Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 11 de novembro

11.11.2011
CLIPPING
11 de novembro 2011
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Visor
Assunto: Reunião ACORS e APRASC
 
ABRIU A PORTEIRA
Vai subir o tom da pressão. Agora são os policias e bombeiros militares que se organizam para reivindicar reajuste salarial. Uma reunião foi marcada para segunda-feira entre a Aprasc, que representa os praças, e a Associação dos Oficiais Militares de SC. Eles acompanham de lupa a abertura das negociações entre governo do Estado e representantes da Polícia Civil. Querem, no mínimo, o mesmo reconhecimento. Neste caso, oficiais e praças prometem marchar unidos. E olha que vem temporada de Verão por aí…
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Ibama X Shopping
 
Justiça suspende embargo de obra
Juíza avalia que Continente Park tem permissão para construção no local
Durou 13 dias o embargo de parte da obra do Continente Shopping Park, que está sendo construído em São José. A Justiça Federal suspendeu a medida e a multa de R$ 125 mil que haviam sido aplicados por fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
O desembargo foi determinado ontem pela juíza da Vara Federal Ambiental em Florianópolis, Marjôrie Cristina Freiberger Ribeiro da Silva. Ela atendeu pedido de liminar do empreendimento. A magistrada avaliou que o shopping tem licença da Fundação do Meio Ambiente de SC (Fatma) e que o suposto dano havia sido discutido e sanado em um termo de ajustamento de conduta com o Ministério Público Estadual.
No embargo, os fiscais afirmavam a existência de nascente e curso d’água em parte da obra em área de preservação permanente (APP).
A juíza observou que as obras foram permitidas em razão da condição atual do local: “A área está inserida em distrito industrial, densamente ocupado, já havia sofrido processo de degradação anterior e a sua recuperação, segundo o órgão licenciador, dependeria de medidas, se não impossíveis, ao menos inviáveis, pois exigiria a retirada até mesmo da rodovia BR-101”, assinalou.
O Ibama pode recorrer no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). O shopping afirmou por sua assessoria que já esperava a ação judicial favorável e que a medida do Ibama não chegou a atrapalhar o andamento da construção.
Em entrevista ao DC, Jaimes Almeida Junior, sócio do shopping, declarou que a ação do Ibama era retaliação às denúncias de corrupção e extorsão que o empreendimento fez envolvendo fiscais do órgão federal. As denúncias, publicadas com exclusividade pelo DC, estão sendo investigadas pelo Ministério Público Federal. O inquérito está em andamento.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Incêndio no Morro de Zimbros
 
INCÊNDIO NO MORRO DE ZIMBROS
Cerca de 50 mil metros quadrados de Mata Atlântica ainda intocada, no alto do Morro de Zimbros, em Bombinhas, foram destruídos por um incêndio ontem. A área é equivalente a mais de cinco campos de futebol. Moradores do pé do morro avistaram as labaredas por volta das 9h, mas as chamas só foram controladas pelos bombeiros cinco horas depois, com o auxílio do helicóptero Águia. A principal hipótese é que o incêndio tenha sido criminoso. As labaredas chegaram a 10 metros de altura.
– A situação era crítica e só conseguimos efetivamente controlar o fogo com a chegada do helicóptero – diz o chefe de socorro do destacamento dos Bombeiros de Bombinhas, sargento Edenilson Maciel.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Incêndio atinge mata em Joinville
 
Incêndio atinge mata em Joinville
Um incêndio atingiu cerca de 10 mil metros quadrados de mata no Bairro Iririú, em Joinville, na tarde de ontem.
O fogo começou por volta das 13h30min, nos fundos do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, e se alastrou até próximo da associação atlética da indústria Tupy em meio à mata. A fumaça chamou atenção quem estava por perto. Não houve construções afetadas nem feridos.
Bombeiros levaram cerca de três horas para conter as chamas. A operação contou com 27 bombeiros voluntários e brigadistas da Tupy. Cerca de 70 mil litros de água tiveram de ser usados. A suspeita, segundo os bombeiros, é que o incêndio tenha se originado de uma xepa de cigarro ou fósforo jogado no mato. Pessoas dos arredores dizem que o mato é usado como ponto de consumo de drogas, o que poderia ter originado o fogo. Ninguém foi detido suspeito de provocar o incêndio.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: PRF monta operação nas estradas
 
