Área do associado

Área do associado

HORA EXTRA

29.7.2004

 


Moacir Pereira
moacirp@intercorp.com.br



Coronéis repudiam cortes


Oficiais superiores da Polícia Militar do Estado entregaram ao comandante geral, coronel Edison Morelli, um documento contendo uma posição firme contra proposta de corte de 50% nas horas extras. A sugestão foi lançada durante a reunião. Surgiram informações de que a redução da vantagem salarial dos policiais seria adotada a partir de 1º de agosto. Uma fonte revelou,contudo, após a reunião do coronel Morelli com os comandantes regionais e coronéis da PM, que a proposta foi lançada apenas para estudos.
O documento dos oficiais foi enviado pela Associação Capitão Osmar Romão da Silva (Acors) e alerta também para outras restrições de despesas, que poderão comprometer os serviços de segurança. Afirma textualmente: “1. Não admitir qualquer concessão que não atenda também aos oficiais, com relação ao pagamento de parcela de reposição salarial, conforme determina a lei complementar n° 254/2003; 2. Repudiar o corte de hora extra, entretanto, sendo este inevitável, que seja aplicado a todas as categorias integrante da Secretaria de Segurança Pública e Defesa do Cidadão (policiais civis, agentes penitenciários, policiais militares etc.); 3. Com relação à diminuição do número de telefones celulares, bem como da proibição de efetuar ligações de telefones fixos para celulares, entendemos que esta medida dificulta a realização de um serviço eficaz por parte destas corporações”.
Idêntica manifestação foi remetida ao comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Adilson Alcides de Oliveira.