Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 10 de março

10.3.2011
CLIPPING
10 Março 2011
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Política
Assunto: Contenção de gastos no governo
 
Metade da meta cumprida em 66 dias de contenção
Governo estadual mantém a medida até o início de maio para alcançar R$ 1 bilhão em caixa
Pouco mais de dois meses após anunciar um período de 120 dias de contenção de despesas, o governo estima ter atingido metade da meta de acumular R$ 1 bilhão. Até o dia 1o de maio, segue a orientação de controle dos gastos em todas as secretarias e estatais, a revisão dos contratos firmados e a suspensão de novos contratos do programa Pró-emprego.
De acordo com o secretário da Fazenda, Ubiratan Rezende, 66 dias depois de iniciar o período de contenção, o governo já tem uma ideia bem clara dos gargalos de investimentos e dos furos de vazão de recursos. O objetivo da medida foi fazer uma análise aprofundada dos contratos e licitações em andamento, além de fazer caixa para cumprir os compromissos assumidos.
– Esse objetivo tem sido atingido. Não se trata de uma economia, mas estamos contendo despesas, e a meta colocada pelo governador foi de R$ 1 bilhão. Acredito que já estamos na faixa de R$ 500 milhões e até o final dos 120 dias vamos chegar lá – afirma o secretário.
Para chegar a esse resultado, cada pasta foi orientada a cortar despesas. Outra medida foi a suspensão de algumas licitações como, por exemplo, o contrato de prestação de serviço na área de processamento de dados, que foi repassado para o Centro de Informática e Automação do Estado (Ciasc). Também foram reduzidos os gastos com viagens, diárias e aluguel de veículos.
– Este período está sendo importante para o governo reforçar o caixa e elencar as prioridades. Quando decidir por uma determinada obra, já teremos os recursos específicos e a ação poderá ter começo, meio e fim – destaca o vice-governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB).
Para Ubiratan, os ajustes administrativos são um processo permanente, sendo que a meta é chegar a um equilíbrio entre a lógica do processo político e a lógica da gestão. De acordo com o secretário, com a conclusão do roteiro pelas 36 regionais e a aprovação da minirreforma administrativa na Assembleia Legislativa, o governo terá condições de fazer mais alguns ajustes. No entanto, ele destaca que a participação da Assembleia será fundamental nesse processo.
– Nos próximos três ou quatro meses, o governo irá propor uma série de medidas importantes à Assembleia. Os projetos serão no sentido de adequar a administração às políticas públicas propostas pelo governador. Se o processo fluir com uma certa rapidez, avalio que até o final do ano tenhamos os instrumentos necessários para impor um novo ritmo – assinala o secretário Ubiratan.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Reportagem Especial
Assunto: Acidentes no mar
 
 
O mar é para todos, é só respeitar as regras
Após o atropelamento de uma menina que brincava num banana boat, abre-se a discussão sobre a legislação que define o espaço que pode ser ocupado por banhistas, embarcações e empresas de lazer no mar e em lagoas
Uma reunião entre donos de empresas de lazer de brinquedos aquáticos e Marinha deve ser marcada nos próximos dias para discutir a criação de uma área exclusiva do mar para esta atividade. A área seria demarcada com boias e serviria para evitar o contato entre lanchas que puxam brinquedos e demais embarcações. A medida é uma resposta ao acidente ocorrido no sábado, em Balneário Camboriú, quando a menina Tamara Dallafavera, 11 anos, foi atropelada por uma lancha.
A embaracação pilotada pelo juiz aposentado Disney Sivieri, 64 anos, teria batido no banana boat e a garota sido atingida pela hélice do motor.
As regras da Marinha determinam que embarcações só podem trafegar a uma distância superior a 200 metros da praia, o que foi respeitado no caso. Mas a Norma da Autoridade Marítima tem um item que diz que em locais com pessoas na água, não é permitido o uso de embarcações com motor ou eles deverão estar desligados.
 
