Área do associado

Área do associado

Clipping dia 16 de maio

16.5.2011
Clipping 16 de maio
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Greve de ônibus em Fpolis
 
ÔNIBUS NA CAPITAL
Possibilidade de greve é mantida
Enquanto o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Urbano da Região Metropolitana de Florianópolis (Sintraturb) diz que a qualquer momento pode haver uma greve no transporte coletivo, o vice-prefeito e secretário de transportes da Capital, João Batista Nunes, afirma que as negociações avançaram no fim de semana. E a população fica na expectativa de ficar sem os ônibus a partir de hoje.
As discussões entre trabalhadores e patrões envolvem 74 pontos. Uma das divergências é quanto ao aumento salarial. O Sintraturb queria 5%, mais a inflação. Já o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (Setuf) ofereceu 8%, sem contar a inflação de 6,36% (INPC dos últimos 12 meses). No início de abril, a Justiça do Trabalho chegou a mandar que, caso aconteça uma paralisação, empregadores e população devem ser comunicados com antecedência mínima de 72 horas. Para o sindicato, o aviso foi dado na terça-feira, quando três assembleias confirmaram um indicativo de greve. Mais otimista, João Batista Nunes disse que as negociações entre os dois sindicatos evoluíram.
– Das cláusulas discutidas, só falta acordo em uma: como vai funcionar a jornada de trabalho de três horas. Visto os avanços nas negociações, não vejo consistência em ter uma greve – afirmou.
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Terremoto registrado na Costa do Brasil
 
Terremoto registrado na costa do Brasil
Um terremoto de magnitude 6 na Escala Richers foi registrado ontem na costa do Brasil, no Oceano Atlântico, informou o Centro de Pesquisa geológica dos Estados Unidos. O tremor aconteceu às 10h08min (horário de Brasília), a uma profundidade de nove quilômetros. Foi localizado a 1.277 quilômetros a leste e nordeste de Natal. Mas o Centro de Gerenciamento de Emergência e Defesa Civil do Rio Grande do Norte (Ceged) informou que não tinha informações sobre o terremoto.
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Moacir Pereira
Assunto: Professores e Polícia Militar
 
JUSTIÇA
 
O atual governo já havia progredido na greve dos professores em relação a outras diretrizes políticas. Primeiro: a Polícia Militar virou parceira dos professores no controle do trânsito e na segurança dos professores durante a manifestação, como revelou a presidente do Sinte, Alvete Bedin, ao agradecer o respaldo da PM. Segundo: o governador Raimundo Colombo recebeu pessoalmente os dirigentes do Sinte antes de embarcar para a Europa. Ali, algumas premissas básicas foram definidas. Colombo e Moreira sabem exatamente quais as pretensões mínimas do magistério. E terceiro: não se viu uma única nota na imprensa de reparos à atuação do Sinte, o que também é fato novo. Ao contrário, leitores de jornais, comentários na internet e e-mails são unânimes em dar integral apoio ao movimento pelo pagamento do piso.
Eduardo Moreira tem consciência desta posição. E já foi testado. Governador titular em 2006, teve que enfrentar uma greve de 45 dias. O clima, hoje, oferece muito mais espaço para tentar um acordo. O governador viaja esta manhã para São Paulo. Vai com o secretário do Desenvolvimento Econômico, deputado Paulo Bornhausen, para se reunir com o presidente mundial da BMW, Norbert Reifhofer, e o presidente no Brasil, Jörg Henning Dornbusch. A famosa indústria alemã cogita instalar uma fábrica ou uma montadora no Brasil. Seis estados já se habilitaram para sede da unidade fabril. A disputa de Santa Catarina e dos estados do Sul para conquistar novos investimentos na área industrial ficou desigual, segundo avalia o secretário. Os nordestinos oferecem zero de impostos federais. Se depender do secretário do Desenvolvimento, a região de Imbituba será a defendida junto aos diretores da BMW. O Norte já está congestionado, embora tenha o moderno Porto de Itapoá. Mas o Sul tem índice de desenvolvimento humano mais baixo do que a média do Estado. Além disso, o porto está sendo revitalizado e a BR-101 duplicada.
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Tornozeleira eletrônica não deve sair do papel em 2011
 
Tornozeleira eletrônica para monitorar detentos não deve sair do papel em 2011
Projeto Vigilância Indireta queria fazer teste em 200 presos de sete municípios de SC em 2010
No ano passado, as tornozeleiras eletrônicas para monitorar presos foram testadas em 60 detentos em Santa Catarina e passaram por três meses de análise, mas caíram no tradicional esquecimento de fim de governo. Quando a implantação do projeto Vigilância Indireta começou, em outubro, a promessa era de que 200 presos passariam pelo teste em sete municípios.
Com o início dos novos mandatos, o projeto ficou congelado e não há previsão para ser adotado efetivamente. Questões orçamentárias e técnicas são as justificativas para a morosidade.
 
