Área do associado

Área do associado

Moacir Pereira: Militares protestam (22Nov09)

21.11.2009



Segue clipagem da coluna do jornalista Moacir Pereira, publicada nos jornais DIário Catarinense, A Notícia e Jornal de Santa Catarina, edição de domingo, 22.



22 de novembro de 2009 | N° 8631



MOACIR PEREIRA




  • Militares protestam


    É inquietante e de crescente insatisfação o clima na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros. Motivo: a concessão de gratificação de R$ 2 mil aos delegados de polícia, sem que os oficiais superiores tivessem o mesmo benefício. A tese da isonomia continua sendo uma das bandeiras da Polícia Militar. Os coronéis mantêm posição de décadas de que não podem receber salários inferiores aos dos delegados.

    A última reunião do governador Luiz Henrique com os deputados da base aliada elevou o descontentamento da Polícia Militar com o secretário de Segurança Pública. O deputado Ronaldo Benedet fez uma exposição em defesa da gratificação aos delegados. Neste encontro, apenas o deputado Edison Andrino (PMDB) sugeriu igualdade com os oficiais da PM. Benedet esclareceu depois que a reunião foi convocada para tratar da situação delicada na Polícia Civil e do acordo fechado na última assembleia de delegados de polícia. Nada estava previsto sobre a Polícia Militar.

    As três entidades que congregam os oficiais da PM (Associação dos Oficiais Militares de Santa Catarina, Clube Barriga Verde de Oficiais e Associação Catarinense dos Oficiais da Reserva) estão unidas e mobilizadas em torno da mesma reivindicação. E conectadas com o comandante-geral da PM, ao qual levam todos os pleitos para decisão do governo. O coronel Eliésio Rodrigues enviou um documento ao governador solicitando uma gratificação aos oficiais e a todos os praças da Polícia Militar. Tratou da intranquilidade na tropa durante reunião com o secretário de Segurança. Ronaldo Benedet prometeu encaminhar os pedidos ao governador, mas salientou que em julho os militares tiveram uma gratificação especial, benefício não estendido aos delegados ou aos policiais civis.



  • Campanha


    As entidades dos militares iniciaram a campanha através de outdoors, que já revelam a mobilização em torno de suas bandeiras. A primeira fase abrange apenas Florianópolis e traz uma crítica direta ao deputado Ronaldo Benedet. Indaga: ?Sr. secretário de Segurança Pública: por que tanta discriminação com os oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros?? Na segunda fase da campanha, dezenas de outdoors serão exibidos em Criciúma, a base eleitoral do secretário.

    O movimento passa a ter respaldo nacional. O presidente da Associação dos Oficiais Militares, coronel Marlon Teza, participou do 9º Encontro Nacional de Entidades de Oficiais Militares, com outros oficiais catarinenses. Ele preside, também, a Federação Nacional das Entidades de Oficiais Militares Estaduais (www.feneme.org.br), que está definindo ações comuns. Luiz Henrique declara-se decepcionado com ações na Polícia Militar. A maior mágoa é a postura do deputado sargento Amauri Soares e o radicalismo político da Aprasc. Mas também com pressões dos oficiais, que, segundo ele, estariam sendo ingratos. Repete que nenhum outro governador assinou tantos atos de promoção.