Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 20 de abril

20.4.2011
CLIPPING
20 Abril 2011
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Visor
Assunto: Carro incendiado
 
SINCRONIA
No mesmo momento em que o Secretário de Segurança César Grubba dava entrevistas para dizer que o Estado está preparado para enfrentar o crime organizado, mais um carro era incendiado em Florianópolis. Já são seis veículos até agora.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Farra do boi
 
Em vez de bois, motos
Prefeitura de Governador Celso Ramos promove encontro de motociclistas
Um encontro de motociclistas no lugar da farra do boi. A iniciativa será promovida a partir de amanhã e segue até domingo em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis. É a forma que a prefeitura afirma ter encontrado para envolver a população e evitar a ação dos farristas.
Tradicionalmente, a cidade costuma efervescer na Semana Santa. Bois são soltos nas ruas de madrugada. Há arruaça, consumo de bebida alcoólica e quase nada de combate policial – a farra com os animais é proibida e considerada crime com pena de três meses a um ano de detenção.
Os organizadores do evento de motos esperam atrair 10 mil pessoas, na praia de Palmas. Estão previstos shows de manobras radicais e apresentações musicais, além da exibição dos motociclistas, de dia e noite.
– E não haverá bois na programação – garante o secretário de Administração e Desenvolvimento Econômico de Governador Celso Ramos, Carlos Wilson Campos.
– Ficamos de mãos atadas com a população, que quase em sua totalidade é a favor da brincadeira. Com o encontro de motociclistas pretendemos, se não acabar, mas reduzir significativamente a farra do boi na cidade – diz o secretário, informando que a prefeitura investiu R$ 50 mil para realizar o evento.
Uma outra ação é um decreto do prefeito Anísio Soares (PMDB), no qual limita o funcionamento de bares até a 1h. No mesmo ato, o prefeito proíbe o comércio ambulante, som automotivo nas ruas e o estacionamento de carros na comunidade de Ganchos do Meio – esse é um dos pontos em que costumam ser registrados problemas com os farristas.
Na repressão, haverá este ano a presença de policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Florianópolis. Serão 30 PMs na cidade, com o apoio do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). O comandante do Choque, tenente-coronel Newton Ramlow, disse que os PMs agirão se houver perturbação de sossego e se os animais forem soltos.
 
Mangueirão para “driblar” polícia
Os poucos moradores e comerciantes contrários à farra afirmam que, para evitar a fiscalização da polícia, os bois estão sendo soltos depois das 2h. Eles acreditam que os farristas, este ano, vão largar os animais em mangueirões (locais fechados).
Um dos pontos fica no final da Rua do Sufoco, em Palmas. Ali, também costumam ser montadas barraquinhas de venda de bebidas. Nas ruas já é possível ver algumas fachadas de lojas com madeiras para evitar que os bois danifiquem os estabelecimentos. Pichações em alusão à “brincadeira” são vistas em muros e placas.
 
Doze animais apreendidos em fazenda
Numa operação em uma fazenda, na manhã de ontem, a Polícia Militar apreendeu 12 bois em Governador Celso Ramos. Os animais estavam numa propriedade que fica entre as localidades de Areias de Baixo e Areias do Meio.
O Serviço de Inteligência da PM suspeita que os bois seriam usados em farras. Eles estavam com os brincos de identificação violados e eram mantidos em más condições de saúde. Fiscais da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de SC (Cidasc) multaram o responsável, que não teve o nome divulgado. Os bois foram sacrificados em São José.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Zelador morre esmagado em elevador
 
Zelador morre esmagado em elevador de Blumenau
O zelador Roberto Tillmann, 51 anos, morreu esmagado na tarde de ontem pelo elevador do prédio onde trabalhava havia mais de 10 anos, o Edifício Império, em Blumenau.
Tillmann e mais um colega transportavam uma porta de madeira do 14º andar para a garagem sobre o teto do elevador. Ao chegarem, tiveram que parar no meio do andar para retirar a porta. O amigo de Tillmann conseguiu sair, mas em seguida o equipamento começou a subir.
Conforme o Instituto Geral de Perícias (IGP), o zelador caiu e ficou entre a parede e o elevador. Ele foi arrastado até o 14º andar e morreu no local. O IGP concluiu que o elevador não tinha problemas técnicos.
Os bombeiros ainda não conseguiram saber o que ocorreu sobre o teto do equipamento, fazendo com que Tillmann caísse entre as paredes do elevador e do poço.
Em até 30 dias, o inquérito para investigar o acidente deve ficar pronto.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Treinamento de bombeiros civis no aeroporto
 