PRF monta operação nas estradas
A Polícia Rodoviária Federal começa hoje a Operação Proclamação da República.
O trabalho será feito até a meia-noite da próxima terça-feira para garantir boas condições de segurança às pessoas que transitarem pelas rodovias federais catarinenses. Haverá reforço de policiamento na BR-101 e BR-470, que devem apresentar maior movimento, principalmente no início e final do feriadão.
Os motoristas de combinações de veículos de carga, de transporte de veículos, de transporte de veículos e cargas paletizadas e, ainda, dos veículos portadores de autorização especial de trânsito devem ficar atentos às restrições de tráfego nos trechos de pista simples amanhã, das 6h às 12h, e na terça-feira, das 16h às 22h
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Cacau Menezes
Assuntos: Moeda Verde
                  Agressão por soldado militar
                   Roubos a motos
 
 
Moeda Verde
Maior operação já realizada pela Polícia Federal na Ilha de Santa Catarina, a Moeda Verde terá um capítulo decisivo na próxima quinta-feira, dia 17. É quando o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre, vai definir a competência para o julgamento dos 46 indiciados. No julgamento, marcado nesta quinta-feira, os desembargadores federais irão decidir quem será julgado pela Justiça estadual e quem será julgado pela Justiça federal. Há quem diga que o desfecho do caso, pelo número de envolvidos e pelas controvérsias envolvendo a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Justiça Federal da Capital, deve ser coisa para 10 anos…
 
Vítima
Um professor que dá aulas no Colégio Energia, de Criciúma, e que mora na Capital, apanhou feito boi ladrão na frente da mulher e do filho de cinco anos de um soldado policial militar no Terminal Rita Maria. A RBS TV mostrou a reportagem no Jornal do Almoço de quarta. A PM precisa acionar mecanismos para coibir esses excessos.
 
Socorro (1)
Minha mochila com tudo dentro não foi nada. Nas duas últimas semanas, foram roubadas seis grandes motocicletas na Grande Florianópolis. O roubo das pequenas já é habitual, ninguém dá mais bola, é cada um por si. Mas agora os bandidos estão irritando gente organizada, motoclubes, pessoas de bem, pais de família que tudo o que fazem é trabalhar duro durante a semana para poder curtir com os amigos e companheiras aos finais. A coisa começou a acontecer de repente, e acredita-se que seja quadrilha de fora ou com o apoio de locais. Estão roubando, desmontando, talvez peças para desmanches, ou “sob encomenda”.
 
 
Socorro (2)
Num desses roubos a grandes motos em Floripa, o infeliz proprietário da moto flagrou os caras tentando fazer a moto pegar e gritou: não deu outra, um dos bandidos se virou e mandou três balaços de uma .40, um deles atingindo a perna do coitado motociclista, causando fratura de um dos ossos. Mesmo caído, o proprietário ainda foi chutado e, sob a ameaça da arma, teve que entregar a chave de sua própria motocicleta. Pode isso?
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Cacau Menezes
Assunto: Dono de cassino
 
