Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 16 de setembro

16.9.2011
CLIPPING
16 de setembro 2011
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Visor
Assunto: Secretário César Grubba teria pedido para sair
 
RÁDIO CORREDOR
O governo nega. Porém, contudo, entretanto, todavia, é grande a boataria de que o secretário de Segurança Pública César Grubba teria pedido para sair. O nome especulado para substituí-lo seria o do ex-superintendente da PF Aroldo Boschetti Soster. Aquele mesmo que foi investigado por suposto envolvimento com a jogatina quando trabalhou na Codesc. Apesar das denúncias à época, nada foi provado.
­____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Chuva em SC
 
Aos poucos, a vida volta à normalidade
Rio do Sul começa a se reorganizar. Comércio, postos de gasolina, casas lotéricas e postos de saúde são alguns dos estabelecimentos que reabriram suas portas. Mas bancos seguem fechados, assim como as escolas, que já têm previsão de retorno às aulas
Mesmo que lentamente e longe do ideal, a vida vai voltando à normalidade em Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí. A cidade de 61 mil moradores ainda sofre com os efeitos da enchente que a colocou em estado de calamidade, mas já é possível ver sorrisos e sinais de recuperação.
Boa parte do comércio já reabriu, inclusive com as fachadas limpas e o interior organizado. A energia elétrica foi restabelecida e o toque de recolher que proibia as pessoas de saírem às ruas a partir das 21h foi suspenso.
Alguns postos de combustível também funcionam normalmente, assim como o transporte coletivo, casas lotéricas, mercados, lanchonetes, restaurantes, farmácias e pelo menos 10 das 16 unidades de saúde, além dos dois hospitais, que não foram atingidos pela enchente e não chegaram a ter os atendimentos comprometidos.
As agências bancárias continuam fechadas e as filas nas lotéricas são longas. Como em uma perto à prefeitura, no Centro da cidade. Ali, várias pessoas aguardavam para pagar contas na manhã de ontem, como o taxista Bertolino Xavier, 63 anos, e a supervisora Madalena Dircksen, 64.
Os dois esperaram cerca de meia hora na fila e, enquanto isso, conversavam sobre a tragédia da qual escaparam ilesos e enalteciam a força do povo rio-sulense.
– Rio do Sul cresceu muito após as enchentes de 1983 e 1984, pois ninguém se entregou. Pessoas que não tinham nada, hoje estão bem – comentou Madalena.
– A coragem e a força de vontade mandam muito, e aqui tem bastante – completou Bertolino.
Continuavam parcialmente comprometidos os serviços de telefonia, internet e abastecimento de água, que, na tarde de ontem estava entre 60% e 70% na região que abrange os municípios de Rio do Sul, Laurentino, Agronômica, Aurora, Lontras e parte de Ibirama. A Casan prevê que a situação será totalmente normalizada dentro de 10 dias.
A rede municipal de ensino já tem previsão de retorno às atividades. Das 38 creches, 20 devem reabrir na próxima segunda-feira, e as 13 escolas do ensino fundamental voltarão no dia 26. Enquanto isso, mutirões se formam para organizar as escolas.
Ontem, professores e voluntários suavam para limpar estabelecimentos como o Centro Educacional Pedro dos Santos, com 240 alunos, o Centro de Educação Infantil Titio Karan e a Escola Pedro dos Santos
 
