Área do associado

Área do associado

Clipping 06 a 08 de agosto

8.8.2011
CLIPPING
06 a 08 de agosto 2011
 
MÍDIAS DE SANTA CATARINA
 
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Visor
Assuntos: Câmeras de segurança
                  Violência no Sul da Ilha
 
BIG BROTHER
Secretaria de Segurança Pública deve lançar esta semana o edital para a compra de mais 600 câmeras de segurança no Estado. O recente edital para instalação das 158 unidades de videomonitoramento revelou o quanto varia o preço do link que envia as imagens para a central nas cidades que serão beneficiadas pelo sistema. Em São José, cada conexão vai custar ao Estado R$ 370,75; em Florianópolis, R$ 377,7; Concórdia, R$ 356 e Garopaba, R$ 525. Por mês, a despesa será em torno de R$ 61 mil.
 
LARÁPIOS
Moradores do Sul da Ilha andam apavorados com a crescente onda de violência na região. Dias desses, quando competia no exterior, a casa do skatista Pedro Barros foi invadida. Quinta-feira passada foi a vez do surfista Neco Padaratz ser vítima dos larápidos, que arrombaram seu carro enquanto ele surfava.
___________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Trânsito em SC
 
Oito morreram nas estradas do Estado
No acidente mais grave, carro e caminhão bateram e caíram em ribanceira
Acidentes de trânsito mataram oito pessoas em rodovias estaduais e federais de SC neste fim de semana.
No mais grave deles três pessoas morreram e outras duas ficaram feridas em Santa Cecília, Meio-Oeste.
Era pouco antes das 8h de ontem quando um Gol bateu de frente em um caminhão na BR-116. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o carro teria invadido a pista contrária e batido no caminhão, que transportava placas de granito. Com o impacto, os veículos caíram em uma ribanceira de cerca de 30 metros.
 
O motorista do carro, Edevaldo Fernandes Prestes, 27 anos, e o passageiro Deividi Antunes Lins, 17 anos, morreram no local. As placas de granito esmagaram a cabine do caminhão e o motorista Vanes Fernandes de Salles, 55, também morreu.
___________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Geral
Assunto: Greve na UFSC
 
Início das aulas com greve
Hoje é dia de volta às aulas na UFSC e o início do semestre letivo para os calouros. O retorno das atividades será parcialmente prejudicado pela greve dos servidores técnicos-administrativos, que começou em 6 de junho. A Biblioteca Universitária (BU) e o Restaurante Universitário (RU) não devem abrir.
A direção do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) também decidiu que não tem condições de começar o semestre letivo enquanto durar a greve. De acordo com informações da assessoria do Sindicato dos Trabalhadores da UFSC (Sintufsc), o centro é o que tem a maior adesão da categoria no campus.
Uma reunião deliberativa do Conselho de Unidade do CFH deve ser feita para avaliar novamente a situação e a possibilidade de as aulas começarem em 15 de agosto. A assessoria do Sintufsc diz que há um impasse entre os grevistas e o governo federal, que não aceita negociar. Entre as reivindicações dos grevistas está o aumento do piso para três salários mínimos, sendo que o atual é de dois, redução na terceirização, abertura de concursos públicos para substituição da mão de obra terceirizada para as áreas administrativas e os HUs e a revogação da Lei 9.632/98 e de todas as demais que extinguem cargos no serviço público.
Segundo o Sintufsc, um protesto pacífico da categoria está programado para hoje, a partir das 6h30min, na rótula da Trindade, em Florianópolis. Os manifestantes pretendem trancar o acesso principal da instituição.
___________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Política
Assunto: Novo ministro dá recado aos militares
 
 
Novo ministro dá recado aos militares
O diplomata Celso Amorim, que toma posse hoje no Ministério da Defesa, afirmou aos comandantes da Aeronáutica, Exército e Marinha que não pretende mudar a linha de atuação de seu antecessor, Nelson Jobim, demitido na quinta-feira pela presidente Dilma Rousseff.
Ele disse aos militares, em reunião que durou uma hora e quarenta e cinco minutos, que não vai “reinventar a roda”.
A referência à roda foi feita por Amorim quando os comandantes mostraram preocupação com propostas polêmicas dentro e fora do governo, como a da Comissão da Verdade, que poderia levar à revisão da Lei da Anistia. Amorim disse que esse assunto não está em discussão.
___________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Informe Político
Assunto: Quarta ligação entre o Continente e a Ilha de SC
 