Era só um treinamento
Nova turma de bombeiros civis já está pronta para atuar no combater a incêndios e salvar vidas
Ao comando da chefe de equipe, os 10 homens jorram a água com as mangueiras do caminhão sobre as chamas de 10 metros de altura. A fumaça era mais um obstáculo, além do calor de até 200°C. Em seguida, era o momento do outro grupo resgatar as vítimas.
Isso tudo ocorreu ontem pela manhã, no Aeroporto Hercílio Luz, no Sul da Ilha, em Florianópolis. Mas nada de pânico, a operação se tratava de um treinamento contra incêndio.
Após 200 horas de aula, entre 17 de março e 19 de abril, a segunda turma de bombeiros civis, que fez curso de salvamento em aeroportos, está preparada para atuar na segurança do Hercílio Luz. Com a formatura deles hoje, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) vai contratá-los e liberar os bombeiros militares, que atuam no aeroporto, para reforçarem o quadro da corporação nas ruas.
Participaram do curso 82 bombeiros civis. Quarenta e seis vão assumir a função no aeroporto em 2 de maio, outros já trabalham no Aeroporto de Navegantes e o restante ficará no cadastro de reservas.
Entre os contratados, a maior parte são de pessoas que trabalham como guarda-vidas, como Juan Ricardo Maldonado, de 36 anos. Há 10 temporadas de verão, esse morador do Pântano do Sul, no Sul da Ilha, faz a segurança dos banhistas.
– Uma vez naufraguei perto das Ilhas dos Moleques do Sul e jurei que, se sobrevivesse, iria ajudar a salvar vidas – conta o pescador, sobre a nova profissão.
O instrutor da Infraero Vanio Cesar Mattei explica que o trabalho de salvamento em aeroportos é diferente daquele feito por bombeiros em incêndios de casas e automóveis. Como o combustível de aviação é mais inflamável, a ação dos bombeiros tem de ser muito rápida.
– Incêndios com querosene são tão agressivos que, após três minutos, há poucas chances de encontrar sobreviventes – explica o instrutor.
Para garantir a eficiência da operação, a qualidade dos equipamentos faz a diferença. O Hercílio Luz conta com quatro carros de bombeiros com projetor de água, espuma e pó químico, além de uma carreta de emergência e um veículo de resgate. As roupas são de fibra de aramida e resistem até 300°C.
De acordo com o superintendente Antônio Felipe Bergman Barcelos, nunca aconteceu incêndios graves nos terminais de SC, mas é fundamental e obrigatório investir na segurança. Segundo o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), 80% dos acidentes aéreos no Brasil ocorrem na decolagem ou no pouso, por serem os momentos de maior instabilidade da viagem.
Os bombeiros civis também podem atuar em situações como ameaça de bomba, sequestro de aviões e acidentes com produtos perigosos e radioativos.
 
Uma mulher no meio do fogo
Entre os 42 bombeiros do segundo curso de salvamento em aeroportos, uma se destacava. Magra e com os cabelos compridos, Isabel Fogaça era a única mulher no meio dos homens. Ela é radiocomunicadora da Sessão Contra Incêndio do Aeroporto de Navegantes e, no treinamento, era a chefe de equipe do grupo Bravo. Mãe de Rafael, de um ano e oito meses, a mulher leva o jeito protetor para o combate. No treino, Isabel era quem dava o comando para os colegas seguirem para apagar o fogo. A mulher também é bombeira comunitária há cinco anos e acredita que herdou essa dedicação por salvar vidas do pai, que é técnico de enfermagem.
– Os homens têm mais força e eu tenho mais mobilidade para chegar nos locais de difícil acesso – observa ela, sobre a relação com os homens no trabalho de bombeiro.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Manifestação contra preço das passagens de ônibus em Florianópolis
 