Uma sinalização que todos entendam
A possibilidade de criar uma área exclusiva para brinquedos aquáticos foi considerada uma boa opção para melhorar a segurança, conforme declarou o doutor em Engenharia Oceânica e professor da Universidade do Vale do Itajaí, João Luiz Baptista de Carvalho. Ele ressaltou que é preciso delimitar o local com uma sinalização que todos possam entender.
– O piloto deve estar sempre atento e ter precaução para prevê situações de risco – diz Carvalho.
Sivieri e pessoas que testemunharam o acidente vão prestar depoimento no inquérito aberto pela Polícia Civil para apurar o que aconteceu (veja matéria na página 5). Além disso, o juiz aposentado é investigado pela Marinha. Será analisado se o acidente foi causado por imprudência ou imperícia. O caso pode ir a julgamento pelo Tribunal Marítimo, com sede no Rio de Janeiro. A Capitania dos Portos, que tem a função de fiscalizar as embarcações, informou que as possíveis penas são multa, perda da habilitação ou apreensão da embarcação. A parte criminal fica com a Polícia Civil.
O delegado da Capitania dos Portos, Alexandre Malizia Alves, reclamou que o número reduzido de funcionários compromete a fiscalização. Ele afirmou que a área onde atua é responsável por 170 municípios e conta com somente 20 pessoas para fazer o serviço. Isso porque, durante o verão, funcionários do setor administrativo são deslocados para reforçar a inspeção naval.
– Temos quatro equipes formadas por cinco pessoas. Uma vai para Chapecó, uma fica em Porto Belo, outra em Penha e uma equipe volante fica na própria delegacia atendendo emergências e fazendo fiscalização, especialmente Balneário Camboriú e Itajaí.
Polícia entra no caso
Além da Capitania dos Portos, a Polícia Civil também anunciou a abertura de inquérito para investigar de quem é a responsabilidade no caso da menina de 11 anos, que foi atropelada por uma lancha, na Praia Central, em Balneário Camboriú. Os depoimentos começam a ser colhidos ainda nesta semana.
– Não houve o registro de boletim de ocorrência, mas pela importância do caso, a polícia decidiu abrir inquérito por conta própria– disse o delegado André Manoel de Oliveira Filho.
Segundo explicou, serão ouvidos o condutor da lancha de passeio que atropelou o banana boat, Disney Sivieri, o seu filho, Marcus Vinícius Sivieri, o jovem que pilotava a embarcação do brinquedo, Carlos Barcellos, o dono da empresa que oferece os passeios, Vilmar Schackow, a irmã da vítima, Carolina Dallafavera, a mãe, Mara Dallafavera e testemunhas que viram o acidente. A vítima também será ouvida no hospital. O inquérito tem prazo de 30 dias para ficar pronto.
– A princípio, os responsáveis pelo acidente responderão por lesão corporal grave. A pena pode ser de até cinco anos de reclusão.
Na Capitania dos Portos de Itajaí, a investigação seguiu, ontem, com os depoimentos da mãe e da irmã de Tamara.
O piloto da empresa de passeios será ouvido na próxima semana. O inquérito aberto pela Marinha estará pronto em até 90 dias.
 
O acidente não diminuiu a procura
O acidente com Tamara não diminuiu a procura por brinquedos aquáticos como o banana e o disco boats. Luciano Brito, gerente da JGS Náutica, empresa de diversão marítima em Canasvieiras, afirma que o movimento continua o mesmo.
– Temos uma média de 15 passeios diários, com 26 pessoas no banana e 14 pessoas no disco – disse Brito.
Jorge Oliveira, que atua no mesmo ramo, só que em Jurerê, explica que, se acaso encontrar com uma embarcação de motor maior em alto-mar, reduz a velocidade ou para. Se a embarcação for à vela, ele desvia com a lancha, pois na Lei de Trânsito do Mar, a embarcação sem motor tem preferência.
Desde que a Capitania dos Portos proibiu a virada dos brinquedos em alto-mar – para divertir os turistas, a lancha “chicoteava”, derrubando todos na água –, Oliveira faz um circuito até a Ilha do Francês, onde ancora a 100 metros de distância. Lá, os interessados em mais diversão podem praticar mergulho até a volta após 20 minutos de parada.
– Não deixamos de querer aproveitar o passeio por causa de um caso isolado. Não deixamos de andar de carro por causa de um acidente, por exemplo. Sabemos que naquela ocasião houve alguma irresponsabilidade, mas acreditamos que, agora, haverá mais fiscalização. Queremos a mesma responsabilidade no mar que é exigida nas estradas – disse a turista e advogada Viviane Santos.
No Iate Clube de SC Veleiros da Ilha, em Jurerê, a administração determina que todas as 46 embarcações dos sócios devem ter documentação e habilitação, além de estar em dia com todas as normas de segurança. Arilson da Silva, encarregado da parte administrativa, disse que a maior reclamação é em relação aos jet skis.
De acordo com Silva, os pilotos não costumam respeitar os limites de velocidade.
– Tem muita reclamação contra os pilotos que, em alta velocidade, fazem onda, molham as pessoas e causa medo em famílias que estão brincando com crianças na água – desabafa Silva.
 