Saiba como funciona o monitoramento
Em 2010, os aparelhos foram cedidos pelas empresas 4A Telecom e Secure Alert. Segundo a secretária de Justiça e Cidadania, Ada Faraco de Luca, o processo de estudo de viabilidade da vigilância precisa reiniciar.
— Vamos recomeçar tudo. A avaliação anterior teve muito pouco tempo de experiência. Seria necessário entre oito e 10 meses para um resultado satisfatório – argumentou.
Ainda de acordo com a secretária, antes do fim do ano o projeto não deve sair do papel porque há outras prioridades. Para manter esse tipo de vigilância, o Estado gastaria cerca de R$ 600 mensais por preso. Se houver um novo teste, a secretaria pretende estender para 300 detentos.
A lei do monitoramento eletrônico foi sancionada em junho de 2010. Porém, o texto contemplava apenas saída temporária (semiaberto) e prisão domiciliar. Ou seja, não contribuiria para diminuir o déficit no sistema carcerário. Em SC, são cerca de 15 mil detentos, mas só há capacidade para 9 mil. Para João Luiz Botelho, diretor de Inteligência da Secretaria de Justiça e Cidadania, as determinações não atendiam às expectativas.
— Entretanto, na semana passada, a presidente Dilma sancionou a lei que também atinge o preso provisório. Com isso, podemos usar as tornozeleiras para contribuir — explica.
João garante que a ideia de implantar a vigilância indireta em SC continua na pauta do governo:
— Exemplo disso foi a 7ª Conferência Europeia de Monitoramento Eletrônico, neste mês, em Portugal. Lá, procuramos soluções para os problemas detectados aqui, como softwares em inglês, que dificultavam a compreensão dos operadores.
No RS, a Superintendência dos Serviços Penitenciários lançou edital para a contratação do serviço de monitoramento eletrônico por quatro anos, com a locação de mil tornozeleiras nos primeiros 12 meses, 2 mil no segundo ano, 3 mil no seguinte e 4 mil no último ano.
 
Juiz lamenta recomeço das avaliações no Estado
Alexandre Takashima, juiz coordenador de Execuções Penais do Tribunal de Justiça de SC, acompanhou os testes e lamentou a intenção de um possível recomeço nos estudos para a implantação das tornozeleiras:
— Foi excelente (o teste). Todos os juízes envolvidos aprovaram a iniciativa e estavam dispostos a contribuir.
O juiz ainda destacou que há 3 mil detentos em condições de receber a tornozeleiras e aponta os equipamentos como uma forma de manter o controle de detentos que receberam a liberdade por algum benefício
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Assassinato em Tijucas
 
A carona que matou Renata
Menina de 11 anos foi estuprada, morta e atirada no mato por homem que disse ter bebido e confessou o crime
– Eu procurava o cachorro que tinha fugido e encontrei a menina. No começo achei que era o sangue do meu cusco, só quando cheguei perto é que vi a criança morta, e nua, no meio dos capins.
Assustado, foi assim que um morador de Tijucas, na Grande Florianópolis, ajudou a polícia a localizar Renata de Souza Geremias, 11 anos, em um mato na periferia da cidade. O corpo foi enterrado na manhã de domingo, em Tijucas, a cerca de 50 quilômetros da Capital. O homem que confessou o crime foi preso.
Renata era uma menina de corpo mirrado e aparentava ter em torno de oito, nove anos. Policiais que a conheciam, inclusive pelos seus hábitos de andar na rua, desconfiam que, pela forma como falava, ela pudesse ter algum tipo de retardo. Da descoberta do corpo da menina, na manhã de sábado, à confissão do homicida, no mesmo dia, passaram-se poucas horas.
A equipe de investigação chegou ao assassino com a informação de uma testemunha, que viu a criança entrando em um Siena vermelho. No começo o autor Maicon dos Santos, 23 anos, negou.
– A confissão só veio quando mostramos a fotografia do corpo com o rosto desfigurado pelos socos – contou um dos policiais responsáveis por esclarecer o crime.
Para isso, os policiais tiveram o trabalho de investigar todos os Siena de cor vermelha da cidade: 23.
Contaram com um detalhe importante: a testemunha lembrou que o carro estava sem uma calota traseira.
– Quando chegamos na casa, vimos o carro com as mesmas características – disse o policial.
O corpo de Renata passou por exames no Instituto Médico Legal de Florianópolis. A suspeita de que ela tinha sido morta com um tiro no olho e outro na virilha não se confirmou. Os ferimentos na face foram a socos. O réu confesso negou ter usado arma de fogo ou faca.
O mesmo com o olho esquerdo. Havia aves no local quando o morador encontrou a menina.
Maicon contou que deu carona para a menina, que estava caminhando perto de uma rótula. Antes, ele havia bebido em um bar próximo do lugar onde avistou a criança. Disse que a garota aceitou manter relações sexuais com ele. Isso teria ocorrido dentro do carro, no terreno onde o corpo mais tarde seria desovado. Mas que ela ‘reagiu’ quando soube que ele só tinha R$ 10. Teria partido para cima dele, pois queria R$ 30. Foi quando, ele revidou para tentar contê-la.
Sobre o fato das roupas não terem sido encontradas, Maicon dos Santos disse que “foram sendo jogadas pela janela do carro, a caminho do mato”.
Santos que não tem passagens pela polícia e trabalha em uma empresa de confecção. É casado e a mulher está grávida de sete meses.
Apesar da confissão, a polícia desconfia de algumas coisas ditas pelo autor. As roupas da menina podem ter sido queimadas ou escondidas para eliminar provas.
 