Prefeito e vice de Jaborá são cassados
Votação, realizada ontem à tarde na Câmara de Vereadores, foi tranquila
O prefeito e o vice-prefeito de Jaborá, no Meio-Oeste catarinense, foram cassados ontem. Em sessão extraordinária do Legislativo, os vereadores decidiram, por seis votos a três, pelo afastamento de Luiz Nora e Barcelides Nicolli, ambos do PMDB.
A dupla foi cassada por improbidade administrativa, pela prorrogação indevida de um concurso público que teria beneficiado somente a filha do prefeito, em 2009. Agora, quem assume interinamente a prefeitura é o presidente da Câmara de Vereadores, Carlos Pinto (PSDB). Ele pode ficar no cargo por até 30 dias, até a realização de uma eleição indireta.
O prazo começa a contar a partir do dia em que for expedido o decreto legislativo que oficializa a cassação. Assim que isso ocorrer, tanto Nora quanto Nicolli vão recorrer da decisão junto ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC).
Segundo a defesa, o recurso vai tentar anular a votação e será baseado em oito irregularidades que teriam sido encontradas na acusação. A mais forte delas seria a composição da comissão processante. Os três vereadores seriam os mesmos que conduziram a comissão parlamentar de inquérito que levou à cassação.
Defesa alega que votação deveria ter sido fechada
Para o advogado de Nora, Francisco Assis de Lima, pelo menos quatro vereadores deveriam ter sido impedidos de votar por conta de dívidas com a prefeitura. Outro argumento é de que a votação deveria ter sido secreta, conforme prevê a lei municipal.
– Alguns vereadores não poderiam ter participado da sessão e vamos estudar, pois acho que o voto não deveria ter sido aberto, até para respeitar os familiares e amigos dos acusados.
Na eleição indireta, em dezembro, qualquer cidadão pode se candidatar. E apenas os vereadores participam da votação. Ainda não foram anunciados nomes de interessados no cargo.
Contrariando os episódios que antecederam a sessão, a votação do julgamento de cassação correu de forma tranquila e se estendeu por cerca de nove horas. O policiamento foi reforçado, mas não houve incidentes.
Apenas familiares dos acusados reagiram à decisão e saíram revoltados da sessão. Vários fogos de artifício também foram ouvidos na cidade após o anúncio da cassação.
Parte do plenário da Câmara estava queimada. Um incêndio atingiu o local na madrugada de quarta-feira. A polícia, que investiga o caso, é de que o incêndio tenha sido criminoso.
Outras três salas também foram danificadas, assim como todos os computadores da Casa. Além disso, dois vereadores brigaram após a sessão ordinária de segunda-feira, por divergências quanto à cassação. Eles registraram boletins de ocorrência.
 
 
Concurso polêmico
– A comissão parlamentar de inquérito que resultou na cassação do prefeito e do vice-prefeito de Jaborá foi aberta na Câmara de Vereadores em setembro de 2009, logo após a nomeação da filha de Nora como professora das séries iniciais na rede municipal de ensino.
– Ela já foi exonerada do cargo e havia prestado o concurso em 2005. O edital previa que a candidata poderia ser convocada para a função até o mês de fevereiro de 2009. Quando o prazo estava para vencer, Nora teria prorrogado a data por mais nove meses. Segundo a CPI, o ato teria beneficiado apenas a filha do prefeito cassado.
– Só que, na época, era o vice-prefeito quem estava à frente do Executivo e assinou a nomeação. Esse foi o motivo utilizado pela acusação em plenário, alegando que Nicolli sabia da irregularidade e teria sido conivente.
– Também por conta disso, além do julgamento administrativo que terminou com o afastamento da dupla, outra investigação criminal também tramita na Justiça. Por conta da possível irregularidade, o Ministério Público (MP) ofereceu denúncia contra o prefeito, o vice e a filha do prefeito que teria sido beneficiada pelo concurso público.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Informe Político
Assunto: Polícia Civil
 