Grito contra o aumento da passagem
O segundo dia útil após o aumento da tarifa de ônibus em Florianópolis foi marcado por protestos. Manifestantes ligados ao Movimento Passe Livre e à Frente de Luta pelo Transporte Público percorreram diversas ruas do Centro da Capital no começo da noite de ontem para reclamar dos novos valores.
Eles chegaram a marchar durante 15 minutos pela Avenida Mauro Ramos, complicando o trânsito de umas das vias mais movimentadas da cidade em pleno horário de pico. Após a passeata, que durou aproximadamente uma hora, os manifestantes se encaminharam para a frente da Câmara Municipal da Capital. Enquanto aguardavam para que um de seus líderes, Victor Khaled, discursasse no plenário, um princípio de confusão se formou.
Como a entrada ainda não havia sido autorizada, alguns integrantes do movimento tentaram invadir o prédio e houve princípio de confronto com a Guarda Municipal. Spray de pimenta e choques elétricos chegaram a ser utilizados.
Após a confusão, 50 dos cerca de 200 manifestantes foram autorizados a entrar no plenário para ouvir o discurso de Khaled. O líder estudantil pediu aos vereadores uma posição sobre o tema e que uma série de audiências públicas fosse marcada para debater o assunto.
– É notório que o sistema de transporte público de Florianópolis precisa de um novo modelo. A cada aumento, a população é a única prejudicada – afirmou.
Um dos organizadores da manifestação, o estudante Marino Mondeck conta que um novo protesto deve ocorrer no dia 28. Segundo Marino, a manifestação será pacífica e contará com intervenções artísticas para chamar a atenção da sociedade:
– O povo precisa se engajar, pois todos perdem com esses preços abusivos no transporte público.
Essa foi a primeira grande manifestação contra os novos valores. No ano passado, o aumento aconteceu no mês de maio e uma série de protestos tomou as ruas centrais da cidade e alguns estudantes foram presos.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Política
Assunto: Dia do Exército
 
DIA DO EXÉRCITO
Ao participar, ontem, da festa do Dia do Exército, em Brasília, a presidente Dilma Rousseff disse, por meio de discurso lido por um oficial, que as tropas terrestres são a garantia da segurança pacífica e a valorização do diálogo, da justiça e do respeito aos direitos humanos. O comandante do Exército, general Enzo Peri, afirmou que a atual geração tem o dever de “cruzar a ponte que nos separou do futuro”, deixando para trás o sonho de ser potência emergente para alinhar-se entre os principais atores globais.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Tiros em delegacia
 
Polícia Civil já sabia da ameaça
Delegado tinha enviado alerta aos colegas sobre possível ataque a prédios públicos com cerca de um dia de antecedência
A Polícia Civil sabia que haveria atentados em prédios públicos pela facção criminosa Primeiro Grupo Catarinense, o PGC.
Dois dias antes de a 4ª Delegacia de Polícia, no Bairro Coqueiros, em Florianópolis, ser alvo de oito tiros, um delegado alertou sobre a ameaça por e-mail enviado a todos os policiais civis na rede interna de comunicação da instituição.
A mensagem eletrônica, obtida pela RBS TV, ontem, revela que o alerta foi dado ainda no sábado, ou seja, mais de 24 horas antes do atentado à delegacia de Coqueiros. O autor do e-mail enviado às 23h56min de sábado é o delegado Verdi Furlanetto, por determinação do diretor da Polícia Civil na Grande Florianópolis, delegado Nivaldo Claudino Rodrigues.
No texto, o delegado Furlanetto informa o plano de atentados que estaria sendo arquitetado pela facção criminosa dos presídios PGC. Ele cita como alvos autoridades, policiais e prédios públicos, inclusive delegacias de polícia. No final, afirma que seria necessária a devida prontidão dos colegas, o que não aconteceu
O secretário da Segurança Pública, César Grubba, passou a tarde de ontem em reunião fechada com os chefes dos setores de inteligência da secretaria, polícias e sistema prisional. No final, disse aos jornalistas que não houve falha na prevenção e atribuiu os atentados registrados na Capital este mês a uma reação de criminosos contra o Estado.
– Não houve falha. O setor de inteligência tem trabalhado e não temos como colocar vigilantes em todos os prédios públicos. O que está acontecendo é uma reação à ação intensa da SSP e órgãos policiais ao combate à criminalidade – argumentou.
O secretário preferiu afirmar que é cedo apontar o PGC como o responsável pelos tiros contra a DP de Coqueiros. Ele comentou que a investigação está adiantada, mas não deu nenhum detalhe. O DC apurou que suspeitos do Bairro Monte Cristo, também do Continente, são investigados pelo crime. Ninguém foi preso ainda.
Só em abril foram três atentados contra prédios policiais na Capital – os postos da PM de Coqueiros e Canasvieiras também foram alvos de criminosos. Barricadas estão sendo montadas na frente de alguns prédios.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Dentinho é condenado a 20 anos
 