Acertado
O lançamento do projeto da quarta ligação entre o Continente e a Ilha de Santa Catarina, em Florianópolis, será realizado ainda este mês.
A definição saiu de conversas entre o governador Raimundo Colombo e do secretário Valdir Cobalchini (Infraestrutura). O período, agora, é de acertos de últimos detalhe.
___________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Moacir Pereira
Assunto: PMDB
 
 
Pinho Moreira mais forte
O Diretório Estadual do PMDB realiza hoje a primeira reunião do ano, tendo como tema principal a indicação dos quatro novos membros da Executiva que vão substituir os afastados por força de outras funções públicas. O assunto mais polêmico e mais importante, contudo, está relacionado com a prorrogação de mandato da atual direção e a recondução do presidente Eduardo Pinho Moreira.
O PMDB está longe do consenso em torno da continuidade. O principal adversário da prorrogação e da permanência de Moreira é o deputado federal Mauro Mariani, o mais votado nas últimas eleições. Ele acha que Moreira já tem espaço suficiente na vice-governança e deseja ter o partido com outro comando. Chegou a citar o deputado Edinho Bez e o senador Casildo Maldaner. Diz que a tese da renovação cresceu entre parlamentares, prefeitos e vereadores, mas que muitos não se manifestam por constrangimento ou temor de alguma retaliação política. Mariani não participará da reunião do Diretório. Terá em Joinville uma reunião com o senador Luiz Henrique e o empresário Udo Doehler, para tratar das eleições municipais. Mas já mandou seu recado. Diz que se Eduardo Moreira quer o consenso, sem disputa, deve respaldar outro nome para sucedê-lo.
E que se continuar no comando “vai ter problemas e não quer o entendimento”. Luiz Henrique declara-se fora do processo. Diz que está envolvido com as atividades no senado e que delegou poderes a Mauro Mariani, Eliseu Matos e Moacir Sopelsa. É favorável à renovação da Executiva, mas sentiu que a maioria das bases quer a manutenção do “status quo”. Por que? “Creio que por comodidade e para evitar disputas no partido”. Eduardo Moreira tem o aval de toda a bancada do PMDB na Assembleia, como ficou demonstrado durante almoço. Entre os federais é que há divisão. E entre prefeitos e vereadores, também, segundo Mariani. Mas o presidente está seguro de que se houver eleição vence fácil.
 
 
MUDANÇAS
São quatro os dirigentes que serão substituídos: Renato Hinnig na Secretaria-Geral, Ada de Luca na 3ª Vice-Presidência, Içurity Pereira na Tesouraria e Ari Véqui como Vogal. Vai para a Secretaria o deputado Carlos Chiodini, da região Norte, a mesma de Mariani. O nome mais forte para a Tesouraria é do ex-deputado Miguel Ximenes, afilhado de Moreira. Um deputado federal sucederá Ada de Luca e um suplente de Bogal subirá a titular. Moreira ressaltou o trabalho de Içurity Pereira na Tesouraria durante 22 anos, com todas as contas aprovadas pela Justiça Eleitoral, sem restrição. Apresentará um relatório dos últimos eventos e os planos para as eleições municipais.
– Nossa preocupação é com o futuro do PMDB – enfatiza Mauro Mariani, que completa:
– O partido não pode ficar a serviço do governo.
– Mariani nunca me procurou para falar sobre o futuro do partido. Só trata do assunto pelos jornais – contesta Moreira, assegurando que também não foi procurado por Edinho Bez.
O vice-governador tem dito e reiterado, desde antes da posse de Raimundo Colombo, que sua opção primeira para 2014 seria disputar a vaga do Senado. Mas há setores no próprio PMDB que não descartam a hipótese de vir a concorrer à sucessão de Colombo, sobretudo se a atual gestão não deslanchar ou continuar patinando. Moreira tem exercido na plenitude a vice-governança, nomeando correligionários e atendendo pleitos regionais. E, também, o comando do PMDB, com viagens constantes ao interior e na execução do projeto “Entradas e Bandeiras”.
– Deputado Esperidião Amin enviou carta ao presidente nacional do PP, senador Francisco Dornelles, pedindo equanimidade ao suplente e ex-deputado Odacir Zonta, cuja cadeira na Câmara Federal agora é ocupada por João Pizollatti. Zonta não teve a solidariedade do PP nacional e do estadual. Tem convite para se filiar ao PSD.
___________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Penitenciária de Itajaí
 