Morte após andar de disco boat em 2009
A atendente Rosimeri Dagostin, 21 anos, ainda espera o laudo que irá determinar a causa do acidente com um disco boat, que resultou na morte de seu marido, em 6 de dezembro de 2009. Sandro Bilha, 21 anos, caiu no mar quando o brinquedo virou na mesma praia em que Tamara sofreu o acidente: a Central de Balneário Camboriú. A empresa também é a mesma.
Ela entrou na Justiça contra o dono da empresa, Vilmar Schackow, e, também, contra a Marinha. Mas o processo continua em tramitação e sem previsão para audiência.
Segundo a viúva, os responsáveis nunca entraram em contato com a família da vítima, que deixou uma filha de seis anos.
– No dia (do acidente) só se ofereceram para arcar com as despesas do enterro – recorda.
Rosimeri lembra que o tempo não estava bom e o mar, revolto. Mesmo assim, Sandro quis ir ao brinquedo porque achou muito divertido “voar” sobre a água.
No meio da brincadeira, o disco virou e Sandro caiu. Testemunhas teriam visto a vítima vomitar e chamaram a atenção do piloto da lancha para o que estava acontecendo. Ele não teria atendido aos apelos e continuou manobrando até desvirar o brinquedo.
Rosimeri diz que o marido foi tirado da água somente 15 minutos depois da queda e que os bombeiros teriam demorado para atender o banhista. No Hospital Santa Inês, em Balneário Camboriú, a primeira informação que a esposa obteve foi de que seu marido tinha sofrido uma parada cardíaca. Informação que foi desmentida pelo atestado de óbito, que determinou como causa da morte o rompimento no baço e no fígado.
Para Rosimeri, as lesões nos órgãos foram causadas pelo impacto violento com a água.
– Acredito que a lancha estava rápida demais. Mas não tenho como provar que estava acima da velocidade permitida.
 
Justiça teria arquivado o caso
O dono da empresa, Vilmar Schackow, disse que tentou conversar com as pessoas da família de Sandro Bilha, mas não conseguiu, pois eles falariam somente na companhia de um advogado.
– Pedimos os documentos para acionar o seguro da lancha, mas não nos enviaram nada – conta.
Sobre o inquérito, Vilmar disse que a Justiça arquivou o inquérito criminal por entender que o caso foi uma fatalidade.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Avenida Paulo Fontes, em Florianópolis
 
Aos sábados, Avenida Paulo Fontes, no Centro de Florianópolis, será liberada para tráfego de carros
Quer ir do antigo terminal Cidade de Florianópolis até o Camelódromo Municipal, de carro, pela Avenida Paulo Fontes? A partir das 8h deste sábado, pode. A prefeitura decidiu pela reabertura da via para dar fluidez ao trânsito na área, em função das obras do Elevado Rita Maria, a poucos metros dali.
Nesta quinta e sexta-feira, técnicos da Secretaria de Obras, de Transportes e do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (Ipuf) trabalharão no local para reinstalar a sinalização vertical e horizontal da avenida.
Os semáforos também serão reativados, e os blocos de concreto que bloqueiam a via, retirados. A liberação da Avenida será nos dois sentidos, porém parcial. No sentido em direção à Avenida Beira-Mar Norte será aberta apenas uma faixa, junto ao canteiro central. No sentido oposto, no entanto, as três faixas estarão aptas ao trânsito. Uma delas será corredor para ônibus, em direção à entrada do Ticen. Para demarcar a faixa liberada, no sentido Norte, serão usados blocos de concreto.
 
