Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 22 de abril

22.4.2011
Clipping 22 de abril
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Visor
Assuntos: Força-tarefa
                  Casa dos responsáveis pela segurança de Lurian Silva
                  
 
AGILIDADE
Passados 20 dias do início dos ataques a postos e delegacias, além dos carros incendiados, a Secretaria de Segurança Pública montou uma força-tarefa para combater o crime organizado. Resposta imediata, não?
 
LUGA-SE BUNKER
A casa que serviu de base operacional para os agentes responsáveis pela segurança de Lurian Silva, filha do ex-presidente Lula, está disponível para aluguel. Localizada na esquina das ruas Capitão Savas com Léo Vitor, Bairro Coqueiros, em Florianópolis, ela foi praticamente transformada num bunker durante os últimos oito anos. Em tempos de violência crescente…
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Trânsito no feriado
 
Em 30 horas, foram oito mortes nas estradas de SC
Desde o início da tarde de quarta-feira, ocorreram sete acidentes com vítimas fatais no Estado
O feriado de Páscoa começou tumultuado nas rodovias catarinenses. Mais uma vez o comportamento inadequado dos motoristas provocou acidentes perigosos. Oito pessoas morreram desde as 12h de quarta-feira. No trecho Sul da BR-101, o problema foram as filas com mais de 35 quilômetros. Agora, a preocupação aumenta com o retorno do feriadão.
O mais grave acidente aconteceu na SC-301, na Serra da Dona Francisca, em Joinville. Ontem, por volta das 8h20min, o motorista Claudino Alves Teixeira, 40 anos, dirigia um caminhão tanque, carregado de combustível, quando tombou e bateu no barranco. Ele e o passageiro Adilson Figueira Azevedo, 33 anos, morreram no local. O acidente provocou vazamento de combustível, mas foi contido com o apoio do helicóptero da Polícia Militar (PM).
Segundo o chefe de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Leandro Andrade, nas BR-470, em Blumenau; 282 em Lages e 101, no trecho Sul, o trânsito ficou congestionado.
– Os acidentes foram ocasionados por colisões frontal e lateral, provocados por ultrapassagem em locais proibidos. O comportamento inadequado do motorista gera os acidentes, a rodovia fica parada e tem o efeito cascata que são as filas – diz.
Na BR-376, no Paraná, um ônibus que trazia turistas de Londrina para o Estado tombou, entre as cidades de Tijucas do Sul (PR) e Guaratuba (PR). Não houve mortes, mas muitas pessoas ficaram feridas e foram levadas para os hospitais de Joinville e São José dos Pinhais (PR).
 
Filas de 35 quilômetros na Grande Florianópolis
O empresário Rui José Baum, morador de Ivoti (RS), estava entre os motoristas indignados com o congestionamento gigante que chegou a 35 quilômetros na BR-101, entre Palhoça e Paulo Lopes. Ele saiu de casa às 7h e levou 13 horas para chegar em seu destino, a cidade de Bombas.
– Venho sempre para Santa Catarina, mas nunca passei por uma situação como esta. Perdi praticamente o dia inteiro do feriado na estrada. É muito desgastante. Esta duplicação está muito lenta, alguém tem que fazer algo urgente – afirmou.
 
O vaivém na rodoviária
A movimentação no Terminal Rodoviário Rita Maria, em Florianópolis, foi intensa da noite da quarta-feira até a manhã de ontem.
Eram turistas chegando na Capital e catarinenses que saíram da cidade para visitar parentes.
O servente Jailson Osni Costa, 25 anos, levou a mulher, Elisiane da Cruz, 20 anos, e a filha Jaqueline Costa Cruz, cinco anos, para visitar os pais em São Joaquim.
– Vamos aproveitar o final de semana para ver a família. Estamos trabalhando aqui na Capital faz três meses e estamos com saudades da família – disse a mulher.
 
Para atender a demanda, as empresas ofereceram ônibus extras.
Segundo o subencarregado de vendas da Empresa Catarinense, Luiz Alvino, houve aumento de 30% no movimento. O principal destino foi Curitiba (PR). A Empresa Reunidas também operou com ônibus extras em todas as linhas para Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul , além dos 42 carros diários.
Em 24 horas, foram vendidas cerca de 2 mil passagens.
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Primeiro dia da força-tarefa
 
Blitze e 1º dia calmo
Força-tarefa contra atentados a unidades de segurança começou ontem
A força-tarefa das polícias Civil e Militar e setores de inteligência seguirá mobilizada no feriadão de Páscoa para tentar evitar novos atentados a prédios policiais, na Grande Florianópolis. Desde a madrugada de quarta-feira não foi registrado mais nenhum ataque.
A polícia está de prontidão nas delegacias, principalmente à noite, quando são montadas “barricadas” de carros e cones na frente de algumas delegacias. Os carros também são vistos de dia posicionados estrategicamente na fachada dos prédios para intimidar a ação dos criminosos – essa era a situação ontem à tarde na 2ª Delegacia de Polícia de São José, em Barreiros.
– Vamos continuar atentos e monitorando as unidades. As forças policiais com certeza vão identificar os responsáveis – disse ontem o tenente-coronel da Polícia Militar, João Schorne de Amorim, designado pela Secretaria de Segurança Pública para informar sobre os trabalhos da força-tarefa.
Na noite de quarta-feira, até o Exército chegou a ser mobilizado na Capital em prevenção a uma possível invasão no 63º Batalhão de Infantaria, no Estreito.
O clima nas delegacias é de apreensão, principalmente à noite. Helicópteros estão prontos para serem usados. Apenas em 20 dias deste mês, quatro atentados ocorreram na Capital: dois em postos da PM, um na 4ª DP e um na Central de Triagem (Cadeião do Estreito). Até agora ninguém foi preso. A supeita é que tenham sido ordenados pela facção criminosa Primeiro Grupo Catarinense (PGC), que age de dentro das prisões.
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Bebê encontrado morto em lixeira
 