 
Diretor da Defesa de Brusque é demitido
O prefeito de Brusque, no Vale do Itajaí, Paulo Eccel (PT), demitiu o diretor da Defesa Civil do município, Eliseu Müller Junior, porque ele teria dado informações erradas sobre a enchente que atingiu a cidade. A decisão foi anunciada na noite de quarta-feira, após uma reunião sobre a análise dos estragos causados pela chuva.
O prefeito explicou que retirou Müller do cargo porque ele teria garantido que a cidade não corria perigo com a enchente e teria divulgado medições erradas sobre o nível do Rio Itajaí-Mirim. Brusque foi uma das cidades mais afetadas pela chuva e está em calamidade pública.
De acordo com Eccel, Müller teria dito que o rio havia atingido 12 metros. Cinco dias após a enchente, por meio de uma medição dos bombeiros e comprovada pelo Sistema de Alerta Bacia do Rio Itajaí, a informação foi desmentida porque o Itajaí-Mirim não havia passado de 10m15cm. O vice-prefeito, Evandro de Faria (PP), assume interinamente o cargo.
A versão de Müller é outra. De acordo com ele, a população de Brusque foi alertada sobre o risco de enchente porque o rio poderia chegar a 9m60cm.
– Fiz o alerta para que a população levantasse seus bens. Disse ainda que poderiam faltar botes. Dei o aviso pelas rádios e errei por 50 centímetros. Um medidor oficial só vai até os oito metros. O resto é projeção – ressalta.
Müller já tinha enfrentado problemas de enchentes em 2008, quando assumiu a defesa civil da cidade.
 
Governo cria ações para ajudar cidades
O governo de SC criou duas ações, por meio da Agência de Fomentos do Estado de Santa Catarina (Badesc), para restabelecer as atividades comerciais nos municípios atingidos pela enchente. A decisão faz com que as empresas tenham mais capital de giro para enfrentar as dificuldades.
A primeira é uma linha de crédito, a Badesc Emergencial, que utiliza recursos próprios da agência com trâmite acelerado e prioridade, em relação as outras linhas de financiamentos. A outra ação é a carência de pagamentos até o dia 31 de dezembro para as empresas que possuem operações ativas com a instituição.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Reunião definirá greve de ônibus
 
Reunião definirá greve
Motoristas e cobradores da Transol garantem que não haverá paralisação-relâmpago antes da reunião das 9h para acertar as reivindicações com a empresa. Ontem, os ônibus permaneceram na garagem da empresa até as 7h sem aviso à população, causando transtornos aos usuários do transporte na Capital.
Mas, caso não haja acordo, o diretor do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Urbano de Florianópolis (Sintraturb), Dionísio Linder, afirma que podem ocorrer novos protestos. Ontem, cerca de 200 trabalhadores pararam em protesto contra o descumprimento de acordos por parte da direção da empresa.
Entre as reivindicações dos funcionários estão o pagamento das horas extras e o aumento do intervalo de tempo entre a chegada do trabalhador, a checagem das condições do ônibus e a partida da garagem, que hoje é de 15 minutos.
Em resposta às reclamações, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (Setuf), Waldir Gomes da Silva, afirma que a folha de pagamento é gerada com base no cartão-ponto dos funcionários. Portanto, a empresa não teria como se recusar a pagar as horas extras. Ele disse ainda que a reunião entre funcionários e representantes da Transol já havia sido marcada, e que a paralisação foi feita antes da realização do encontro.
– A empresa já assumiu o compromisso de avaliar as reivindicações, mas mesmo assim eles pararam as atividades – disse Silva.
De acordo com o presidente do Setuf, Waldir Gomes da Silva, 18 mil passageiros foram prejudicados. Deixaram de circular 150 ônibus. Por volta de 6h30min, somente na plataforma A do Terminal de Integração do Centro (Ticen), cem passageiros esperavam do lado de fora, impedidos de passar das catracas.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Diário do Leitor
Assunto: Fuga de presidiário algemado
 
Transporte x Preso
A fuga de um preso algemado e acorrentado de dentro de uma viatura oficial, em plena avenida mais movimentada da Capital, demonstra o quanto é frágil o preparo de alguns funcionários do Sistema de Segurança Pública do Estado. Lidar com criminoso é preciso, antes de tudo, ter consciência da responsabilidade, preparo técnico e profissionalismo. Sem entrar no mérito da questão e com base no que foi divulgado, creio que a metodologia e o procedimento no transporte de presos devem ser repensados.
Ronaldo Urbano
Florianópolis
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Política
Assunto: Dois aposentados terão os benefícios cortados pela AL
 