Obra mais do que atrasada
Construção iniciou em 2009 e deveria ter sido entregue sábado. Nova previsão é finalizar em 60 dias
Enquanto os presídios da região estão superlotados, a Penitenciária do Complexo Prisional da Canhanduba, em Itajaí, com 360 vagas para presos condenados, segue inacabada. A última previsão era que o prédio fosse entregue no sábado, 6 de agosto, mas o prazo não foi cumprido.
A obra, que começou em 2009 e está avaliada em R$ 20 milhões, não deve ficar pronta antes dos próximos 60 dias.
Na sexta-feira à tarde, o DC esteve no local e encontrou apenas quatro funcionários trabalhando. A parte interna da penitenciária está pronta, faltando ligação de esgoto e luz. No lado de fora, porém, ainda há muito o que fazer: terra e mato se espalham entre os pavilhões.
– A obra está no acabamento, em fase de urbanização – diz o diretor de Planejamento da Secretaria de Justiça e Cidadania, Roberto Garcia.
Segundo ele, as chuvas que caíram nas últimas semanas seriam as responsáveis pelo atraso. Mas para a vereadora de Itajaí Susi Bellini (PP), presidente da Comissão Intermunicipal de Segurança, essa não é a explicação correta para a demora na entrega do prédio:
– As chuvas não são desculpa. Essa situação ocorre há anos, chegaram a fazer terraplenagem, e depois a obra parou. Tanto que foi criada a comissão para cobrar a efetivação da obra.
O terreno para a construção de um Complexo Penitenciário foi doado pelos municípios de Itajaí, Camboriú e Balneário Camboriú. Há três anos, após angariar recursos do Ministério da Justiça, o governo do Estado abriu licitação e contratou a empresa Espaço Aberto para cuidar das obras de estrutura e entorno – as celas foram encomendadas a uma empresa que produz estruturas de concreto de alta resistência, e já foram entregues.
A maior parte do custo foi coberta pelo Ministério da Justiça, mas também houve contrapartida do Estado, que se responsabilizou por todos os aditivos necessários durante a execução do projeto.
Por ter recursos federais, o trabalho depende da fiscalização da Caixa Econômica Federal. Entraves burocráticos entre o banco e o Estado teriam provocado atrasos já no primeiro ano da obra.
Enquanto a construção se estendia, o governo licitou a construção de um presídio no local, no ano passado. O prédio ficou pronto em poucos meses e começou a receber presos em março de 2011. Um espaço para abrigar presos no regime semi-aberto, com 120 vagas, também está quase pronto.
___________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes em Balneário Camboriú
 