Dentinho pega 20 anos
Um júri popular no noite de ontem no Fórum da Capital condenou Adriano Balthazar dos Santos, de 21 anos, o Dentinho, a 20 anos de prisão.
Ele foi considerado culpado pelo assassinato de Rafael Hanser, 22. A morte, a tiros, foi no Ano-Novo de 2009, em Canasvieiras, no Norte da Ilha. O motivo do crime seria ciúmes da ex-namorada.
Da pena, 16 anos são por homicídio doloso – com intenção de matar. Os outros quatro anos são por porte ilegal de arma. Foram quase 12 horas de julgamento.
Carlos Antonio de Souza, advogado do réu, vai recorrer da sentença para tentar diminuir a pena. No entendimento da defesa, o tiro foi acidental porque o acusado não teve a intenção de disparar contra Rafael. Queria apenas dar um susto. O tiro atravessou o braço e se alojou no peito da vítima.
– Ele estava de carro e viu a ex-namorada conversando com Rafael. Aí, apenas para intimidar, colocou o braço para a fora, apontando a arma. Neste momento, bateu no vidro do veículo e acabou disparando sem querer. Então, deveria ser enquadrado por homicídio culposo (sem a intenção de matar) – defendeu Souza.
Às 5h de 1º de janeiro de 2009, Rafael estava com amigos e distraído quando foi atingido por Dentinho, que trafegava num Astra e se aproximou. A vítima morava na Áustria e desembarcara na cidade para comemorar a virada do ano com familiares e amigos na praia.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Briga entre funcionários de uma obra termina em morte
 
Briga termina em morte
Uma briga entre funcionários de uma obra, na madrugada de terça-feira, em Araquari, no Norte de SC, acabou em uma morte.
Um dos funcionários, Sebastião da Silva, 46 anos, foi assassinado e outro, que também foi esfaqueado, foi levado para o hospital
Sebastião Belo dos Santos, de 56 anos, permanece internado, mas já está fora de perigo e assim que for liberado pelos médicos deverá prestar depoimento à polícia.
Segundo a Polícia Civil, a briga aconteceu num dos alojamentos para empregados que trabalham na construção de uma fábrica, às margens da BR-101, por volta da meia noite. Quatro homens foram levados à delegacia para prestar esclarecimentos e dois fugiram, suspeitos da autoria do crime .Um deles foi detido, duas horas depois.
– O encontramos com pertences pessoais numa mochila, às margens da BR-101 – contou o investigador Gelson Machado.
Em depoimento à polícia, Pedro Michel Pereira, de 19 anos, acusou outro suspeito pelo crime. A polícia chegou a ter pistas de que o outro homem, de 22 anos, estaria tentando fugir e pegaria um ônibus. Mas o fugitivo, na verdade, havia se embrenhado no mato, e foi preso no fim da manhã.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Médico volta ao presídio
Médico de volta ao presídio
O juiz da Vara Criminal de Gaspar, Sérgio Agenor de Aragão, determinou, ontem, a volta do ortopedista Fernando César Buchen ao Presídio Regional de Blumenau.
Buchen estava internado desde o dia 2 de abril, no Hospital Santa Isabel, quando se feriu com facas na cela especial onde cumpria prisão preventiva por atentado ao pudor contra pacientes.
Na decisão, o juiz recomenda à direção do presídio garantir cuidados para assegurar a integridade física do ortopedista na prisão, já que, segundo boletim dos médicos que o atenderam, estaria com depressão.
O magistrado determina ainda que seja agendada com urgência uma vaga no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, em Florianópolis, que atende detentos com problemas psiquiátricos, para que seja feito o exame que comprovará se Buchen apresenta mesmo quadro depressivo, se é nocivo à integridade dele e se o eventual tratamento pode ser feito na cadeia.
Também ontem, outro mandado de prisão, foi expedido pela Vara Criminal, e cumprido contra Buchen.
____________________________________________________________________________
Veículo: Jornal de Santa Catarina
Editoria: Polícia
Assunto: Trabalho policial é prejudicado pela falta de efetivo em Blumenau
 