Asfixia pode ser a causa da morte
Pode ter sido asfixia a causa da morte de um bebê encontrado em uma lixeira, na quarta-feira, em Joinville. É o que aponta uma análise preliminar.
O corpo da menina, com poucas horas de vida, foi encontrado por uma zeladora que fazia a limpeza do banheiro feminino. A menina estava no fundo de uma lixeira de papel, debaixo da pia.
– A primeira avaliação do legista indica que o bebê pode ter sido asfixiado. Possivelmente pelo rostinho ter ficado pressionado contra o saco plástico–, antecipa o delegado responsável pelo caso, Luis Felipe Fuentes.
Mas o laudo cadavérico, que vai confirmar oficialmente a causa da morte, ainda não ficou pronto.
Como nenhum responsável pela criança havia sido identificado até ontem, o Instituto Médico Legal (IML) espera autorização para fazer uma necropsia mais detalhada.
Quando há suspeita de morte natural, os médicos legistas normalmente aguardam autorização de familiares para fazer a análise. São situações em que o corpo não apresenta marcas aparentes de agressão e torna difícil o diagnóstico da morte apenas por observação externa. Mas o médico coordenador do IML, Nelson Quirino, diz que a elaboração do laudo pode sair até segunda-feira. O documento laudo também pode determinar com precisão há quantas horas ela j estava morta antes de ser encontrada.
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes e ocorrências
 
Um morto e outro gravemente ferido
Uma discussão familiar acabou com um irmão morto e outro ferido gravemente no Bairro Monte Cristo, em Florianópolis. O homem suspeito pelos crimes tem 43 anos. Ele é sogro de um deles e o dono de uma borracharia. Ele ainda não foi localizado. Joni Wipkoski, 31 anos, foi baleado e morreu. O irmão, Jadil Wipkoski, 27, está internado em estado grave.
 
Dois assassinatos em menos de 24 horas
Duas pessoas foram mortas em menos de 12 horas, entre a noite de quarta-feira e a madrugada de ontem, em Itajaí. Huberson Flores, 15 anos, foi encontrado morto com tiros na cabeça. O crime ocorreu por volta das 20h30min. Moradores ouviram os disparos mas não viram quem atirou. No mesmo bairro, Marcelo Michnoschi Pinto, 40 anos, foi morto com tiros no peito, cabeça e pescoço.
 
Duas amigas violentadas
A Polícia Civil solicitou as imagens das câmeras de vigilância da Polícia Militar instaladas no Pontal Norte, em Balneário Camboriú, para identificar o suspeito de estuprar duas adolescentes de 19 anos na madrugada de ontem.
O crime ocorreu entre 4h e 7h. Os policiais não descartam a possibilidade de o caso ter relação com os quatro estupros registrados em Itajaí no último mês.
As duas garotas estavam acompanhadas de dois garotos de 15 anos e mais um amigo. Faziam um luau desde 0h30min na Prainha, após os deques do Pontal Norte da Praia Central. Por volta das 4h, um homem de aproximadamente 35 anos se aproximou do grupo para conversar. Alguns minutos depois, sacou o revólver.
Em seguida, obrigou os jovens a entrarem no matagal, mandou os dois rapazes deitarem de bruços e as moças a tirarem a roupa. Com a arma apontada, estuprou as garotas. O estuprador só liberou o grupo por volta das 7h, quando fugiu caminhando.
O suspeito usava boné branco, bermuda cinza e camiseta branca. Tem cabelos castanhos e curtos, pele branca, cerca de 1,70 metro, é magro e lhe faltam os dentes da frente. São características semelhantes às registradas pelo retrato-falado divulgado pela polícia de Itajaí no final de março.
– Este estuprador atacou um grupo e estava, aparentemente, sob efeito de drogas. O de Itajaí costuma abordar mulheres sozinhas enquanto está sóbrio – explica Américo Aurino Ferreira, agente da Delegacia da Mulher, da Criança e do Adolescente.
Elas apresentavam sangramento nas regiões genitais e se submeteram ao exame de conjunção carnal e atentado violento ao pudor, que confirmou o estupro com violência.
 
Suspeito preso após o crime
Outro caso de estupro ocorreu em Joinville. Um homem suspeito de violentar uma mulher de 22 anos foi preso ontem em Joinville. Ele teria cometido o crime na quarta-feira.
Em depoimento à polícia, a jovem contou que estava andando perto de casa, no Bairro Petrópolis, por volta das 23h50min de quarta-feira, quando foi abordada. O homem dizia estar armado. Sob ameaça, a vítima foi levada para os fundos de uma casa, onde o estupro teria ocorrido. Depois, o agressor teria revistado a bolsa, em busca de dinheiro. Acabou levando o celular.Nivaldo Manoel da Silva Júnior, 19 anos, foi preso horas depois, em casa, por policiais que estavam de campana. Ele estava com o celular da mulher e teria confessado o crime.
 
A polícia suspeita que ele possa estar envolvido em outros estupros e tentativas de estupros registrados na região. As características batem com as descrições feitas pelas vítimas, atacadas por um homem de bicicleta.