Era difícil mantê-la em casa
Ontem à tarde, o vento entreabriu a porta da casa de Renata Geremias da Silva. No alto dos armários, bonecas e outros brinquedos. Encostada na cama, uma bicicleta. Embaixo, um gato branco.
– Era difícil segurar nossa filha, pois ela abria esta porta e se mandava para a rua. À noite, então, era como um bicho – contou o pai, o pedreiro Renato Cândido da Silva.
Ao lado do beliche onde a menina dormia, Renato e mãe, a dona de casa Patrícia de Souza Geremias, narravam as dificuldades para conter Renata.
A situação dos outros filhos – uma de 14 anos é amasiada e duas estão em um abrigo – mostram a vulnerabilidade social da família. A decisão da justiça em encaminhar as meninas para uma casa-lar é no sentido de preservá-las e mantê-las na escola.
No conselho tutelar, várias passagens, inclusive por cidades próximas. Renata também esteve em um abrigo, mas fugiu. Os pais negam que ela trouxesse dinheiro por ser explorada sexualmente, mas seguidamente a menina era vista nas margens da BR-101 junto a caminhoneiros. Intervenção do conselho tutelar e carros da polícia para trazê-la de volta faziam parte da vida da família.
– A gente recebia denúncias e entrava em ação, mas a família não fazia sua parte. Imaginamos que por ordem seria uma gravidez, uma doença, por fim uma morte trágica – contou uma conselheira tutelar.
_____________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes e ocorrências
 
Cinco fogem para o mato
As polícias Militar e Civil seguem as buscas a cinco homens que tentaram assaltar um caixa eletrônico do Banco do Brasil na Vila Itoupava, em Blumenau. Os policiais acreditam que os ladrões estejam escondidos no matagal de um morro próximo ao trevo de aceso ao bairro.
Durante a noite de ontem, houve troca de tiros, mas ninguém ficou ferido. Um helicóptero também auxiliou nas buscas. Na ação, os bandidos amarraram cabos de aço num dos caixas eletrônicos e numa caminhonete Hilux, para arrastar o caixa para fora da agência. O caixa eletrônico ainda chegou a ser colocado na carroceria de uma Fiorino. Na fuga, os assaltantes bateram os dois veículos e decidiram fugir a pé.
 
 
Sistema de alarme burlado por ladrões
Assaltantes arrombaram um caixa eletrônico em Pomerode, no Vale do Itajaí, na madrugada de domingo. Segundo a Polícia Militar, os ladrões isolaram o sistema de alarme do estabelecimento, que fica na Rua XV de Novembro, e levaram uma quantia em dinheiro ainda não divulgada pelo banco. A PM informou que o furto foi percebido apenas por volta das 6h40min, quando um cliente foi até a agência. Por conta disso, ainda não há informação de quantos eram os assaltantes e nem qual veículo usaram para a ação.
 
Quadrilha tenta pôr R$ 30 mil em conta
Quatro homens suspeitos de assaltar uma agência bancária em Água Doce, no Meio-Oeste, foram presos em flagrante na manhã de sábado. Eles tentavam depositar R$ 30 mil em uma casa lotérica na cidade de Peritiba, no Oeste. Segundo a Polícia Civil, a atendente da lotérica estranhou o grande valor e notou que as notas estavam queimadas. No assalto ao banco de Água Doce, a quadrilha teria usado um maçarico. Os suspeitos foram detidos em uma barreira montada pela polícia na entrada da cidade. O dinheiro estava escondido em cuecas, meias e no fundo falso de uma mala. Câmeras de segurança flaglaram a ação.
 