Fechamento
Segundo o presidente do Ipuf, Átila Rocha dos Santos, a avenida pode ser novamente fechada, para permitir as obras do bulevard, o projeto de revitalização da área, que prevê um shopping popular e até um estacionamento subterrâneo. O projeto está em fase de elaboração e o estudo de viabilidade técnico-econômica deve ser concluído no final de abril. Não há prazo para tirar a obra do papel. Segundo ele, para evitar um novo fechamento da avenida, a parte do projeto que compreende em uma passagem subterrânea, com dois sentidos, no mesmo traçado da via, pode ser construída primeiro no projeto. Mas tudo depende da estratégia que será traçada com a empresa contratada por licitação para as obras.
Haverá mudanças também na Rua Hoepcke, que liga a Avenida Rio Branco à Beira-Mar Norte. No final da rua, próximo às obras do novo prédio da Receita Federal, não será permitido dobrar à esquerda, no sentido ao Sul da Ilha, apenas à direita, para a Beira-Mar Norte.
____________________________________________________________________________
Veículo: Portal A Notícia
Editoria: Geral
Assunto: Operação Alegria
 
Operação Alegria termina com o registro de 3,5 mil ocorrências durante o Carnaval em Santa Catarina
Aumentou em 13% o número de acidentes de trânsito em rodovias estaduais
Terminou nesta quarta-feira, às 8h, a Operação Alegria 2011, feita durante o feriadão de Carnaval em Santa Catarina pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão, por meio da Polícia Militar do Estado.
Cerca de 12.550 policiais civis e militares participaram do esquema especial para garantir a seguraça dos foliões, que começou às 18h de sexta-feira. Nos seis dias de operação, 3.562 ocorrências foram registradas, sendo 292 ligadas diretamente ao Carnaval. Quase metade dos atendimentos, 119, foram de perturbação do sossego alheio.
Das 1.154 pessoas detidas, 939 foram liberadas no local e 71 foram presas em flagrante. Nos outros casos, os autores terão que comparecer em juízo através de termo circunstanciado.
Durante a operação, a polícia apreendeu cinco armas de fogo. Além disso, três tentativas de homicídio foram registradas. No único homicídio — que ocorreu em um baile público em Sambaqui, na Capital — o autor do crime, menor de idade, foi apreendido pela Polícia Militar.
Ainda no feriadão, a Polícia Civil registrou 240 autos de prisão em flagrante e cumpriu 36 mandados de prisão. Foram registrados 10 homicídios e 34 tentativas.
De acordo com informações da Polícia Militar, no Carnaval deste ano o número de acidentes de trânsito em rodovias estaduais aumentou em 13%.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Abertura do presídio de Itajaí é adiada
 
Abertura é adiada mais uma vez
A chegada de detentos ao novo presídio de Itajaí, prometida pelo governador Raimundo Colombo para ocorrer hoje, atrasará mais uma vez. A ativação da unidade foi prorrogada para segunda-feira de manhã.
À tarde, o governador, o secretário de Segurança Pública, César Grubba, e o secretário-executivo da Justiça e Cidadania, João Botelho, acompanharão a ocupação das celas. O atraso da promessa, feita há um mês, teria ocorrido devido ao feriado de Carnaval. Ontem, agentes do Departamento de Administração Prisional (Deap) estiveram na unidade para resolver questões burocráticas como o cadastramento dos detentos que serão transferidos, instalação da rede de informática e questões administrativas. A transferência dos detentos será feita gradualmente.
Nesta primeira etapa entram em funcionamento o presídio e o regime semiaberto. Juntos, os dois espaços têm 496 vagas. Detentos que estão em delegacias e unidades da região que estejam superlotadas devem ser os primeiros a entrar no local.
O novo presídio já havia sido inaugurado em dezembro do ano passado, mas, por causa de problemas de esgoto e falta de agentes prisionais, não foi ativado. A estrutura faz parte do Complexo Penitenciário de Itajaí, no Bairro Canhanduba. Além da parte já concluída, a penitenciária com capacidade para 366 pessoas está em construção. A previsão é terminar as obras de todo o complexo em dois meses.
A ativação da estrutura é bem-vinda à região. Somente em Itajaí, o presídio, que tem capacidade para 198 detentos, estava ontem com 507 presos. Blumenau, Itapema e Balneário Camboriú também serão beneficiadas com vagas.
A segurança da unidade prisional será feita pela Montesinos Sistemas de Administração Prisional, empresa do grupo Ondrepsb. A mesma empresa já atua na Penitenciária de Joinville. Ela é que irá administrar a alimentação, vestuário e colchões para os detentos. A segurança externa será feita pelo Estado.
O diretor-geral do Deap, Adércio José Velter, foi procurado durante toda a tarde de ontem para falar da contratação da empresa e detalhar melhor o funcionamento da nova estrutura. A assessoria dele se comprometeu a fazer o contato, mas até o fechamento desta edição não houve retorno.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Fugitivo fez família refém há 2 meses
 