 
Trabalho policial é prejudicado pela falta de efetivo em Blumenau
Com 80 agentes, delegacias priorizam investigações de crimes graves como homicídios e roubos
Registros de furtos, perdas de documentos, ameaças feitas por vizinhos e investigações de assassinatos. Essas são algumas das 9,6 mil ocorrências registradas pelas cinco delegacias de Polícia Civil de Blumenau neste ano, mas muitas nem serão investigadas devido à falta de efetivo. Atualmente, Blumenau tem 80 profissionais, média de um agente para cada 3.862 habitantes.
Até ontem, a Central de Polícia havia registrado 2,3 mil Boletins de Ocorrência (BO) em 2011. Na 2ª DP, que abrange uma população de 170 mil habitantes na região Norte e tem apenas um delegado, a situação é similar: 2,5 mil BOs feitos desde o começo do ano. Na 1ª DP, outros 1,1 mil inquéritos aguardam solução.
O acúmulo de trabalho e o déficit de policiais deixam muitos destes crimes sem solução. Sem agentes suficientes, as delegacias têm de priorizar crimes como homicídios, roubos e tráfico de drogas. A investigação de furtos e crimes de menor gravidade vai para o final da fila. Muitos acabam sem solução.
A vinda de mais efetivo poderia mudar esta realidade, mas o anúncio feito pelo Estado de que apenas um delegado, da turma de 202 policiais que se formaram segunda-feira, seria destinado a Blumenau decepcionou a comunidade e os policiais.
– Estava esperançoso com a vinda de novos policiais para melhorar nosso trabalho, mas infelizmente isso não aconteceu – reclamou o delegado da 1ª DP, Juraci Darolt.
Para a vice-presidente da Federação dos Conselhos Comunitários de Segurança de Santa Catarina (Feconseg), Salete Sbardelatti, o anúncio de apenas um policial para Blumenau foi uma afronta:
– É uma decepção. Jamais pensaríamos que viria só um.
Delegado regional de Blumenau, Rodrigo Marchetti explicou que o Estado já havia anunciado que a vinda de policiais para o Vale não seria expressiva, já que seria preciso resolver problemas pontuais de outras regiões antes.
Em nota divulgada no site da Polícia Civil do Estado, o delegado-geral Aldo Pinheiro D\’Ávila diz que “não há como satisfazer todos os pedidos e necessidades com a formação dessa turma. Esperamos que a próxima academia amenize a deficiência de pessoal, o que deverá ocorrer em dezembro deste ano”. Essa também é a expectativa do delegado Marchetti:
– A chefia tem consciência da situação de Blumenau. Acredito que na próxima formatura receberemos o suficiente para suprir nossa demanda. Por enquanto, temos de esperar.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes e ocorrências
 
Após 30 horas, homem liberta a ex-mulher
O homem que mantinha sua ex-esposa em cárcere privado há mais de um dia em Aracaju se entregou por volta das 14h45min de ontem, após 30 horas. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a mulher foi liberada após um novo bloco de negociações entre o sequestrador e policiais civis e militares. A vítima Cristielane Caetano Mota Santos, de 21 anos, e José Elígio Tavares foram atendidos pelo Samu e hospitalizados.
 