Bandidos fogem sem conseguir levar nada
Um caixa eletrônico do banco Sicredi, no Bairro Boa Vista, em Joinville, foi arrombado por volta do meio-dia, em Joinville. Os suspeitos fugiram do local sem levar nada porque soou o alarme da agência. A Polícia Militar fez rondas pelo local e não encontrou os suspeitos. Hoje a polícia irá averiguar as imagens gravadas pelo circuito interno de câmeras para tentar identificar os arrombadores. A área de caixas eletrônicos ficou fechada durante o resto do dia.
 
 
Um dos agressores está no CIP Joinville
O adolescente de 17 anos envolvido no espancamento e na morte do jovem Rafael Sant’Ana, 18 anos, no dia 7 de maio, em Jaraguá do Sul, já está detido no Centro de Internação Provisória (CIP) de Joinville. Ele estava apreendido na delegacia de Polícia Civil de Jaraguá do Sul desde terça-feira, enquanto não abriam vagas nos CIPs da região. Ele foi transferido no sábado, de acordo com o delegado David Queiroz de Souza.
 
Corpo pode ser de rapaz desaparecido
Uma quadrilha especializada em furtos a veículos foi desarticulada na manhã de ontem na Grande Florianópolis. Os suspeitos agiam em Palhoça, São José e Florianópolis. A polícia prendeu um homem e apreendeu um adolescente. Na casa havia centenas de produtos roubados.
Um corpo foi encontrado envolto em um saco plástico e enterrado no meio de um matagal no Bairro Morro do Meio, na tarde de sábado, em Joinville. O cadáver estava em avançado estado de decomposição e serão precisos exames para saber sua identidade. Durante a ocorrência, moradores da região e familiares de Anderson Ochner, de 25 anos – desaparecido desde segunda-feira passada – chegaram a cogitar que o corpo pudesse ser do rapaz. O delegado Adriano Bini confirma a suspeita.
_____________________________________________________________________
Veículo: Notícias do Dia
Editoria: Hélio Costa
Assuntos: Assembleia extraordinária dos praças
                   Reunião de Colomco com a cúpula da Segurança Pública
 
Assembleias
Injusta a exclusão de 15 PMs, pais de família, que reivindicavam melhores salários em 2008. A anistia, garantida por lei federal, mas que ainda não está sendo cumprida em Santa Catarina, foi um dos assuntos discutidos na assembleia extraordinária dos praças (bombeiros e PMs) nessa sexta-feira, em Florianópolis. A categoria também está mobilizada por melhores salários e, sobretudo pela segurança no local de trabalho. Os praças, os executores das ordens dos oficiais, querem que as bases operacionais sejam blindadas como ocorre em outros estados. No último mês, oito unidades – seis bases militares e duas delegacias – foram alvo de atendados. O descontentamento salarial também está mexendo com os policiais civis. Pelos corredores, percebe-se o descontentamento dos delegados. A Associação dos Delegados de Santa Catarina já convocou a categoria para uma assembleia extraordinária, no próximo dia 28. Vem chumbo grosso por aí.
 
 
Portas fechadas
 O que será que o governador Raimundo Colombo falou na reunião a portas fechadas à cúpula da Segurança Pública, onde estava reunido o Conselho Gestor. O foco do encontro era a aquisão de viaturas e equipamentos à policia. Mas, certamente, Colombo dever ter cobrado informações sobre o intercâmbio entre a facção criminosa paulista PCC com criminosos catarinenses do PGC, dos 12 assassinatos na Penitenciária de São Pedro de Alcântara, dos oito atentados às bases militares e às DPs, das ordens vindas de presídios para serem executadas fora das grades, em fim, do recrudescimento da violência na região Metropolitana da Grande Florianópolis. A sensação que se tem, é que nada está sendo feito porque ainda nenhum suspeito dos atentados foi preso. Acredito que o governador tem conhecimento da situação e convocou a reunião porque quer agilidade nas ações policiais. 
 
BLOGS
 
Paulo Alceu
 
Criminalidade
Não bastasse a onda de crimes, que lamentavelmente alimenta a insegurança no Estado, passamos também a exportar marginais com mão de obra especializada. Foi localizada uma quadrilha em São Paulo de assaltantes a caixas eletrônicos. Dos sete presos, cinco eram de Santa Catarina, que de repente ganha espaço também em divulgações nada invejadas.
 