Dois aposentados terão os benefícios cortados pela AL
Os servidores do Legislativo não compareceram e nem justificaram ausência nas datas das perícias
Enquanto espera os relatórios completos do Instituto de Previdência de Santa Catarina (Iprev) sobre as 109 aposentadorias por invalidez com indícios de irregularidades, a Assembleia Legislativa já determinou a suspensão de dois benefícios. São as aposentadorias de Roberto Luiz Bousfield e Marilda Correa Bittencourt, que, de acordo com a Assembleia, não compareceram e nem justificaram ausência aos exames marcados na Junta Médica do Estado entre julho e setembro.
O presidente da Assembleia, Gelson Merisio (DEM-PSD), disse que assinou a suspensão dos benefícios na quarta-feira. Na segunda, ao apresentar os números do relatório, o presidente do Iprev, Adriano Zanotto (PMDB), garantiu que quem faltou às perícias agendadas teria a aposentadoria suspensa. Os 109 inválidos com indícios de irregularidade vão passar por processos administrativos no próprio Iprev nos próximos 90 dias. Aqueles que tiverem as irregularidades comprovadas também ficam sujeitos a perder o benefícios.
 
Iprev deverá enviar a lista de nomes a partir de hoje
Os dois nomes foram os únicos já repassados à Assembleia. Caso se apresentem ao Iprev e marquem novas datas para os exames médicos, ambos podem voltar a receber as aposentadorias.
Os nomes e os laudos dos 109 casos em que foram constatados indícios de irregularidade começam a ser enviados hoje ao Legislativo.
Merisio havia colocado essa data como limite para ter acesso aos dados, sem descartar a possibilidade de apresentar uma ação judicial para obrigar o Iprev a encaminhar as informações antes da abertura dos processos administrativos.
O deputado afirma que pretende suspender as aposentadorias nos casos em que considerar fortes os indícios de fraude. Em viagem a Brasília na noite de ontem, Zanotto não quis comentar a possibilidade de suspensão das aposentadorias antes dos processos internos do Iprev, mas garantiu que as informações começam a ser enviadas hoje à Assembleia.
– Vamos enviar uma parte agora, outra parte segunda, no máximo terça-feira. Fizemos um esforço muito grande para apresentar o relatório na segunda-feira. Ainda temos algumas perícias sendo realizadas e outras, no interior, que temos o resultado, mas ainda não recebemos os laudos – afirma Zanotto.
A aposentada Marilda Correa Bittencourt não foi localizada pela reportagem para comentar a ausência ao exame médico marcado e a possibilidade de perder o benefício.
Procurado, Roberto Luiz Bousfield não retornou os telefonemas até a noite de ontem.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Pedrinho Matador
 
Pedrinho Matador agora virou Pedrinho Agitador
Homem que afirma ter matado 100 pessoas é preso em SC por provocar motins em penitenciárias
Condenado por 18 assassinatos, mas dizendo ter cometido mais de 100, Pedro Rodrigues Filho, 57 anos, foi preso ontem, em Camboriú, no Litoral Norte. Apesar do violento passado criminal, ele estava sendo procurado por outro motivo: “agitou” demais quando estava preso.
Conhecido como Pedrinho Matador, ele causou seis motins e um cárcere privado. A condenação saiu em agosto do ano passado, mas o mandado de prisão foi emitido somente em 29 de agosto de 2011. De homem livre, passou a procurado.
Após três anos trabalhando como caseiro numa chácara, Pedrinho pouco lembra o assassino que ganhou fama nas cadeias e até na internet, em comunidades da rede social Orkut.
 