Justiça liberta 40 envolvidos no caso
A Justiça concedeu ontem habeas- corpus a 40 presos da Operação Guilhotina, feita pela Polícia Federal, em fevereiro. Entre os que receberam o direito de sair da unidade prisional está o delegado Carlos Oliveira, ex-subchefe operacional da Polícia Civil. Segundo um dos advogados que solicitou o habeas-corpus, a prisão preventiva foi decretada de maneira genérica, não havendo especificação quanto à situação de cada acusado.
 
 
BLOGS
 
Paulo Alceu
 
Diferencial
A Assembléia de Santa Catarina saiu na frente das demais criando a Comissão Especial para estudar medidas preventivas diante de catástrofes climáticas. Já funciona na Câmara. A presidente deputada Perpetua Almeida estará em Florianópolis na segunda-feira. Troca de experiências. O autor da proposta deputado Kennedy Nunes e presidente da Comissão Parlamentar de Defesa Civil participará no encontro. Declarou que “trará na bagagem o drama dos catarinenses nos últimos anos e a esperança de minimizarmos os efeitos dos desastres naturais, cada vez mais freqüentes no Brasil”.
 
Cláudio Prisco
 
Logística
Marcos Vieira quer ficar com a presidência do PSDB a qualquer custo. Dois aviões foram contratados para apanhar hoje pela manhã, no Oeste, membros do diretório estadual eleito domingo.
 
 
 
Aconteceu na ALESC
 
 
Audiência sobre segurança pública acontecerá na segunda-feira, dia 25   
O deputado Jean Kuhlmann (DEM) está organizando uma audiência
pública, que acontecerá dia 25 de abril, às 14h, na no auditório da Câmarade Vereadores de Blumenau, para debater os graves problemas na segurança pública enfrentados pelo município. O parlamentar sempre teve a segurançade Blumenau como uma de suas principais bandeiras.
Em várias oportunidades intercedeu pessoalmente junto ao governo do Estado e ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa para reivindicar a nomeação de mais policiais paraa cidade e exigir providências para o presídio regional que enfrentou  crise de infraestrutura e pessoal.
 
Ao solicitar a audiência, o parlamentar, que é membro da Comissão
Permanente de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, pretende atualizar os dados sobre a segurança pública em Blumenau, abrir espaço para manifestação da sociedade e reunir autoridades que possam interceder junto aos órgãos competentes de maneira efetiva. “Esse encontro tem o objetivo de definir linhas de ações, alertar o governo sobre a urgência das medidas a serem tomadas e dar voz aos representantes das comunidades diretamente atingidas pelo problema”, enfatizou Kuhlmann.
Agende!
Data: 25 de abril
Horário: 14h
Local: Auditório da Câmara de Vereadores de Blumenau
 
Deputada Ana Paula pede mobilização dos blumenauenses para exigir do governo mais segurança pública       
A gravidade da situação da segurança pública em Blumenau, que semana passada motivou denúncia dos vereadores da cidade na Assembleia Legislativa, requer mobilização dos blumenauenses para que o governador do estado tome as atitudes administrativas cabíveis e possamos resgatar a tranquilidade para a nossa população A deputada Ana Paula Lima (PT) considera fundamental a participação popular na audiência da Assembleia Legislativa que acontecerá na próxima segunda-feira, dia 25, às 14h, na Câmara de Vereadores de Blumenau, sobre segurança. “Será uma oportunidade para que cobremos diretamente do governo e dos deputados de sua base de apoio para que saiam do discurso e atendam o clamor da nossa comunidade”, ressaltou Ana Paula.
A deputada lamentou que, apesar de denúncias das autoridades políticas e da comunidade locais sobre o aumento dos índices de violência, Blumenau mais uma vez foi preterida e sua população desrespeitada pelo governo do Estado ao encaminhar para a cidade apenas um delegado, dos 202 policiais civis formados nessa segunda-feira (18/04). “É um descaso para com toda a nossa população, um tema de tamanha importância ser tratado de forma tão banal pelo Estado, que é responsável pela segurança pública de nossas cidades”, reclama a parlamentar.
Entre as suas ações de mobilização para chamar a atenção do governo à situação de insegurança que vive a população blumenauense, a parlamentar disponibilizou seu tempo na tribuna para uma comitiva de vereadores da Câmara de Blumenau, no último dia 13 de abril. Na ocasião, os vereadores do município entregaram à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa um abaixo assinado com mais de 10 mil assinaturas exigindo a ampliação do efetivo policial civil e militar da cidade e a melhoria do sistema de segurança.
 