A polícia é notícia
Pela primeira vez, as entidades que congregam delegados de polícia, trabalhadores na segurança pública e policiais civis têm um movimento unificado por melhoria salarial. O que iniciou com a manifestação dos delegados catarinenses ganhou força com o apoio da base dos servidores (investigadores, escrivães e peritos).
A categoria mantém mobilizações públicas, enquanto aguarda o dia 16 de novembro, quando o vice-governador Eduardo Pinho Moreira, interlocutor com os policiais, reunirá os representantes das entidades de classe para apresentar a proposta do Centro Administrativo. O impacto financeiro das reivindicações está sob a análise de uma comissão formada por técnicos da Fazenda, da Administração e da Procuradoria Geral do Estado. O governo quer evitar os erros da condução no movimento dos professores, quando levou à Assembleia projetos sem ter o aval dos representantes da categoria.
Presidente da Associação dos Delegados, o experiente Renato Hendges critica a falta de empenho das autoridades da segurança pública, mas centra na solução do problema salarial. Afirma que chegou a hora de pôr fim aos penduricalhos, os abonos, e pede a mudança dos valores do inexpressivo vale-coxinha, R$ 128 por mês para cada servidor.
 
Para Hendges, o problema está na remuneração do início da carreira (R$ 718 para a base e R$ 4.442 para os delegados). Outra reclamação é a política de horas extras. Se o profissional tem que se afastar por problemas de saúde, perde o benefício.
Hendges adverte que isso é um dos fatores desmotivadores da considerada uma das melhores polícias do país. O governo terá que agir com rapidez.
 
Contraponto
A opção de Renato Hendges por falar do salário-base tem explicação. Há dias circulam cópias de contracheques de delegados de polícia com mais de 20 anos de carreira na corporação.
Em 2000, determinado delegado recebeu R$ 6.207,29, e, em 2011, o mesmo profissional recebeu R$ 13.290, 32, ambos os vencimentos brutos, sem descontos. Uma das críticas à reclamação de que não há reajuste há 13 anos.
 
 
A reclamação
O presidente da Associação dos Delegados afirma que o problema do não aumento dos salários tem origem em 1999 ,quando a categoria começou a receber a isonomia com os procuradores do Estado. O governo catarinense, na figura dos procuradores, recorreu ao STJ, mas só sobre o salário dos delegados, e ganhou a ação.
Em 2003, a Lei 254 vinculou todo o salário da segurança pública aos proventos dos delegados, considerada inconstitucional mais tarde pelo STJ. Hoje, o topo de carreira reclama de 125% para todas as categorias pelos índices oficiais, como IGPM. Os salários estão iguais aos de 2003.
 
 
Bastidores
O governo do Estado estaria propenso a rever alguns pontos reivindicados pelos policiais civis. Admitiria, por exemplo, compactar os níveis da carreira de oito para seis, e não para quatro, como postulam os profissionais da segurança pública.
O vale-alimentação deve perder a característica de “coxinha”, ser incorpado, como se admite nos corredores do Centro Administrativo. Dois outros itens, a incorporação dos abonos e melhoria na garantia de aposentadoria, seriam os mais delicados no processo de negociação. A solução ganhou mais rapidez nas últimas horas.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Presídio de Blumenau
 
PRESÍDIO DE BLUMENAL* (*escreveram assim mesmo)
Detento morto pelos companheiros de cela
Rafael Alcides da Rosa 24 anos, foi encontrado morto dentro de uma das celas do Centro de Obsevação e Triagem (COT) do Presídio Regional de Blumenau. No COT, ficam os presos recém-chegados e os que são considerados mais perigosos. O homem teria sido enforcado com uma corda artesanal por dois outros dententos que ocupavam a mesma cela. Os autores do crime foram identificados e transferido para a Penitenciária de Florianópolis. Um deles é suspeito de ter matado um detento no Presídio da Canhanduba, em Itajaí, no mês passado.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Arrombador de portas
 