Crimes ocorrem em novo endereço
A portaria que restringe o horário de funcionamento de comércios que dependem de alvará da Polícia Civil completa um mês em vigor hoje em Camboriú, Litoral Norte de SC. A polícia acredita que a medida surtiu o feito esperado: frear a criminalidade no município.
Mas criou outro problema: os crimes aumentaram na cidade vizinha, a turística Balneário Camboriú.
De acordo com a delegada regional Magali Nunes Ignácio, nesse período, apenas uma mulher foi morta em Camboriú e a investigação apurou que se tratou de crime passional. Um corpo também foi encontrado logo que a portaria começou a valer, mas a vítima já estava morta havia dias. Antes da medida, 20 pessoas haviam sido assassinadas na cidade só neste ano.
Para a delegada, as ações como operações varredura realizadas paralelamente ao fechamento de bares e lanchonetes trouxe efeitos positivos especialmente no bairro Monte Alegre, área mais perigosa de Camboriú. Segundo ela, aumentou o número de pessoas detidas e a comunidade se sente mais segura com o patrulhamento constante.
Mas a situação da região está longe de ser a ideal. A delegada admite que a melhora de um lado pode ter piorado outro. Ao que tudo indica, a criminalidade migrou para Balneário Camboriú.
– Só nessa semana em Balneário foram três homicídios. Mas cada cidade tem suas características, por isso não podemos agir da mesma maneira em Balneário Camboriú. vamos apurar se essas mortes tem relação com o tráfico e agir especificamente – explica.
Por ser uma cidade movida principalmente pelo turismo, a delegada destaca que seria inviável restringir o funcionamento de comércios no município. Por isso a delegacia regional estuda outras medidas, como restringir o horário de funcionamento de alguns estabelecimentos nos bairros.
Em Camboriú, a medida continua valendo por tempo indeterminado. Nos primeiros dias da força-tarefa, foram feitas barreiras policiais nos acessos ao e o clima de cidade sitiada foi inevitável. O helicóptero Águia também foi deslocado para patrulhar a área pelo menos duas vezes no mês.
___________________________________________________________________________
Veículo: Diário Catarinense
Editoria: Polícia
Assunto: Crimes e ocorrências
 
Assalto e medo em casa de empresário
Um empresário de 46 anos foi vítima da onda de assaltos com reféns que vem preocupando os moradores da Grande Florianópolis nas últimas semanas.
Ele estava sozinho em casa, ontem, por volta das 11h, quando cinco homens armados invadiram a casa onde mora, no Sul da Ilha, e o amarraram em um quarto, deixando-o embaixo da cama.
Os bandidos ficaram cerca de 20 minutos, fazendo ameaças ao dono. Foram levados um aparelho celular, um computador, aparelhos de televisão e um cofre.
– Hoje não temos mais segurança em nenhum lugar. Este bairro aqui sempre foi tranquilo – disse.
Durante a ação, os bandidos agrediram a cadela de estimação das vítimas com um facão. O bando fugiu levando a caminhonete do empresário, que foi localizada horas depois no Bairro Estreito. Ninguém havia sido preso até o fechamento desta edição. A delegada Salete Mariano Teixeira, da 10ª DP, deve assumir o caso a partir de hoje.
 
Três mortes em 24 horas
Em menos 24 horas, houve três assassinatos em Chapecó. Os crimes aconteceram entre as 4h de sábado e as 3h de ontem. Em nenhum dos casos, os suspeitos haviam sido localizados até a noite de ontem.
O primeiro assassinato foi às 4h de sábado, no Bairro Engenho Braunn. Houve uma briga na rua Leopoldo Sander, e Anderson Antônio Cordeiro, 25 anos, levou um tiro. Ele chegou a ser levado ao Hospital Regional do Oeste mas já chegou lá morto. O autor do disparo não tinha sido identificado até a tarde de ontem.
O segundo assassinato foi às 18h30min de sábado, num bar da rua Gregório de Matos, no distrito de Marechal Bormann. Ademir dos Santos, 36 anos, estava jogando cartas quando houve um desentendimento. Ele foi esfaqueado no peito e nas costas. De acordo com informações levantadas pela PM com testemunhas, o suspeito do crime seria o cunhado da vítima, que não foi encontrado.
 
A terceira morte aconteceu por volta das 3h de ontem, no Bairro Maria Goretti. Edson Rodrigues, 26 anos, foi encontrado na rua Marechal Deodoro da Fonseca. Ele tinha duas perfurações por tiros, na face e nas costas. A vítima teria sido abordada por três pessoas.
___________________________________________________________________________
Veículo: A Notícia
Editoria: Segurança
Assunto: Polícia investiga relação entre homicídios na zona Sul de Joinville
 
