Área do associado

Área do associado

Academia de Letras dos Militares Estaduais comemora três anos com a posse de três novos membros

30.9.2015

     A Academia de Letras dos Militares Estaduais celebra nesta quarta-feira, 30 de setembro, três anos de atividades profícuas e de atuação inspiradora. A data será comemorada com uma solenidade festiva nos salões da ABVO, com o devido protocolo que sempre emociona os membros e convidados da Almesc: velas acesas ao início e adormecidas ao final da cerimônia, Imortais trajando balandrau e insígnia, discursos poéticos e a posse de três novos confrades.

     Com a ampliação das 17 cadeiras iniciais, preenchidas em setembro de 2012, para 27 cadeiras este ano, tomarão posse como Imortais da Alesc o Cel PM Fred Harry Schauffert, presidente da ACORS, o Cel BM Edupércio Pratts e o Subten BM Henrique Nakalski. Para ingressar na confraria, em linhas gerais, é necessário ter no mínimo uma obra publicada, que pode versar sobre temas técnicos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, sobre temas históricos das corporações, ou simplesmente demonstrar qualidade em termos literários, seja na forma de conto, poema, crônica, ensaio, biografias, etc.

     À frente de todo este processo está uma “figura carimbada” no seleto rol de confrarias. Presidente da Almesc desde a sua fundação, o Cel Roberto Rodrigues de Menezes, que está na Reserva da PMSC desde 1997, integra a Associação de Cronistas, Poetas e Contistas Catarinenses, a Academia de Letras do Brasil/SC/Florianópolis – ocupando a cadeira que tem como patrono justamente um Oficial, o Maj Ildefonso Juvenal da Silva -, a Academia São José de Letras e a Academia Desterrense de Letras. Desde o ano passado, também é membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina.

     Entre as publicações que garantiram seu acesso a instituições tão relevantes para a literatura e a cultura estão 11 obras lançadas entre 1999 e 2015 – incluindo “Vem e segue-me”, biografia do Monsenhor Francisco de Sales Bianchini ─ e a co-autoria em uma dezena de antologias. Recentemente, também teve um conto, um poema e uma crônica selecionados para a coletânea Prêmio Buriti Literatura 2014. O reconhecimento, sem dúvida, faz jus a uma vida dedicada ao aprendizado permanente e ao ensino de qualidade.

     Como Oficial da PMSC, com formação em pedagogia e comunicação social, o Cel Roberto serviu no Palácio do Governo e no Tribunal de Justiça, em Florianópolis, e no Oeste do Estado em São Miguel d’Oeste e Chapecó, mas foi no Centro de Ensino que se realizou plenamente. Ali, além de professor, foi diretor do Colégio Feliciano Nunes Pires, comandante do Centro de Formação de Praças, comandante da Academia de Polícia e comandante interino do próprio Centro de Ensino.

     Casado, pai de três filhos, o Cel Roberto fez da Reserva uma oportunidade única para se dedicar à produção literária e, na mesma esteira, à promoção literária, por meio da Academia fundada em parceria com o Cel Nazareno Marcineiro e o Cel Paulo Roberto Bornhofen, que permanece como vice-presidente da Almesc. “A Academia de Letras dos Militares Estaduais é fundamental inclusive para o reconhecimento que as corporações terão por parte de entidades culturais civis”, avalia o Oficial que no momento, além dos preparativos para a solenidade de 30 de setembro, vem trabalhando para a instalação de uma biblioteca no HPM.

 

 

 

Cel Roberto Rodrigues de Menezes, presidente da ALMESC

 

* Publicado em 30.09.2015.