Solto, ladrão debocha: “Não há porta que eu não abra”
Com ele, a polícia encontrou vários produtos furtados e seis maletas com cerca de 30 chaves mixas
Ofício: arrombador profissional. Área de atuação: imóveis no litoral. Ferramentas: seis maletas com 30 chaves-mixas cada. Modo de agir: só casas e apartamentos, sem barulho e sem uso de violência. Qualidades: “Não existe porta que eu não consiga abrir”.
Nesse tom de deboche, o ladrão detido na noite de quarta-feira no Bairro Campeche, em Florianópolis, apresentou o seu “currículo” para a Polícia Militar (PM). O homem foi detido depois de policiais encontrarem na casa do suspeito centenas de produtos supostamente furtos. Havia perfumes, máquinas fotográficas, notebooks, perfumes, óculos, relógios, videogames, joias, entre outros produtos.
– Era muita coisa na casa. Algo realmente fora do padrão do que normalmente encontramos – descreveu o comandante do 4º Batalhão da PM, coronel Araújo Gomes.
O suspeito estava na cidade havia uma semana. Alugou uma casa no Campeche, fez negócio direto com o proprietário e pagou adiantado. Motivo do aluguel: “lugar para ficar e guardar os objetos furtados”, disse para a PM, ao ser detido.
– Ele já tem várias passagens por furto no RS. Disse que estava em Florianópolis para furtar mesmo. Por isso, alertamos para as pessoas fazerem contratos formais na hora de alugar uma casa. Com a chegada da temporada de verão, muitas pessoas estão vindo para cá com a intenção de cometer furtos e roubos – ressaltou Gomes.
A quantidade de materiais apreendidos impressionou os policiais. Mas o espanto estava guardado em seis maletas. Cada uma delas carregava cerca de 30 chaves mixas (especiais para arrombar portas).
– O homem disse que era arrombador profissional, mas não usava violência – contou o policial.
PMs localizaram o material depois de abordar um carro no Centro da cidade, por volta das 18h de quarta-feira. A guarnição suspeitou da movimentação do homem. Ao averiguar, encontrou dezenas de produtos eletrônicos no carro. Em seguida, os policiais foram para a casa do suspeito no Campeche.
Os policiais militares encaminharam o suspeito e mais três pessoas para a delegacia. Como não houve flagrante, todos foram liberados. A Polícia Civil investiga a procedência dos produtos.
Os envolvidos devem ser chamados para prestar depoimento. Pessoas que foram vítimas de furtos recentemente podem comparecer à 2ª Delegacia de Polícia, no Bairro Saco dos Limões, para verificar os produtos encontrados.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: 25 adolescentes fugiram em dois dias
 
25 fugiram em dois dias
A Secretaria de Justiça e Cidadania deve se manifestar hoje sobre a situação do Centro de Internamento Provisório (CIP) de Itajaí, que teve três fugas nos últimos dois dias. Em uma delas, um adolescente ameaçou os funcionários com uma arma. Dos 29 internos, 14 seguem foragidos.
As fugas iniciaram na manhã de quarta-feira, quando quatro adolescentes foram vistos, pela vizinhança, saindo da unidade. Um deles foi recapturado pela PM logo em seguida. Os outros três foram encontrados na BR-101, caminhando em direção a Balneário Camboriú.
Minutos após a entrega dos quatro adolescentes à direção do CIP, outros 11 internos conseguiram escapar. Um deles, armado, ameaçou os funcionários e fugiu levando vários celulares.
Ontem à tarde, mais três menores escaparam. A direção do CIP avisou a PM, mas nenhum deles havia sido encontrado até o fechamento desta edição. As fugas teriam sido facilitadas pela precariedade do prédio que abriga a unidade.
De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Justiça, foram instauradas sindicâncias para apurar as três ocorrências.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Espanhol é detido na Capital
 