Fugitivo fez família refém há 2 meses
Menos de dois meses internado. Da última vez que fora apreendido, em janeiro, ordenou que as suas próprias vítimas o fotografassem com armas em punho, em São José, na Grande Florianópolis.
Agora, o mesmo adolescente de 17 anos está novamente em liberdade. Ele é um dos dois garotos resgatados do Centro de Internação Provisória (CIP) de Joaçaba, no Meio-Oeste do Estado, há três dias.
Os três homens que invadiram o CIP na tarde de segunda-feira portando armas pesadas são seus comparsas. O garoto é do Bairro Chico Mendes, parte continental da Capital, e tem 17 antecedentes criminais, entre roubos de veículos e tráfico.
Em 19 de janeiro deste ano, mobilizou mais de 40 policiais ao fazer uma família refém com mais dois parceiros, em São José. Enquanto as vítimas estavam rendidas, na casa, o grupo fumou maconha, cheirou cocaína e bebeu uísque.
Depois, pediu para ser fotografado com as armas. A foto acabou sendo divulgada pela polícia mais tarde, quando os adolescentes se entregaram. O segundo adolescente resgatado foi recapturado na terça-feira pela Polícia Militar após troca de tiros em Blumenau.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Morte de argentino
 
Prisão preventiva decretada
Suspeitos de envolvimento no assassinato estavam detidos há um mês. Caso segue em investigação
Os dois homens que estavam presos temporariamente pela morte do turista argentino Raúl Baldo, 48 anos, em Florianópolis, tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça. Isso significa que há fortes indícios da participação deles no assassinato. mas ainda não há denúncia do Ministério Público (MPSC) contra eles.
A polícia ainda não apontou quem atirou no estrangeiro. Os presos são Gabriel Lins de Souza Neto, 26 anos, e Rodrigo de Andrade Genuíno, 19. A dupla foi apontada por policiais da Delegacia de Homicídios como responsável pelo latrocínio (roubo seguido de morte) do turista. A morte ocorreu na Praia de Canasvieiras, na noite de 4 de janeiro.
Os investigadores afirmam que Gabriel é o líder da gangue da moto. Ele estava preso desde 8 de fevereiro. A polícia afirma que Rodrigo também foi reconhecido pelo assalto a uma casa de uma perita do Instituto Geral de Perícias (IGP), também em Canasvieiras.
A polícia continua investigando a participação de um adolescente de 17 anos no crime. O garoto faz parte da mesma gangue, tem antecedentes criminais por latrocínio e está sumido. A mãe conversou com o DC e disse que o filho é inocente.
 
 
 
“Meu filho não é matador”
Mãe do adolescente de 17 anos
A mãe do adolescente de 17 anos suspeito de participar do crime disse, por telefone, que o filho é inocente deste e de outros delitos apontados pela polícia, como revelou o DC na edição do último domingo.
 
Diário Catarinense – A polícia diz que o seu filho está envolvido em mortes.
Mãe – Ele não é matador. Sou evangélica. Acompanho todos os processos de assaltos em que se envolveu. É mentira que ele ficou pouco tempo no São Lucas. Ficou oito meses e outra vez por seis meses.
 
DC – Ele está envolvido na morte do turista argentino?
Mãe – Não. Recém tinha chegado de Brasília. Tinha ido visitar minha família lá. Essa do argentino é alguém que quer complicar ele porque sabe que está na rua.
 
DC – E a morte do policial civil Eliseu de Souza, em 2010 ?
Mãe – Ele tava junto, mas não foi quem atirou. No depoimento, disse que na hora do tiroteio ele tinha ido para o volante (o policial foi baleado no banco traseiro).
 
DC – E o assalto ao supermercado e à família do Itacorubi?
Mãe – O do supermercado, sim. O do Itacorubi sei que não foi ele. Ele é azarado com esse tipo de coisa. Porque todo assalto que faz é pego.
 