Aconteceu na ALESC
 
Delegado Renato Hendges visita deputado Renoem busca de apoio por Emenda à Constituição         
O delegado Renato Hendges (D), um dos mais competentes policiais civis catarinenses, em visita ao amigo, deputado Reno Caramori (PT), segundo secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, solicitou o apoio do parlamentar à Proposta de Emenda a artigo da Constituição que rege a atividade de delegado de polícia.
 
 
MÍDIAS DO BRASIL
 
 
Veículo: Último Segudo
Editoria: Brasil
Assuntos: Greve dos guarda-vidas no Rio
 
 
Greve dos guarda-vidas no Rio tem 70% de adesão, admite governo
Secretaria de Saúde instalou hospitais de campanha nas praias de Ipanema e de São Conrado
Com mau tempo, surfistas trocas ondas por capoeira em praia do rio
O secretário estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, admitiu neste sábado (14) a contratação, em caráter temporário, de guarda-vidas civis para os postos de salvamento da orla marítima do Rio de Janeiro, caso os guarda-vidas do Corpo de Bombeiros, que estão em greve, não retornem ao trabalho até terça-feira (17). Côrtes percorreu neste sábado a orla carioca e constatou a ausência de 70% dos guarda-vidas nos postos de salvamento, que estão funcionando apenas com oficiais e bombeiros combatentes.
Em um fim de semana de tempo encoberto e chuva em vários pontos da cidade, é pequena a frequência de banhistas nas praias do Rio. Apesar disto, a Secretaria de Saúde instalou hospitais de campanha nas praias de Ipanema e de São Conrado, que vão funcionar aos sábados e domingos, cada um com dois leitos para recuperação de afogados, enquanto durar a greve. Nas praias de Copacabana e da Barra, o Centro de Recuperação de Afogados da Secretaria já mantém duas unidades fixas.
O comandante-geral dos Bombeiros, coronel Pedro Machado, fará segunda-feira (16) uma convocação para que todos os guarda-vidas retornem ao trabalho no dia seguinte. O secretário Côrtes acredita no esvaziamento da greve após a decretação da prisão preventiva dos líderes do movimento, decidida ontem (13) pela juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar do Rio.
“É um movimento puramente político, que perdeu totalmente sua legitimidade a partir do momento em que eles começaram a fechar ruas, quebrar ônibus, e principalmente faltar aos plantões, colocando deliberadamente em risco os banhistas , não só cariocas, mas também turistas nacionais e estrangeiros. Isso configura obviamente um crime”, disse.
Os guarda-vidas querem aumento do piso salarial de R$ 950 para R$ 2 mil.
 
_____________________________________________________________________
Veículo: Agência Estado
Editoria: Brasil
Assunto: SP tem 522 mil pessoas em área de risco
 
SP tem 522 mil pessoas em área de risco
Pesquisa da Fundação Seade indica que 92% das cidades da região metropolitana da capital têm famílias em locais inadequados
Pesquisa da Fundação Seade encomendada pela Secretaria da Habitação traçou o mais completo mapa de áreas de risco de São Paulo. Segundo o levantamento, obtido com exclusividade pelo jornal o Estado de S. Paulo, pelo menos 522 mil vivem em locais impróprios para o assentamento humano no mais rico Estado da federação. Se fossem aglomerados no mesmo espaço urbano, esses habitantes formariam uma cidade quase do tamanho de São Caetano do Sul e Diadema juntas (535.610 habitantes).
Outra revelação da pesquisa é que as áreas de risco não estão concentradas apenas na região metropolitana e no litoral. No total, são 173.978 domicílios localizados em 3.042 locais impróprios que estão espalhados por 232 municípios dos 645 do Estado de São Paulo.
A maior incidência do problema, no entanto, ocorre mesmo na região metropolitana da capital, onde 92% das cidades têm famílias vivendo em locais inadequados e sujeitos a desastres ambientais. Só o município de São Paulo responde por 562 áreas de risco identificadas – 18,5% do total -, com 36 mil domicílios.
Conforme os cálculos da Fundação Seade, vinculada à Secretaria Estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, cada domicílio tem em média três moradores.
O levantamento foi feito no decorrer do ano passado e pesquisou 594 dos 645 municípios paulistas. O estudo inédito vai nortear as ações da Secretaria da Habitação na remoção de moradores dessas áreas e consequente reurbanização de favelas – 4.153 distribuídas em 133 municípios, 20% do total do Estado.