 
Polícia investiga relação entre homicídios na zona Sul de Joinville
Morte de dois jovens na última semana podem ter ligação
Um jovem de 17 anos foi espancado e depois executado a tiros na madrugada de sábado, no bairro Paranaguamirim, zona Sul de Joinville. O crime aconteceu por volta das 3h30, na rua João Nicolau, Jardim Edilene, a seis quadras da casa da vítima, Anderson Lemos.
A Polícia Civil investiga se há ligação da morte do adolescente com a ocorrida na execução parecida registrada na mesma região na quinta-feira. Segundo a PM, Edenilson da Rosa, 19 anos, foi abordado por pelo menos quatro pessoas quando seguia de bicicleta pela rua Salvador de Amorim, que faz cruzamento com a rua João Nicolau.
Edenilson levou três tiros no peito e dois na cabeça. Os suspeitos fugiram a pé. Até as 20 horas de domingo, nenhum suspeito havia sido detido. A família de Edenilson acredita que o jovem foi assassinado por engano.
Para a mãe de Anderson Lemos, o assassinato pode ter relação com uma briga entre amigos, que aconteceu há alguns meses na pracinha do bairro.
— Nem sei o motivo da briga, só sei que ele levou socos e pontapés —, diz Lenilda Lemos, de 33 anos.
— Ele trabalhava como servente de pedreiro e nunca se envolveu com nenhum tipo de droga —, afirma.
Anderson tinha ido à casa da namorada. A mãe imagina que ele tenha sido seguido e pego de surpresa, quando caminhava sozinho.
— Quando dei pela falta dele, meu marido me tranquilizou, dizendo que ele devia estar na namorada.
Às 9 horas de sábado, ela recebeu a notícia da morte do filho.
— Eu não sei quem são essas pessoas que fizeram, mas espero que a Justiça seja feita pelos dois rapazes —, disse.
___________________________________________________________________________
Veículo: Notícias do Dia
Editoria: Hélio Costa
Assunto: Comandante do 4º BPM contesta o aumento de ocorrências no Centro
 
 
Comandante do 4º BPM contesta o aumento de ocorrências no Centro
Coronel Araújo Gomes admite apenas que ocorreu um surto após a fuga de julho, no Centro de Triagem da Trindade, mas a tendência é uma queda
Sobre a nota publicada na edição de sexta-feira, intitulada “Ladrões estão à solta no Centro da Capital atacando homens e mulheres”, o comandante do 4º BPM, coronel Araújo Gomes, contesta o aumento das ocorrências. Ele afirma que houve queda neste primeiro semestre, em relação ao mesmo período do ano passado. O oficial diz ainda que o 4º BPM apreendeu mais armas que nos primeiros seis meses dos últimos dois anos. Foram 40 em 2011, contra 22 apreensões em 2010, e 13 armas recolhidas em 2009. O coronel garante que os furtos na região central também estão em queda. No entanto, ele admitiu que em julho ocorreu “um surto” após as fugas do Centro de Triagem da Trindade, de onde escaparam 78 presos, e dos 13 adolescentes do Plantão de Atendimento Inicial. Ressaltou que daqui para frente a tendência é uma queda nas ocorrências.
___________________________________________________________________________
Veículo: Notícias do Dia
Editoria: Hélio Costa
Assunto: Delegada Mônica tem novo desafio na “espinhosa” secretaria da Justiça
 
 
Delegada Mônica tem novo desafio na “espinhosa” secretaria da Justiça
Ao lado da titular, a deputada Ada de Luca, Mônica vai participar das decisões e do planejamento do sistema carcerário do Estado.
Nova missão
A delegada Mônica Forcelini Coimbra, filha do meu amigo Reginaldo Coimbra, delegado aposentado, tem um novo desafio: comandar a Secretaria da Justiça e Cidadania (uma das pastas mais espinhosas no governo) ao lado titular, a deputada Ada de Luca. Mônica vai participar das decisões e do planejamento do sistema carcerário. Experiência ela tem, principalmente na questão do adolescente infrator. Mônica sabe que a legião de adolescentes infratores não é pequena e também tem certeza que é possível ressocializar menores em conflito com a lei, desde que o município ofereça estrutura. Por isso, acredito que ela vai ter voz ativa na secretaria para que o Plantão de Atendimento Inicial, fechado para reformas, volte a funcionar o mais rápido possível. A coluna deseja boa sorte à delegada Mônica nesta nova missão.
 