DC – Por que a polícia o apontaria em todos esses crimes?
Mãe – Muita gente estaria aborrecida porque ele foi solto. Se tivesse matado o policial concordaria e teria que pagar pelo que fez. Só não vou aceitar se não foi ele. A polícia chega aqui apontando arma. Não é dessa forma que eles devem fazer.
 
DC – Tentou interná-lo?
Mãe – Tô tentando interná-lo numa clínica da Assembleia de Deus, mas não foi possível por causa dos processos. Para interná-lo lá ele tem que estar livre de tudo.
 
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Caso Andiara
 
MP pede mais investigação
Inquérito da polícia concluiu que houve acidente, mas promotora pediu que fosse feita nova perícia
O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) devolveu o inquérito sobre a morte da naturóloga Andiara Muniz para a 10ª Delegacia de Polícia da Capital para mais diligências. Entre os pedidos estão solicitar que um perito do Instituto Geral de Perícias (IGP) façanova avaliação no veículo onde estava o corpo da jovem.
Andiara Muniz, 27 anos, foi encontrada morta no dia 8 de outubro em seu Citroën C3, que estava capotado dentro de uma vala na Barra da Lagoa. A Polícia Civil cogitou suicídio, acidente de trânsito comum e acidente de trânsito ocasionado por alguém que estaria perseguindo a motorista em um outro carro.
Após as investigações, o delegado responsável pelo caso, Cleber Tappi Serrano, concluiu que a morte foi provocada por um acidente de trânsito.
– O inquérito policial mostrou que Andiara ingeriu muita bebida alcoólica antes do acidente. Além disso, os hematomas que ela apresentava no corpo foram ocasionados pela batida do carro e não por agressões – disse.
A família da vítima não concorda com o resultado do inquérito e acredita que Andiara pode ter sido assassinada. Na noite da ocorrência, a jovem se encontrou com um rapaz e ele a seguiu de carro até determinada altura, segundo o delegado.
Segundo a mãe de Andiara, a oficial de Justiça aposentada Bernadete Ciriaca Muniz, 57 anos, a filha teria discutido com o rapaz com quem se encontrou em um posto de gasolina, na Lagoa da Conceição, por volta das 4h, momentos antes de sua morte.
– Há envolvimento de outras pessoas na morte dela. Nós não vamos desistir do caso. Vamos tentar uma audiência com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, queremos que o caso seja transferido para a Delegacia de Homicídios – afirmou.
 
Agressão registrada em BO não foi contra Andiara
Na noite em que Andiara morreu, foi registrada a ocorrência de uma mulher agredida em um posto de gasolina na região. Entretanto, segundo o delegado Serrano, o corpo foi indentificado e constatou-se que não se tratava da naturóloga.
A promotora responsável, Kátia Helena Scheidt Dal Pizzol, não quis dar informações sobre os motivos que a levaram a devolver o inquérito à delegacia de polícia para não atrapalhar o andamento do caso.
A devolução foi feita no dia 22 de fevereiro e a Polícia Civil tem até o dia 24 de março para apresentar a nova conclusão.
____________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes e ocorrências
 
Assalto a empresa de ônibus
Quatro homens armados invadiram a garagem da empresa de ônibus Transol, na SC-401, ontem, à 1h20min.
Enquanto um bandido aguardava no carro, os outros três criminosos renderam o porteiro e o funcionário que fechava o caixa. Os bandidos fugiram levando R$ 5 mil em dinheiro. O funcionário, que não quis se identificar, disse que os bandidos estavam nervosos e que um deles estaria tremendo.
– Eram dois encapuzados e o outro estava com o uniforme da empresa. Dava para ver que eles estavam nervosos, a mão de um deles tremia. Nossa sorte era que o cofre ainda estava aberto, porque, quando ele fecha, não é possível abrir mais. Se não fosse isso, eu não sei o que podia acontecer – contou.
Esse foi o primeiro assalto na empresa. Os criminosos fugiram em um Fiat Palio branco em direção ao Norte da Ilha. Imagens do circuito interno da empresa registraram o momento do crime. As imagens foram encaminhadas à polícia.
 