Quando foi apresentado ontem, ele usava chinelos nos pés e vestindo uma blusa de lã folgada.
Dos tempos de cadeia, em que impunha medo entre os companheiros de cela, Pedrinho ainda carrega as tatuagens pelo corpo. Uma delas, que trazia a inscrição “Mato por prazer”, foi encoberta por um desenho. Nas duas mãos, ainda há um símbolo de cinco pontos, que na linguagem do crime identifica um matador.
O assassino fez questão de dizer que já pagou o que devia à Justiça. Ele cumpriu pouco mais de um quarto da pena à qual foi condenado: 120 anos de detenção. Pedrinho foi beneficiado pela lei penal brasileira, que não permite que um preso passe mais do que três décadas atrás das grades.
Há alguns dias, agentes da Divisão de Insvestigações Criminais (DIC) de Balneário Camboriú receberam uma denúncia anônima, informando o paradeiro de Pedrinho. Na manhã de ontem, enquanto fazia um lanche, em casa, ele recebeu voz de prisão.
O assassino não resistiu e indicou aos policiais onde guardava um revólver calibre 38, corroído pelo tempo, que disse ser relíquia de família. Como não tem autorização para porte de arma, Pedrinho também foi preso em flagrante. Por isso, deve passar um tempo preso em Santa Catarina antes de ser transferido para São Paulo.
O local onde Pedrinho está detido não foi divulgado pela polícia. De acordo com a delegada Luana Backes, responsável pela operação, o sigilo é para manter a segurança do preso. Por já ter assassinado colegas de cela, ele deve ficar isolado dos demais detentos.
 
Nada de confusão em SC
Numa casa cor-de-rosa, cercada de verde e na companhia de um cão labrador, Pedrinho Matador passou os seus três anos de liberdade. A moradia fica num sítio à beira da Estrada Geral de Macacos, no interior de Camboriú, no Litoral Norte.
Nas redondezas, a maioria conhecia a história do homem que dizia ter matado mais de 100 pessoas e cumprido 34 anos de prisão.
O trabalho teria sido arranjado por familiares de Pedrinho, que vivem em Camboriú. De acordo com a delegada Luana Backes, durante os anos em que viveu na cidade, o matador não teria se envolvido em crime.
O agricultor Paulo Ferretti, 43 anos, conheceu de perto Pedrinho Matador, de quem era vizinho. Para ele, era um homem trabalhador, sério e religioso:
– A gente sabia da história toda, mas ele falava que não queria mais saber de crime. Para mim, era uma excelente pessoa.
Foi na casa de Ferretti que Pedrinho passou, já preso e em companhia da polícia, para fazer seu último pedido antes de voltar para trás das grades: ele queria que o vizinho alimentasse seu cachorro.
 
Uma ficha extensa
Nascido em Santa Rita do Sapucaí (MG), Pedrinho entrou para o mundo do crime com 14 anos. Na época, o pai, que trabalhava como vigia numa escola municipal, havia sido demitido por suspeita de furto. Para vingá-lo, o então adolescente matou a tiros o vice-prefeito da cidade, que havia ordenado a demissão, e outro vigia, que imaginava ser o verdadeiro ladrão.
Tempos depois, em Mogi das Cruzes (SP), envolveu-se com o tráfico de drogas. Entre os crimes atribuídos a ele está uma chacina em uma festa de casamento, em que sete pessoas foram mortas e 16 feridas. Pedrinho diz ainda ter matado o próprio pai:
– Ele tinha tirado a vida da minha mãe enquanto ela estava dormindo.
Preso aos 18 anos, ele diz ter matado mais de 50 detentos. À Justiça, afirmou que assassinou um preso porque não gostava dele, e outro porque roncava demais.
No fim dos anos 1990, ele ganhou as páginas dos jornais ao declarar que mataria o motoboy Francisco Pereira, o Maníaco do Parque.
Psiquiatras responsáveis por um laudo pericial sobre Pedrinho, feito em 1982, diagnosticaram nele caráter paranoide e antissocialidade.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Perseguição parou no túnel
 