BLOGS
 
Paulo Alceu
 
Alarmante
Segundo dados da Polícia Civil houve um aumento de assaltos a passageiros e roubos de carga no primeiro semestre de 52% em relação ao ano passado nas rodovias do Estado. Ou seja, 287 ocorrências foram registradas. Em resumo, falta segurança. Em setembro será realizada uma audiência pública em Porto União com participação de representantes dos três estados do Sul. A idéia partiu do deputado Maurício Eskudlark que defende a integração das policiais visando conter a violência nas rodovias.
 
Moacir Pereira
 
PTB quer inviabilizar o PSD
 
O Diretório Nacional do PTB não vai dar tréguas aos líderes do Partido Social Democrático em Santa Catarina e em todos os Estados onde houver pedido de criação da nova legenda. Entrou com o pedido de impugnação no Tribunal Regional Eleitoral e vai utilizar de todos os recursos legais para impedir a fundação do PSD. A informação de que a iniciativa era da direção estadual partiu de um trabalhista local.
A nova e dura investida do comando nacional trabalhista foi reiterada pelo advogado Luiz Gustavo Pereira da Cunha, que assinou a impugnação na Justiça Eleitoral.   O principal argumento está sendo repetido nas demais representações: “O PSD pertence ao PTB. O PTB até hoje paga dívidas do PSD, incorporado em 2003. Recebe notificações de débitos tributários com freqüência. Além disso, está ativo o Diretório do PSD de Bebedouro, em São Paulo, fundado em1996”, justifica Gustavo.
O presidente estadual do PTB, deputado Narcizo Parisotto, aliado do governador Raimundo Colombo, principal líder do PSD no Estado, foi cientificado previamente da impugnação, mas não tem participação no processo. Trata-se de orientação nacional do PTB. Até agora já foram impugnados pedidos em seis Estados.   Na próxima semana outros requerimentos contra serão protocolados.
Luiz Gustavo não acredita que o prefeito Gilberto Kassab consiga o registro do novo partido no Tribunal Superior Eleitoral dentro do prazo, até inicio de outubro.   Usa dois exemplos. O primeiro, o Partido Ecológico Nacional, que levou oito meses para obter o registro em São Paulo. O segundo, o Partido Republicano Brasileiro, da Igreja Universal, que obteve o registro após um ano e quatro meses.
Além de se considerar dona da sigla, a direção nacional do PTB aponta outros problemas: “ Mortos subscrevendo listas de adesão, analfabetos como fundadores e o uso ostensivo da máquina da Prefeitura de São Paulo para coleta de assinaturas.”
 
 
Cláudio Prisco
 
Reforçada
Ideli Salvatti saiu fortalecida do episódio que culminou com a queda de Nelson Jobim do Ministério da Defesa. É bem verdade que Dilma Rousseff não via a hora de se livrar do peemedebista gaúcho, mas de qualquer maneira a presidente acabou ficando solidária com a correligionária catarinense.
 
 
 
MÍDIAS DO BRASIL
 
 
Veículo: Estado de S.Paulo
Editoria: Brasil
Assunto: Homicídios resistem em 54 cidades de SP
 
 
 
Homicídios resistem em 54 cidades de SP
Os homicídios resistem em 54 municípios paulistas. Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo com dados da Secretaria de Segurança Pública mostra que a queda acentuada desse tipo de crime entre 2001 e 2011 (-71,2%) não foi um fenômeno uniforme. Quatro regiões paulistas concentram as cidades que andaram na contramão da evolução da criminalidade: noroeste, nordeste, Vale do Ribeira e litoral.
Por trás desse fenômeno estão a presença de presídios de regime fechado e semiaberto, a proliferação do crack entre cortadores de cana e o crescimento recente e desordenado de algumas dessas cidades. Para enfrentá-lo, o delegado-geral, Marcos Carneiro Lima, planeja ampliar a atuação do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para todo o Estado.
“Queremos levar a competência e o padrão de investigação do DHPP para todo o Estado”, afirmou. O levantamento levou em consideração somente as cidades cujo aumento de criminalidade por 100 mil habitantes equivalia a três ou mais casos de assassinatos – houve 95 municípios no Estado que registraram uma variação positiva de assassinato de 1 a 2 casos. Nas outras 496 cidades, houve queda nos homicídios ou a taxa se manteve igual ao longo dos últimos 11 anos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
____________________________________________________________________________
Veículo: Estado de S.Paulo
Editoria: Brasil
Assunto: PM terá efetivo fixo e 2 bases na USP por 5 anos
 