 
59o foragido é preso arrombando casa
Mais um dos 78 detentos que fugiram da central de triagem do complexo prisional de Florianópolis, em fevereiro, foi recapturado quando tentava arrombar uma casa no Bairro Cachoeira do Bom Jesus. Agora, são 59 recapturados. Ainda há 19 foragidos. Nei Gabriel Ferreira Herter, de 23 anos, estava com um pistola 380 quando foi preso pela Polícia Militar. Os policiais também prenderam um comparsa do arrombador. No momento em que a guarnição chegou ao local, Nei estava dentro do imóvel e o companheiro dava cobertura na frente. Ao perceber a aproximação dos policiais, o foragido tentou sair pelos fundos, mas foi detido.
 
 
Agricultor amarrado e ferido
As mãos estão ainda inchadas. Nos pulsos, as marcas na pele revelam a força com que as cordas foram amarradas para evitar fuga. No olho esquerdo, a cor roxa mostra o sinal de agressão. Outros ferimentos estão na cabeça e nas costas.
O agricultor de 54 anos do Rio da Luz, interior de Jaraguá do Sul, que foi assaltado no fim da tarde de terça-feira, não esconde o trauma deixado por um trio de ladrões. Ele foi encontrado ontem de manhã por policiais militares.
O produtor e a mãe, uma senhora de 86 anos, que sofre do mal de Alzheimer e é cadeirante, foram ameaçados por três homens encapuzados e armados com espingardas e escopetas. A ação aconteceu por volta das 17h30min. O agricultor estava colhendo milho, e a mãe, em casa. Os dois moram sozinhos numa antiga residência. Ao ver uma movimentação estranha na moradia, ele foi ver o que estava acontecendo e foi rendido pelos assaltantes.
– Eles pediam dinheiro. Eu disse que não tinha. Depois ameaçaram queimar a minha mãe com um maçarico. Chegaram a riscar o isqueiro perto dela para que eu desse dinheiro.
Ao dizer que só tinha o dinheiro que estava na carteira, os assaltantes começaram a agredi-lo. Chegaram a dar um tiro no chão. A marca deixada pela bala ainda está no assoalho.
– Disseram que iriam me estourar a cabeça – contou.
O agricultor foi amordaçado, teve os pés, joelhos e pulsos amarrados por corda e pedaços de borracha. A idosa não foi amarrada. Ela ficou o tempo todo sozinha na cozinha.
– A minha mãe só fala alemão. Ela nem sabe o que aconteceu porque tem dificuldades de memória – explicou o agricultou.
 
Preso no banheiro até a PM chegar
O morador foi preso no banheiro. A porta foi trancada e os bandidos fugiram levando o Gol da família, um relógio de parede, uma televisão 20 polegadas, uma Honda Biz, R$ 300 em dinheiro e uma espingarda calibre 36.
O agricultor passou a noite trancado no banheiro e com as mãos e pés amarrados. Ele só foi liberado por volta das 10h de ontem por policiais militares. Eles foram informados por colegas de Joinville que um Gol com placas de Jaraguá do Sul havia sido encontrado. Ao conseguirem o nome e endereço do agricultor, foram até a comunidade. Ao chegarem ao local, eles ouviram os pedidos de ajuda que vinham do banheiro.
 
Aconteceu na ALESC
 
Moacir Sopelsa assume presidência da Assembleia Legislativa      
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gelson Merisio (DEM), partiu hoje (09) para cumprir roteiro internacional – China e Japão – ao lado dos deputados Kennedy Nunes (PP) e Jailson Lima (PT), que deverão estender a viagem também para a Coreia. Além de visitar representantes dos governos orientais, os parlamentares pretendem visitar empresas importadoras para incentivar a ampliação dos negócios do Estado, principalmente a comercialização de soja.
Uma das empresas visitadas na China já mantém importação de soja de Santa Catarina e tem intenção de ampliar o negócio por intermédio do porto de São Francisco do Sul. Também deverão ser travadas conversas com empresas do setores energético e automobilístico dispostas a investir no Estado.
O deputado Moacir Sopelsa (PMDB) assumiu interinamente a presidência do Legislativo até o retorno de Merisio, previsto para o dia 20 de março, com a missão de imprimir celeridade à análise e à tramitação do Projeto de Lei Complementar que deu entrada na Casa dia 1º de fevereiro, em regime de urgência. O PLC tem 70 artigos que adaptam a estrutura administrativa do Executivo ao Plano de Governo de Raimundo Colombo (DEM).