Área do associado

Área do associado

Polícia é policia, bandido é bandido

28.4.2016








Tudo é tragédia








Arnaldo Jabor   







A famosa frase de Lúcio Flávio era: polícia é polícia, bandido é bandido. Hoje, a fronteira bem e o mal é quase nada.


O que faz um sargento assaltar uniformizado junto com bandidos? O mundo de onde são recrutados os policiais é semelhante aos do bandido.


Eles vêm das favelas, das zonas pobres, muitas vezes, crescem junto com os meliantes. Bem e mal hoje é uma massa indistinta de pobreza, de ignorância e desespero. Um PM ganha uma miséria e já vimos aqui gravações de policiais pedindo gorjetas de R$ 50, R$ 100 a traficantes.


A divisão hoje é outra. De um lado estão aqueles que podem usufruir de uma normalidade de vida, casa, comida, cultura, e os que moram com ou sem farda no mundo do nada, sem futuro, onde a morte é quem manda e ali não há sim, nem não. Tudo é tragédia.


Apesar desses fatos, a maioria é heróica sim. Estão sendo assassinados progressivamente por causa da burrice burocrática das secretarias de seguranças que dispõem em casas, matas em defesa dos morros, que nos obrigam a ficar em casa ou dando sopa nas esquinas expostos às metralhadoras dos traficantes.


Eles são vítimas da falta de seriedade e de imaginação dos poderosos. Hoje polícia e bandido se misturam na mesma tragédia porque surgiram outros bandidos, maiores e intocáveis, na política e os altos escalões do poder. Eles são os verdadeiros criminosos.