Área do associado

Área do associado

DISCURSO DO DEP. JAIR BOLSONARO -OPERAÇÃO DO EXÉRCITO NA COMUNIDADE DO RIO

12.3.2006

Notícia Legislativa
08/03/2006

DISCURSO DO DEP. JAIR BOLSONARO
OPERAÇÃO DO EXÉRCITO NA COMUNIDADE DO RIO.


O SR. JAIR BOLSONARO (PP-RJ. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, Deputado Inocêncio Oliveira, nestes 3 minutos que disponho tecerei breves comentários sobre a atual operação do Exército na comunidade do Rio de Janeiro.
Refiro-me, em primeiro lugar, a esse inusitado fato. A população daquele Estado está torcendo para que o Exército não encontre os 10 fuzis e a pistola que foram roubadas de um quartel em São Cristóvão porque, caso encontrem, a tropa se recolherá aos quartéis e a violência voltará a imperar.
Estamos preocupados porque, caso haja qualquer incidente ? troca de tiros, mortes de inocentes ou não ? com os oficiais e praças que estão participando dessa operação, eles terão de responder individualmente pelos seus atos.
A esquerda trabalhou muito nesta Casa para acabar com a Justiça Militar, e agora o militar tem de se conscientizar de que, se houver um enfrentamento, ele pode ir ao Tribunal de Júri e ser condenado em até 30 anos de prisão.
Temos ainda outra preocupação muito grande com o porte de armas para as Forças Armadas ? aliás, obtivemos o não foi vitorioso no referendo das armas ? , já que o Policial Militar e o Corpo de Bombeiros Militar têm direito a portá-las.

O nosso cabo antigo, nosso sargento, nosso subtenente e suboficial não têm o mesmo direito. Mas, em momentos como esses, como a operação que está agora sendo feita no Rio de Janeiro, passam a tê-lo. E tão logo acabe a operação, nossos militares ? muitos com 20, 25, 30 anos de serviço ? não terão mais o porte de arma. Ademais, os seus respectivos comandantes poucos concedem a eles o porte de arma.
Por isso, tendo em vista a esses acontecimentos, corremos o risco de ter cassados nossos militares das Forças Armadas. Assim como nós somos cassados, os PMs também passarão a sê-los, e não têm como se defenderem da bandidagem bastante atuante em nosso Estado.
Refiro-me, em segundo lugar, ao miserável salário que o militar das Forças Armadas continua a receber. Basta apenas citar que um recruta ganha 189 reais brutos por mês. Éuma vergonha, maior ainda quando se trata de um Governo como Lula. Assim também é o ritmo de serviço. Não estou aqui defendendo a folga semanal. Mas estão trabalhando em ritmo full time, dia sim, outro também. Quer dizer, isso leva qualquer um ao cansaço, ao estresse. Dessa forma, problemas podem vir a acontecer.
Defendo a operação do Exército, tanto que elogio a presença do Exército nas ruas do Rio de Janeiro, e espero que continue ali por mais tempo. Não basta apenas fazer um trabalho de cerco, de asfixia, de entrar nas favelas, de vasculhar casas, de fazer um pente fino e recuperar apenas essas armas, mas centenas delas que diariamente matam dezenas de inocentes em nosso Estado.
Sr. Presidente, lamento também o fato de o Governo não ter ainda enviado a esta Casa o projeto que reajusta em 10% o salário das Forças Armadas e deve ser concedido a partir de agosto deste ano.
Era o que tinha a dizer.
Fonte: Agência Câmara

Site: www.camara.gov.br