 
Perseguição parou no túnel
Jovens foram apreendidos depois que polícia atirou e eles bateram o veículo furtado na Capital
O roubo de um carro terminou em perseguição e acidente na manhã de ontem, em Florianópolis. Dois jovens – sem documentos, que afirmaram ser adolescentes de 17 anos – levaram o veículo do Bairro Monte Verde até o Túnel Antonieta de Barros, no Centro. Bateram na mureta de proteção e foram apreendidos pela PM.
Conforme a PM, o dono de um Renault Sandero parou em um comércio no bairro, quando a dupla armada com um revólver tomou o carro. A vítima ligou para o telefone de emergência da polícia e deu a descrição do veículo. Na Avenida Beira-Mar Norte uma viatura começou a seguir o automóvel até o túnel, no sentido Centro-Sul da Ilha. Um policial deu um tiro no chão, assustando o motorista do carro roubado, que bateu.
 
Carro de engenheiro ficou encurralado
A situação causou um princípio de pânico. Um engenheiro mecânico, que não quis se identificar, levava a mulher para a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e 50 metros após entrar no Antonieta de Barros escutou a sirene da viatura.
– Olhei pelo retrovisor e vi o carro atrás do meu. Pensei que iria bater. Ele estava na faixa do meio, foi para a esquerda, repentinamente passou pela minha frente e bateu na parede, à direita. A moto da polícia, com um agente armado, apareceu e ficou do meu outro lado. Fiquei encurralado. Com medo de que alguém disparasse, acelerei entre os dois e fui embora.
Um dos suspeitos tentou fugir, mas foi capturado pela PM, e o outro teve ferimentos leves. Ambos foram levados ao hospital. Depois seriam encaminhados à delegacia.
Para lá, o guincho levou o Sandero. O dono prestou depoimento ainda pela manhã, mas a delegada Juliana Gomes não quis passar informações. O túnel foi parcialmente interditado entre 9h20min e 9h50min, com o trânsito em apenas uma pista, o que provocou um congestionamento que ia até a Avenida Gustavo Richard, próximo ao CentroSul. A PM não encontrou armas com os suspeitos.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Concurso IGP
 
Começa a chamada de 87 aprovados
O governo do Estado autorizou a chamada de 87 candidatos aprovados no concurso público 001/2008 do Instituto Geral de Perícias (IGP).Os candidatos devem ficar atentos em relação às datas e, também, aos exames que devem ser realizados junto à Perícia Médica Oficial, bem como à entrega da documentação.
O IGP irá convocar 44 peritos criminais; sete peritos médico-legistas; oito peritos criminais bioquímicos; dois auxiliares de laboratório e 26 auxiliares de criminalística. O IGP não informou para que cidades eles irão.
Ainda haverá curso de formação para esses profissionais. A primeira etapa será ainda este ano.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes e ocorrências
 
Foragido pede para voltar ao presídio
A Polícia Militar atendeu a uma situação inusitada na quarta-feira, no Centro de Jaraguá do Sul. Um homem ligou para a central de emergência e dizia ser um foragido da Justiça que queria cumprir sua condenação. No local informado, os policiais constataram que o rapaz, de 19 anos, tinha realmente mandado de prisão em aberto por furto pela Comarca de São Bento do Sul. Na delegacia, ele disse que quer pagar pelo crime e, depois, recomeçar a vida.
 
Arrombamento na madrugada
Um caixa eletrônico de uma agência do Banco do Brasil em Pirabeiraba, zona Norte de Joinville, foi arrombado na madrugada de ontem. Segundo a gerência do banco, três homens encapuzados entraram na agência por volta das 3h.
 
Usando um maçarico, eles conseguiram abrir um dos cinco terminais e levaram todo o dinheiro que havia dentro. A quantia não foi revelada pelo banco. Imagens do circuito interno da agência serão analisadas.
 