Espanhol é detido na Capital
Um espanhol que vivia há quatro anos em Florianópolis e estava com mandado de prisão em aberto no país dele foi preso, no começo da tarde de ontem, na sede da Polícia Federal. De acordo com o delgado Ildo Rosa, esta é mais uma prisão realizada pela Operação Fim da Linha, deflagrada pela PF no começo deste ano.
O estrangeiro José Luis Romero Garcia, 45 anos, entrou com pedido no Ministério do Trabalho para conseguir cidadania brasileira alegando união estável com uma brasileira, servidora pública na Capital. A Polícia Federal fez um levantamento dos dados e constatou que ele havia sido condenado na Espanha por estelionato.
– Na operação, usamos o conceito da Interpol chamado Difusão Vermelha, na qual levantamos os dados dos estrangeiros que estão neste conceito e se tiverem alguma condenação serão encaminhados para o país de origem – explica Ildo Rosa.
Segundo o delegado, neste ano oito pessoas foram presas pela operação. O estrangeiro foi levado para o presídio da Capital, onde aguarda que a polícia espanhola venha buscá-lo.
____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Família é feita refém em casa
 
Família é feita refém em casa
Um jantar entre amigos numa casa no Campeche, Sul da Ilha, terminou em assalto, ontem de madrugada. A dona da casa, sua amiga – grávida de dois meses – e o marido foram amarrados por três homens armados.
Este é o 14º roubo em residência com reféns na região, que este ano registrou quase quatro vezes mais este tipo de crime do que em 2010. O número de furtos, crime sem violência, diminuiu (veja ao lado)
Os amigos tinham acabado de passar uma noite agradável, jantando, conversando e tirando fotos da cachorrinha de três meses, adotada naquele dia pela dona da casa, uma coordenadora de eventos de 29 anos. A porta da casa estava aberta. De repente, os três assaltantes entraram
– Vira e bota a mão na parede que é um assalto – anunciou um dos bandidos, apontando a arma.
– Calma, vamos conversar!
– Moça, você não está entendendo. Bota a mão na parede e não olha para mim. Senão, vai levar um tiro
Os ladrões rasgaram uma blusa de algodão para prender os pulsos das vítimas. Os pés foram amarrados com cinto e cadarço de tênis.
– Tô colocando um pano macio para não machucar vocês – disse um dos bandidos.
Amarrados, os reféns ficaram deitados na cozinha, sob a mira de um revólver 38. Dois bandidos juntaram laptop, iPad, joias e dinheiro. O gato da dona da casa passeava entre os ladrões enquanto a cachorrinha dormia. Em menos de 20 minutos, os três fugiram. A dona da casa conseguiu se soltar e chamar a PM. Ela disse que na hora tentou ficar calma, mas quando encontrou a mãe, não se segurou.
– Chorei de alívio, me senti segura – disse, ao lado da mãe, uma professora de 47 anos.
– Ficamos abraçadas, chorando. Eu precisava ver minha filha.
 
 
ACONTECEU NA ALESC
 
Projeto prevê vagas de trabalho para egressos do sistema prisional
A deputada Angela Albino (PCdoB) apresentou projeto de lei que prevê a reserva de vagas de trabalho para egressos do sistema prisional nos contratos firmados com os poderes e órgãos da Administração Pública Estadual.
Pela proposta, as empresas ou entidades prestadoras de serviço ou executoras de obras, que firmarem contratos com o Estado, deverão reservar no mínimo 1% do total das vagas de trabalho necessárias à execução dos respectivos contratos.
A iniciativa resulta de projeto de pesquisa elaborado por estudantes do curso de Direito da Uniban, campus de São José, com a orientação do desembargador Lédio Rosa de Andrade.
“O presente projeto de lei é revestido de grande importância, uma vez que busca a ressocialização criando oportunidade de trabalho aos egressos das penitenciárias catarinenses, que deverão ocupar pelo menos um por cento das vagas das empresas e entidades prestadoras de serviços, cujos contratos com órgãos e entidades da Administração Pública do Estado prevêem a necessidade de utilização de mão de obra”, afirma a deputada.
“A inclusão do egresso no mercado de trabalho não pode mais ser considerada um problema individual, mas da sociedade em geral, razão pela qual solicito aos nobres pares que sejam solidários na aprovação deste projeto de lei, que vem ao encontro da Política Estadual de Segurança Pública que prevê atividades que vislumbrem a segurança do cidadão e da sociedade”, ressalta Angela Albino.
 