PM terá efetivo fixo e 2 bases na USP por 5 anos
A PM terá efetivo fixo de 15 a 20 policiais especializados no público universitário atuando dentro do câmpus da Universidade de São Paulo (USP) no Butantã, zona oeste da capital, ainda neste mês. A PM também vai instalar duas bases móveis dentro da Cidade Universitária. As medidas fazem parte de convênio aprovado ontem pelo Conselho Gestor da USP, que deve ser assinado com a Secretaria da Segurança Pública na semana que vem.
A ação dos policiais – que seguirá modelo do policiamento comunitário – é discutida desde maio, quando Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, foi morto no estacionamento da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). O convênio vai durar cinco anos, com possibilidade de renovação. Em setembro, a polícia vai fazer palestras para explicar a ação.
“Será a primeira vez que a PM terá uma “inteligência” dentro do câmpus, para entender a melhor forma de atuar aqui”, disse o superintendente de Relações Institucionais da USP, Wanderley Messias da Costa.
____________________________________________________________________________
Veículo: Portal Último Segundo
Editoria: Brasil
Assunto: Raios mataram 130 por ano na última década no Brasil
 
Raios mataram 130 por ano na última década no Brasil
Coordenador de conferência sobre o tema que começa neste domingo diz que País é atingido 50 milhões de vezes por ano
A incidência de raios no Brasil vem aumentando, mas somente nas médias e grandes cidades urbanas, segundo o coordenador do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Osmar Pinto Júnior. Ele coordena, a partir do domingo, no Rio de Janeiro, a Conferência Internacional de Eletricidade Atmosférica (Icae 2011), que ocorre pela primeira vez no Hemisfério Sul.
O Amazonas é o estado com maior incidência de raios: 20 milhões por ano. No entanto, considerando a relação entre o número de raios e a área dos estados, a liderança é do Mato Grosso do Sul. No país, a média de incidência é 50 milhões de raios por ano.
“Olhando o país como um todo, a incidência de raios não mostra uma tendência de aumento, apesar de os dados apontarem resultados muito importantes.” As informações da pesquisa serão apresentadas pelo coordenador do Elat/Inpe em palestra programada para a próxima terça-feira (9), na Icae 2011.
Em relação às mortes, o levantamento do Elat mostra que, na última década, 130 pessoas morreram, por ano, atingidas por raios. Não existe estatística oficial sobre feridos, mas a estimativa é que anualmente cerca de 300 pessoas sobrevivam depois de serem atingidas por um raio.
Osmar Pinto Júnior disse que em 2011, “atipicamente”, o número de mortes por raios está muito baixo, em torno de 60 ocorrências. “Esse número ainda vai aumentar, mas não deve ultrapassar 100 mortes. Ou seja, vai ficar bem abaixo da média da última década.”
O engenheiro explicou que 85% das mortes por raios ocorrem ao ar livre. A circunstância mais comum é a morte de pessoas trabalhando no meio rural, na lavoura, seguida por mortes em praias e estradas. O restante dos casos ocorrem dentro de casa. Os raios matam pessoas que falam em telefones sem fio, que tomam banho durante as tempestades ou que encostam em aparelhos ligados à rede elétrica, como geladeiras, por exemplo.
Em áreas descampadas as pessoas também correm mais risco de serem atingidas do que se estivessem em uma mata, onde o ponto mais alto são as árvores, e não a cabeça humana. “Em uma mata, você está coberto por árvores altas. Está mais seguro.” As árvores isoladas, no entanto, devem ser evitadas durante tempestades com raios, recomendou.
São Paulo ocupa a liderança em número de mortes por raios, “apesar de não ser o estado com maior incidência. Isso acontece por causa do maior contingente populacional, ou seja, tem mais gente para ser atingida e mais pessoas acabam morrendo”.
À exceção do Nordeste, onde é menor a incidência de descargas elétricas, todas as regiões brasileiras registram muitos raios. “E até no Nordeste a incidência está aumentando de três anos para cá.” As razões ainda estão sendo pesquisadas pelo Elat.
Na manhã de segunda-feira será realizada uma entrevista coletiva na Icae 2011, quando serão apresentados os principais avanços mundiais na área de eletricidade atmosférica e anunciados os resultados das pesquisas brasileiras.
____________________________________________________________________________
Veículo: Folha Online
Editoria: Brasil
Assunto:  Bombeiros e policiais realizam passeata em defesa das PEC 300/446
 