BALANÇO DO DIA
A distribuição dos policiais civis formados em solenidade realizada na segunda-feira (18) foi assunto de reclamação dos deputados Ana Paula Lima (PT) e Ismael dos Santos (DEM). Apenas um entre 202 policiais que compõem a turma será lotado no município de Blumenau, o que Ana Paula classificou como “descaso com a terceira maior cidade do estado”. Ismael questionou o critério técnico utilizado pelo governo para distribuição dos 202 policiais.
O deputado Maurício Eskudlark (PSDB) defendeu que seja reestudada a lotação desse efetivo. Ele esclareceu que os policiais recém formados fazem parte da turma aprovada no concurso público de 2008 e que um novo concurso público já foi realizado, o qual teve mais de 400 candidatos aprovados. Em aparte, Jean Kuhlmann informou que a lotação desses policiais corresponde ao preenchimento das vagas que estavam abertas, conforme estabelecia o concurso anterior. “O governo tem o compromisso de corrigir a situação com a contratação de profissionais aprovados no novo concurso”.
 
 
MÍDIAS DO BRASIL
 
 
Veículo: Portal Último Segundo
Editoria: Polícia
Assunto: Juiz aplica Lei Maria da Penha para resolver briga de casal gay no Rio
 
Juiz aplica Lei Maria da Penha para resolver briga de casal gay no Rio
Homem batia no companheiro e assinará termo em que se compromete a manter distância de 250 metros da vítima
Segundo os autos, um cabeleireiro foi vítima de vária agressões por parte de seu companheiro na casa onde moravam, no centro do Rio. Os dois estavam juntos havia três anos. A última agressão ocorreu no último dia 30 quando o cabeleireiro foi atacado com uma garrafa, sofrendo diversas lesões no rosto, perna, lábios e coxa.
O agressor foi denunciado pelo Ministério Público Estadual. A Justiça concedeu liberdade provisória ao réu, sem pagamento de fiança mas aplicou a Lei Maria da Penha: o acusado assinará um termo de compromisso na qual terá que manter uma distância de 250 metros do cabeleireiro.
 
Para o juiz, a medida é necessária a fim de resguardar a integridade física da vítima.
“Importa finalmente salientar que a presente medida, de natureza cautelar, é concedida com fundamento na Lei Maria da Penha, muito embora esta lei seja direcionada para as hipóteses de violência doméstica e familiar contra a mulher. Entretanto, a especial proteção destinada à mulher pode e dever ser estendida ao homem naqueles casos em que ele também é vítima de violência doméstica e familiar, eis que no caso em exame a relação homoafetiva entre o réu e o ofendido, isto é, entre dois homens, também requer a imposição de medidas protetivas de urgência”, disse o magistrado.
 
Ligação com o tráfico
Segundo as investigações, os atos de violência ocorriam habitualmente. O cabeleireiro afirmou que seu companheiro tem envolvimento com traficantes e que já o ameaçou se ele chamasse a polícia por conta das agressões.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Bope faz operação em favelas da Zona Oeste do Rio
 
 
Bope faz operação em favelas da Zona Oeste do Rio
Cento e vinte homens estão em Antares e na Favela do Rola.
Dois blindados e um helicóptero são usados Santa Cruz.
Cerca de 120 homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope), da PM, fazem, na manhã desta quarta-feira (20), uma operação nas favelas de Antares e do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. A polícia não divulgou o objetivo da missão.
Dois blindados e um helicóptero dão apoio aos policiais. Ainda não há informações sobre confrontos.
Na terça-feira (19), a Polícia Civil do Rio apreendeu quase três toneladas de maconha numa operação na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul. Onze pessoas foram presas. A polícia também descobriu uma central de TV a cabo clandestina e uma fábrica de CDs e DVDs piratas.