim, esperamos que o governo não alimente ainda mais esta anomalia que é a disparidade salarial entre as classes da segurança pública. Deixamos de ser contemplados uma vez mais. Não será possível tolerar nenhuma outra medida que torne esta disparidade ainda maior.

Permanecemos vigilantes e trabalhando em prol da sociedade catarinense. Como bem diz nosso juramento de sangue, mesmo com o risco da própria vida!?

Este é o nosso “Acordo de Resultados”, entregar a nossa vida, o nosso maior patrimônio, em defesa da riqueza da sociedade catarinense.

Florianópolis, 22 de novembro de 2011.

Respeitosamente,

FRED HARRY SCHAUFFERT

Cel PM Presidente da ACORS.”

 

Cláudio Prisco

 

O retorno de Paulo Afonso?

Concretamente, pela primeira vez depois do episódio dos precatórios, que fulminou com o seu governo, provocando brutal desgaste político, Paulo Afonso passa a raciocinar com a possibilidade de uma nova inserção majoritária no âmbito partidário. No ano passado, chegou a disputar a convenção do PMDB contra Luiz Henrique, na indicação ao Senado, mas ali com a nítida intenção de oferecer o contraponto, já que estava compromissado com Michel Temer.

O resultado do seu embate interno com LHS o despertou para um futuro retorno eleitoral. Mesmo enfrentando um ex-governador de dois mandatos, que tinha acabado de deixar o poder, Paulo Afonso conquistou o voto de 40% das lideranças peemedebistas, confirmando sua identificação com a base partidária, resultado de uma administração de perfil municipalista.

Apesar de transcorridos 13 anos do término do seu governo, Paulo Afonso continua a ser uma referência no PMDB, assim como o senador Casildo Maldaner. No curto prazo, é difícil imaginar alguma figura que venha a desbanca-los, tal é a desenvoltura dos dois entre os líderes e militantes peemedebistas. A diferença é que Maldaner tem quase 20 anos a mais do que Paulo Afonso.

Como o filho do ex-deputado federal Eugênio Doin Vieira (já falecido) assumiu o governo com apenas 38 anos, ainda tem idade para novos saltos, desde que consiga neutralizar substancialmente a mancha do episódio das letras. Se Paulo Afonso tem indiscutível penetração partidária, o mesmo não se pode dizer na sociedade catarinense, por mais que o colégio eleitoral tenha sido renovado. 

Algumas vitórias recentes em ações patrocinadas por adversários, no campo da moralidade pública, ajudam na reconstrução da imagem de Paulo Afonso, mas o bombardeio político ao qual foi submetido em 1997 no fez sangrar em praça pública por longos anos.

Aos 54 anos, o ex-governador sinaliza novas pretensões por entender que os senadores Luiz Henrique e Casildo Maldaner cumprem seus últimos mandatos e Eduardo Moreira pretende suceder o segundo em 2014, em derradeira empreitada eleitoral.

 

O significado da posse de Paulo Afonso

A investidura de Paulo Afonso Vieira em cargo na vice-presidência da República, a partir do primeiro dia útil de janeiro, marca não apenas o seu retorno a uma posição política, desde que se afastou da diretoria de Gestão da Eletrosul, em março de 2010, mas também uma nova fase nas relações do PMDB de Santa Catarina com a União. Como a esmagadora maioria dos peemedebistas catarinenses esteve engajada na campanha do tucano José Serra, é praticamente zero a representatividade partidária no contexto federal.

O gesto praticado pelo vice Michel Temer, convidando o ex-governador a fazer parte de sua equipe, tem vários significados. O primeiro deles é o reconhecimento ao envolvimento de Paulo Afonso na campanha presidencial, empunhando a bandeira peemedebista em favor dele e da petista Dilma Rousseff em momento desfavorável, já que o PMDB estadual estava fechado em copas em torno do projeto de Serra, por orientação expressa de Luiz Henrique da Silveira e Eduardo Pinho Moreira.

Além de sua velha amizade com Luiz Henrique ter esfriado, Temer ficou indignado com Pinho Moreira quando esse fechou com o então senador Raimundo Colombo, em dobradinha para o governo atrelada ao projeto do PSDB à Presidência. Ainda no comando do PMDB, Michel Temer chegou a pedir a desfiliação de Moreira da sigla, considerando que estavam em curso entendimentos para um acerto com o PT de SC, cujas conversações os dois foram protagonistas em Brasília.

A chegada de Paulo Afonso no Palácio do Planalto está sendo interpretada como uma nova fase das relações do governo federal com o PMDB catarinense. Temer e Moreira praticamente já acertaram os ponteiros, mas com LHS o distanciamento ainda é flagrante. Como na política regional o ex-governador reatou com Luiz Henrique recentemente, poderia construir uma ponte com o vice-presidente, que já vislumbra o panorama sucessório de 2014, no qual Michel Temer alimenta a intenção de repetir a dobradinha com Dilma, assim como ocorreu com Marco Maciel na era FHC.