 
Bombeiros e policiais realizam passeata em defesa das PEC 300/446.
Manifestantes participam, nesta sexta, de audiência pública na Assembleia Legislativa.
– Representantes das Polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros realizam, na manhã desta sexta-feira (5), passeata em defesa das PEC 300/446, que beneficia as categorias. A concentração teve início em frente ao Banco do Brasil, [ao lado do Tropical Shopping Center] em direção à Assembleia Legislativa.
Os manifestantes participarão do Seminário, que tem como tema: “Os Investimentos na Área de Segurança Pública nos Estados Brasileiros”, realizado pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados, além de representantes da Assembleia Legislativa e governo do Estado.
As Propostas de Emendas Constitucionais, as PEC 300/446, cria um piso nacional para as polícias civil e militar e para os bombeiros. As duas PEC são de autoria do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), e do senador Renan Calheiros (PMDB), respectivamente.
____________________________________________________________________________
Veículo: Agência Câmara
Editoria: Segurança
Assunto: Lei Maria da Penha completa cinco anos com 80% de aprovação
 
 
Lei Maria da Penha completa cinco anos com 80% de aprovação
Ato em defesa da Lei Maria da Penha, em Brasília: cinco anos de punição mais rígida para agressores.
A Lei Maria da Penha (11.340/06) completa cinco anos de existência no domingo, dia 7 de agosto, com aprovação de 80% dos brasileiros, segundo pesquisa deste ano da Fundação Perseu Abramo, do PT. Segundo o levantamento, 11% dos entrevistados demonstraram alguma restrição à lei.
Com o objetivo de proteger as mulheres da violência doméstica, a lei triplicou a pena para esse tipo de agressão, permitiu a prisão em flagrante dos agressores e acabou com as penas pecuniárias – quando a detenção é substituída por pagamento de multa ou cestas básicas.
Relatora do projeto que gerou a lei, na Câmara, a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirma que ainda existe resistência à aplicação da norma por parte de alguns juízes. Para ela, é necessário maior empenho do Poder Público e da sociedade para fazer com que a lei seja efetivamente cumprida.
“Cada um tem que assumir a sua responsabilidade, no Executivo, no Judiciário, e colocar orçamento, capacitar seus profissionais, fazer campanhas de prevenção dentro das escolas”, disse Feghali.
A deputada ressaltou também a responsabilidade das mulheres no combate à violência doméstica. “As mulheres também têm que assumir a atitude de não aceitar submissão e, acontecendo qualquer tipo de agressão, denunciar na hora. O perdão leva a uma segunda violência e já levou à morte muitas mulheres nesse País”.
 
Violência
A pesquisa da Fundação Perseu Abramo mostra que a Lei Maria da Penha é bastante conhecida no Brasil: 85% dos brasileiros já ouviram falar da norma, mesmo conhecendo apenas superficialmente o seu conteúdo.
Apesar disso, o levantamento aponta que a violência contra a mulher permanece frequente. Segundo a fundação, 4 em cada 10 brasileiras afirmam já ter sofrido algum tipo de violência doméstica.
Jandira Feghali considera que as mulheres têm tido mais coragem para denunciar, o que eleva as estatísticas de agressão. “Antes, as pessoas não denunciavam. Hoje, até por confiar mais na punição ou pela existência da lei, as pessoas passaram a denunciar”.
Considerada uma das três melhores leis do mundo pelo Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher, a norma foi batizada em homenagem à biofarmacêutica Maria da Penha Fernandes, que ficou paraplégica após sofrer duas tentativas de assassinato por parte de seu ex-marido.