 
 
BLOGS
 
Moacir Pereira
 
Policiais Militares são à luta por melhores salários
A Associação dos Oficiais Miltares Estaduais está, também, decepcionada com o encaminhamento das negociações salariais pelo governo do Estado. Seu presidente, coronel Fred Harry Schauffert, envia relato sobre a situação e anuncia a disposição dos militares de iniciarem uma nova luta por melhoria salarial.
Confirma sua manifestação:
“Prezado Jornalista MOACIR PEREIRA,
Na condição de Presidente da Associação dos Oficiais Militares Estaduais da Polícia e do Corpo de Bombeiros Militar (ACORS), gostaria de informá-lo acerca de algumas ações que estamos tomando, em razão da discriminação que estamos sofrendo nos últimos dias com relação às negociações salariais das categorias da Segurança Pública.
Estamos encetando uma campanha de distribuição de outdoors, primeiramente na Capital do Estado e posteriormente espalharemos pelos mais distantes rincões do território Barriga-verde.
Iniciamos também reuniões conjuntas entre as diretorias da ACORS e da Associação dos Praças de Santa Catarina (APRASC), objetivando o fortalecimento da categoria dos Praças e Oficiais, lutando por interesses comuns, a começar pelo salário. Na atualidade, o salário de um Soldado é vergonhoso e famélico. Jamais o Estado prestará uma Segurança Pública de qualidade com um salário de miséria. No dia 14 nov 11, 2ª feira pela manhã, às 09:00h, na Sede da ACORS, sito à rua Lauro Linhares, n° 1250, Trindade, realizaremos a segunda reunião entre as diretorias das duas associações classistas, visando traçar estratégias para reparar a discriminação que estamos sofrendo.
Registro que solicitamos uma audiência com o Vice-Governador mas não recebemos sinal de positivo. Esta desfeita nos ofende profundamente e nos leva a buscar outras saídas menos ortodoxas para tratar da delicada questão. Na atualidade, tanto os Oficiais quanto os Praças das Corporações Militares Estaduais estão desmotivados, o que na prática repercute profundamente na proteção do cidadão. Você só pode proteger, se estiver motivado.
Outro aspecto que nos surpreende é que em audiência com o Governador do Estado, este nos afirmou que iria montar um grupo de trabalho para estudar as questões salariais dos Funcionários Públicos Civis e dos Militares Estaduais. Registrou ainda, que as associações seriam chamadas a colaborar no processo, o que até hoje não ocorreu.
Misteriosamente, o Vice-Governador é designado para gerenciar o processo de aumento salarial da Polícia Civil em detrimento dos Militares Estaduais (PM e BM), que fazem parte do mesmo sistema de Segurança Pública.
As primeiras medidas que estamos tomando estão elencadas acima e no decorrer do período, deliberaremos sobre outras posturas necessárias para reparar esta desconsideração com os Policiais e Bombeiros Militares Barrigas-Verdes.
Meu prezado jornalista, depois de 32 anos de efetivo serviço, atuando na atividade operacional, tendo chegado por mérito, ao último posto da Corporação, só nos resta arregaçar as mangas e lutar com denodo pelo bem estar da classe dos Militares Estaduais. Oficiais e Praças, unidos seremos muito mais fortes.
Respeitosamente,
FRED HARRY SCHAUFFERT-Cel PM Presidente da ACORS.”
 
 
Policia Civil: nova reunião para estudar proposta salarial
O vice-governador Eduardo Moreira terá amanhã nova reunião com a equipe técnica da Fazenda, Administração e Procuradoria para avaliar a proposta a ser apresentada aos policiais civis.
Antecipou que há um problema: qualquer aumento para a Policia Civil repercute de forma contundente na Policia Militar.
Moreira confirmou que o governo vai oferecer uma proposta salarial aos policiais civis até o dia 16.