Tio teria violentado sobrinho de 5 anos
Um homem de 21 anos suspeito de ter abusado sexualmente do sobrinho de cinco anos foi preso em flagrante por policiais de Balneário Camboriú. Ele estava escondido no Paraná, na casa dos pais. De acordo com a Polícia Civil, o tio violentou o sobrinho na casa da família, em Balneário Camboriú, no dia 8. Depois do crime, ele fugiu. A mãe da criança percebeu que havia sangue nas calças do menino. A polícia diz que o suspeito tem antecedentes por tráfico.
____________________________________________________________________________
Veículo: Notícias do Dia
Editoria: Segurança
Assunto: São José poderá ter menos bases da PM se efetivo não aumentar
 
 
São José poderá ter menos bases da PM se efetivo não aumentar
Comando do 7º Batalhão aguarda novos policiais até o mês de dezembro
Proprietária do imóvel onde está a sede do 7o BPM de São José, Miriam Burato Guesser, não recebe o aluguel há dois meses
Antes da educação e da saúde, a segurança é o primeiro item questionado e solicitado às autoridades públicas pelas comunidades. Se São José não receber mais policiais militares até o mês de dezembro, algumas bases poderão fechar as portas. É o caso do posto da PM localizada na avenida Presidente Nereu Ramos, no bairro Campinas.
O município de pouco mais de 200 mil habitantes, conta com 250 militares para desenvolverem os serviços operacionais e administrativos, entre os licenciados, em período de férias e prestes a se aposentar, além de ceder 15 profissionais à cidade vizinha São Pedro de Alcântara.
De acordo com o comandante do 7º BPM (Batalhão de Polícia Militar), Romualdo Weiss, há 15 bases fixas em funcionamento, mas o efetivo seria ideal para manter somente 10 delas. Segundo Weiss, são necessários 15 policiais para manter um posto aberto com uma viatura à disposição. “A previsão é que o efetivo aumentará até o mês de dezembro, mas não sei quantos virão”, destaca.
Os moradores próximos à base da PM de Campinas estão muito preocupados com a ideia, já que perceberam uma redução dos crimes na região após a implantação do serviço, há um ano e dois meses. A presidente do Conseg (Conselho de Segurança), Teresinha Zanella, comenta que o desejo dos moradores e comerciantes é que o espaço permaneça aberto.
“Somos uma rota de fuga para a BR-282 (Via Expressa). Com a implantação da base, diminuíram os assaltos e roubos”, lembra Teresinha. Proprietária de uma loja de confecções, Claudia Baby afirma que a base policial impõe respeito e afasta os assaltantes. “Fui vítima e refém em um assalto, há quatro anos, e posso dizer que o posto da polícia faz toda a diferença na região”, avisa.
Conforme Cláudia, a rua era roteiro às pessoas que queriam chegar à comunidade Chico Mendes, que fica do outro lado da Via Expressa. “Era uma rota de fuga e muito fácil de escapar. Agora, percebemos a diferença”, observa.
 
Pagamento atrasado
A base da polícia militar no bairro Campinas é instalada em uma residência particular que está alugada. A Prefeitura de São José efetua o pagamento do aluguel, que após a renovação do contrato passou a ser de R$ 2,4 mil, mas conforme a proprietária Miriam Burato Guesser, o aluguel está atrasado há dois meses.
Segundo Miriam, o contrato venceu no dia 1º de julho e o último pagamento foi efetuado no dia 10 do mesmo mês. “A renovação foi feita, mas os alugueis de agosto e setembro ainda não recebi”, avisa. O valor que é repassado à Miriam é retirado de um percentual da arrecadação das multas de trânsito que é enviado pelo Estado ao município.
A proprietária, que é perita em trânsito, afirma que não sabe o porquê da falta de pagamento. “Não quero que a base da PM saia do imóvel. Estou alugando abaixo do valor de mercado e todos queremos que os policiais continuem no local”, acrescenta.
O secretário de Segurança, Defesa Social e Trânsito, Sanderson de Jesus, ressalta que no mês de julho foi dado o encaminhamento para a renovação contratual. Ele explica que pode ter acontecido uma demora no procedimento burocráticp, mas que vai verificar a situação.
 
 
 
BOX: Efetivo em São José
 
-250 policiais para trabalhos operacionais e administrativos
 
-15 são cedidos a São Pedro de Alcântara
 
-15 são necessários para manter uma base policial aberta e viatura
 
-Há 15 bases fixas em São José
 
-O efetivo é o essencial para somente 10 postos
____________________________________________________________________________
Veículo: Notícias do Dia
Editoria: Hélio Costa
Assunto: Governador deveria integrar as Polícias e não definir atribuições de cada Força
 
Governador deveria integrar as Polícias e não definir atribuições de cada Força
Constituição já estabelece prerrogativas de cada Força Estadual. Colombo deveria aproximar as polícias para resgatar a sensação de segurança
Cada um no seu quadrado
Em entrevista ao Jornal Notícias do Dia, edição de ontem, o governador Raimundo Colombo afirmou que vai elaborar um documento atribuindo a função da Polícia Militar e da Polícia Civil, na tentativa de terminar com os desentendimentos das duas forças. Ora, o governador esqueceu a Constituição. A Lei Magna já estabelece as prerrogativas de cada polícia. Ele deveria aproximar as duas instituições deficitárias de efetivo para proteger a sociedade. A Militar não tem gente suficiente para fechar os quatro cantos da cidade numa blitz gigante. A Civil muito menos. As duas têm que estar juntas combatendo o crime organizado e resgatando a sensação de segurança. Hoje, os pais não dormem mais sossegados quando os filhos saem à noite. Tenho amigos que só colocam a cabeça no travesseiro e descansam quando os filhos retornam das baladas
 
 
BLOGS
 
Paulo Alceu
 
 
Indignado
O deputado Elizeu Mattos que ontem estava em Brasília não consegue se conter ao narrar o episódio em que teve o carro guinchado por um policial militar, próximo da AL. Quando se deslocava para Itajaí na companhia de um empresário alemão foi detido por um soldado da PM que acabou retendo o veículo oficial por conta da película considerada ilegal. Durante mais de 30 minutos houve uma bate-boca onde o deputado diz ter sido desrespeitado por um policial despreparado e perigoso. “Eu não sou bandido. Se eu reagisse poderia levar um tiro. Não tinha como explicar. Ao me identificar como deputado, piorou. Ele começou a reclamar de salário, equipamento, ou seja, de tudo e todos. Botou o dedo na minha cara. Fez ameaças…” o jeito foi o deputado pegar outro carro e seguir viagem…ou seja, reflexos de um clima tenso e preocupante na PM.
 
 
Defesa Civil
Enquanto o senador Paulo Bauer destacava da tribuna do Senado o trabalho da Defesa Civil de Santa Catarina o prefeito de Palhoça, Ronério Heiderscheidt, defendia a criação de um Centro de Inteligência da Defesa Civil, para prevenção e combate as tragédias climáticas. Inclusive possui um projeto com investimentos de R$ 100 milhões.”Devemos nos antecipar aos acontecimento da natureza,” argumentou o prefeito, que quer criar uma força tarefa com a participação da Policia Militar, Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Palhoça e Força Voluntária.
 
Moacir Pereira
 
Código Florestal em debate em SC
Será hoje, em Chapecó, a audiência pública do Senado para discutir o projeto de lei do novo Código Florestal. Reunirá senadores, agricultores, cooperativas e entidades ligadas à produção agropecuária catarinense, com um total de duas mil pessoas. A audiência será presidida pelo relator do projeto, senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC). Também participarão membros das Comissões de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ); de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor, Fiscalização e Controle (CMA) e Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT).